• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
27 maio 2017

Resenha: E se for voce? Rebecca Donovan


Livro: E se for você?
Autor: Rebecca Donovan (@BeccaDonovan)
Editora: Globo Alt
Páginas: 415
Sinopse: Da autora best-seller Rebecca Donovan, uma história que prova que existe uma segunda chance para o amor.Cal Logan e Nicole Bentley eram melhores amigos quando crianças, mas tudo mudou no ensino médio, depois que ela se enturmou com o pessoal mais popular da escola e passou a ignorá-lo. Eles se formaram e Cal foi estudar em Crenshaw, perto de Nova York, enquanto Nicole entrou em Harvard, realizando o grande sonho de seu pai.
Quando Cal vai passar as férias de verão em sua cidade natal, fica surpreso em saber que ninguém mais teve notícias dela desde que se mudaram, há mais de um ano.
Assim que as aulas na universidade recomeçam, ele cruza no campus com uma garota que é idêntica a Nicole, mas que se chama Nyelle Preston e tem uma personalidade completamente diferente: Nicole era tímida e insegura, enquanto Nyelle é impulsiva, ousada e só quer aproveitar a vida.
Enquanto tenta desvendar os segredos de Nyelle – afinal, ela é ou não Nicole? – Cal viverá com ela momentos inesquecíveis e apaixonantes, que aos poucos farão com que ele perceba que a identidade daquela garota misteriosa é o que menos importa.
Com uma narrativa envolvente e poética, Rebecca Donovan cria personagens cativantes que despertam diversos questionamentos e emoções: e se pudéssemos mudar de rumo? E, se nos permitíssemos apenas aproveitar o momento? E, se o amor for algo bem mais simples do que imaginamos?


E se for você? De uma das minhas autoras preferidas, surpreende e encanta, ensina e fascina pelo grupo de amigos de Cal, Nicole, Richelle e Rae.
 Na sua infância, Cal, Nicole, Rae e Richelle eram inseparáveis amigos. Porém. Com o passar do tempo Richelle teve que se mudar e isso acabou afastando o grupo; Nicole parou de falar com Cal e Rae, sendo popular na escola e fazendo novos amigos. Fato que chateou Cal, já que ele tinha uma quedinha por Nicole.

Mas, no presente da narrativa, Cal está na faculdade e nunca mais teve noticias de Richelle e Nicole. Porém, em uma festa no campus ele encontra uma garota idêntica a Nicole. So que ela se chama Nyelle e é o completo oposto da menina da sua infância. Nicole era insegura, tímida e obediente. Nyelle  é  segura de si, ousada, que faz o que tiver vontade e tentar aproveitar o dia de formas diferentes.

“– Adoro olhar as estrelas. (…) Elas podem levar a dor embora, se a gente deixar. E quando o sol nasce, a tristeza toda desaparece.”

 A partir dai, Cal tenta desvendar se Nyelle é mesmo Nicole, mostrando flashbacks de momentos da infância.  Já no tempo presente, Nyelle continua a surpreender com ideias espontâneas e malucas , conversas sem pé nem cabeça.

E se for você?  É um livro divertido e não só um romance adolescente. A historia foca no poder da amizade. A narrativa também aborda o peso de carregar segredos e o quanto pode ser difícil encontrar nosso lugar no mundo.

E quando você terminar o livro, desejará também fazer parte desse quarteto maravilhoso. E apesar de ser uma historia incrível, tirei uma estrelinha por achar um pouco confuso o começo. Todavia, recomendo demais.

“– Apenas seja feliz, Nicole. Não importa o que houver. Seja feliz.

  Nota: ★★★



divulgar

comentar

24 maio 2017

Notícias: saiu o trailer de "Extraordinário"

Resultado de imagem para wonder film

Liberado o trailer oficial de "Wonder", com lançamento previsto para 23 de novembro de 2017.

Extraordinário conta a história de Auggie Pullman, um menino que nasceu com uma deformidade no rosto. Por conta disso, ele nunca frequentou uma escola, o livro fala sobre sua primeira vez convivendo com outras crianças as dificuldades de adaptação.


divulgar

1 comentário

23 maio 2017

Resenha: Jogos Macabros, R.L.Stine

Jogos macabros 
Título : Jogos Macabros
Autor: R. L. Stine
Editora: Globo Alt
Gênero: Terror
Páginas: 280


Sinopse: Tal como os outros títulos da coleção, a história se passa na velha cidade de Shadyside, nos EUA, conhecida por ser palco de acontecimentos misteriosos e aterrorizantes envolvendo os alunos da escola local. Todos na região conhecem a excêntrica e rica família Fear, e sabem também do passado terrível que os assombra. Apesar desses histórico nada promissor, Brendan Fear parece ser um garoto diferente de sua família. Gentil e simpático, o jovem vive rodeado de colegas e chama a atenção de Rachel Martin, uma garota simples, colega de classe dele. Quando o aniversário de Brendan está prestes a chegar, ele começa a planejar uma comemoração um tanto diferente na isolada ilha do Medo, onde existe um casarão de veraneio pertencente à família Fear. Rachel é uma das convidadas para passar o final de semana no local sombrio e, contrariando os avisos dos amigos, decide ir. No caminho, coisas estranhas já começam a acontecer e, ao chegarem à mansão, Brendan dá as coordenadas para o início de um jogo que se revelará o mais mortal de todos. Repleto de reviravoltas, Jogos macabros mantém o leitor apreensivo da primeira à última página. Como todo bom enredo de R. L. Stine, a história dá espaço a fantasmas, assassinato, traição e romance, e marca, enfim, um retorno triunfal do autor à Rua do medo.

Rachel é convidada  por um garoto que ela acha lindo para uma festa em uma ilha isolada. Ele chama ela para participar do seu aniversario  na Ilha do Medo, famosa o lar da casa da família Fear; os Fear são conhecidos por terem um passado sinistro e  estarem atralados a maldições Brendan não parece um adolescente normal, entao Rachel topa participar. Mas, quando chega nessa ilha, muitas coisas estranhas começam a acontecer.

Rachel espera por um fim de semana perfeito. Mas ela está prestes a descobrir que a rua do Medo é onde moram seus piores pesadelos.


O livro é uma combinação de vários clichês clássicos de horror:Garota ingênua, festa em um lugar esquisito, luzes falhando, pessoas sumindo, barulhos estranhos, fantasmas, gritos. Pelo titulo, você poderia achar uma historia de arrepia. Foi o que eu pensei, mas nada sustenta a trama e na verdade, decepciona.

Estávamos presos naquela ilha e dentro dos nossos próprios pensamentos, de nossos próprios medos.

A Rachel é aquele típico personagem idiota e ingênuo. Desfaz tudo o que acredita ou o que sabe. E isso me irritou. Os outros personagem são aleatórios: cada um com uma características marcante. Porém, o livro acaba não desenvolvendo bem nenhum deles, mesmo Brendan, o herdeiro Fear que dá  a festa de aniversario, parecendo superficial na trama.


A imagem do corpo dela retorcido no chão do quarto apareceu outra vez em minha mente. E me lembrei do bilhete escrito à mão: Alguém quer jogar Twister? 
Alguém está querendo jogar, pensei. Jogos macabros.


Se você espera um terror de verdade, não leia, para não se decepcionar. Mas,se você quer ler sem pretensões, este é o terror/ drama para não começar perdendo a cabeça com algo como Stephen King.




divulgar

comentar

20 maio 2017

Série: meu amor por Anne with "E"

Resultado de imagem para anne serie

Quero começar essa breve resenha implorando a todos que assistam ANNE,que antes foi transmitida pela CBC, mas agora está disponível na Netflix! Nos 7 episódios, eu nunca tinha me emocionado tanto, chorado, rido e desejado bater em alguém antes. 

Definitivamente , uma série que chama atenção pela simplicidade de uma época, pelo amor de Anne pela leitura e pela natureza, por seu carisma e que apesar de tudo de ruim que já aconteceu em sua vida, ela soube tirar o melhor das piores situações.

