• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
28 maio 2015

Resenha: No mundo da Luna, Carina Rissi


No mundo da Luna

Título: No mundo da Luna
Autora: Carina Rissi
Editora: Verus
Páginas: 476
Ano: 2015
Sinopse : A vida de Luna está uma bagunça! O namorado a traiu com a vizinha, seu carro passa mais tempo na oficina do que com ela e seu chefe vive trocando seu nome.
Recém-formada em jornalismo, ela trabalha como recepcionista na renomada Fatos&Furos. Mas, em tempos de internet e notícias instantâneas, a revista enfrenta problemas e o quadro de jornalistas diminuiu drasticamente. É assim que a coluna do horóscopo semanal cai no colo dela. Embora não tenha a menor ideia de como fazer um mapa astral e não acredite em nenhum tipo de magia, Luna aceita o desafio sem pestanejar. Afinal, quão complicado pode ser criar um texto em que ninguém presta atenção?Mas a garota nem desconfia dos perigos que a aguardam e, entre muitas confusões, surge uma indesejada, porém irresistível paixão que vai abalar o seu mundo. O romance perfeito — não fosse com o homem errado. Sem saída, Luna terá que lutar com todas as forças contra a magia mais poderosa de todas, que até então ela desconhecia: o amor.Com seu estilo ágil e fluido, Carina Rissi criou em No mundo da Luna uma leitura viciante, permeada de humor, magia e paixão, que vai conquistar você do início ao fim.

O que dizer dos livros da Carina Rissi? Acho que nem as cartas de tarô previam que esse livro seria tão divertido e que eu daria tantas risadas com esses personagens sem juizo.

"As desgraças sempre vêm em pares, é o que dizem por aí."

No novo livro da Carina Rissi: "O mundo da Luna" conhecemos a história da nova jornalista Luna, recém formada e que trabalha em uma revista conceituada como recepcionista. Isso mesmo. Ela não teve seu devido espaço, mas uma oportunidade surge quanto Dante, seu chefe a deixa assumir uma coluna de horóscopos, sem saber o que poderia esperar dessa farsa.

Fui tão burra ao me apegar a algo tão idiota quanto a um amontoado de palavras que queria bater minha cabeça na parede. Ele tinha razão. Palavras não valiam nada sozinhas. E eu queria exatamente aquilo tudo, os gestos, os carinhos, o apoio incondicional. Um eu te amo dito pelo coração.

"No mundo da Luna" foi um dos livros mais divertidos da Carina, mesmo não superando o Ian de "Perdida", mas continuou sendo uma leitura gostosa e aumentando minha admiração com essa autora que tem varias cartas na manga.

“O beijo foi suave, calmo, como as águas sobre as quais flutuávamos. Um roçar de lábios e línguas, quente, vivo, maravilhoso. (…) O calor irradiava dele e seguia direto para o centro do meu peito e, naquele momento, permiti que as barreiras que me faziam recuar fossem demolidas.”
Luna não tem nenhuma experiencia na area de astrologia, a não ser que ela faz parte de uma familia cigana. Porém, na tentativa de fazer toda a semana um horoscopo, Luna compra um baralho antigo que pertencia a uma poderosa Cigana e que promete fazer sua vida virar de ponta cabeça. A medida que ela faz o horoscopo, começa a receber varios emails elogiosos, dizendo que tudo está dando certo segundo o que a "Cigana Clara" estava prevendo. No meio dessa nova coluna, muitas confusoes irao surgir.

O livro é bem Zen e leve, rende ótimas risadas e uma coisa super favorável foi que podemos aprender mais sobre a cultura cigana, povo que eu só conhecia pelo nome. A Vovó Cecilia sendo fofa com sua neta Luna e sempre com aquele amor e carinho que só nossas avós tem. Luna, que apesar de desastrada e por vezes imatura, conseguiu enxergar que não existe magia de verdade, que quem dar as cartas para nosso destino são nossas escolhas.

"Ele não era o príncipe encantado que eu havia esperado a vida toda. Definitivamente não era a pessoa certa para mim. Mas quer saber? Eu não queria a pessoa certa. Não queria alguém que chegasse no momento certo, que fizesse sentido. Não, eu queria a pessoa errada! Queria perder a cabeça e o sono, fazer loucuras das quais me arrependeria mais tarde, brigar, gritar para em seguida chorar rir em seus braços. Queria alguém que gaguejasse por medo de me perder. Que me jogasse de um penhasco, me dopasse para me acalmar, preparasse comida intragável e que ainda me parecesse o melhor dos banquetes. Queria alguém que, de tão diferente de mim, me completasse."

NOTA:  ★★


divulgar

1 comentário


Comentário(s) pelo Facebook:

Um comentário:

  1. Já li bastante sobre esse livro por ai, e achei a história bem "divertida" e legal.
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir