• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
28 outubro 2014

Notícia: Novos livros da Carina Rissi

            

Nós já estamos sabendo que no próximo ano a Carina Rissi lançará livros da saga de Perdida. Ontem foi divulgada algumas novidades: em março será publicado No Mundo da Luna, um livro sobre uma jornalista recém-formada e toda atrapalhada que acaba assumindo a coluna do horoscopo sem saber nada sobre astrologia e imagina a confusão que vai rolar.

O próximo livro da série de Perdida será narrado por Ian e publicado na Bienal do Livro no Rio de Janeiro em 2015; e no segundo semestre, temos o segundo livro da saga de Procura-se um Marido, Mentira Perfeita, como protagonistas Marcus e Julia. Lembrem que Perdida será adaptado para os cinemas em breve.


divulgar

1 comentário


Notícia: Pôsteres de Insurgente divulgados!

Divulgado os pôsteres do filme Insurgente, da Saga Divergente., pela Paris Filmes. Confira !







    


O filme Insurgente tem data de estreia para 19 de março de 2015, chegando primeiro no Brasil. Ansiosos? 


divulgar

comentar


Resenha: A Busca;Eric Heuvel, Lies Schippers, Ruud Van Der Rol



Título: A Busca
Autores:  Eric Heuvel, Lies Schippers, Ruud Van Der Rol
Tradução: Augusto Pacheco Calil
Editora: Quadrinhos na Cia.
Ano: 2009
Páginas: 72
Sinopse :“A história do Holocausto sob o ponto de vista de uma menina de dezesseis anos. Esse relato ficcional, que já vendeu mais de 100 mil exemplares no exterior, traça um amplo panorama das mudanças no mundo durante o nazismo.Em 1933, Hitler subiu ao poder e iniciou uma caçada implacável aos judeus. Com apenas dezesseis anos, Esther é bruscamente separada dos pais e refugia--se em uma fazenda no sul da Holanda. Muitos anos depois, em companhia do filho e do neto, Esther visita o lugar que lhe serviu de esconderijo e conta, pela primeira vez, as atrocidades que ela presenciou e viveu durante o Holocausto. Para a protagonista de A busca, remexer o passado é uma forma de encerrar esse capítulo de sua história, ao mesmo tempo em que tenta descobrir o que aconteceu aos seus pais, amigos e ao homem que arriscou a vida para abrigar dezenas de famílias judias em sua fazenda.
Contada de modo claro mas sem perder de vista que se trata de um livro juvenil, A Busca é um abrangente panorama da perseguição nazista e de como as ideias de um homem afetaram de modo tão brutal a vida de milhões de pessoas. “

A Busca é um HQ bem juvenil, diferente de MAUS é colorido e um livro incrível para adquirir mais conhecimentos sobre a Segunda Guerra Mundial. O livro contará a história de sobreviventes do holocausto, como foi a perseguição dos judeus pelo nazismo, o funcionamento dos campos de concentrações de Auschwitz-birkenau. 

A história de Esther, uma senhora de idade, que contará aos seus netos como sobreviveu naquela época devastadora. Lembrando suas experiências quando era jovem e a busca por Bob, um ex-namorado da época, depois de 60 anos do fim da guerra. 

Apesar de ser uma história fictícia, A Busca tem informações verídicas, além dos quadrinhos bem desenhos. Nada é escondido e tudo tem uma sensibilidade. O enredo é dramático, emocionante e até romântico, uma leitura rápida e doce.
NOTA: 


divulgar

comentar

26 outubro 2014

Resenha: Ser Feliz é Assim, Jennifer E. Smith



Título: Ser Feliz É Assim
Autora: Jennifer E. Smith
Editora: Galera Record
Páginas:400
SINOPSE: A vida — assim como o amor — é cheia de conexões inesperadas e enganos oportunos. Uma ligeira mudança no curso pode gerar consequências surpreendentes. Afinal, às vezes, o desvio, o atalho é o verdadeiro caminho. A estrada que deveríamos ter escolhido desde sempre... Se pelo menos tivéssemos a coragem de fazer do coração nossa bússola.Graham Larkin e Ellie O'Neill não poderiam ser mais diferentes. O rapaz é um ídolo adolescente, um astro das telas de cinema; uma vida calcada na imagem. O cotidiano constantemente sob o escrutínio dos refletores. Agentes, produtores, RPs, assessores... Já Ellie passou a vida escondida nas sombras, fugindo de um escândalo do passado enterrado em sua árvore genealógica.Mas, mesmo sem aparentemente nada em comum, os dois acabam se conhecendo — ainda que virtualmente — quando Graham envia a Ellie, por engano, um e-mail falando sobre o porco de estimação Wilbur. Esse primeiro contato leva a uma correspondência virtual entre os dois, embora não saibam nem o nome um do outro. Os dois trocam detalhes sobre suas vidas, esperanças e medos.Então Graham agarra a chance de passar tempo filmando na pequena cidade onde Ellie mora, e o relacionamento virtual ganha contornos reais. Mas será que duas pessoas de mundos tão diferentes conseguirão ficar juntas? Será que o amor é capaz de vencer — mesmo — qualquer obstáculo? E mais importante... é possível separar ilusão de realidade quando o coração está em jogo?

Ser Feliz é assim é um livro tão doce(que não dá pra enjoar), divertido e leve, apesar das suas 400 páginas que foram lidas com a velocidade da luz. Lamentei o término do livro, como quando terminamos algo bom rápido demais.

 O começo do livro é por e-mail. Sim, os personagens principais se conhecem acidentalmente por uma troca de e-mails. Aquela conexão quimica entre Graham e Ellie. De um e-mail qualquer sobre um porco a história dos dois começa a ficar mais colorida e divertida. Por não se conhecerem pessoalmente um ao outro, começam a conversar e ficam tão conectados, que alguns detalhes da vida de ambos é contada.

De um lado da telinha do computador estava Graham, ator teen em ascensão e do outro lado Ellie, uma garota simples da cidade pequena do Maine. Graham nutre grande admiração por Ellie, pela sensação de ser alguém normal e ser tratado de tal forma. Então, ele faz o possivel para mudar o lugar onde ocorreriam as filmagens do filme para poder conhecer Ellie. 

E lá está ele, pronto para conquistar Ellie e ver se realmente vai sentir aquele soco no estomago ao -la. Mas, o fato de ser uma pessoa publica, uma celebridade dá-lhe grandes dificuldades para encontra-la. Jennifer me fez rir e sonhar um pouquinho com as formas de ser feliz, que são tão simples e momentâneas. 

Ela me prendeu a história e eu esperava algo mais diferente no final, mas tudo bem, vai. O romance é leve e rápido. A troca de e-mails é algo tão comum na nossa realidade que poderia acontecer com qualquer um, essa saída do mundo virtual para o real.Um romance clichê, mas divertido e para mim valeu a pena ler.

NOTA: 


divulgar

comentar

25 outubro 2014

Resenha: O Maravilhoso Agora, Tim Tharp


O Maravilhoso Agora

Título: O Maravilhoso Agora
Autor: Tim Tharp
Editora: Record
Páginas: 320
Ano: 2014

Sinopse: Sutter Kelly é O Cara, o rei das festas. Porém, diferente dos amigos adolescentes, não está preocupado com o futuro, está mais interessado em viver o agora. Com um 7Up batizado nas mãos ele está pronto para qualquer coisa. Mas nem tudo anda bem para ele. Vive discutindo com a mãe, o pai há anos não dá notícias, e sua namorada Cassidy lhe deu um pé na bunda. Em meio a esse caos, a doce Aimee pode despertar Sutter para outra realidade. E, pela primeira vez, ele tem o poder de fazer a diferença na vida de alguém, ou de arruiná-la para sempre. O livro que deu origem ao filme


Sutter tem 17 anos, está terminando o colégio e não é do tipo que se importa com o futuro. Ele tem só um lema: aproveitar o agora, sempre ao lado de seu 7Up com uísque. O relacionamento com sua família nao é lá muito bom. Ele não é tão proximo de sua mãe, nem de seu padastro. Seu pai foi embora quando ele era criança e nunca o procurou; sua irmã é casada com um cara rico. 

Cassidy é a namorada gostosa do Sutter e ele a adora, mas uma certa vez ao o ver conversando e abraçado com Tara( uma conhecida de Sutter) ela termina o namoro, depois de ter pedido a ele varias vezes para levar isso a sério. Mas, logo depois de alguns dias Cassidy já está namorando de novo e Sutter se entrega a bebedeira como cura da sua dor, por assim dizer. 