Anne é uma garota orfã, cujas histórias são tristes e dolorosas antes de chegar a Green Gables, lar dos irmãos Cuthbert, que são extremamente quietos e isolados. Matthew e Marilia são idosos que queriam adotar um garoto para ajudar nos trabalhos da fazendo, mas Anne é mandada a eles por engano. Anne logo desperta o afeto de Matthew, mas Marilia é muito teimosa para aceitar a menina. A partir dai, contará as histórias de Anne na fazenda, sua adaptação, seu convívio e todo o seu carrossel de emoções.
         Imagem relacionada
Anne é baseada no romance literário "Anne de Green Gables", de L.M. Montgomery, publicado em 1908, em uma epoca que livros eram destinados a autores homens.Por isso, Lucy Maud Montgomery publicou omitindo seu nome. O livro "Anne" ganhou uma adaptação em 1985 e foi um grande sucesso no Canadá e no resto do mundo. Preciso te convencer mais? Anne é marcante, com uma mega imaginação e uma garota que naquela época buscava por igualdade, respeito. Uma série delicada, sensível e empoderadora.

Além de retratar preconceitos da época, as regras sociais ,vê-se bem o papel da mulher na sociedade da época. O tabu para fazer de menstruação, homossexualismo, independência, casamento, maternidade. Anne é uma heroína, pois acima de todos os problemas que estão ao seu redor, ela segue com otimismo, com seus sonhos e sua imaginação, se fortalecendo cada vez mais. Espero de coração que haja uma 2º temporada, porque temos muito da Anne para conhecer e se encantar. Se for assistir Anne (assista , por favor), coloque um lencinho do lado, porque será impossível nao se emocionar.
Assista ao trailer:


divulgar

comentar

19 maio 2017

Resenhas: Rainha das Sombras #4 , Sarah J.Maas

Rainha das SombrasTítulo:Rainha das Sombras
Série:Trono de Vidro # 4
Ano: 2016
Páginas: 644
Editora: 
Galera Record
Um tiro! Não sei como estou falando sobre essa série maravilhosa da Sarah J.Maas. Prepara , que tudo vai incendiar. No Brasil, a Galera Record dividiu o quarto livro da série, sendo #4 Rainha das Sombras e o #5 Império de tempestades. Essa resenha resume os dois, para não dar grandes spoilers.

Império de Tempestades - Tomo 1Com a guerra se aproximando, Aelin precisa de aliados e um exército disposto a ajudá-la, provando que é a Rainha prometida . Nessa jornada em busca das chaves de Wyrd : artefatos mágicos capazes de derrotar o senhor das trevas do conflito anterior.
É chegada a hora de marchar para os campos de batalha . Em meio a tantos personagens e arcos impactantes, é chegada a hora de marchar para os campos de batalha.

“— Prefiro morrer amanhã a viver mil anos com a vergonha de um covarde.”

Sarah J. Maas escreveu um dos melhores livros da série , sem perder o fio da fantasia. Cheio de intrigas políticas, traições , estratégias . Que vai te fazer rir , chorar , querer lutar e torcer , além de incendiar tudo. 

“Destruir um símbolo pode destruir a determinação dos homens tanto quanto sangue derramado. “

Aelin é uma rainha  em todos os níveis: uma líder nata, Herdeira do Fogo, Prometida , feérica selvagem, determinada, destemida e lutadora .  Aelin está disposta a salvar seu reino e seu povo a qualquer custo. 
Rowan é meu crush dessa série: um Deus feerico, bravo , destemido e seu romance com Aelin é de pegar fogo. 

“O feérico fazia a magia de Aelin cantar. “

“Tudo que Rowan tinha a oferecer à rainha eram a força da espada, a grandeza da magia e a lealdade do coração. Tais coisas não venciam guerras. “

Aedion e Lysandra  são a outra parte da corte da Herdeira de Fogo, que é
Formada aos poucos . Aedion, primo da Aelin, é fiel e no decorrer do livro tem grandes cenas . É com Lysandra que Aedion tem seus momentos mais humanos e frágeis -   

“— Se perdermos esta guerra, a escuridão reinará para sempre. “

Lysandra é marcada pelas perdas de seu passado, por traumas que dificilmente esquecerá , mas é incrível , uma metamorfa única e impressionante. Ao lado de Aelin, Lysandra  mostra uma amizade fiel é sempre disposta a ajudar no que for a rainha . 

Manon Bico de Ferro mostra uma jornada de redenção. A anti-heroína é macabra e perturbadora, que não perde a pose de bruxa má e vive dilemas . 

“E Manon entendeu naquele momento que havia forças maiores que a obediência, e a disciplina, e a brutalidade. Entendeu que não nascera sem alma; não nascera sem coração.”


Entre tantos personagens incríveis que falei aqui e dos que não foram citados, posso dizer que o enredo é incrível e não cansa, não entedia, tudo é muito mais que do que se possa imaginar . Com uma escrita fluida, feroz e indomável, Sarah é como a Aelin, destemida, direta e justa. Porém, algo no inicio do livro #4, me deixou confusa, já que não entendo a relação caótica de Chaol e Aelin, que praticamente se odeiam e deixam isso bem claro, todavia nada é explicado.


Nota:  Rainha das Sombras(livro #4) :★ 
                                                        Império de tempestades ( livro #5): 




divulgar

comentar

15 maio 2017

Resenha:Quando o vento sumiu - Graciela Mayrink

Título: Quando o vento sumiu: e se você pudesse escolher o final da sua história?
Autora:Graciela Mayrink
Editora: L&PM Editores
Páginas: 264
Ano: 2015
Quando o vento sumiuSinopse: Suzan, Mateus e Renato parecem três jovens como outros quaisquer do Rio de Janeiro. Suzan estuda Turismo. Renato e Mateus, Engenharia Civil. Os três são amigos desde o colégio e, apesar de muito diferentes, são inseparáveis. Mas, entre aulas, festas, momentos em família e idas à praia, cada um deles enfrenta seus problemas. Desde que o pai foi pego dando um golpe, Mateus vive só com a mãe, marcado por esse acontecimento. Renato é um garoto rico que resiste às pressões do pai para surfar menos e se interessar mais pela construtora da família. Suzan é apaixonada por Renato e sofre por ser considerada apenas uma amiga – e pela pressão da mãe para que se envolva com ele. No correr dos dias, a amizade dos três se transforma sutilmente. Suzan deve se declarar ao amigo, ou tentar ser feliz de outro modo? Mateus terá realmente só a amizade para lhe oferecer?Renato deve se render à pressão paterna e se aplicar mais aos estudos? E até que ponto a relação dos três suportará o desgaste do tempo? Embora tenham toda a vida pela frente, logo descobrirão uma dura lição: algumas escolhas têm consequências duradouras e alteram o curso de toda uma existência. Muitas coisas saem diferente do desejado. O difícil é prever o resultado de nossas opções e conviver com elas no futuro. E se você pudesse voltar atrás e escolher outro final para a sua história? Que escolha você faria diferente?

Já faz uns dois anos que tenho Quando o vento sumiu na estante, todavia adiava a leitura. Mas, lembro que encantei pela capa e logo me interessei pela sinopse.

Quando o vento sumiu trará a história
de SuzanMateus e Renato: melhores amigos. Tudo começa com Suzan encontrando Renato em um café em Berlim, todavia o clima não é lá de felicidade, pois lembranças do passado são desencadeadas. A partir dai, começa um flashback da época em que os três eram melhores amigos e da sua juventude. Retratando vários problemas comuns do amadurecimento de um jovem, que está enfrentando os dilemas da vida adulta e , claro , o amor.

Assim, conhecemos o passado dos três protagonistas. Suzan, uma garota estudiosa, apaixonada por seu melhor amigo e indecisa com sua vida. Mateus é um enigma, porém o mais responsável do grupo. Renato, só quer viver de surfar e aproveitar a vida.Os três estudaram na mesma universidade. Suzan faz turismo, Mateus e Renato cursam Engenharia Civil. Logo, sera retratado um típico triangulo amoroso, mas com uma desenvolvimento que foge um romance bobinho, já que a medida que as páginas passam , os personagens demonstram amadurecimento.

 Posso afirmar que a leitura me surpreendeu em muitos pontos. Foi divertido, me fez sorrir á toa com algumas cenas e quase perder o coração no final. Mas, lembra do subtítulo do livro:"e se você pudesse escolher o final da história?" Bem, não esqueça dele. 

Quando o vento sumiu é um bom livro e com uma mensagem comum, mas que esquecemos a todo estante: lembre-se que tudo o que você faz, seja bom ou ruim, terá uma consequência para sua vida ou a de alguém. O livro tem uma linguagem bem acessível, capítulos curtos e rápidos. Então, se você deseja um nacional simples, mas com uma boa história, essa seria uma ótima opção para devorar.

Nota: ★★★★ 



divulgar

comentar

12 maio 2017

Lançamentos da Editora Intrínseca - Maio de 2017

Deixei Você Ir, Clare Mackintosh (368 páginas)

Quando Jacob morre atropelado em uma rua de Bristol, Inglaterra, depois de ter soltado a mão da mãe em um dia chuvoso, o motorista do carro que o atinge acelera e foge. Desvendar sua morte vira um caso para o detetive Ray Stevens e seus colegas, Kate e Stumpy. Determinado a encontrar o assassino, Ray se vê consumido a ponto de colocar tanto a vida profissional quanto a pessoal em jogo. Jenna, assombrada pela morte do menino, abandona tudo e se muda para uma pequena cidade costeira do País de Gales. Ela passa os dias em seu chalé tentando esquecer as lembranças do terrível acidente e aos poucos começa a ter algo parecido com uma vida normal e vislumbrar a felicidade em seu futuro. Mas o passado vai alcançá-la, e as consequências serão devastadoras. De vários pontos de vista, a ex-detetive Mackintosh faz um retrato preciso de uma investigação policial. Com sua excelente habilidade de escrita, consegue criar personagens memoráveis e uma análise arrebatadora das excentricidades da vida em uma cidade pequena. Mas o verdadeiro talento da autora é a maneira como ela incorpora reviravoltas em uma trama já complexa. Mesclando suspense, investigação policial e thriller psicológico, Clare Mackintosh disseca a mente de seus personagens enquanto tece inesperadas conexões entre eles.

As Coisas que Perdemos no Fogo, Mariana Enriquez (192 páginas)
Macabro, perturbador e emocionante, As coisas que perdemos no fogo reúne contos que usam o medo e o terror para explorar várias dimensões da vida contemporânea. Em um primeiro olhar, as doze narrativas do livro parecem surreais. No entanto, depois de poucas frases, elas se mostram estranhamente familiares: é o cotidiano transformado em pesadelo. Personagens e lugares aparentemente comuns ocultam um universo insólito: um menino assassino, uma garota que arranca as unhas e os cílios na sala de aula, adolescentes que fazem pactos sombrios, amigos que parecem destinados à morte, mulheres que ateiam fogo em si mesmas como forma de protesto, casas abandonadas, magia negra, mitos e superstições. Uma das escritoras mais corajosas e surpreendentes do século XXI, Mariana Enriquez dá voz à geração nascida durante a ditadura militar na Argentina. Neste livro, ela cria um universo povoado por pessoas comuns e seres socialmente invisíveis, cujas existências sucumbem ao peso da culpa, da compaixão, da crueldade e da simples convivência. O resultado é uma obra ao mesmo tempo estranha e familiar, que questiona de forma penetrante e indelével o mundo em que vivemos.


Agora e Para Sempre, Jenny Han (304 páginas)

Em Para todos os garotos que já amei, as cartas mais secretas de Lara Jean — aquelas em que se declara às suas paixonites platônicas para conseguir superá-las — foram enviadas aos destinatários sem explicação, e em P.S.: Ainda amo você Lara Jean descobriu os altos e baixos de estar em um relacionamento que não é de faz de conta. Na surpreendente e emocionante conclusão da série, o último ano de Lara Jean no colégio não podia estar melhor: ela está apaixonadíssima pelo namorado, Peter; seu pai vai se casar em breve com a vizinha, a sra. Rothschild; e sua irmã mais velha, Margot, vai passar o verão em casa. Mas, por mais que esteja se divertindo muito — organizando o casamento do pai e fazendo planos para os passeios de turma e para o baile de formatura —, Lara Jean não pode ignorar as grandes decisões que precisa tomar, e a principal delas envolve a universidade na qual vai estudar. A menina viu Margot passar pelos mesmos questionamentos, e agora é ela quem precisa decidir se vai deixar sua família — e, quem sabe, o amor de sua vida — para trás. Quando o coração e a razão apontam para direções diferentes, qual deles se deve ouvir?


                                               Antes que eu vá, Lauren Oliver( 384 páginas)
Edição especial com extras e capa inspirada no pôster do filme. Inclui conteúdo inédito.
Samantha Kingston tem tudo: o namorado mais cobiçado do universo, três amigas fantásticas e todos os privilégios no colégio que frequenta: desde a melhor mesa do refeitório à vaga mais bem-posicionada do estacionamento. Aquela sexta-feira, 12 de fevereiro, que seria apenas mais um dia de sua vida mágica e perfeita, acaba sendo seu último — mas ela ganha uma segunda chance. Sete “segundas chances”, na verdade. Ao reviver aquele dia vezes seguidas, Samantha vai tentar desvendar o mistério que envolve a própria morte – e, finalmente, descobrir o verdadeiro valor de tudo o que está prestes a perder. Para comemorar a chegada do filme ao cinema, essa edição especial conta com dois contos inéditos que exploram a vida de Samantha antes dos acontecimentos do livro, fotos de bastidores e uma entrevista da autora com a diretora e a protagonista do filme.

As Garotas, Emma Cline

No final da década de 1960, a jovem Evie Boyd vive sozinha com a mãe no norte da Califórnia. Aos quatorze anos, imersa em inúmeras questões de autoaceitação, ela se sente muito desconfortável com o próprio corpo e tem apenas uma pessoa com quem contar: Connie, sua amiga de infância. No início do verão, uma briga faz com que as duas se afastem, e Evie encontra um novo grupo: garotas que demonstram extrema liberdade, usam roupas desleixadas e emanam uma atmosfera de abandono que a deixa fascinada. A jovem logo percebe que já está sob o poder e o domínio de Suzanne, a mais velha do grupo, e acaba entrando em um culto sombrio, liderado pelo carismático Russell Hadrick. O rancho do grupo é um lugar estranho e decadente, mas, aos olhos da adolescente, parece exótico, com uma energia singular. Evie descobre que as garotas cozinham, limpam e prestam até mesmo serviços sexuais para Russell, que proclama um desejo de libertar as pessoas do sistema. Evie quer apenas ser aceita pelos outros integrantes, principalmente por Suzanne. É sua chance de se sentir amada e pertencente a algo. Conforme sua obsessão por Suzanne se intensifica, ela não percebe que se aproxima de uma violência inacreditável. Contada por Evie já adulta e ainda abalada, a narrativa é um impressionante retrato de garotas que se tornam mulheres. Denso e de ritmo surpreendente, o romance de estreia de Emma Cline é escrito com precisão e perspicácia ao construir os perfis psicológicos dos personagens. As garotas aborda mais que uma noite de violência – é sobretudo um relato do mal que causamos a nós mesmos e aos outros na ânsia por pertencimento e aceitação.

