• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
14 outubro 2014

Resenha: Maus, Art Spiegelman


maus-01

Título Original: Maus
Autor: Art Spiegelman
Páginas: 295
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2009
Sinopse: Maus ("rato", em alemão) é a história de Vladek Spiegelman, judeu-polonês que sobreviveu ao campo de concentração de Auschwitz, narrada por ele próprio ao filho Art. O livro é considerado um clássico contemporâneo das histórias em quadrinhos. Foi publicado em duas partes, a primeira em 1986 e a segunda em 1991. No ano seguinte, Maus ganhou o prestigioso Prêmio Pulitzer de literatura. A obra é um sucesso estrondoso de público e de crítica. Desde que foi lançada, tem sido objeto de estudos e análises de especialistas de diversas áreas -história, literatura, artes e psicologia. Em nova tradução, o livro é agora relançado com as duas partes reunidas num só volume. Nas tiras, os judeus são desenhados como ratos e os nazistas ganham feições de gatos; poloneses não-judeus são porcos e americanos, cachorros. Esse recurso, aliado à ausência de cor dos quadrinhos, reflete o espírito do livro: trata-se de um relato incisivo e perturbador, que evidencia a brutalidade da catástrofe do Holocausto. Spiegelman, porém, evita o sentimentalismo e interrompe algumas vezes a narrativa para dar espaço a dúvidas e inquietações. É implacável com o protagonista, seu próprio pai, retratado como valoroso e destemido, mas também como sovina, racista e mesquinho. De vários pontos de vista, uma obra sem equivalente no universo dos quadrinhos e um relato histórico de valor inestimável.

Hoje vim indicar um dos melhores HQ que já li. Sim, Maus - A história de um sobrevivente, do Art Spiegelman. Neste livro, deparamo-nos com personagens antropomorfizados, ou seja, são retratados como animais - os judeus são os ratos, os nazistas, os gatos; os poloneses são porcos e os norte-americanos são cachorros. 

Maus é uma obra real construída com o relato real do pai do autor, Vladek Spiegelman, que viveu muitos anos na Polônia e assim como os milhares de judeus, viveu nos campos de concentração.  Maus é uma história dentro de outra história, enquanto Vladek vai contando a Art sua história e a relação de pai e filho no momento real. A relação de Art e do seu pai não era tão boa. 

Vladek é cara agarrado, chato e apegado as coisas materiais. Vemos o mundo de Vladek que preservar tudo o que tem, já que durante a guerra ele sobrevivia com tão pouco e guardava o restante para depois e o mundo de Art, depois da guerra, nos EUA, que não chegou a passar o inferno dos seus pais. Uma história  cruel, marcante e inesquecível. 
Humor e tiradas inteligentes de uma história da luta pela sobrevivência. Impossível seria não se emocionar. A obra mostra a invasão alemã á Polônia, antes da caça aos judeus. Primeiro, os judeus foram postos nos guetos, com pouco e depois o nazismo tomou conta, já que os alemães precisavam da mão de obra judaica para trabalhos forçados nos campos de concentração. 

Maus valeu cada segundo do meu dia lendo. Eu sou fã de histórias das Guerras Mundiais e precisava ler esta HQ. Emocionar não é bem a palavra certa para esse livro.  Leitura obrigatória para quem é fã de HQ e que se interessa por História.

NOTA: 



divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário