• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
25 abril 2018

Resenha: Winter, Marissa Meyer


Título: Winter - Crônicas Lunares #4
Autora:  Marissa Meyer
Editora: Rocck Jovens Leitores
Páginas: 688
Sinopse: Bestseller do The New York Times, a série Crônicas Lunares conquistou os leitores com sua releitura high-tech de contos de fadas tradicionais. Depois de Cinder, Scarlet e Cress, inspirados, respectivamente, nas histórias de Cinderela, Chapeuzinho Vermelho e Rapunzel, Marissa Meyer entrega a eles o último capítulo da série, em que reconta a história de Branca de Neve com tintas distópicas. Na trama, a princesa Winter vive subjugada por sua madrasta, Levana, que inveja sua beleza e não aprova os sentimentos da jovem pelo amigo de infância e belo guarda real Jacin. Mas Winter não é tão frágil quanto parece, e, junto com a ciborgue Cinder e seus aliados, a jovem princesa é capaz de iniciar uma revolução e vencer uma guerra que já está em andamento há muito tempo. Será que Cinder, Scarlet, Cress e Winter podem derrotar Levana e encontrar seus finais felizes?

Era uma vez uma princesa tao linda, chamada Winter, que despertou a ira da Rainha pela sua beleza.  A mãe de Winter morreu durante o seu nascimento e seu pai, um guarda real, casou-se com a rainha de Luna: Levana. Porém, seu pai foi assassinado e a menina ficou aos cuidados da madrasta.  Apesar de ser uma princesa amada pelo povo, Winter sofria com suas maluquices e esquisites, além de fazer questão de não usar o poder lunar em ninguém. Seu único amigo é Jacin: seu porto seguro das crueldades da rainha.

“Winter era uma princesa amada mais bonita do que um buquê de rosas e mais maluca do que uma galinha sem cabeça.”
 
Winter já foi apresentada em Cress, porém neste livro a conheceremos de verdade. E quando você pensa que Marissa Meyer não conseguirá entrelaçar as histórias, ela dá um tapa com um enredo com as pontas bem amarradas e sendo brilhando na criatividade.

A série As Crônicas Lunares me conquistou desde Cinder.Ao recontar alguns dos famosos contos de fadas, ciborgues e uma distopia bem eletrizante.

Nessa jornada final, Cinder fará de tudo para libertar os povos de Luna e da Terra. E nossa, acontece tanta, mas tanta coisa, que é impossível não sentir o coração dar altos pulos, o nervosismo e o medo pelos personagens. Também temos Lobo, Scarlet, Cress, Thorne, Iko, Kai e todos os outros personagens maravilhosos dos livros anteriores.

 “O amor — sussurrou ela. — O amor é uma conquista. O amor é uma guerra. Não passa disso.”

Marissa é uma autora tão talentosa . Sua escrita é rápida e ágil, não cansa e ela consegue nos fazer mergulhar no universo criado e sentir diversas emoções pela história intensa e criativa.Somente AMEI essa série ! Maravilhosa do inicio ao fim, onde cada livro acrescentou mais a trama geral e cheia de diálogos hilários, personagens especiais e divertidos.

“Como teria sido lindo viver em um mundo que não tivesse que fingir.”

Winter foi uma conclusão digna e épica para essa trama . Em meio a guerras, a autora soube dosar humor,drama e romance. E mesmo sendo mais complexo que os anteriores, a leitura foi leve e emocionante. Finalizei o livro com um sorriso no rosto e uma saudade batendo no peito.

Nota:★(5/5)



divulgar

comentar

21 abril 2018

Resenha: Uma Dobra no Tempo, # 1 Madeleine L'Engle



Título:Uma Dobra no Tempo (A Wrinkle Time)

Autora: Madeleine L´Engle
Editora: Harper Collins Brasil
Ano: 2017
Sinopse:Era uma noite escura e tempestuosa; a jovem Meg Murry e seu irmão mais novo, Charles Wallace, descem para fazer um lanche tardio quando recebem a visita de uma figura muito peculiar. “Noites loucas são a minha glória”, diz a estranha misteriosa. “Foi só uma lufada que me pegou de jeito e me tirou da rota. Descansarei um pouco e seguirei meu rumo. Por falar em rumos, meu doce, saiba que o tesserato existe, sim.” O que seria um tesserato? O pai de Meg bem andava experimentando com a quinta dimensão quando desapareceu misteriosamente... Agora, com a ajuda de três criaturas muito peculiares, chegou o momento de Meg, seu amigo Calvin e Charles Wallace partirem em uma jornada para resgatá-lo. Uma jornada perigosa pelo tempo e o espaço. Uma dobra no tempo é uma aventura clássica, que serviu de inspiração para os mestres da fantasia e da ficção científica do mundo, agora adaptada para os cinemas pela Disney. Junte-se à família Murray nesta jornada, entre criaturas fantásticas e novos mundos jamais imaginados.

 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A família Murry ainda está lidando com o seu sofrimento pelo desaparecimento do pai, o famoso físico Sr. Murry.Certa noite, Meg e seu irmão mais novo, Charles Wallace, recebem a visita de uma estranha . Seu amigo, Calvin, também embarca nessa aventura pelo tempo para descobrir o paradeiro do pai de Meg.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Três crianças, planetas distintos, criaturas estranhas e personagens bem exóticas: Sra. Quequeé, Sra. Qual e Sra. Quem.  A narrativa pode parecer um pouco confusa no começo, porém é preciso imaginação para entender o universo criado e mergulhar na profundidade da trama.

"Não olhamos para as coisas que você chama de visíveis, mas para as coisas que não se vê. As coisas que são vistas são temporais. As coisas que não são vistas são eternas."


“Uma dobra no tempo” foi relançado recentemente pela Harper Collins e adaptado para os cinemas pela Disney. Mesmo sendo considerado um livro infantil, ele é bem maduro, pois  a autora não decidiu para qual publico seria direcionado. Ele mistura ciência, fantasia e religião. 
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Mesmo sendo um livro publicado há 50 anos atrás, ele é atemporal. A autora aborda temas relevantes, mesclando física, matemática, família, religião e auto-estima. Uma leitura agradável e que me deixou surpresa, já que nunca tinha lido algo parecido. Um livro curto, mas leve, despretensioso, rico e grandioso.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
"É uma luta que se trava em todo o universo, em todo o cosmos e, minha nossa, é uma batalha tão grandiosa quanto apaixonante."
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Adorei a leitura, mas senti falta de um maior aprofundamento em alguns capítulos. Na descrição dos mundos visitados pelas crianças e pelos seus moradores.
A edição da HarperCollins Brasil está linda demais e no final do livro temos o Discurso de agradecimento da autora pela medalha Newbery e um Posfácio, uma mini biografia da autora e a trajetória de escrita do livro.

"Mas acho que, dentro das nossas limitações de ser humano, nem sempre somos capazes de entender as explicações. Não é porque não entendemos alguma coisa que essa explicação não existe."

Recomendo a todos que tenham curiosidade sobre uma história que vai além das entrelinhas: na insistência do amor, na perseverança de uma família e na lealdade inveneravel. Uma fantasia repleta de pureza e cheia de lições para dar.


Nota:★(4,5/5)


divulgar

comentar

20 abril 2018

Resenha: Império das Tormentas # 1, Jon Skovron



Título: Império das Tormentas # 1
Autor :Jon Skovron
Ano: 2018
 Páginas: 368
Editora: Arqueiro

Sinopse: Em um império fragmentado, circundado por mares selvagens, dois jovens de culturas diferentes se unem por uma causa comum.Uma menina de 8 anos é a única sobrevivente do massacre de sua vila por biomantes, uma das mais poderosas forças do imperador. Batizada com o nome de seu vilarejo para nunca se esquecer do que perdeu, Bleak Hope é treinada em segredo por um mestre guerreiro para se tornar um instrumento de vingança.Um estranho garoto de olhos vermelhos fica órfão nas esquálidas e sujas ruas de Nova Laven, mas é adotado pela pior pessoa que o destino poderia lhe apresentar: Sadie Cabra, uma das criminosas mais infames do submundo. Batizado como Red, ele é treinado para ser um exímio atirador de facas – além de ladrão, mentiroso e trapaceiro.Quando um senhor do crime estabelece um acordo de poder com biomantes para tomar o controle do submundo de Nova Laven em troca da miséria da população, as histórias de Hope e Red finalmente se cruzam. Seja por honra ou vingança, essa improvável aliança os levará para a maior batalha da vida deles.

* LIVRO CEDIDO EM PARCERIA COM A EDITORA ARQUEIRO

Uma garota que se tornou a unica sobrevivente de um massacre a sua aldeira de pescadores do sul, depois de observar todos os que conheceu morrerem horrivelmente pelas maos do imperador. Resgatada por um navio mercante, Bleak Hope é levada pela antiga ordem dos guerreiros Vinchen, sendo treinada em segredo pelo grande mestre.

"Enquanto a juventude e a inocência dão lugar à experiência, a dúvida nubla a mente. Os que encontram um propósito renovado na complexidade irão prosperar."

Red, o orfão nas favelas de New Laven, acorda preso a um navio ao lado do infame Sadie the Goat.Juntos, fazem uma fuga ousada do lugar. Sob a tutela de Sadie, Red se torna um dos maiores ladroes do crime. Hope, por outro lado, dedicou sua vida para se tornar uma guerreira a fim de vingar a morte de sua aldeia. Além de perder suas famílias  tao jovens, os dois tem muito pouco em comum.Porém, seus caminhos irão se cruzar através de um propósito com o inimigo. Hope e Red juntarão suas forças contra a maior guerra de suas vidas.

"Quem perdeu tudo é livre para se tornar o que quiser ser. É um preço alto a pagar, mas a grandeza é sempre assim." 

Imagine só uma junção de Piratas do caribe, Kill Bill e gansteres. Pensou? Se sua mente adorou essa ideia.  Imperio de tormentas  é uma fantasia pirata com muita confusão e sangue.Os personagens de Skovron são grosseiros, crus e nao tem medo do que sai das suas bocas.O mundo é violento e eles sao perigosos para a sociedade.  O dialeto sujo revela bem se onde cada um veio. O humor é malvado e sujo, com pouco tempo para respirar, já que o ritmo é acelerado.


“- Se você acredita que vai conseguir, sempre há uma chance de conseguir. Mas se acha que vai fracassar, vai fracassar sempre. Nunca se permita perder antes de começar." 


A história é contada a partir de dois pontos de vista diferentes: primeiro em um império onde os fortes sao invencíveis e os fracos não sobrevivem. As histórias de duas crianças que perdem seus entes queridos jovens demais e o que o destino faz com a vida deles. Red, o maior ladrão do império. Hope, treinada por um grupo de guerreiros de elite com o único objetivo de vingar a morte de seus pais.Mas, que o povo se cuide, porque quando eles se juntam...

Jon Skovron é tao habilidoso em uma fantasia suave e intensa, com um bom ritmo e sem apressar os acontecimentos, construindo os personagens aos poucos.Bem  estruturado, o início da trilogia Império das Tormentas é intrigante e cativante, com uma guerreira habilidosa, piratas, vigaristas, jogos de poder e revolução.

Hope and Red, no original, é uma história que explora bem as questoes da vida e da morte, da vingança e do perdão, do autoconhecimento e do amadurecimento. O início do livro é focado principalmente detalhando nas experiências das crianças crescendo com os seus mentores.E para mim, foi fundamental conhecer a formação do carater de Hope e Red, mostrando como suas personalidades foram moldadas. O autor também apresenta uma variada quantidade de visoes, pessoas, lugares, gírias marítimas, enriquecendo o enredo geral.

Imperio de tormentas é a leitura perfeita para fãs de fantasia que curtem uma boa aventura,muita ação e humor.Com uma mensagem feminista bem sutil e divertida, um elenco bem diversificado, nada ofusca a trama como um todo.Mal posso esperar para ler o próximo livro na trilogia.


"- Mas em um determinado ponto da vida não podemos permitir passivamente que a criação que tivemos nos defina. Devemos escolhê-la ou escolher outra." 

Nota:★(4,5/5)



divulgar

comentar

16 abril 2018

Resenha:A mulher na janela , A.J.Finn (4,5/5)












Título: A Mulher na Janela
Autor: A. J. Finn
Editora: Arqueiro
Páginas: 352
Ano:2018
Sinopse:Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e… espionando os vizinhos. Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir. Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle? Neste thriller diabolicamente viciante, ninguém – e nada – é o que parece. “A Mulher Na Janela” é um suspense psicológico engenhoso e comovente que remete ao melhor de Hitchcock.

*LIVRO CEDIDO EM PARCERIA COM A EDITORA ARQUEIRO

"A agorafobia é um medo intenso e ansiedade de estar em lugares onde é difícil escapar, ou onde a ajuda pode não estar disponível. A agorafobia geralmente envolve medo de multidões, pontes ou de estar sozinho". -NIH

Anna Fox vive isolada em sua casa há quase um ano. Após ter se separado do marido e da sua filha, Anna passa seus dias assistindo filmes antigos, conversando com outras pessoas na internet, observando seus vizinhos pelas janelas e tomando muito vinho para acompanhar suas medicações.  Quando uma família nova se muda para o bairro, Anna fica obcecada pela casa em frente a sua, até testemunhar algo chocante  na janela dos Russells. Mas, será que foi alucinação ou isso realmente aconteceu?

"Alguns têm pavor de gente, outros, da desordem do trânsito. Para mim, o problema está na vastidão do céu, na desmesura do horizonte, no simples fato de estar exposta à pressa acachapante da vida ao ar livre."

A mulher na janela é viciante, instigante e mexe totalmente com a cabeça do leitor. Logo nos primeiros capítulos, já estava imersa na narrativa, vendo tudo pela janela de Anna e duvidando de tudo e de todos.  Com memórias defeituosas, alcoolismo, o autor brinca com nossa percepção do que é verdadeiro e do que é imaginado.

"Eu fico ali na escuridão do quarto, sozinha até a medula dos ossos, sentindo frio, sentindo medo, ansiando por alguma coisa que não sei muito bem o que é."

A escrita de A.J. Finn é primorosa nos detalhes: com capítulos curtos,o enredo é ágil, nos fazendo assistir ao filme da vida de Anna, nos fazendo questionar qualquer coisa. Relatando a confusão da protagonista ao misturar álcool e remédios, sua luta contra a agorafobia e todos os problemas que enfrenta ao relatar o que viu da janela, mas que ninguém acredita. Construindo uma personagem nada confiável em uma situação assombrosa. Todos os acontecimentos da trama estão ligados, ou seja, tudo é importante para o desfecho.

Eu também gostei muito de como o autor incluiu a paixão de Anna pelos filmes clássicos de suspense. E assim, estes me fizeram questionar se Anna acabou de ver uma cena de um filme ou se era real. Apesar de ter algumas semelhanças com outros suspenses que abordam personagens com memórias confusas, que tratam de paranoia, esse é um livro que voce devora quando menos espera.


 “ Não é paranoia se está realmente acontecendo.”

A mulher na janela é um thriller que você lerá em uma sentada, de tão instigante que é. Suspense, muitas duvidas e uma narradora nada confiável. Com uma reviravolta incrível no final. Simplesmente não estava preparada para o grande final. Um suspense psicológico que te manterá colado nas páginas até você realmente descobrir a verdade.




Nota:★(4,5/5)


divulgar

comentar

13 abril 2018

Resenha - Nevernight - A Sombra do Corvo, Jay Kristoff



NEVERNIGHT – A SOMBRA DO CORVO (Crônicas da Quasinoite #1)
Autor: Jay Kristoff
Páginas: 608
Editora: Plataforma21
Ano:2017

SINOPSE: Nevernight – Há histórias sobre Mia Corvere, nem todas verdadeiras. Alguns a chamam de Moça Branca. Ou a Faz-Rei. Ou o Corvo. A matadora de matadores. Mas, uma coisa é certa, você deveria temê-la.Quando ela era criança, Darius Corvere – seu pai – foi acusado de insurreição contra a República de Itreya. Mia estava presente quando o carrasco puxou a alavanca, viu o rosto do pai se arroxeando e seus pés dançando à procura do chão, enquanto os cidadãos de Godsgrave gritavam “traidor, traidor, traidor”…No mesmo dia, viu a mãe e o irmão caçula serem presos em nome de Aa, o Deus da Luz. E, embora os três sóis daquela terra não permitam que anoiteça por completo, uma escuridão digna de trevas tomou conta da menina. As sombras nunca mais a largaram.Mia, agora com dezesseis anos, não se esqueceu daqueles que destruíram sua família. Deseja tirar a vida de todos eles. É por isso que ela quer se tornar uma serva da Igreja Vermelha – o mais mortal rebanho de assassinos de toda a República. O treinamento será árduo. Os professores não terão misericórdia. Não há espaço para amor ou amizade. Seus colegas e as provas poderão matá-la. Mas, se sobreviver até a iniciação, se for escolhida por Nossa Senhora do Bendito Assassinato… O maior massacre do qual se terá notícia poderá acontecer. Mia vai se vingar.

Com dez anos, Mia Corvere assistiu a morte do seu pai, em praça publica.Sua mãe e seu irmão foram presos em nome do Deus da Luz, e ela teve que fugir de tudo.  Durante sua fuga, Mia descobre um poder adormecido :ela pode falar com as sombras. E mesmo sem entender seu dom e de onde veio seu companheiro de sombra, um gato bem irônico, ela só possui uma adaga e um broche para lembrar do seu passado.

"Nunca trema.

Nunca tema.
E nunca, jamais, esqueça."
Andando pelas ruas de Godsgrave, Mia encontra Mercúrio, que se tornará seu mentor,  preparando-a para se tornar uma lâmina na Igreja Vermelha : o grupo mortal de assassinos de toda a República . E dessa forma, Mia obterá sua vingança.

 
Iniciei a leitura de Nevernight através do projeto #thebuddyreads e mesmo sendo fantasia, estava com medo de ser algo parecido com tantas que já tinha lido. Porém, me deparei uma personagem foda e incrível.Pelos dentes da Fauce, que livrão poderoso!
.
"Às vezes a fraqueza é uma arma. Se você for inteligente o bastante para usá-la."



 A escrita do autor é detalhada, poética, sombria, acida  e envolvente. No inicio, a leitura é lenta, já que é alta fantasia e estamos sendo apresentados a história, mas com o tempo torna-se viciante e voraz. Com adição das notas de rodapé, a leitura ficou ainda mais completa, já que são acrescentadas informações adicionais do universo que foi criado e comentários do autor sobre alguns fatos. Talvez tenha notas demais, mas tudo bem J



."Somos matadores. E cada morte que causamos é uma oração.
O lobo não sente pena do cordeiro.
A tormenta não pede desculpas ao afogado."


 Nevernight é uma fantasia incomum: narrativa maravilhosa, personagens bem desenvolvidos e divertidos,ricos em detalhes, muita magia, banho sangue, cenas de tirar o folego. Os: o livro é mais adulto. Sério ! Favoritado e com um plot twist que me deixou gritando por dentro. Mia e Tric

Uma dark fantasy que recomendo demais. Nevernight - A Sombra do Corvo:é tudo e mais ainda o que dizem dele.Quero ver você também descobrir os segredos da Republica.Caros leitores, estejam preparados para uma fantasia agil, com uma personagem badass e grandiosa ! Só vem Godsgrave!

"Neh diis lus'a,
lus diis'a"
Quando tudo é sangue, sangue é tudo.

.

“A última coisa que você virá a ser neste mundo, garota, é a heroína de alguém. Mas será uma garota que os heróis temem.”

“Você começa do nada. Não possui nada. Não sabe de nada. É nada.”



