• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
27 julho 2018

Resenha: Godsgrave, Jay Kristoff


Como um livro se atreve a me perturbar minha paz? A me aterrorizar com teorias e a me desestabilizar emocionalmente? GODSGRAVE continuo a surpreender ! Desenvolveu bem os personagens, aprofundou nossa compreensão deles.  Mais dark, mais brutal e mais envolvente do que eu poderia imaginar. Meus olhos se iluminaram a cada página virada com os tiros, continuo angustiada pelo plot twist que está me fazendo arrancar os cabelos . UAU!

 “ Mia fechou os olhos.

Levantou sua lâmina.
Mãe, mãe mais negra, em que me tornei?"


Godsgrave foi um nível além de Nevernight. Com um enredo semelhantemente sombrio e sinuoso, original, com a personagem principal mais foda que você já viu.Porém ,aqui é tudo mais profundo, mais corajoso e ainda mais deliciosamente moralmente cinza . Se o primeiro livro foi sobre vingança e sangue e escola de assassinato, este aqui é sobre vingança e sangue e uma competição de gladiador de porra, com um lado de f / f romance e conflitos morais.

Mia Corvere é fantástica ! Ela está em um caminho diferente, porém sua campanha de vingança continua a mesma: ainda há dois nomes em sua lista de assassinatos, afinal. Ela é inteligente, forte e cruel, mas também é dolorosamente humana às vezes. Mia não é uma caricatura de uma assassina sem coração, ela tem momentos de vulnerabilidade e dúvidas que a tornam ainda mais bem desenvolvida e atraente.

Basicamente, o enredo é ainda mais emocionante do que o primeiro. Mia não está mais treinando e está disposta a matar qualquer um que atrapalhe seu caminho. É difícil explicar de outra forma sem dar spoilers porque você realmente precisa ler este livro e chegar ao fim.

Esta série é tão foda, é incrível e obrigada a @nickmafra por me convencer a não perder mais um segundo para ler. Estou nervosa, ansiosa e quase surtando para ver o que Jay Kristoff fará no último livro. Não tenho dúvidas de terminarei em posição fetal, com mil coisas na cabeça e querendo gritar como no final de Godsgrave.




divulgar

comentar

23 julho 2018

Resenha: Carry On, Rainbow Rowell





Você era o sol, e eu estava em rota de colisão com você. Acordava todas as manhãs e pensava: isso vai acabar em chamas.
E eu que pelejei tanto para ler a fantasia de Rainbow Rowell, mal esperava que iria amar tudo. O livro é inspirado no universo de Harry Potter, iniciando em em Fangirl.

Simon Snow é um órfão que até os 11 anos não sabia que era bruxo. Porém, ao perder o controle dos seus poderes , foi levado para Watford, uma escola de magia de Londres. Lá, ele conhece Baz, o inimigo no seu quarto; Penélope, sua melhor amiga e sua namorada, Ágatha.

O livro é narrado por todos os personagens, além de relembrar um pouco do passado de Simon, nos mostrando um pouco além do que esperamos. Simon não está feliz com Ághat, porém só segue o fluxo, também fazendo o que o Mago, seu mentor, espera que ele faça. Quando Baz desaparece, as coisas ficam estranhas. Simon descobre alguns segredos e também sobre si mesmo e seu poder. Porém,  o que você não sabe é que Simon Snow é o pior escolhido que poderia haver.  Desastrado, incontrolável, onde até mesmo seu mentor o evita, sua namorada acaba com ele e uma entidade esquisita usa seu rosto.

Eu vou morrer beijando Simon Snow. 
Por Alester Crowley, estou vivendo uma vida encantada.

Nossa, como eu estava com saudade da escrita da Rainbow ! Carry On inicia-se lentamente, com mistérios e de inicio não parece diferente de qualquer fantasia por ai, porém o desenvolvimento é fluido e apaixonante.Carry on é uma história divertida sobre fantasmas, amor e com muito mistério, com com feitiços engraçados e originais. O romance é maravilhoso , sendo impossível não se apegar a história.

 Simon e Baz  são totalmente diferentes um do outro. Simon é impetuoso, sempre querendo atender as expectativas dos outros sobre ele, mas ninguém sabe o passado triste que ele carrega. Baz , sem querer dar spoilers, é O melhor personagem do livro! Com um humor dark, uma personalidade marcante e uma construção impecável.

“É sempre fogo com Baz. Eu não acredito que ele ainda não me incinerou. Ou me queimou numa estaca.”

Carry On é aquele livro que podia até estar parado na minha estante há muito tempo, mas que achado feliz foi lê-lo. Recomendo para quem gosta de uma história divertida e perspicaz.
OS: em uma entrevista, Rainbow Rowell disse que teremos continuação dessa história.




divulgar

comentar


Resenha:A Caçadora de Dragões, Kristen Ciccarelli




Namsara era uma criança que sempre sorria e trazia luz por onde passava. Iskari é a filha da morte, que sempre trouxe destruição por onde passava. Eles forem criados para que o mundo estivesse em equilíbrio. Porém, isso deixou Iskari louca, voltando-se contra seu Criador. Pelas histórias, Iskari foi morta pelo próprio Criador e  Namsara a encontrou morta, chorando pela irmã e desejando não ter feito o que fez.

"Onde as histórias antigas eram contadas, havia dragões, onde havia dragões, havia destruição, traição - e fogo, principalmente."

Asha é uma grande caçadora de dragões,inimigos do Reino, mas antes ela os conquista e traz a cabeça de cada um para o rei. Ela também está prometida a um comandante perverso Jarek, que está mais interessado no trono. O comandante sabe a verdade sobre Asha e sua verdadeira natureza. Asha recebe a maior missão da sua vida: ela precisa matar o Primeiro Dragão, Kozu, e trazer sua cabeça para o rei. Kozu é o dragão que queimou a cidade inteira quando Asha contou as histórias antigas quando era criança. Ao caçar Kozu, ela descobrirá mais sobre seu passado e a verdade sobre as historias antigas que ela conta. Contando com a ajuda de um escravo, Asha começa a abrir seu coração para as histórias que ainda não foram contadas, para si mesma e para a sua natureza.

Ela acreditava nas mentiras que ele contava. Ela caçou monstros porque ele pediu para ela, nunca percebendo que o monstro mais perverso de todos estava bem atrás dela.”

Caçadora de Dragões é a fantasia YA de estréia com dragões e uma heroína #girlpower que só usa um machado para caça-los. A autora queria escrever algo diferente das fantasias atuais, então se inspirou em garotas fortes e destemidas, como Asha. Neste livro, o romance é lento, já que o foco não é a paixão entre os personagens.

Asha é uma personagem tão incrivel: ela usa suas cicatrizes com orgulho, sem medo dos dragões e é independente e feroz. Asha nao é uma garota que precisa de proteção, ela mesma diz que vai caçar e matar e assim o faz, mas nao recebe o reconhecimento que merece. Ela não tem poderes mágicos, mas usa o próprio corpo como arma.Mas, Asha também é alguém que descobre que a verdade sobre si não é bonita, é triste e isso foi emocionante. È impossível não torcer por ela, mesmo que ela estivesse frente a um desafio gigante.

"Aonde Namsara levava risadas e amor, Iskari levava destruição e morte."

Asha teve sua vida inteira ditada por seu pai, vista como uma ameaça á sociedade e rodeada de mentiras sobre si mesma. Mas, ela foi capaz de descobrir mais sobre si e o que as histórias significavam.Se libertando da crueldade que esperava por ela e crescendo como ninguém do Reino Figaard imaginava.
 Outro ponto positivo no livro, é a relação das histórias antigas com a história atual, onde ela fornecia todos os fatos anteriores ao acontecimento que estava para prestes a acontecer. Proporcionando ao leitor, uma visão geral e completa de tudo o que aconteceu antes e depois dos dragões x humanos.

Uma fantasia voraz,viciante e com um enredo original e surpreendente. Confrontos, traições, um pouco de romance, para adocicar toda guerra. Eu adorei o livro e já espero pela continuação. Aos amantes de fantasia, dragões, disputas de poder e uma protagonista kickass.


"A expressão dele fez a respiração dela falhar. Era como olhar no coração de uma estrela, fulgurante e ardente.




divulgar

comentar

18 julho 2018

Resenha: Construção de Noah Shaw, Michelle Hodkin



A Construção de Noah Shaw é a história contada  a partir do ponto de vista de Noah e através de sua perspectiva, o spin-of de Mara Dyer , continua a jornada de Noah e Mara para explorar mais seus dons sobrenaturais (cura de Noah e habilidades de matar de Mara). E para a surpresa, eles descobriram que nao eram os únicos que tinham esses poderes sobrenaturais.Cada personagem novo tem um segredo obscuro, porém alguns não tiveram a chance de revela-los antes de morrerem inesperadamente.

Mesmo apresentando personagens novos, rever Noah, Mara, Jamie, foi tão maravilhoso, que meus olhos brilhavam só em ver seus nomes nas páginas. O primeiro pensamento que me veio à mente quando terminei o livro foi: como assim?  Foi tudo tão rápido, que nem percebi que tinha absorvido a história. Michelle Hodkin continua com uma escrita incrivel além da sua Trilogia Mara Dyer, trazendo um toque de originalidade e sobrenatural.

Embora, a autora tenha citado diálogos ou cenas específicos de algum livro da trilogia, para garantir que estivessemos acompanhando tudo, havia alguns detalhes que eu nao conseguia lembrar, já que li ha trilogia há mais de um ano atrás.

Apesar de ter tido essa “dificuldade”, o final foi chocante e agora mal posso esperar pela sequencia. Afinal, eu pensava que sabia muita coisa sobre Mara e Noah, mas me deparo com a pura verdade: não sei de quase nada.

A escrita de Michelle é continua insana e tão boa, entregando algo diferente e ainda inesperado.



divulgar

comentar

16 julho 2018

Resenha: De volta para casa, Seanan McGuire


 
DE VOLTA PARA CASA | Seanan McGuire| @editoramorrobranco | 4,5 ‘s.

📖 Nancy é uma garota que acabou de voltar dos Salões dos Mortos, um local em que ela se sentiu em casa pela primeira vez em muito tempo. Porém, agora ela retorna ao seu mundo com saudade e angustiada para reencontrar a porta que a levará de volta para casa.

📖 Após o sumiço de meses de Nancy, seus pais enviam a garota para um internato, afinal depois das experiências vivenciadas, ela não é mais a mesma.  Nancy é enviada para o "Lar de Eleanor West para Crianças Desajustadas",todavia aquele lar não é o que os pais pensam.As mesmas crianças do lar também passaram pela mesma situação de Nancy e estão tentando voltar para o seu lar.

Porém, a chegada de Nancy ao internato acaba atraindo tragédias e ela está sendo culpada por tudo o que está acontecendo. Agora, ela precisará quem está por trás dos atos horripilantes, junto com seus novos amigos, Nancy precisará desvendar os mistérios que a rodeiam.
“Havia paz na imobilidade, uma serenidade que não podia ser encontrada em nenhum outro lugar neste mundo quente, rápido e frequentemente terrível.”
⠀⠀
E eu , que não esperava muito, me deparei com um universo fantástico criado por Seanan McGuire. Com uma premissa original, De volta para casa apesar de curtinho, é complexo, encantador e surpreendente. Com personagens cativantes, mistérios e uma escrita fluida e cheia de significado.

 Seanan McGuire conta a história de crianças que viveram grandes aventuras em um lugares mágicos, porém acabam voltando ao seu lar. Lembrou da Alice no Pais das Maravilhas, não é? E também dos irmãos de Nárnia?

💬 "De Volta para Casa" é o primeiro livro de uma série e terá continuação !  Se você, assim como Nancy, gosta de grandes aventuras, magia, uma pitada de mistério , mais do que recomendo esse livro 

Ela era uma história, nao um epílogo.❞⠀

Antes de passar por aquela porta, eu sabia que não existiam coisas como portais para um outro mundo. Agora eu sei que, se a gente abrir a porta certa no momento certo, pode finalmente encontrar um lugar onde se sinta em casa.❞⠀

Para nós, os lugares aonde fomos eram nosso lar. Não nos importávamos se eram bons, maus, neutros ou o que quer que fossem. Nos importávamos com o fato de que, pela primeira vez, não tínhamos que fingir ser alguma coisa que não éramos. Podíamos só ser. Isso fazia toda a diferença do mundo.❞⠀

Você não deveria fechar uma porta só porque não gosta do que está do outro lado.❞⠀

Você não é o arco-íris de ninguém. Você não é a princesa de ninguém. Você não é o portal de ninguém além de si mesmo, e a única pessoa que pode lhe dizer como sua história termina é você.❞⠀



divulgar

comentar

13 julho 2018

Resenha: Leis da Atração , Simone Elkeles



Título: Leis da Atração  - Trilogia Química Perfeita #2
Autora: Simone Elkeles
Editora: Globo Alt
Páginas: 300 
Ano:2018
Sinopse:Carlos Fuentes voltou aos Estados Unidos, mas não está feliz com nenhum dos planos que seu irmão mais velho, Alex, traçou para ele. Carlos quer continuar vivendo à margem da lei e trilhar seu próprio caminho, mas os elos com a perigosa gangue com que ele se envolveu no México estão colocando sua liberdade em risco.Quando encontram drogas em seu armário da escola, Carlos é transferido para a casa de um antigo professor de seu irmão, que tem uma família bem-estruturada e uma filha estudiosa e tímida, Kiara. Apesar de serem de mundos completamente opostos, Carlos e Kiara serão forçados a viver juntos e descobrirão que, quando há atração, as diferenças são esquecidas.
À medida que o perigo cresce, Carlos começará a questionar se aquela família americana é mesmo sua única saída, e se vale a pena se arriscar por uma chance em uma vida que ele nunca sonhou ser possível.

Carlos, o irmão mais novo de Alex, chega ao Colorado para morar com o irmão, mas imediatamente se vê em apuros com a lei depois de um surto de drogas na escola, onde foi acusado de um crime. Na escola, Carlos conhece Kiara, que é tão oposta a qualquer garota por quem ele se apaixonaria.Todavia, por uma série de circunstâncias, ele vai morar com sua família, já que o pai de Kiara acha que ele merece uma segunda chance. Então, só imagina a montanha russa entre Carlos e Kiara.

"Quero viver minha vida nos meus próprios termos. Mas sou mexicano, então mi familia está sempre lá para me guiar em tudo que faço, quer queira ou não. Bom, "guiar" não é bem a palavra certa. "Ditar" seria mais correto."

Na sequencia de Química Perfeita, foi maravilhoso rever Alex e Britt. Mas antes disso, eu amei essa capa ! Além do título, que nos lembtra que nao há regras de atração. Leis da Atração é viciante, tem uma pegada hot e caliente, porém com aquele clichê de ter o cara malvado com um bom coração. Mas ay dios mio, Carlos é apaixonante demais.

"Sair com ele significa ter que manter uma muralha emocional muito bem erguida, para que não fiquemos tão envolvidos. Não sei se a minha é tão forte assim."

Apesar de ter gostado muito do segundo livro,nao achei que o relacionamento entre Carlos e Kiara fluiu tão bem quanto com Alex e Brittany .Pareceu muito abrupto e apressado, como se nao tivesse aquele tempo de conquista, da paixão mesmo e meio que isso me decepcionou.
Mas,Leis da Atração continua com uma escrita boa, fluida, personagens cativantes e uma boa história. So vem o terceiro livro, por favor, que contará a história de Luiz, o irmão mais novo dos irmãos Fuentes.



divulgar

comentar

06 julho 2018

Resenha:Pequenos incêndios por toda parte, Celeste NG


 

📖 Pequenos incêndios por toda parte | @pronounced_ing | @intrinseca | 5/5🍿
A casa da família Richardson foi incendiada. E, parece que tudo começou aos poucos: com pequenos incêndios por toda parte. Porém, isso não é de agora, começou bem antes. Mia e Pearl moram há pouco tempo em Shaker Heights, e depois Izzy nasceu. Ou será que tudo começou quando um bebê foi abandonado na porta de um quartel do corpo de bombeiros?

Tudo em Shaker Heights parece perfeito.Porém,  quando a artista Mia e sua filha, Pearl , se mudam para a cidade, os moradores ficam inquietos com sua chegada, principalmente, a jornalista Elena Richardson que, gosta das regras que regem a cidade. Com sua rotina nômade e contrastante, mae e filha se tornam inquilinas dos Richardson. Logo, os 4 filhos do casal se encantam pelas duas. Todavia, o passado de Mia pode desestruturar a ordem da cidade.

"Lembre-se, às vezes, é preciso queimar tudo e recomeçar. Depois de queimar, o solo fica mais rico e coisas novas podem crescer ali. As pessoas também são assim, sabe? Elas recomeçam."

