• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
29 fevereiro 2016

Resenha: Amor em jogo, Simone Elkeles


Amor em Jogo

Título: Amor em jogo #1
Autora:Simone Elkeles
 Editora:Globo Livros
Páginas:360  
Ano: 2014
Sinopse:
"Ashtyn Parker já está acostumada a ser abandonada, e aprendeu a não se deixar envolver demais em nenhumas  relacionamento. Quando sua irmã mais velha volta para casa, depois de dez anos, com um enteado a tiracolo, ela não quer saber de nenhum dos dois. O que Ashtyn não esperava é que o tal garoto mal-encarado e sem nenhum limite seria também... Irresistível.
Depois de ser expulso do colégio interno em que estudava, Derek Fitzpatrick não teve outra escolha senão ir morar com a esposa de vinte e poucos anos de seu pai, que está viajando pela Marinha. Além de ter que aturar a madrasta, ele recebe a notícia de será obrigado a se mudar da Califórnia para sua cidade natal, Illinois. A vida não tinha mesmo como ficar pior...
Ashtyn se esconde atrás de uma fantasia da vida perfeita: boa aluna, a única menina – e capitã! – do time de futebol americano da escola e namorada do quarterback promissor. Tudo parecia um conto de fadas. Ainda assim, ela se sente deslocada, e tem um plano para deixar tudo pra trás e correr em busca da bolsa de estudos em alguma faculdade bem longe de sua vida atual.
Tudo o que Derek menos quer é participar de mais um drama familiar – já bastam os seus. Agora, ele se vê preso a uma casa estranha, com pessoas que não conhece e em uma cidade bem diferente do que está acostumado. O que ele não esperava era que aquela garota briguenta e fã de junk food seria capaz de mexer tanto com seus sentimentos. Ainda mais ele, tão acostumado a descartar meninas por aí.
Para azar – ou sorte!? – de Ashtyn e Derek, o destino ainda guarda mais uma reviravolta na manga. Mesmo com hábitos, ideias e sonhos completamente opostos, um desejo incontrolável surge entre os dois e, juntos, eles enfrentarão o desafio de vencer os preconceitos e os tabus da cidade em que vivem, além de seus próprios medos, para se entregarem completamente a uma paixão avassalado
ra.

Como o prometido a mim mesma em 2016, lerei aqueles livros guardados de 2014 e “Amor em Jogo” foi um deles. Voltei a ficar na vibe de romances fofos e adolescentes, não é a toa que a leitura me prendeu durante 352 páginas e ainda me deu bons sorrisos e gargalhadas.

O enredo gira em torno de um time de futebol americano liderado por uma durona e teimosa garota, a Ashtyn Parker. Sim. Batendo e sendo atrevida , temos uma mulher lutando por seu espaço e por seu time. Depois do abandono da sua mae, Ashtyn teve que aprender sozinha, pois seu pai a negligenciava( não dava a mínima para ela, fechado em seu próprio mundinho), tornando-se independente e dedicada áquilo que acredita.

No ultimo ano da escola, ela namora o quarterback do time Landon, tem vários amigos e deseja conseguir uma bolsa atlética em uma grande universidade. Porém, sua vida começa a mudar quanto um garoto atraente e irritante chega a sua casa,Derek. Derek foi expulso do colégio e agora é obrigado a viver com sua madrasta sem juízo,seu meio-irmão , levando-o a vida de Ash. Se você acha que eles iriam se dar bem, esqueça. São como cão e gato, fugindo, provocando e tentando evitar o máximo a atração que os aproxima.

"- É, bem, a Ashtyn é toda mandona e controladora. - Minha comida ameaça voltar quando eu acrescento: - Como eu não gosto de gente mandona e controladora, ela não é a mulher dos meus sonhos.
- Derek é, na verdade, o garoto mais irritante que já conheci - Ashtyn se intromete com um sorriso falso. - Se ele pintasse CASE COMIGO na minha parede, eu faria um círculo e um risco bem no meio."

Eu amei o casal e Derek é definitivamente lindo, maravilhoso e não esnobe, o tipo de garoto que toda garota se apaixonaria. Além de ter apelidos fofos para Ash : "docinho de coco". Acredito que a autora vai conseguir apresentar bem os personagens secundários nos próximos livros e eu estou mega ansiosa para conhece-los.

"Dereck não apenas invadiu minha casa, meus amigos e minha vida, ele deu um jeito de entrar no meu coração."

Todavia, a atração, as brigas, confusões da vida levarão a ao crescimento desse simples “gostar “ e “não suportar”.Amor em Jogo é o primeiro volume da saga Wild Cards, trama que acompanha a historia de time de futebol americano – logo , cada livro possui seus próprios personagens principais, onde chegou a ser transformado numa webssérie produzida pela própria autora e disponível no YouTube."O segundo titulo foi publicado em 2015.

 Nota:★★★



divulgar

comentar

27 fevereiro 2016

Playlist : Halsey

Ando explodindo meu replay das músicas de Halsey, aquela que participou da música "The Feeling" do Justin Bieber ;] Ando apaixonada pela voz dela, pelas letras, pelo estilo colorido, raspado, rockeiro e alternativo, então claro que vim apresentar essa moça para voces.
Halsey letras
Ashley Frangipane (seu nome real) nasceu em 29 de setembro de 1994 no estado de Nova Jersey, nos Estados Unidos, e quando decidiu gravar seu primeiro single (o sucesso "Ghost"), imediatamente chamou a atenção de gravadoras e produtores..

halsey-releases-teasers-for-colors-music-video-01A novata de apenas 21 anos com ex-cabelo colorido azul e jeito confiante já abriu  shows do Imagine Dragons, The Kooks e teve seu primeiro álbum ao top 10 do Reino Unido e Estados Unidos.

 A minha música preferida do disco inteiro é “Hold me down”, “Colours” , que tem uma vibe mais romântica e metaforizada de um relacionamento que não deu certo. O ator Tyler Posey, de Teen Wolf, fez uma participação especial no terceiro single oficial da cantora.

As músicas da Halsey seguem um estilo bem pop alternativo, tipo Melanie Martinez, Lorde e Foxes, mas com letras bem fortes, cheias de atitude e personalidade. “Gasoline“, por exemplo, ela acha que “tem uma falha no seu próprio código”, e que tem “o coração de ouro e mãos frias”.

Acompanha minha playlist com as três favoritas :]
             

"Você era vermelho, e gostou de mim porque eu era azul. Você me tocou, e de repente, eu era um céu lilás. Mas então, você decidiu que roxo não era para você”.


divulgar

comentar

23 fevereiro 2016

Resenha:Beleza Perdida ,Amy Harmon


Beleza Perdida

Título: Beleza Perdida
Autora: Amy Harmon
Editora: Verus
Páginas: 336
Ano: 2015
Sinopse: Ambrose Young é lindo, alto e musculoso, com cabelos que chegam aos ombros e olhos penetrantes. O tipo de beleza que poderia figurar na capa de um romance, e Fern Taylor saberia, pois devora esse tipo de livro desde os treze anos. Mas, por ele ser tão bonito, Fern nunca imaginou que poderia ter Ambrose... até tudo na vida dele mudar. Beleza perdida é a história de uma cidadezinha onde cinco jovens vão para a guerra e apenas um retorna. É uma história sobre perdas - perda coletiva, perda individual, perda da beleza, perda de vidas, perda de identidade, mas também ganhos incalculáveis. É um conto sobre o amor inabalável de uma garota por um guerreiro ferido. Este é um livro profundo e emocionante sobre a amizade que supera a tristeza, sobre o heroísmo que desafia as definições comuns, além de uma releitura moderna de A Bela e a Fera, que nos faz descobrir que há tanto beleza quanto ferocidade em todos nós. 

Fern, Ambrose e Bailey, nomes que você amará ou terá um imenso carinho quando começar a ler essa resenha ou já o livro. Fern é uma garota humilde, com um coração gigante e considerada feia, sempre engraçada, mas nunca bonita. Apaixonada desde um acontecimento com aranhas por Ambrose,a estrela do time de luta ad sua escola, mas que nunca te olhou.

Quando terminou o colégio, Ambrose partiu para o Iraque com seus amigos,  após o atentado de 11 de setembro, porém ninguém imaginou que ele voltaria tao diferente, com o corpo cheio de cicatrizes e lembranças doloridas demais para viver os dias.Fern queria ajuda-lo, ser seu porto seguro, mas ele não se considerava mais digno dela, da sua atenção. Não depois de te-la beijado nos dois anos antes e a magoado, ignorando-a. Porém, Bailey tem um papel importantíssimo ao lembrar ao lutador que podemos enfrentar as lutas acompanhados, sem plateia e aos poucos.