Nota:★(5/5)


divulgar

comentar

10 abril 2018

Resenha: Ainda sou eu #3, Jojo Moyes

Livro: Ainda Sou Eu 
Autora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Páginas: 398
Sinopse: Sequência dos romances Como eu era antes de você e Depois de você, que arrebataram o coração de milhares de fãs, Ainda sou eu conta, pela perspectiva delicada e bem-humorada de Lou Clark, uma história comovente sobre escolhas, lealdade e esperança. Lou Clark chega em Nova York pronta para recomeçar a vida, confiante de que pode abraçar novas aventuras e manter seu relacionamento a distância. Ela é jogada no mundo dos super-ricos Gopnik - Leonard e a esposa bem mais nova, e um sem-fim de empregados e puxa-sacos. Lou está determinada a extrair o máximo dessa experiência, por isso se lança no trabalho e, antes que perceba, está inserida na alta sociedade nova-iorquina, onde conhece Joshua Ryan, um homem que traz consigo um sopro do passado de Lou. Enquanto tenta manter os dois lados de seu mundo unidos, ela tem que guardar segredos que não são seus e que podem mudar totalmente sua vida. E, quando a situação atinge um ponto crítico, ela precisa se perguntar: Quem é Louisa Clark? E como é possível reconciliar um coração dividido?
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀
Louisa Clark está de malas prontas para ir a Nova York , disposta a dizer sim para as aventuras que estarão lhe esperando, depois de tudo o que aconteceu na Inglaterra. Lou trabalhará para uma família rica, onde será assistente e seus dias não serão mais os mesmos: cheios de compromissos e em um lugar novo.
 ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Porém, com um relacionamento a distancia, problemas no trabalho e uma pessoa que ela conhece acentua mais as dificuldades da nova vida. Mas, isso levará  Lou a descobrir quem realmente é e o que quer da sua vida.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Lembro quando li Como eu era antes de você e como esse livro se tornou um dos meus favoritos da vida.E apesar de no começo ter achado que não precisava ler mais algo da Louisa Clark , percebi que estava enganada, porque não existe personagem mais divertida, mais bondosa e carismática que ela.

 “Pensei em como somos moldados pelas pessoas que nos cercam e como precisamos ser cuidadosos ao escolhê-las exatamente por esse motivo. Então pensei também que, apesar de tudo, no fim talvez seja necessário perder todas elas para de fato descobrirmos quem somos.”
   
A história é cheia de reviravoltas e nisso conheceremos mais da Lou e das escolhas que ela precisará fazer. Uma obra delicada, envolvente e leve como a Lou. Jojo Moyes nos leva a refletir sobre nossa vida, abordando conflitos familiares, relacionamentos amorosos, escolhas da vida, perda e as consequências de nossas atitudes.

  Jojo inova nesse ultimo livro, com um desfecho maravilhoso, personagens secundários bem construídos e divertidos. Ver Louisa voando  e se descobrindo no outro lado do mundo foi tão emocionante. Nova York é uma aventura e ela perceberá que tudo o que acontecerá é inesperado, novo e de certa forma para encontrar a si própria. Foi uma leitura que aqueceu meu coração e já me deixou com saudade. Acompanhar Lou do outro lado do mundo, seus desafios, medos e descobertas. Uma conclusão perfeita e emocionante.

Continuo com um sorriso no rosto. Uma sensação de leveza indescritível. Uma saudade de uma personagem inesquecível e que sei que quando reler esses livros, as lagrimas virão à tona e sentirei tudo novamente. Diga a sim a esse livro lindo. Embarquem com a Lou em uma nova aventura e sintam essa nova experiência.