 A Profecia das Sombras, Rick Riordan(336 páginas)

Não basta ter perdido os poderes divinos e ter sido enviado para a terra na forma de um adolescente espinhento, rechonchudo e desajeitado. Não basta ter sido humilhado e ter virado servo de uma semideusa maltrapilha e desbocada. Nããão. Para voltar ao Olimpo, Apolo terá que passar por algumas provações. A primeira já foi: livrar o oráculo do Bosque de Dodona das garras de Nero, um dos membros do triunvirato do mal que planeja destruir todos os oráculos existentes para controlar o futuro. Em sua mais nova missão, o ex-deus do Sol, da música, da poesia e da paquera precisa localizar e libertar o próximo oráculo da lista: uma caverna assustadora que pode ajudar Apolo a recuperar sua divindade — isso se não matá-lo ou deixá-lo completamente louco. Para piorar ainda mais a história, entra em cena um imperador romano fascinado por espetáculos cruéis e sanguinários, um vilão que até Nero teme e que Apolo conhece muito bem. Bem demais. Nessa nova aventura eletrizante, hilária e recheada de péssimos haicais, o ex-imortal contará com a ajuda de Leo Valdez e de alguns aliados inesperados — alguns velhos conhecidos, outros nem tanto, mas todos com a mesma certeza: é impossível não amar Apolo.



Em nome dos pais, Matheus Leitão (448 páginas)

Desde pequeno, Matheus Leitão ouvia as expressões “perseguição”, “prisão” e “porão” sussurradas por seus pais, os jornalistas Marcelo Netto e Míriam Leitão. A assustadora palavra “tortura” apareceu bem mais tarde. Movido pela curiosidade de compreender o passado, o jovem perguntador passou a recolher retalhos de uma história dolorosa, que se iniciou em 1972, no Espírito Santo, quando os pais militavam no PCdoB. Delatados por um companheiro, foram presos e torturados. Na ocasião, Míriam estava grávida de Vladimir, o primeiro filho do casal. Matheus também seguiu a carreira de jornalista, dedicando-se a reportagens sobre direitos humanos e ditadura. Em nome dos pais é resultado de suas incansáveis investigações, que começam pela busca do delator e seguem com a localização dos agentes que teriam participado das sessões de tortura de seus pais. Passado e presente se entrelaçam nessa obra, que reconstitui com rigor eventos do início dos anos 1970 e, ao mesmo tempo, apresenta a emocionante peregrinação do autor pelo Brasil atrás de respostas. Uma história sobre pais e filhos, sobre reconciliação e responsabilidade, sobre encontros impossíveis. É também uma história sobre um país que ainda reluta em acertar as contas com um passado obscuro.
O Projeto Desfazer

O projeto desfazer - Michael Lewis (368 páginas)

O projeto desfazer conta a envolvente história da parceria de dois psicólogos israelenses cujo trabalho deu origem ao livro Rápido e devagar: Duas formas de pensar e transbordou a psicologia, influenciando áreas como economia, medicina e gestão de negócios. Ambos tiveram carreiras importantes no meio universitário e no Exército de Israel, e suas pesquisas são profundamente conectadas às suas experiências pessoais.Amos Tversky era o centro das atenções em qualquer lugar que estivesse, um guerreiro extrovertido e autoconfiante. Já Danny Kahneman, um filho do Holocausto, é um fugitivo da guerra que se tornou um homem introvertido, inseguro, sempre se questionando em relação às suas próprias ideias. Michael Lewis conta esta parceria se tornou uma das mais importantes da história do meio científico, e esmiúça os métodos de trabalho da dupla. O entrosamento era tamanho que eles não conseguiam saber quem havia tido determinada ideia e quem deveria ter o crédito por ela. Invariavelmente, decidiam no cara e coroa quem seria o autor principal do trabalho e apenas alternavam a autoria do artigo seguinte.Ao contar a história desta amizade que transformou a nossa forma de pensar, Michael Lewis nos ajuda a entender a perigosa influência da memória e dos estereótipos nos nossos processos de avaliação. Além disso, nos mostra que confiar apenas no nosso instinto pode os levar à decisão errada e que a incerteza deve ser levada muito em conta quando estamos tomando decisões importantes. Assim, a história de Tversky e Kahneman nos dá lições de como fazer previsões, nos ajudando a tomar melhores decisões nas nossas vidas.