Não sei dizer o quanto esse livro mexeu comigo.  Li-o rápido,mas o saboreei devagar e sentir coisas que não sou capaz de expressar. E certamente ele estará guardado no meu coração. Beleza Perdida  é exatamente a marca que nunca sumirá e sempre trará lembranças boas e tristes em mim.
Beleza Perdida é o primeiro livro da Amy Harmon publicado no Brasil. 

Ela já publicou vários: Running Barefoot (2012), Slow Dance in Purgatory Prom Night in Purgatory (ambos 2013), A Diferente Blue (2013), The Law of Moses (2014), Infinito+um . lançado recentemente (2015), The Song of David (2015).  E, por favor, Grupo Editorial lançem todos, porque a atenção lá fora não é a toa.

 Beleza Perdida temos a incrível historia da beleza interior, aquilo que nos resplandece por dentro, indo além da aparencia. Shakespeare está mais do que presente com citações e sempre mostrando que o amor so se transforma quando mudanças acontecem. Amy Harmon escreveu uma história sensível com referências historicas ao 11 de Setembro e  a Shakespeare, além de ser uma reileitura da Bela e a Fera, mostrando que a verdadeira beleza é aquela que reside em nossa alma e nas nossas atitudes.

" Mas isso é que é legal na amizade. Não se trata de ser perfeito nem de ser merecedor. A gente te ama e você ama a gente, por isso vamos estar do seu lado. [...]"

Os  títulos dos capítulos marcam alguma lembrança ou se relacionam, além de ter constantes flashbascks  em todo o livro. O desenvolvimento e a forte ligação dos personagens favorece o decorrer fluido e leve da trama, levando-nos a aceitar que tudo o que acontece de bom e de ruim tem um motivo.Não é so um romance, mas fala de amizade, fidelidade, Deus, família, tempo, perdão, perdas, aceitação, amor-próprio, coragem, etc. Realmente a beleza é como a autora discute esses temas.

“- Talvez todo mundo represente uma peça do quebra-cabeça. Todos nós nos encaixamos para criar essa experiência que chamamos de vida. Nenhum de nós consegue enxergar o papel que desempenha ou a forma como tudo vai acabar. E talvez a gente apenas não reconheça as bênçãos que resultam de coisas terríveis. “

BeanPaulGrantJesse são os melhores amigos de Ambrose, são lutadores e estão presentes de uma forma divertida e também triste em todo o livro, liderando a trama. Bailey é o primo e grande amigo de Fern, que é um dos personagens que vai te fazer chorar com as lições e suas palavras, até o modo como encara sua vida cheia de limitações. Bailey que lida com sua doença, entende tudo de luta e é filho do treinador dos rapazes em cima citados. Mas, este nunca desiste e sempre ilumina os lugares com sua presença.

“[...] Boa parte da razão pela qual ele é tão especial é porque a vida o esculpiu dessa forma incrível... talvez não por fora, mas por dentro. No interior, o Bailey parece o Davi de Michelangelo. E quando eu olho para ele, e quando você olha para ele, é isso que a gente vê.”

Fern é a garota que era feia para muitos: ruiva, cheia de sardas, usava aparelho, óculos de fundo de garrafa, magra e baixinha. Nunca chamando atenção, mas com um coração enorme. Ambrose é o lutador sexy, maravilhoso, com cabelos compridos e popular, até o momento que tudo muda. Fern começa a ser enxergada como bela e Ambrose mostrará uma beleza que ninguém nunca viu por baixo da pose de forte e lindo.

“- Por que você age como se eu fosse o antigo Ambrose? Você age como se quisesse que eu te beijasse. Como se nada tivesse mudado desde a época da escola.
- Algumas coisas não mudaram - disse Fern em voz baixa.
- Claro que mudaram, Fern! - Ambrose esbravejou, batendo a mão no painel do carro, fazendo-a dar um salto. - Tudo mudou! Você é linda, eu sou horroroso; você não precisa mais de mim, mas eu com certeza preciso de você!
- Você age como se beleza fosse a única coisa que faz as pessoas serem dignas de amor - Fer retrucou. - Eu não te am-amava só porque você era bonito! [...]”

 Ler Amy Harmon foi lidar com a sensibilidade, reflexões e lições que muitas vezes ignoramos a beleza interior das pessoas, julgando-as pelo externo. Nada sobre esse livro é comum, igual ou fraco. Tudo é maravilhoso e belo ao seu interior. Sem duvidas, favorito do ano que mal começou. Leiam, se entreguem a esta leitura sem medo de sofrer e de sorrir.

“A verdadeira beleza, aquela que não se desvanece ou se esvai, precisa de tempo, de pressão, precisa de uma resistência incrível. É o gotejamento lento que faz a estalactite, o tremor da Terra que cria as montanhas, o constante bater das ondas que quebra as rochas e suaviza as arestas. E da violência, do furor, da ira dos ventos, do rugido das águas emerge algo melhor, algo que de outra forma nunca existiria. E assim suportamos. Temos fé na existência de um propósito. Temos esperança em coisas que não podemos ver. Acreditamos que há lições na perda e poder no amor, e que temos dentro de nós o potencial para uma beleza tão magnífica que o nosso corpo não pode contê-la.”

Nota:★★★


divulgar

comentar

19 fevereiro 2016

Resenha: Infinito+um, Amy Harmon


Infinito + Um

Título: Infinito + Um
Autora: Amy Harmon
Editora: Verus
Páginas: 336
Ano: 2015
Sinopse: Quando duas pessoas se tornam aliadas improváveis e foras da lei quase sem querer, como podem vencer todos os desafios?
Bonnie Rae Shelby é uma estrela da música. Ela é rica, linda e incrivelmente famosa. E quer morrer. Finn Clyde é um zé-ninguém. Ele é sensível, brilhante e absurdamente cínico. E tudo o que ele quer é uma chance na vida.
Estranhas circunstâncias juntam o garoto que quer esquecer o passado e a garota que não consegue enfrentar o futuro. Tendo o mundo contra eles, esses dois jovens, tão diferentes um do outro, embarcam numa viagem alucinante que não só vai mudar a vida de ambos, como pode até lhes custar a vida.

"Infinito + um é uma história sobre fama e fortuna, sobre privilégios e injustiças, sobre encontrar um amigo por trás da máscara de um estranho — e sobre descobrir o amor nos lugares mais inusitados."

Finalmente li algum livro da Amy Harmon, autora de “Beleza perdida” e “Infinito+um”. E não poderia ter feito uma leitura melhor. Em Infinito + Um acompanhamos uma viagem, por assim dizer de Bonnie e Clyde. Mas, esse não é aquele casal fora da lei que deixou os Estados Unidos de pernas para o ar na década de 1930.

Nós dois sabemos que você não vai fazer isso. Corta o drama e desce. Eu te levo aonde você quiser. 

Bonnie é uma cantora country e pop famosa. Sua avó controla sua vida, sua carreira e até seu respirar.Depois de terminar o ultimo show da sua turnê devido a um acontecimento que deixou suas emoções desabarem, ela fugiu do local e tentou se suicidar, mas um garoto a viu e salvou daquele ultimo passo que ela daria. A partir dai, eles começaram uma jornada muito parecida com o casal de criminosos Bonnie e Clyde, que até então eu desconhecia, algo que tornou a historia mais interessante ainda.

" - Eu acredito na música. Acho que a música é para mim o que os números são para você. Existe poder na música. Existe cura. Deus também esta nela, se você deixar que ele entre."

 Eu achei a história bem original na forma que foi contada, favoritei, mas é aquela coisa que poderia acontecer realmente , mas me deixa na duvida. O livro é narrado em primeira pessoa, ora por Bonnie , e em terceira por Finn, fato que confundia meu entendimento da historia. A Bonnie é aquela garota que quer viver a vida do jeito dela, mas não consegue ser ela mesma devido a sua carreira e a música. O Finn me conquistou de imediato: apaixonado por números, inteligente e com uma impulsividade que me deixava meia tonta( vocês entenderão o porque).

Todavia, a escrita da Amy Harmon fluiu de uma forma maravilhosa. Quanto me vi estava na pagina 180 e no outro dia já estava terminando o livro. Recomendo o livro para quem gosta de YA e romances com aquela pitada de mundo da fama e um bad boy.

" - Quanto é infinito mais um? - interrompi Katy, fazendo a Finn minha própria pergunta.
- Ainda é infinito - respondeu ele, com um suspiro.
- Errado. É dois.
- Ah, é? Como foi que você chegou a essa conclusão?
- Infinito - disse eu, traduzindo o nome "Infinity" e apontando para Finn. Depois apontei para mim e disse: - Mais um. Ou seja, dois, gênio. "

Nota : ★★★


divulgar

comentar

15 fevereiro 2016

Demolidor - Trailer da 2ª Temporada

Saiu hoje o o trailer da segunda temporada de Demolidor (Marvel + Netflix). Ele está dividido em duas partes, sendo que a segunda vai ser lançada dia 25 desse mês. A séria chega ao Netflix com sua segunda temporada no dia 18 de Março.



O desafio de Matt Murdock agora envolve um novo rival na luta contra os crimes em Hell's Kitchen, o Justiceiro (Jon Bernthal, de The Walking Dead). E ainda para deixar a ansiedade sobre o lançameno da temporada no ar, contamos com a aparição de Elektra (Elodie Yung), um antigo amor de Murdock.

Confira o trailer:



divulgar

comentar

13 fevereiro 2016

Resenha:Naomi & Ely e a lista do não beijo - David levithan e Rachel Cohn ★★★


Naomi & Ely e A Lista do Não-Beijo

Título: Naomi & Ely e A Lista do Não-Beijo
Autores (as): David Levithan e Rachel Cohn
Editora: Galera
Páginas: 256
Ano:2015
Sinopse: "Sinopse - Naomi & Ely e A Lista do Não-Beijo - David Levithan - A quintessência menina-gosta-de-menino-que-gosta-de-meninos. Uma análise bem-humorada sobre relacionamentos. Naomi e Ely são amigos inseparáveis desde pequenos. Naomi ama Ely e está apaixonada por ele. Já o garoto, ama a amiga, mas prefere estar apaixonado, bem, por garotos. Para preservar a amizade, criam a lista do não beijo — a relação de caras que nenhum dos dois pode beijar em hipótese alguma. A lista do não beijo protege a amizade e assegura que nada vá abalar as estruturas da fundação Naomi & Ely. Até que... Ely beija o namorado de Naomi. E quando há amor, amizade e traição envolvidos, a reconciliação pode ser dolorosa e, claro, muito dramática."

Naomi&Ely, Ely&Naomi, tudo gira em torno desses dois inseparáveis amigos desde bebes, praticamente. Nenhum é conhecido separadamente. È aquele famoso: "pegue um, leve dois". Melhores amigos em tudo e a relação afetiva é tao grande, que fazem tudo junto, contam tudo um para o outro e conhecem cada mania e defeito do outro. Porém, tem um segredinho: Naomi é apaixonada por ElyMas ,Ely gosta de garotos. 

 Os dois praticamente tem os mesmos gostos, seja de roupas, seja de garotos e dai surge a   Lista do Não-Beijo, uma lista em que ambos entraram em consenso sobre alguns rapazes que nenhum deles pode beijar, tudo para preservar a amizade. E tudo estava funcionando, até que Ely beija o namorado de Naomi, Bruce Segundo.

    Assisti o filme no final de 2015 e eu gostei. Para mim, foi um dos mais bem feitos quando se associa quão fiel é ao livro. E por já ter lido livros do David Levithan, sabia que envolveria temas tabus, como homossexualidade e reflexões a respeito disso. Todavia, Naomi & Ely e A Lista do Não-Beijo não foi lá um livro maravilhoso, mas também não ruim. Foi um mais ou menos e indicado para pré-adolescentes.

   David Levithan e Rachel Cohn souberem me envolver na história, mas tanto a Naomi quanto o Ely são personagens egoístas, egocêntricos e por mais que a amizade seja quase perfeita, vi uma pitada de falsidade com essa relação.    O livro é narrado em terceira pessoa e contém uma linguagem bem informal, de modo que a leitura é rápida e bem dinâmica. Em cada capítulo os narradores são alternados, entre personagens secundários e protagonistas. Dando-nos uma visão geral de tudo.

 "Não existe alma gêmea... e quem gostaria que existisse? Não quero ser metade de uma alma compartilhada, quero a porra da minha própria alma.

   Outra coisa interessante é que os autores resolveram substituir palavras por símbolos. Uma mania de comunicação entre Naomi e Ely, por exemplo: "amor"=

Embora não tenha dado o máximo de estrelinhas, eu gostei do livro e gostei também do filme protagonizado por Victoria Justice e Pierson Fodé . O enredo é leve e discute de forma bem-humorada o homossexualismo e alguns temas adolescentes. Então, recomendo para quem adora Ya leve e bem juvenil.

Nota:★★★



divulgar

comentar

11 fevereiro 2016

Notícias: “Harry Potter e a Criança Amaldiçoada” ganhará edições digitais e fisicas



Segundo o Pottermore, “Harry Potter e a Criança Amaldiçoada”, ganhará edições digitais e impressas em formado de livro, que deverá ser publicado em 31 de julho de 2016 — sim, no aniversário de Harry Potter e JK Rowling.

A peça será dividida em duas partes. A primeira parte deve estrear no Palace Theatre, em Londres, na metade de 2016.A trama vai seguir Harry (Jamie Parker), Ron (Paul Thornley) e Hermione (Noma Dumezweni) e seus filhos, particularmente filho mais novo de Harry, Albus Severus, em uma aventura imediatamente após o epílogo de Harry Potter e as Relíquias da Morte. O roteiro foi escrito por JK Rowling, Jack Thorne, e John Tiffany.

Haverá quatro edições diferentes do livro, uma para cada casa de Hogwarts. Além disso, uma nova edição de Animais Fantásticos e Onde Habitam também deverá sair em 2017, com novo conteúdo escrito por J. K. Rowling, bem como novos formatos e edições dos livros da Biblioteca  de Hogwarts — Animais Fantásticos e Onde Habitam, Quadribol Através dos Séculos e Os Contos de Beedle, o Bardo


divulgar

comentar

09 fevereiro 2016

Resenha:Blackbird – A fuga, Anna Carey


Blackbird - A Fuga

Título: Blackbird – A fuga
Série: Blackbird
1- A Fuga
2- A Caçada (2015)
Autor: Anna Carey
Editora: V&R
Páginas: 230
Ano: 2015

SinopseUma garota acorda nos trilhos do metrô de Los Angeles sem lembrar quem é. Há uma mochila a seus pés contendo uma troca de roupas, mil dólares em espécie, um número de telefone e a instrução “Não ligue para a polícia”. Perguntas rodopiam em sua cabeça: Quem é ela? Como chegou ali? O que ela fez? O que significa a tatuagem de um pássaro e o código FNV02198 em seu pulso? Ela mal tem tempo para descobrir sua identidade, e logo percebe que está sendo caçada. Precisa fugir desesperadamente. Não sabe quem são eles, não sabe em quem confiar. Só há uma coisa que sabe com certeza: estão tentando matá-la. Primeiro livro do dueto Blackbird.

A autora Anna Carey de Eva retorna com uma história sobre uma garota sem memória, que está sendo caçada nas ruas de Los Angeles.

Vi a Pam Gonçalves falando sobre isso e claro, que como temos gostos literários parecidos, logo me interessei para ler. Pensem só: uma garota sem memórias acorda em um lugar estranho, quase é morta e não se lembra de absolutamente nada de antes, só repara que tem um pássaro e um numero tatuado no seu pulso.

 “Abre o bloco de notas em uma página em branco, alisa o papel e escreve:
Coisas que eu sei que são verdadeiras:
- Estou em Los Angeles
- Acordei nos trilhos do metrô na estação Vermontl Sunset
- Sou uma garota
- Tenho cabelos pretos e longos
- Tenho uma tatuagem de pássaro no pulso direito (FNV 02198)
- Sou boa de corrida”

A nossa personagem principal está sendo caçada por humanos. Okay ! Temos um bom mistério e ação por ai. Corremos ao lado dessa garota, sentimos o medo e a aflição de não saber de nada, conhecemos um cara( Ben) que parece legal e confiável. Somos literalmente a personagem, pois o livro é narrado na 2 pessoa do singular(você).

É um livro que pode ter algo de previsível. Temos um pouco de romance no meio do livro, entre a personagem e o Ben, além de uma revelação bombástica, que meio que eu já desconfiava. Achei que o livro poderia ter sido melhor. Não é ruim, não é surpreendente, mas é bom, bem escrito, bem desenvolvido.

Recomendo para quem gostar de thrillers leve, com mistério, ação e um pouco de romance (YA).
 Nota:★★★


divulgar

comentar

07 fevereiro 2016

Resenha:A Menina que Tinha Dons, M.R.Carey


A Menina Que Tinha Dons

Titulo: A Menina que Tinha Dons
Autor: M. R. Carey
Editora:  Fábrica231 / Rocco
Número de Páginas: 384
Gênero: Horror/Ficção Científica/ Zumbis
Sinopse:Num futuro distópico, em que a maioria da humanidade foi exterminada, um grupo de crianças vive confinado numa base militar. Todas as manhãs elas aguardam em suas celas o sargento Parks vir com uma arma apontada e mais dois de seus homens para afivelá-las — tornozelos, pulsos e pescoço — à cadeira de rodas que as levará para a aula. Certa vez, Melanie, a mais inteligente delas, brincou dizendo que não iria mordê-los. Ninguém riu. Sabiam que o cheiro de carne humana era o estopim para que ela perdesse o controle e entrasse num estado de muita, muita “fome”! Eis a premissa de A menina que tinha dons, original e emocionante thriller de horror de M.R. Carey, prestigiado roteirista de HQ’s de sucesso, como Hellblazer e X-Men, título que inaugura o Fábrica231, novo selo de entretenimento da Editora Rocco.Da cela para a sala de aula, passando por um longo corredor, de segunda a sexta. Aos sábados, cárcere o dia todo. E, nos domingos, uma tigela de larvas para comer e um banho químico no chuveiro. Apesar da prisão e do tratamento rígido e hostil do sargento e seus soldados, Melanie ama sua escola. Tem apreço pelos livros, adora estudar. De fatos históricos, passando por equações, até os mitos gregos e o mundo além daquelas paredes que as encerravam. Mal podia imaginar, porém, que, na verdade, ela e as demais crianças eram cobaias: a única esperança para salvar a raça humana.

O autor é M. R. Carey, que nasceu em Liverpool em 1949 e é roteirista e romancista de horror e fantasia. Escreve para a Marvel e DC – X-Men, Quarteto Fantástcio e Batman. Escreve ainda pra Vertigo, sendo responsável por Lúcifer – baseada no personagem criado por Neil Gaiman em Sandman) e Hellblazer, protagonizada pelo mago inglês John Constantine.

“A verdade é a verdade, o único prêmio digno de se ter. Se você a nega, só mostra que não é digno dela.”

Comprei esse livro na Black Friday de 2014. A capa já tinha me chamado atenção e imaginei que seria um livro de terror ou totalmente puxado para o mundo da fantasia. Fui sem muitas expectativas, mas o final do livro é incrível.

A Menina que Tinha Dons conta a história de Melanie, uma criança de 10 anos, que vive em uma prisão militar. Sua rotina consiste em acordar, passar por um procedimento onde é ela é totalmente presa como um animal e ir para a sala de aula. Os outros alunos estão do mesmo jeito que Melanie. Os guardas, médicos e professores tem o mesmo cuidado: sem muita aproximação e sem tocar. Assim como uma sala de aula normal, as crianças aprendem conteúdos normais de escola, mas elas sabem que a vida lá fora é diferente, que existe liberdade.

“Saber a data é tranquilizador de um jeito que ela não consegue explicar. É como se desse a ela um poder secreto – como se ela não estivesse controlando um pedacinho do mundo.”

Melanie sonha em ter uma familia, uma vida normal fora da prisão e entender porque está ali. Ela sabe que lá fora é perigoso também, mas nao sabe exatamente porque. Os famintos:seres que caçam e comem humanos, verdadeiros predadores.

A rotina das crianças começa a mudar , quando duas sao levadas e nunca mais são vistas. Melanie tenta descobrir alguma coisa por sua professora, mas tudo piora quando o ambiente que eles vivem não se torna mais seguro.

O livro é narrado em terceira pessoa e a corrida pela verdade, para fugir dos seres é eletrizante. Muita ação, esse scifi- distópico surpreendente e nao deixa nenhum coração permanecer calma. Com um enredo original, personagens bem construídos e com um final aterrorizante, de realmente deixar bocas abertas.

Não dei as 5 estrelinhas por algumas coisas que achei comuns e que nao posso comentar porque seria spoiler de outros livros com o mesma tema, mas gostei da história e da forma como ela correu, evoluindo a todo instante.

Nota : ★★★★


divulgar

comentar

03 fevereiro 2016

Resenha:Auggie & Eu, R. J. Palacio


Auggie & Eu

Título : Auggie & Eu
Autora : R.J Palacio
Editora: Intrínseca 
Páginas: 317
Ano:2015
Sinopse:A história de Auggie Pullman, o menino de aparência incomum que tem encantado milhares de leitores desde o lançamento do romance Extraordinário, em 2013, ganha agora novas perspectivas: Julian, Christopher e Charlotte são três personagens da vida de Auggie que narram nos três contos reunidos neste livro, seus encontros e desencontros com o amigo extraordinário.
O capítulo do Julian dá voz a um personagem controverso: o menino que liderava o bullying contra Auggie na escola. Enfim temos a oportunidade de entender o que o levou a agir dessa forma e o que Julian pensa das próprias ações. 

Ler "Auggie & eu" foi mais para matar a saudade e resgatar as coisas boas do meu coração. Tres historias que compoem um spin-off do livro Extraordinário, escrito pela R. J. Palacio. A narrativa é mais longa do que um conto e as histórias relatam os conflitos dos personagens.

Extraordinário, 365 dias extraordinários e "Auggie e eu" escritos pela R.J. Palacio foram escritos ao vivenciarem uma situação com seus filhos.A sensibilidade é algo comum em todos os livros escritos por ela e nao é pouco, que a gentileza e a emoção prometem mexer com seu coração.

No  capítulo do Julian conhecemos as intenções e os conflitos que Julian vivenciava. Você , se tiver lido 'Extraordinário" lembra-se que ele é um vilãozinho . Mas, através da narrativa de Palacio , percebemos que ninguém é bom ou ruim o tempo todo. Julian conta como foi conhecer Auggie, as mudanças que isso provocou na sua vida e porque ele foi tao cruel com ele.Em Plutão, acompanhamos um dia terrível do personagem Chris, o melhor amigo de Auggie, mas que em Extraordinário tivemos pouco contato. Chris e Auggie cresceram juntos e há três anos moram em cidades diferentes, acarretando assim no afastamento desses dois amigos.

Na narrativa de Plutão temos uma variação entre presente e flashbacks em que Chris conta o inicio da sua amizade de Auggie. Todo o cuidado e delicadeza nesta história,em que a força da amizade cativa mais do que imaginas.

Em Shingaling , a fofa Charlotte nos mostra como foi o ano que Auggie entrou para a escola Beecher Prep ,as confusões, preconceitos e nascer do respeito entre os coleguinhas de Auggie. Porém, as meninas viveram desafios entre elas. Charlotte sonha em ser uma atriz da Broadway e se dedica muito. Uma aluna exemplar, faz aulas de dança e quer estar preparada para conquistar seus sonhos.  

O preconceito é discutido entre as meninas. Charlotte é aquele personagem que já vivi quando era criança: fazer uma amizade com uma colega que achava uma coisa,mas era outra. 

Todas as  novelas são separadas por uma página de capa colorida e uma folha de rosto com citações . Indico a leitura para todos que já leram Extraordinário e para quem quer abrir o seu coração com essa leitura. Uma lição de vida, uma sensibilidade incrível vai ser transmitida através da escrita dessa mulher.

Nota:★★★



divulgar

comentar


Notícias: trailer oficial de "Me before you"

Já posso surtar de verdade hoje? Saiu o trailer oficial de "Me before you" ou " Como eu era antes de você", livro da Jojo Moyes , que estreia dia 16 DE JUNHO DE 2016!

        
  
A MGM, junto a Scott Neustadter & Michael H. Weber, roteiristas de (500) Dias com Ela, adquiriram os direitos do livro, romance best-seller de Jojo Moyes publicado no Brasil pela Intrínseca. Eles trabalharam em um roteiro já escrito pela autora e o projeto também possui o apoio da produtora de Twilight, Karen Rosenfelt.
                                      
O livro é uma emocionante história envolvendo dois personagens, Lou (Emilia Clarke) e Will (Sam Claflin). Will é um cara bem sucedido que se torna cadeirante após um acidente. Já Lou é perseguida por empregos que não dão em nada. Quando o mundo de ambos se chocam, Lou está determinada a provar para Will que a vida vale a pena e juntos eles embarcam em uma aventura que mudará os dois de formas que eles jamais imaginariam.
                

Quem ai está ansioso? Eu não vejo a hora de ver esses dois lindos e essa incrivel história de amor :]


divulgar

comentar