Nota:★(5/5)




divulgar

comentar

06 abril 2018

Resenha: Contagem Regressiva, Ken Follett

Título: Contagem Regressiva
Autora: Ken Follett
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance
Páginas: 320

Sinopse: Certa manhã, um homem acorda no chão de uma estação de trem, sem saber como foi parar ali. Não faz ideia de onde mora nem o que faz para viver. Não lembra sequer o próprio nome. Quando se convence de que é um morador de rua que sofre de alcoolismo, uma matéria no jornal sobre o lançamento de um satélite chama sua atenção e o faz desconfiar de que sua situação não é o que parece.
O ano é 1958 e os Estados Unidos estão prestes a lançar seu primeiro satélite, numa tentativa desesperada de se equiparar à União Soviética, com seu Sputnik, e recuperar a liderança na corrida espacial.
À medida que Luke remonta a história da própria vida e junta as peças do que está por trás de sua amnésia, percebe que seu destino está ligado ao foguete que será disparado dali a algumas horas em Cabo Canaveral.
Ao mesmo tempo, descobre segredos muito bem guardados sobre sua esposa, seu melhor amigo e a mulher que ele um dia amou mais que tudo. Em meio a mentiras, traição e a ameaça real de controle da mente, Luke precisa correr contra o tempo para conter a onda de destruição que se aproxima a cada segundo.

Um homem acorda no banheiro público de uma estação de trem, porém sem nenhuma ideia de quem seja. Ele acredita ser um mendigo e depois descobre que se chama Luke . Para isso, estará disposto a descobrir tudo o que envolve sua vida, para recuperar sua memória.

1958, ano em que os EUA e a Rússia estão em uma disputa mundial pelo poder. Os americanos tentam ultrapassar os russos na corrida espacial com o lançamento do foguete Júpiter C. Nos três dias seguintes, Luke descobre segredos a cerca de sua vida: sobre Anthony, seu melhor amigo; Elspeth, sua esposa e; Billie, a mulher amada.

Ademais, ele percebe que sua vida e o lançamento do foguete estão ligadas.
A contagem regressiva para o lançamento do foguete já começou e Luke precisa correr contra o tempo para descobrir o que há de tão obscuro em sua vida.

A Guerra Fria é o cenário que une a vida dos personagens desse livro.Confesso que esse é o primeiro livro do Ken Follett que leio e estava um pouco receosa. Mas, que thriller surpreendente. Ação, mistério, romance em uma corrida contra o tempo.

"– A guerra me ensinou que nada é tão importante quanto a lealdade.
– Que besteira. Você ainda não aprendeu que, quando as pessoas estão sob pressão, todas estão dispostas a mentir.
– Até para quem elas amam?
– Mais ainda para quem amam, porque se importam demais com essas pessoas. Por que você acha que dizemos a verdade aos sacerdotes, psiquiatras e estranhos que conhecemos no trem? Porque nós não os amamos, por isso não nos importamos com o que eles porventura pensem."


O autor construiu uma história em um ritmo alucionante, criando um suspense cheio de segredos obscuros, traições, perseguições , porém discutindo amor e amizade. A todo momento a história é acelerada, quando você tinha certeza de algo, era surpreendida por descobertas inimagináveis.

O livro é dividido por horários, porém a trama se passa em dois dias, por isso o ritmo é acelerado em cada página. A narrativa é em primeira pessoa e temos acontecimentos do presente: os dois dias de janeiro que antecedem o lançamento do foguete; e cenas da Segunda Guerra Mundial e alguns anos depois desse acontecimento entrelaçando a vida dos personagens.

“Depois que se perdia a confiança em alguém, era difícil demais recuperá-la.” 


Com personagens bem desenvolvidos, que mostram as facetas da mente humana. A medida que o tempo avançava rapidamente, o passado dos quatro amigos voltava no tempo. Ajustar os ponteiros quebrados, fazer o tempo funcionar normalmente e impedir que algo destruidor aconteça.

Um livro para aqueles que precisam conhece-lo.Uma história para os fãs incuráveis. Se você gosta de livros com essa pegada mais histórica, um bom thriler,vai adorar ler o que Ken Follett preparou. Alucinante do inicio ao fim. Prepare-se para a contagem regressiva e descobrir quem afinal é Luke.

Nota:★(5/5)

#ContagemRegressiva  #KenFollett #editoraarqueiro
#EuLeioArqueiro




divulgar

comentar