• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
12 setembro 2015

Texto: A dor das palavras


Me deito na cama e me refugiu nos livros. Por fora pareço ótima, mas por dentro meu coração sangra e ninguém sequer nota.

As pessoas esquecem que as palavras tem o poder de uma espada, elas cortam, retorcem e machucam. Suspiro em meio a agonia nauseante e tento escapar para o faz de conta. É mais fácil assim e me deixo ir.

Covarde não é bem o termo apropriado para me descrever, apenas estou cansada de revidar, não vai adiantar nada falar contra a insensatez. Não preciso ser a heroína todo o tempo, mas também não gosto de baixar a guarda.

Manter as pessoas a um braço de distancia é a solução mais lógica, mas também é a mais difícil. Não posso me conter e escapa fagulhas para todo o lado. Me sinto queimar de novo e fujo outra vez.

Nessa vida a melhor arma é a paciência, afinal tudo passa, inclusive a dor. Me pergunto se alguém é verdadeiro, ou se todos se escondem em suas capas brilhantes e olhos gentis. Prefiro mais ser eu mesma a fingir, mas toda escolha tem um preço e o meu é a dor.

Me pergunto se alguém vê além da faxada de garota durona que criei e enxerga as rachadura de palavras em meu coração. Sinto os lençóis em baixo de mim, a suavidade, a maciez do colchão, o conforto do lar que nem todo mundo tem. Sinto o ar pesar em meus pulmões e a chama da raiva se acender.

Eu sinto...

Mas não quero me importar com o que dizem as vozes em minha cabeça.

-Egoísta

-Feia

-Magra de mais

Não importa o adjetivo, sempre tem alguém para apontar os nossos defeitos. Não importa se na sua frente sorriem. As palavras podem mentir.

Choro até adormecer, mas nem o sono me alivia. A paz que espero não vem. Meu ultimo pensamento é que amanhã talvez seja melhor.


divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário