• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
31 março 2015

Texto: Aos 21



Antes do dia 1 de abril. No último dia de março eu completo 21 anos. Isso me assusta demais. Esse tempo que passa tão rápido como o vento. Mas, acordei bem. De bem com a idade que não é tão importante, porém, bem comigo mesma e me deu vontade de contar como mudei. Ao fechar meus olhos, sinto a estrada que percorri.

O tempo passou e isso todo mundo sabe. Também sei que não sou a mesma garota de alguns anos atrás. Tudo mudou. O lugar, as amizades e os medos, mas os sonhos continuam os mesmos. Os amores, as páginas em branco e meu "eu", que me surpreende a cada dia que passa. Agora me sinto mais confiante, seja para desvendar algum lugar, seja para gravar vídeos.

Valorizo meu humor e levo tudo como consigo. Aprendi a ficar calada na hora certa, para não machucar ninguém antes do tempo. Não perco tempo com desilusões, nem minhas palavras com quem não faz o mesmo. Desencanei de ser alguém aceitável em um lugar.

Conheci muita gente. Algumas delas ou deles se tornaram irmãos. E por isso eu agradeço. Aprendi a amar minha família e a respeita-la mais, ouvir sempre os conselhos para nunca quebrar a cara.
Mudei de cidade, mudei de rumo e me encontro ainda no mesmo lugar, mas em uma posição diferente. Ainda sonhando e me transformando. 

Ao meu coração, dei um tempo. Aprendi que nada dura para sempre, mesmo isso sendo tão clichê e eu demorando a acreditar. Abro mais sorrisos, escrevo mais e leio mais. Sem planejamento, sem pressa.

 Aos 21, ainda continuo sonhando alto. Pensando em viajar pelo mundo, quem sabe escrever mais aqui ou no meu diário, me tornar uma boa médica e ainda sim, ler , viver e sorrir. E nesse dia ensolarado, vou aproveitar que o sol saiu e vou sair também, mudar de ar e alcançar tudo o que posso viver e conquistar no Hoje. #happybirthdaytome 




divulgar

comentar

30 março 2015

Resenha: A Joia, Amy Ewing



Título: A Joia (#1 de Cidade Solitária
Autora: Amy Ewing
Editora: Leya
Páginas: 250
Ano: 2015
Sinopse:" Viver com a realeza pode não ser tão nobre e glamuroso quanto parece...
Joias significam riqueza, são sinônimos de encanto. A Joia é a própria realeza. Para garotas como Violet, no entanto, a Joia quer dizer uma vida de servidão.
Violet nasceu e cresceu no Pântano, um dos cinco círculos da Cidade Solitária. Por ser fértil, Violet é especial, tendo sido separada de sua família ainda criança para ser treinada durante anos a fim de servir aos membros da realeza.
Agora, aos dezesseis anos, ela finalmente partirá para a Joia, onde iniciará sua vida como substituta. Mas aos poucos, Violet descobrirá a crueldade por trás de toda a beleza reluzente... E terá que lutar por sua própria sobrevivência.
Quando uma improvável amizade oferece a Violet uma saída que ela jamais achou ser possível, ela irá se agarrar à esperança de uma vida melhor. Mas uma linda e intensa paixão pode colocar tudo em risco..."

Ual ! O que falar desse livro? Uma distopia surpreendente e que o final me deixou querendo baixar o e-book inglês para matar minha curiosidade. "A Joia" é o primeiro livro da trilogia "Cidade Solitária" da Amy Ewing, sendo lançado esse ano pela Editora Leya, através do selo Fantasy.

Quando vi essa capa, logo lembrei de " A seleção", da Kiera Cass e mantive minha curiosidade sobre esse livro, até assistir o vídeo da Pam quando leu ele na Maratona 24 horas. Se você pensou, como eu, que esse livro teria uma história parecida, se enganou. A Cidade Solitária é dividida em 5 círculos: a Joia,onde a elite vive,o Banco, a Fumaça, a Fazenda e o Pântano, lugar dos mais pobres. Cada ciclo é de uma classe social, rotulando os cidadãos.

As mulheres da Joia, a elite, não consegue ter filhos e quando os têm, nascem com anomalias e morrem. Por isso, existem as substitutas, que quando tornam-se mulheres são treinadas em internatos para exercer sua função no futuro. Logo, que são capazes de ter filhos.

“Falam sobre nós como se fossemos um animal de estimação ou um cavalo premiado. Como se não pudéssemos ouvi-las. Como se nem estivéssemos ali.

As mulheres do Pântano possuem, além de bons genes, alguns dons, podendo definir cor, forma e influenciar no crescimento de algo. No Leilão, essas garotas são vendidas as mulheres da Realeza para terem filhos que não serão delas.

 O livro é narrado pela Violet Lasting, uma garota substituta de 16 anos que é vendida para uma das Duquesas da Joia. Na sua nova casa, Violet se depara com ordens, inveja, ambição e as verdades por trás da vida cheia de diamantes e altos serviços. Suas donas veem essas meninas como descartáveis, como um objeto a ser usado para seus fins de filhos para assumir possivelmente A cidade Solitária. Mas, em meio a uma rede de obediência e submissão, ela conhece Ash, um acompanhante e com ele , ela encontrará mais do que vidas tiradas em comum.

“ -Qual o seu nome?
Meu coração explode em um milhão de fragmentos cintilantes que se espalham pelo meu peito como fogos de artifício.
- Violet - sussurro.
Ele fecha os olhos e respira fundo como se a resposta fosse um enigma ou uma chave secreta.
- Violet - murmura. Em seguida sua boca toca a minha.”

 A Joia conseguiu mais do que me surpreender, uma das melhores distopias de 2015. Uma história tão forte e tensa. Acabei em uma sentada pela curiosidade e que final foi esse? Sem spoilers. Juro! Mas, Amy Ewing escreva logo para o livro ser lançado aqui daqui pra o final do ano, porque não vou sobreviver sem saber como acabou daquele jeito.

Não sei se verei o sol nascer em minha nova vida na Joia. Às vezes, queria não ter nascido uma substituta" 
 NOTA : ★★★★ ♥


divulgar

comentar

27 março 2015

Lançamentos de abril: Novo Conceito


Título: O mago
Autor: Fernando Morais
Páginas: 624
Gênero: Biografia
Sinopse:Sem medo da polêmica, O Mago desnuda o passado de um homem que viveu intensamente os seus anos loucos. Nenhum tema foi proibido e nada foi tratado de maneira superficial: do desbunde em plena onda hippie à conexão com o misticismo, que transformaria a persona do escritor em guru espiritual das massas. Das práticas de satanismo à peregrinação pelo caminho de Santiago de Compostela. Da Sociedade Alternativa à vida de celebridade pop. Das acusações de plágio à consagração em países tão distantes quanto Rússia e Arábia Saudita.
Nessa devassa consentida, Paulo Coelho entregou seus 170 diários e um baú de relíquias ao genial jornalista investigativo Fernando Morais, que traçou um retrato preciso e impressionante do maior fenômeno literário já visto no Brasil. Paulo Coelho é o autor mais vendido da língua portuguesa de todos os tempos. Foram mais de 150 milhões de exemplares em mais de 150 países. Seus livros foram traduzidos para nada menos que 66 idiomas.
Sobre a natureza chocante das revelações, o biografado revelaria, tempos depois: Com a leitura de O Mago consegui dormir em paz pela primeira vez em muitos anos . Se a exposição frenética de tragédias e fraquezas pode parecer agressiva para muitos, para Paulo Coelho foi libertadora.


Título: A lista
Autora: Cecelia Ahern
Gênero: Drama
Páginas: 384
Sinopse:
Kitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente.
Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira.
Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas.



Titulo: Neve na Primavera
Autora: Sarah Jio
Gênero: Drama
Páginas: 336
Sinopse:
SEATTLE, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar. Ela odeia o turno da noite, mas o emprego de camareira no hotel garante o sustento de seu filho.
Na manhã seguinte, o dia 2 de maio, uma nevasca desaba sobre a cidade.Vera se apressa para chegar em casa antes de Daniel acordar, mas encontra vazia a cama do menino. O ursinho de pelúcia está jogado na rua, esquecido sobre a neve.Na Seattle do nosso tempo, a repórter Claire Aldridge é despertada por uma tempestade de neve fora de época. O dia é 2 de maio. Designada para escrever sobre esse fenômeno, que acontece pela segunda vez em setenta anos,Claire se interessa pelo caso do desaparecimento de Daniel Ray, que permanece sem solução, e promete a si mesma chegar à verdade. Ela descobrirá, também, que está mais próxima de Vera do que imaginava.

Autora: Michelle Falkoff
Gênero: Drama
Páginas: 288
Sinopse:
Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente
Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava.
A PLAYLIST DE HAYDEN é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.


Entre todos esses lançamentos estou loucaaaaaa pelo "A Lista", da Cecelia, mesma autora de Simplesmente Acontece e P.S. eu te amo, além de "A playlist de Hayden". E vocês? Tem algum favorito ou adicionado na lista de desejados?



divulgar

comentar

26 março 2015

Resenha: Amy & Matthew, Cammie McGovern


Amy e Matthew

Título: Amy & Matthew
Autora: Cammie McGovern
Editora: Galera Record
Páginas: 336
Ano: 2015
Sinopse : Amy e Matthew não se conheciam realmente. Não eram amigos. Matthew sabia quem ela era, claro, mas ele também sabia quem eram várias outras pessoas que não eram seus amigos.Amy tinha uma eterna fachada de felicidade estampada em seu rosto, mesmo tendo uma debilitante deficiência que restringe seus movimentos. Matthew nunca planejou contar a Amy o que pensava, mas depois que a diz para enxergar a realidade e parar de se enganar, ela percebe que é exatamente de alguém assim que precisa.À medida que passam mais tempo juntos, Amy descobre que Matthew também tem seus problemas e segredos, e decide tentar ajudá-lo da mesma forma que ele a ajudou.E quando a relação que começou como uma amizade se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava (ou sabe definir), eles percebem que falam tudo um para o outro… exceto o que mais importa.


Pela sinopse de Amy & Matthew, eu já sabia que se tratava de um romance triste, mas me enganei ao lê-lo e me deparar que podemos ser muito mais que aparências e defeitos para o amor crescer.

"Ás vezes, eu te amo é o mais difícil de dizer."

Esse livro tão lindo conta a história deAmy & Matthew. Amor, mas não é só isso que define eles dois. Não é algo comum para esses dois. Amy é uma garota que tem uma doença degenerativa no qual seu corpo tem um certo grau de paralisia, então ela só consegue falar através de um computador. Matthew sempre foi colega da Amy, então passou a observa-la e mesmo mal lhe dirigindo as palavras, nunca pensou em se aproximar dela. Antes de Amy terminar o Ensino Médio, Nicole, sua mãe resolver contratar alguns "enfermeiros" que seriam amigos de Amy para cuidar dela na escola. Amy, convida Matthew a se candidatar a uma das vagas e ele acaba aceitando. Acredito que a partir daí, de uma amizade, grandes amores possam surgir.

“- Perguntei se eu poderia ajudar porque nunca fui capaz de fazer isso por ninguém. Queria ver se eu conseguia. É terrível ser sempre a pessoa que precisa de ajuda. Me desculpe se me enganei. Esse negócio de ter amigos é tão novo pra mim que às vezes cometo erros.”

A história me encantou. E mais ainda ao ler apenas algumas frases que pela primeira vez, não dizem muito sobre o livro, mas acabam dizendo tudo na sinopse. O preconceito de que Amy não pode amar, não pode ir a festas e só é tida como uma garota com QI alto e deficiente, é algo muito presente em nossa realidade. Se apaixonar por Amy será inevitável. Ela é sem amigos e com tantos problemas que poderiam a fazer desistir da vida, mas com seu Pathway - a maquina que serve de voz para Amy- você entenderá o porque de tanta ironia no livro.

“Amy desviou o olhar, de modo que foi impossível dizer o que ela estava pensando. Já não era muito fácil, com sua gama limitada de expressões, mas se olhasse nos olhos dela, em geral, conseguia entender. Talvez suas palavras tivessem soado muito egoístas. Como se ele só estivesse pensando em como aquilo o afetava. Não estava. Ele queria que ela soubesse que ele não estava ali para ser legal ou porque sentia muito. Queria que ela soubesse que era muito mais do que isso. Não havia palavras, de fato, capazes de explicar.”

O romance é narrado pela Amy & Matthew, em terceira pessoa, por meio de e-mails, mensagens de textos e textos da Amy. Entre diálogos bem humoradas, a história que poderia ser tão melancólica, passa a ser divertida e reflexiva. Cammie tratou um tema tão forte de uma maneira leve, doce e reflexiva.

Mexeu com os rótulos impostos e os defeitos que insistem em ser encontrados em alguém. Mostrou que em meio a tantas dificuldades encontradas na vida de Amy & Matthew poderia existir amor para tudo se tornar mais “suportável”, fazendo se sentir normal. Tão especial quanto.Amy & Matthew é uma leitura SUPER recomendada !

"(...) não acho que você tenha que cortar todos os seus relacionamentos para fugir das expectativas que as pessoas têm de você. Você pode simplesmente não fazer o que elas esperam, certo?"

 NOTA : ★★★★ ♥



divulgar

1 comentário

24 março 2015

Notícia: Primeira imagem da adaptação de "Ugly Love", da Colleen Hoover

Se você é fã da Colleen Hoover ( eu sou super, então sou suspeita pra falar algo), não pode perder de ver a primeira imagem da adaptação de "Ugly Love", de Nick Bateman como Miles Archer. Nessa foto em preto e branco, Nick está vestido como piloto, já que é sua profissão como Miles e próximo a um elevador. Só essa foto foi divulgada e há boatos que Daniel O'Neill iria estrelar como Corbin, irmão de Tatte, mas não é nada confirmado. Mas, uma coisa é certa: o romance saíra pela Galera Record ainda esse ano. 

                    

Sinopse :" Ugly Love" conta a história de quando Tate Collins conhece o piloto Miles Archer. Ela não acredita ser amor à primeira vista. Eles nem sequer se considerariam amigos. A única coisa que Tate Miles têm em comum é uma atração mútua inegável. Uma vez que o desejo deles é revelado, eles percebem que têm o relacionamento perfeito.Ele não quer amor, ela não tem tempo para o amor, então o que sobra é o sexo. O arranjo deles pode ser surpreendentemente sem amarras, com tanto que Tate siga as duas únicas regras que Miles tem para ela: Nunca pergunte sobre o passado. Não espere um futuro.Eles acham que podem lidar com isso, mas percebem quase que imediatamente que na verdade não podem lidar com nada.Corações se infiltraram. Promessas são quebradas. Regras são abaladas. O amor fica feio.

                                      IMG_1562.PNG
E ai, aprovado o Miles da adaptação ? *------*

“O amor nem sempre é belo, Tate. Às vezes, você passa todo o seu tempo esperando que ele será, eventualmente, algo diferente. Algo melhor. Então, antes que você se dê conta, você está de volta ao ponto de partida, e você perdeu seu coração em algum lugar pelo caminho.”


divulgar

comentar


Resenha: Objetos cortantes, Gillian Flynn



Título: Objetos cortantes
Autora: Gillian Flyyn
Editora: Intrínseca
Páginas: 254
Ano: 2015
Sinopse: Uma narrativa tensa e cheia de reviravoltas. Um livro viciante, assombroso e inesquecível. Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida.Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas sem recurso para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado. Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e adolescência conturbada e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob sua roupa.

Mais um livro da Gillian Flynn lançado pela Intrínseca. Objetos cortantes foi o primeiro livro escrito por ela e o segundo dela publicado no Brasil, e meio que foi "ok",  pouco impactante quanto A Garota Exemplar.  O enredo tem como cenário um crime horrendo e até agora sem suspeitos.

Tudo começa com um assassinato de duas crianças em Wind Gap, no Missouri. Camille, uma repórter volta a sua cidade natal para investigar, porém Camille sofre de grandes problemas: auto-mutilação de seu corpo, problemas familiares e ainda sofre com a morte de sua irmã mais nova, Marian. Com uma narrativa tensa e perturbadora, Camille tenta permanecer na sua cidade natal e sobreviver as lembranças de um passado que a perturba tanto, a fim de ter um furo de reportagem par ao jornal Daily Post.

"Eu me corto, sabe? Também retalho, fatio, gravo, espeto... Sou um caso bem especial. Tenho uma razão. A minha pele, sabe, ela grita. É repleta de palavras - cozinhar, bolinho, bichano, cachos - como se uma criança da primeira série manuseando uma faca tivesse aprendido a escrever em minha carne.'' 

A brutalidade, a violência e os atos impulsivos são escritos de maneira crua. A brutalidade, a violência e os atos impulsivos são escritos de maneira crua.  Torcer por Camille é inevitável. Desejei que ela escrevesse logo a notícia e fugisse, porque as palavras dela e seus pensamentos me deixavam arrepiada em alguns momentos. 

Não é um livro tão bom quanto "A Garota Exemplar", mas igualmente pertubador e bem mais previsível. Recomendo a leitura para quem gosta de livros de suspense e que abordem um tema tão forte quanto auto-mutilação.

"Estou aqui, respondi, e tais palavras tornaram-se surpreendentemente consoladoras. Quando entro em pânico, digo em voz alta para mim mesma: Estou aqui. Não costumo sentir que estou. Sinto como se uma acalorada rajada de vento pudesse me dissipar, e eu desapareceria para sempre sem deixar sequer uma lasca de unha. Há dias em que considero essa reflexão aquietante; em outros, ela me deprime." 

 NOTA : ★★★★


divulgar

comentar


Resenha: Sem esperança, Colleen Hoover



Título: Sem Esperança #2
Autor: Colleen Hoover
Série: Hopeless 
Editora: Galera Record
Páginas: 320
Ano : 2015
Sinopse :Assombrado pela culpa e pelo remorso por não conseguir salvar Hope nem Less, Holder desenvolveu uma personalidade agressiva. Mas, quando finalmente se depara com Hope depois de tantos anos, não poderia imaginar que o sofrimento seria ainda maior após o reencontro. Em Sem esperança, Holder revela como os acontecimentos da infância de Hope, que agora se chama Sky, afetaram sua vida e sua família, fazendo-o buscar a própria redenção na possibilidade de salvá-la. Mas é apenas amando Sky que ele finalmente será capaz de começar a se reconciliar com si mesmo.

Desde que me tornei um "Um Caso Perdido" ao ler o primeiro livro da trilogia Hopeless da Colleen Hoover, me vi ansiosa para ler Sem Esperança e agora me sinto mais apaixonada por Holder do que pensei. Tantas emoções para um livro só ! Para quem não sabe, sou super FÃ da Coleen Hoover a partir de Métrica e agora leio até a lista de compras do mercado dela haha. 

Esse livro é em primeira pessoa e todo contado por Holder. Ele narra os acontecimentos desde a morte de sua irmã Less até conhecer Sky. Para quem pensa que Holder é um bad boy, não viu o quanto ele é intenso e fofo, forte e conquistador por suas palavras. Mergulhei de cabeça nesse livro e desejei por um momento que Holder fosse real.

“Nunca tinha olhado para frente antes. Só olhava para trás. Penso demais no passado e penso no que deveria ter feito e em tudo o que fiz de errado e nunca olhei para frente na vida, nenhuma vez. Ficar com ela me fazia pensar no amanhã e no dia depois de amanhã e no dia seguinte e no ano seguinte e na eternidade. Preciso disso agora, pois se eu não abraçá-la de novo… vou terminar olhando para trás mais uma vez, deixando o passado me engolir completamente.”

Quando criança, Holder teve sua vida mudada ao ver Hope ser tirada dele de forma inesperada. Depois de 13 anos desse fato, sua melhor amiga e irmã gêmea Less tira sua própria vida. Sem esperanças de um futuro melhor, Holder se sente tão perdido como imaginou. Raiva, solidão e tristeza moram em si. Ao conhecer Sky em uma fila de supermercado, tudo muda. Só em olhar aquela garota e tudo muda, todos os sentimentos e ali ele sente que um pedaço do seu coração está vivo. 

Ela é grossa. Sarcástica. Não adepta de tecnologia, e seus hobbies são correr, cozinhar nos finais de semana e ler. E o que ela desperta em Dean Holder é tudo que ele nunca sentiu antes. Será que ele ficará gamatico (Gostar+ amar) nela?
Holder é aquele cara intenso, com uma infância complicada e se sente culpado por tudo que aconteceu as duas meninas a quem mais amou na vida: Less e Hope.

“Sky aproxima-se voluntariamente e sentir a sua vontade de me abraçar é a melhor sensação que tive no ano inteiro. Tudo que fez foi retribuir meu abraço, mas mal sabe ela que acabou de injetar um monte de vida de volta em mim.”

O livro completa o anterior e dá aquela intensidade e emoção para o primeiro. Do ponto de vista de Holder, a autora usa cartas e suas memórias para o conhecermos melhor. Cada palavra, cada frase e paragrafo desse livro mexeram comigo de uma forma linda. Tantos segredos revelados, tantas emoções colocadas para fora e que o amor pode vim a ser a cura para tanta dor na nossa vida.

  O terceiro livro da trilogia é Finding Cinderella, que contará a história da Six, a melhor amiga de Sky nos livros da série.Para quem gostou dos livros Métrica, para quem enlouqueceu por “Um caso perdido” precisa ler a versão de Holder e se desmanchar, porque você vai desejar que ele exista de verdade para abraça-lo ( ou beija-lo).


      

“But I’ve learned over the past year what it really means to be able to miss someone. In order to miss someone, that means you were privileged enough to have them in your life to begin with.” 
― Colleen Hoover, Losing Hope

NOTA : ★★★★ ♥


divulgar

1 comentário

20 março 2015

Resenha: Uma escolha imperfeita, Louise Doughty


Título: Uma Escolha Imperfeita
Autora: Louise Doughty
Páginas: 446

Editora: Rocco
Sinopse : Yvonne Carmichael trabalhou duro para conquistar a vida que sempre quis: uma carreira bem-sucedidade em genética, uma bela casa, um bom relacionamento com o marido e seus dois filhos adultos. Um dia, porém, ela conhece um estranho na Casa do Parlamento e, num impulso, começa um ardente caso com ele. No início, acha que conseguirá manter a relação separada do resto de sua vida, mas ela não pode controlar o que acontece em seguida. Todos os seus planos cuidadosos se transformam numa escalada de enganos, culminando, por fim, em um inominável ato de violência. Uma escolha imperfeita é tanto um thriller psicológico quanto um exame revelador dos valores pelos quais todos nós vivemos e das escolhas que fazemos.”

Gosta de Thriller psicológico? Então me acompanha nessa resenha. Yvone é uma mulher de meia idade, lá pelos seus 50 anos, é uma geneticista conceituada, tem marido e 2 filhos crescidos, mas por um impulso se envolve com um estranho e esse caso terá consequências devastadoras.

“Até conhecer você, eu não era o tipo de mulher a lançar a precaução ao vento, com base no princípio de que as coisas lançadas ao vento têm por hábito voltar e explodir em nosso rosto (...)”

Yvone pouco sabe sobre esse homem, nem seu nome verdadeiro, nem se é casado e se tem filhos, mas ambos concordam em manter o caso é absoluto segredo. Porém, um crime os une e a vida dos dois amantes passará por verdades e mentiras em frente a todos. A história em si, no começo, parece confusa.

Vemos a impulsividade, a narrativa por meio de Yvone, mas a maneira que a autora conta a história é diferente e tocante. Desde Garota Exemplar, No Escuro, Dias Perfeitos, não tinha achado um suspense que me tirasse tanto tempo e mexesse com minha curiosidade.

"Uma escolha imperfeita" não é apenas um livro sobre um caso amoroso ou um julgamento de um crise controverso. A autora joga várias perguntas no ar e tende a nos deixar intrigado quanto a veracidade dos fatos. Um Thriller que merece atenção e paciência, com uma trama sedutora e que merece sua atenção e leitura.

  NOTA : ★★★★


divulgar

1 comentário

19 março 2015

Resenha:Fingindo,Cora Carmack



Título: Fingindo #2
Autora: Cora Carmack 
Editora: Novo Conceito 
Páginas: 336 
Ano: 2015 
Gênero:  Humor, Amor, Erotismo, Drama
Sinopse: Mackenzie “Max” Miller tem um problema. Seu pais chegaram na cidade para uma visita surpresa, e se eles olharem seu cabelo pintado, suas tatuagens, e piercings, eles vão parar de enviar o subsidio que ela precisa para viver. Pior, eles esperam encontrar seu namorado, mas se eles virem o cara com quem anda saindo, Mace, repleto de tatuagens e uma banda, o cenário será ainda pior. Todas as suas mentiras estão prestes a desabar a sua volta, mas então ela conhece Cade. Lutar é para pessoas que se preocupam. Cade mudou-se para à Filadélfiapara deixar seus problemas para trás, no Texas. Até o momento, ele continuou com os problemas e teve poucas oportunidades de subir ao palco. Quando Max se aproxima dele em uma cafeteria com um louco pedido para ele ser seu namorado, ele concorda em interpretar o papel. Mas quando Cade desempenha o papel bem demais, eles ficam obrigados a continuar com a atuação. E quanto mais fingem, mais real começa a parecer.

O segundo livro da trilogia Losing It de Cora Carmack chegou todo fofo e divertido. O livro traz uma narrativa hilária e uma história de amor clichê, mas com tantas distinções que é unica. Mackenzie , que odeia ser chamada assim e prefere o apelido "Max" é toda original: tatuada, cheia de piercings, tem uma banda de rock e finge ser a perfeita para seus pais, que estão chegando na cidade para uma visitinha, porém ela tem um namorado todo errado, repleto de tatuagens e desligado. Mas, ao se ver cercada e sem alternativas, ela encontra Cade em um café e pede a ele para fingir ser seu namorado para seus pais, pois ele parecia um homem certinho e ninguém descobria a verdade.

"- Você não vai querer brincar disso, querido.
Ela olhou para trás por um segundo ao atravessar a rua, e seus olhos me encararam pela janela. Um tremor cresceu no meu peito, algo que lembrava uma corrida, um teste de ator e uma disputa por um papel que eu sabia que devera ser meu."

 Cade deixou seus problemas lá no Texas. Não teve tanta sorte e agora se encontra em uma cafeteria, quando uma garota diferente e sexy o pede para ser seu namorado de mentirinha, no qual ele concorda em interpretar o papel, já que é ator. Porém, ele desempenha tão bem aquele novo papel, que quanto mais Max e Cade fingem ser namorados, mais real tudo parece ser.

"Nunca tinha saído com uma garota como ela, e provavelmente ela nunca saiu com um cara como eu. Mas às vezes você não sabe o que está buscando até que é golpeado em cheio nas costas."

No livro " Perdendo-me"( confira a resenha) , os protagonistas eram Garrick e Bliss. Cade era o melhor amigo de Bliss e ainda tem por sua melhor amiga sentimentos. Em Fingindo tudo tem um encerramento e Cade vê-se cercado por Max. A menina furiosa e linda, com um talento incrível e que finge ser quem não é para não decepcionar os pais, trazendo seus medos e aflições consigo. Eu estava super ansiosa para ler esse livro e tive uma mistura de sentimentos. Para quem se pergunta se pode ler "Fingindo" sem ler "Perdendo", sim, você pode, pois são tramas diferentes.

A narrativa intercala os pontos de vista de Max e Cade, trazendo seus sentimentos e emoções a tona. Como uma música, os opostos, as incertezas, os erros se complementam e entram em sintonia.

"Eu canto sobre o peso das expectativas e relações venenosas e a perda da inocência. Canto pela forma em que a depressão pode tomar conta de minha cabeça como uma onda, jogando-me para baixo até o momento em que não se sabe onde é cima e baixo, onde ir para respirar."

Max é uma cantora furiosa e Max é um nerd tão sexy que desejei que ele largasse Max. Cora Carmack está conquistando espaços nas estantes com seus New Adult, viciando todos com uma história divertida e picante. Fingindo é mais do que ser alguém que você não é, é emergir para superfície a fim de parar na perfeição e aceitar seus medos e incertezas como parte de si, para continuar seguindo em frente.

"Há coisas pela qual vale a pena lutar, não importa o resultado, e você é uma delas."

NOTA : ★★★


divulgar

1 comentário


Notícia: Trailer divulgado de "Cidades de Papel"

Finalmente divulgado o trailer oficial de Cidades de Papel, adaptação do livro. O filme estreia em julho e vou admitir que estou mais do que curiosa para assistir esse filme, que pelo trailer me conquistou.



Quentin ( Nat Wolff) e sua vizinha misteriosa e colega de escola Margo Roth Spiegelman ( Cara Delevingne) se tornam amigos. Quentin tem uma paixão platônica e não pensa nem um pouco em participar de uma vingança quando Margo aparece no seu quarto. Depois da sua aventura, Margo desaparece, mas deixando pistas sobre seu paradeiro.

Confira o trailer:

         

O que vocês acharam ?  *-*


divulgar

2 comentários

17 março 2015

Resenha: A mais pura verdade,Dan Gemeinhart

Titulo: A mais pura verdade 
Autor: Dan Gemeinhart
Editora : Novo Conceito  ( livro cedido pela parceria)
Páginas:224
Ano:2015
Gênero: Drama, aventura,suspense
Comprar: Saraiva
Sinopse:Em todos os sentidos que interessam, Mark é uma criança normal. Ele tem um cachorro chamado Beau e uma grande amiga, Jessie. Ele gosta de fotografar e de escrever haicais em seu caderno. Seu sonho é um dia escalar uma montanha. Mas, num sentido muito importante, Mark não tem nada a ver com as outras crianças. Mark está doente. O tipo de doença que tem a ver com hospital, o tipo de doença da qual algumas pessoas nunca melhoram. Então, Mark foge. Ele sai de casa com sua máquina fotográfica, seu caderno, seu cachorro e um plano para alcançar o topo do Monte Rainier. Nem que seja a última coisa que ele faça.

Lembram recebi os primeiros 6 capítulos contendo as primeiras 95 páginas do livro " A mais pura verdade", que a Editora Novo Conceito mandou para os parceiros no final do mês de fevereiro? E logo chegou o livro completo. Passei na frente de todas as outras futuras leituras, e quase beirei as lágrimas ao terminar de lê-lo.

 A capa é azul, lembra " A culpa é das estrelas", mas não se engane. Em "A mais pura verdade", Mark, um garoto de 12 anos foge de casa para realizar o sonho de escala uma montanha, acompanhado pelo seu companheiro fiel e melhor amigo: BeauMark resolve fugir de casa, na companhia do seu cachorro Beau em uma aventura de 423 quilômetros.

 Mark vai ser corajoso e lutar para chegar ao seu destino, pois com o passar dos capítulos, percebemos que ele tem câncer e que está escolhendo seu proprio destino frente á sua doença.

" Sozinho, estou deixando meu lar.
Uma nova jornada, uma nova estrada.
Para as montanhas agora."



A narrativa se alterna em primeira pessoa, narrado por Mark, e em terceira pessoa, que mostrará as reações de seus pais e sua melhor amiga : Jess.  Adoro livros que são protagonizados por crianças, pois podemos ver o mundo de uma forma diferente a partir do olhar delas. Esse é aquele tipo de livro que vai fazer você se apegar ao Mark e ao Beau rapidamente e torcer para que tudo der certo. 

"Mesmo a muitos quilômetros de distância, um amigo ainda pode segurar sua mão e estar ao seu lado."


Não achei que fosse me emocionar tanto com esse enredo de Dan Gemeinhart. Uma história que fala muito além da doença e que mudou um pouco minha visão do mundo e da inspiração que as pessoas possuem para algo.  Uma história para todas as idades. Fácil de ser lida, principalmente para crianças, com uma narrativa leve e com muitas aventuras com seu eterno amigo, Beau.

Apesar de ter achado a narrativa rápida e ter sentido aquela preocupação e querer segurar a mão de Mark e subir a montanha junto com ele, fiquei meia triste com o final. Livro lindo, emocionante e com uma sensibilidade sem fim. Essa é a mais pura verdade.


“ O mundo inteiro é uma tempestade, eu acho, e todos nós nos perdemos em algum momento. Vamos atrás de montanhas no meio das nuvens para que tudo pareça valer a pena, como se isso não tivesse algum significado. E, ás vezes, nós as encontramos. E seguimos em frente.”.

NOTA : ★★★★★ 


divulgar

4 comentários

15 março 2015

Resenha: Por lugares incríveis,Jennifer Niven


Nome: Por Lugares Incríveis
Autora: Jennifer Niven
Páginas: 336
Editora: Seguinte

Ano: 2015
Sinopse: Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, a garota se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família. Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.

Uma aposta certeira da Editora Seguinte, selo da Companhia das Letras. O que você imagina vendo essa capa com essas imitações de casas, como aquele joguinho que (eu) pelo menos brincava quando era criança? E o que você imagina ser lugares incríveis?

Theodore Finch se pergunta se hoje é um bom dia para morrer. Há 6 dias, ele acordou de seu ultimo apagão da vida e agora está na torre do sino do colégio, quando a seu lado está Violet Markey, que congelou na borda da torre. Theodore a impede de saltar e a leva de volta para a escola. Ele guarda teu segredo da vontade do suicídio. Mas, a notícia que se espalha por ai é que Violet impediu Finch de se suicidar.

Na aula de geografia, o professor passa um trabalha em dupla, no qual eles terão que conhecer os pontos mais legais de Indiana, já que muitos colegas vão se mudar quando as aulas acabarem. Mas, Violet está tão fora de si, tão perdida e sem sentimentos, que não se importa mais com os amigos, com seus pais, com Ryan, desde que sua irmã Eleanor morreu em um acidente de carro.

"Talvez ninguém nunca vá até lá nem valorize esses lugares nem se dê o trabalho de pensar o quanto são importantes, mas talvez até o menor deles tenha algum significado. Se não tiverem pros outros, talvez tenham pra gente." 