Essa foi minha primeira experiência com a Celeste Ng e confesso que foi como ler uma prosa metafórica, já que pequenas faíscas podem causar desastres maiores.A autora analisa os moradores da cidade, seus interesses e conflitos, ou seja, tudo o que levou ao incêndio.

Através de diferentes pontos de vista, Celeste Ng também retrata a questão da maternidade: se é simplesmente biológico ou amor? O que significa ser mãe?

A narrativa da Celeste Ng é fluida, precisa, expondo temas que te fazem refletir ao mostrar os dois lados de uma mesma história.E apesar de ser lento e descritivo, não me cansou nenhum pouco, me instigando a ler cada vez mais.

 Um paradoxo que explora a maternidade em toda a sua complexidade. Mistério, grandes revelações e uma metáfora que aos poucos, vai crescendo, se alastrando por toda a parte e destruindo o que está pela frente.




divulgar

comentar

04 julho 2018

Resenha: Todas as coisas belas, Matthew Quick



Título: Todas as coisas belas
Autor:
 Matthew Quick
Gênero:Jovem Adulto , Romance
Páginas: 272
Editora Intrínseca
Ano: 2018
Sinopse: Aos 18 anos, Nanette O’Hare é a típica boa garota. No fundo, porém, ela nunca se sentiu realmente parte do grupo, sufocando em um permanente desconforto com diversas atitudes das amigas e com os padrões sociais. Mas tudo muda quando, no último ano do colégio, ela ganha um livro de seu professor preferido, o clássico cult O ceifador de chicletes, e fica fascinada com a mensagem de que ela pode ser de fato quem é. Nanette se torna amiga do recluso autor e se apaixona por Alex, um jovem poeta que também é fã do livro. Encantada com esse novo mundo que se abre, ela se permite, pela primeira vez, tomar as próprias decisões. No entanto, aos poucos Nanette percebe que a liberdade pode ser um desejo arriscado e começa a se perguntar se a rebeldia não cobra um preço alto demais.

Nanette O'Hare tem a vida perfeita: um futuro todo planejado por seus pais, sendo a melhor em na escola, em casa e  uma ótima jogadora de futebol. Porém, ela não se sente feliz com isso, sente como se estivesse fingindo ser alguém que não é.Em seu ultimo ano, Nanette ganha um livro de seu professor:"O ceifador de chicletes", do Nigel Booker. Logo nas primeiras paginas, a garota devora o livro , que desperta coisas novas em si. Mesmo com o livro finalizado, ela ainda quer conhecer o autor e acaba se tornando amiga dele e conhecendo outras pessoas que adoraram o livro.Entre eles, o Alex, que se torna seu primeiro amor. Cheia de conhecimento e descobrindo sobre si, Nanette toma decisões que mudarão sua vida, porém nem tudo é tão simples.
⠀⠀
"Todas as Coisas Belas" tem uma premissa simples, porém o poder da história em si dependerá de como o leitor interpretará o livro. E isso foi algo que amei na escrita do
Matthew Quick A leitura é rápida e envolvente, com humor  e sensibilidade.

 Nanette é uma personagem real e que proporcionará tantos sentimentos, que é impossível não comparar tudo a uma roleta russa. Sem contar que Matthew Quick parece ter escrito essa narrativa de forma bem especial, fazendo ou você ficar mais intimo dos personagens ou da situação.

“ Então, me diga: do que você gostaria de se ver livre, mais do que tudo no mundo?”

E como lidar com uma mensagem linda do quanto os livros podem mexer com a gente? São tantas questões nas entrelinhas, que compreender  "Todas as Coisas Belas" é fundamental.Matthew Quick fala sobre amadurecimento, escolhas, sonhos e responsabilidade,de maneira leve e encantadora.Essa é a história de Nanett O'Hare, uma garota que sonhava em se encontrar, porém também sobre Alex, que merecia o mundo; sobre Booker, um autor misterioso; e tua, uma pessoa que merece todas as coisas belas do mundo. 



"Quem sabe entregar-se à própria natureza nos impulsiona para o desconhecido, na direção de objetivos que ainda não visualizamos, mas que existem mesmo assim." 

Se descobrir pode ser uma jornada solitária, dura e cruel, mas é libertador quando nos encontramos nisso. Toda história vale a pena ser contada, então se permita ser quem é , apesar de tudo.






divulgar

comentar