Razões para continuar vivo

Razões para continuar vivo, Matt Haig (240 páginas)

"Quando eu tinha 24 anos, eu quase me matei. Na época, eu morava em Ibiza, Espanha, na parte tranquila da ilha. Minha casa era bem perto de um penhasco. Em meio à neblina da depressão, caminhei até a beirada do precipício e olhei para o mar, para a costa acidentada de pedra calcária, pontuada por praias desertas. Era a paisagem mais linda que eu já tinha visto, mas na hora aquilo não tinha importância. Eu estava muito ocupado tentando reunir a coragem que eu precisava para me jogar dali. Não me joguei. Em vez disso, recuei e vomitei tudo que estava sentindo.Mais três anos de depressão se seguiram. Pânico, desespero, batalhas diárias.Mas eu sobrevivi. Naquela época, eu tinha certeza de que não conseguiria passar dos 30. A morte ou a loucura total pareciam mais realistas. Já passei dos 40. Hoje vivo cercado por pessoas que amo, fazendo um trabalho que nunca imaginei que faria e passo meus dias escrevendo.Fiquei muito feliz por não ter me matado, mas continuei me perguntando se havia alguma coisa para dizer às pessoas que estão passando por esses tempos sombrios.
Essa é minha tentativa."





divulgar

comentar

11 maio 2017

Notícias: Mr.Mercedes de Stephen King tem as primeiras imagens divulgadas!

AT&T Audience Network, emissora responsável pela adaptação de Mr. Mercedes liberou algumas imagens do seriado.
Mr. Mercedes vai acompanhar Brady Hartsfield, um motorista de caminhão de sorvete que, secretamente, é um assassino culpado pelo evento conhecido como Assassinato do Mercedes, quando ele matou oito pessoas avançando de carro pela multidão. Meses depois, ele retorna para atormentar o detetive Bill Hodges. Este, deprimido e atormentado pela culpa de não ter conseguido solucionar o caso, será obrigado a sair da aposentadoria ao receber uma carta anônima de Hartsfield, se identificando como o culpado. Assim, a narrativa mergulha na psicótica e obsessiva mente do assassino enquanto descreve uma luta entre o bem e o mal.
A série contará com 10 episodios , com estreia prevista para o primeiro semestre de 2018.

Fonte: Livros&Citações



divulgar

comentar


Resenha: O diário de Bridget Jones,Helen Fielding

O Diário de Bridget Jones

Título: O Diário de Bridget Jones
SérieBridget Jones
1- O Diário de Bridget Jones
2- No Limite da Razão
3- Louca Pelo Garoto
4- O Bebê de Bridget Jones
Autora: Helen Fielding
Editora: Paralela
Páginas: 288
Ano: 2016
SinopseBridget Jones já é uma personagem querida por milhões de leitores. Seja pelas desventuras amorosas ou pelos problemas com os pais, é muito fácil se identificar (e se encantar) com a protagonista criada por Helen Fielding. Nesta nova edição comemorativa dos vintes anos de lançamento do primeiro livro os fãs antigos terão a chance de reencontra-lá, e os novos leitores descobrirão uma paixão por este clássico.


Tudo começa com Bridget Jones escrevendo no seu diario , de janeiro á dezembro. Já posso terminar a resenha? Porque achei o  livro entediante, repetitivo e sem fim. Consegui terminar o livro, pois sou dessas que enquanto nao chega na ultima pagina , nao descansa. Se alguém que leu e achou o livro divertido, ótimo . Eu não ri ou sorri em nenhum momento.

Nao achei Bridget carismatica e aquela coisa de contar calorias , meu deus! Que loucura.  Ela é praticamente uma adolescente que nao passou da fase adulta. Não fui conquistada e nao pretendo continuar a série. Mas, a edição, a capa e a diagramação da Editora Seguinte estão maravilhosas. Sem mais.


divulgar

comentar