 Theodore a incentiva, a tenta, começando por uma conversa atrevida no facebook. Desde ai, eles andam por Indiana, conhecendo pontos, tentando encontrar a si mesmos e tentando lidar com o passado e viver para o dia seguinte. Será que Violet será suficiente para que Theodore seja o melhor de si e viva para isso?

"Você me faz feliz...
Você me faz especial....
Você me faz adorável..."

 Por Lugares Incríveis, me ensinou tanto que ainda não digeri a história, nem a aceitei como foi escrita. Theodore, um garoto de ouro, que chamado de "aberração" pelos colegas, tenta ser vários em um. Violet , uma garota que lida todos os dias sem querer, vivendo com a culpa pela morte da irmã e depois tentando ajudar a si mesma. 

Não escreverei mais nada, para não revelar demais. Mas, leiam e se emocionem. Uma história que a autora viveu e contou para todos. Um livro que com toda certeza, deveria ser indicado como leitura oficial em colégios, em todas as estantes. O livro é mais do que um romance, sobre perda; é sobre o quanto precisamos conversar sobre o que sofremos, o que sentimos e que está nos destruindo por dentro. Uma pessoa pode mudar tudo, pode melhorar nossos pensamentos.

 NOTA : ★★★★


divulgar

comentar

13 março 2015

Resenha: True,Erin McCarthy



Título: True #1
Autora: Erin McCarthy
Série: True believers, 1
Páginas: 258
Editora: Verus
Ano:2015
Sinopse : Quando as colegas de quarto de Rory descobrem que a tímida e estudiosa garota nunca passou uma noite com um homem, decidem que vão ajudá-la a perder a virgindade contratando o confiante e tatuado Tyler para fazer o serviço, porém sem o conhecimento dela. Tyler sabe que não é bom o bastante para Rory. Ela é brilhante, enquanto ele está lutando para se formar na faculdade e conseguir um emprego, para, então, poder tirar seus irmãos mais novos da mãe drogada. Mas ele acaba aceitando a proposta, pelo menos como uma oportunidade de conhecer Rory melhor. Há algo nela que o intriga e o faz querer ficar por perto — mesmo sabendo que não deveria.
Divididos entre o bom senso e o desejo, os dois se veem envolvidos em uma relação apaixonada. Mas, quando a família desajustada de Tyler ameaça destruir seu futuro — assim como o dela —, Rory precisa decidir se vai cortar os laços com o perigoso mundo do namorado ou se vai seguir seu coração, não importa o preço a pagar.

Esse NA( New Adult) promete muito, apesar de não ter me surpreendido. Para mim foi: "é, ok, legal, mas nada tão novo". Mas, gostei e é isso ai. Aquele famoso cliche: bad boy e nerd timida. 

Rory é a tipica nerd tímida comparada com suas amigas: Jessia e Kylie. Tyler é o bad boy tatuado e misterioso. Depois de salvar Rory de uma situação horrível com seu amigo Grant, Tyler passa a "cuidar" dela, prestar mais atenção na garota quieta, que estuda invés de ir as festas com as amigas.Depois de revelar que é virgem, Tyler passa a se interessar mais. Com 20 anos e na faculdade de medicina, isso ele não esperava. Tyler passa a ser seu amigo, aparecer em todas as cenas e a soltando mais, nunca exigindo nada. Porém, Rory, desconfiada como é, estranha. Como um bad boy como ele pode querer passar tanto tempo com uma garota como ela?

"Solucei pela garotinha que eu tinha sido, que nunca entendeu porque eu não me encaixava, e pela percepção de que eu jamais em encaixaria. De que minha vida tinha sido feita para viver sozinha, com uma tênue barreira, feito um plástico esticado, entre mim e as outras pessoas, e de que meus pensamentos nunca eram capazes de andar em paralelo com os da maioria dos seres humanos"

O romance é fofo. O relacionamento de Rory e Tyler tem uns momentos divertidos e outros tensos. Mas, o cenário que se passa é traumatizante. Tyler tem que lidar com a mãe drogada, cuidar dos seus irmãos, trabalhar e estudar para garantir um futuro para seus irmãos. O cara tatuado, misterioso mostra-se divertido, carinhoso e humilde. Acho que foi nessas partes que eu também me apaixonaria facil pelo Tyler. True é uma leitura tão rápida e quando você nota, já acabou, mas a história ainda continua com outros livros. O enrendo é clichê, mas gostei do modo como a autora desenrolou a história. Leitura descontraída, dramática e sem mimimi.

"Foi aí que eu percebi que seria muito fácil me apaixonar por Tyler Mann.
 E que, se eu quisesse que o meu coração fosse partido em um milhão de pedaços, eu precisava ser muito, muito cuidadosa para não fazer isso."

A série “True Believers”  é composta por outros três livros, além de True : Sweet(Doce), que traz a história de Jessica; Believe (Acredite), que traz a história de Robin; Shatter (Despedaçar) traz a história de Kylie. Gostei mais das capas americanas do que a capa de True brasileira, mas acho que deveria ter capas melhores e que combinassem com os personagens. 

              

NOTA : ★★★


divulgar

2 comentários