(...) É o máximo estar na rua tão cedo de manhã, antes mesmo de o sol nascer. É uma sensação de estar supervivo. É como saber um segredo que todas as pessoas caretas dormindo dentro de casa ignoram. Ao contrário delas, você está alerta e ciente de que existe, bem aqui, neste exato momento, entre o que aconteceu e o que ainda vai acontecer. (...)

No outro dia, ele acorda em um gramado sem saber aonde está. Ele só sabe de uma coisa: tem uma garota loira, de olhos profundos o olhando de cima, a Aimee. Aimee ajuda Sutter e ele se oferece para ajuda-la a entregar os jornais pela rua. Aimee é a garota inocente, doce, estudiosa, nerd e sonhadora, mas com uma família que manda e desmanda, não dando a chance de fazer as proprias escolhas. 
Sutter usa a "aproximação" de ambos para ajuda-la a domar sua vida, mas isso vai além da amizade. 

 Que se dane o amanhã. Que se danem os problemas e as barreiras. Nada importa exceto o Maravilhoso Agora.

O livro é narrado pelo Sutter, sem delongas, sem papo furado.Com capitulos curtos e capitulos bem reflexivos. Alcoolismo, drogas, insegurança, amizade, família, conceito de beleza são os temas do livro. E posso confessar que Sutter é um personagem e tanto. 

O cara alcoolico, que não acorda sem colocar uma gota de alcóol na boca, mas o incrivel é que ele fica sóbrio o suficiente todo o dia. É um livro jovem-adulto que mostra o amadurecimento e o envolvimento dos personagens com Sutter. Eu gostei bastante do livro, pelo ponto de vista do Sutter, que eu o chamaria de Babaca, mas enfim. Fiquei esperando por um final para Sutter e para Aimee, mas minhas perguntas continuam sem respostas.

NOTA: 



divulgar

1 comentário

22 outubro 2014

Resenha: Fique onde está e então corra, John Boyne



Título: Fique onde está e então corra
Autor: John Boyne
Editora: Seguinte 
Páginas: 224
Ano: 2014
Sinopse: Alfie Summerfield nunca se esqueceu de seu aniversário de cinco anos. Quase nenhum amigo dele pôde ir à festa, e os adultos pareciam preocupados - enquanto alguns tentavam se convencer de que tudo estaria resolvido antes do Natal, sua avó não parava de repetir que eles estavam todos perdidos. Alfie ainda não entendia direito o que estava acontecendo, mas a Primeira Guerra Mundial tinha acabado de começar. Seu pai logo se alistou para o combate, e depois de quatro longos anos Alfie já não recebia mais notícias de seu paradeiro. Até que um dia o garoto descobre uma pista indicando que talvez o pai estivesse mais perto do que ele imaginava. Determinado, Alfie mobilizará todas suas forças para trazê-lo de volta para casa.

Nunca li o livro "O menino do pijama listrado", mas bateu o amor pelo "Fique onde está e então corra", um romance juvenil que provou a delicadeza da história de Alfie. Alfie fez 5 anos e na sua festa de aniversário, seus amigos não compareceram, só os adultos e sua avó que não parava de falar que todos estavam perdidos, mas Alfie não entendia bem o porquê dela dizer tal coisa. 

Algum tempo depois, seu pai se alistou voluntariamente para defender o país na guerra com a esperança que acabaria antes do Natal. Muitas cartas foram escritas para sua esposa e seu filho, mas o tempo foi passando e a mãe de Alfie já não lia mais até o cessar das cartas. 

Alfie sabia que o pai estava em uma missão secreta e que, por enquanto, não poderia entrar em contato com a família. Ao ler sua ultima carta, Alfie percebeu a confusão de suas palavras e não entendeu nada que seu pais disse. Para ajudar a mãe, Alfie trabalha sendo engraxate e descobre uma pista sobre o paradeiro do seu pai, e agora ele é que vai entrar em uma missão secreta.

"Nada mais teria importância no mundo de hoje. Fique onde está e então corra - é o que ele fica repetindo e repetindo. Fique onde está e então corra. Não faz sentido". 

O autor é tão delicado que a história deixa de ser juvenil para adquirir um enredo complexo e envolvente. O autor não deixa de falar sobre os sofrimentos que os soldados sofriam ao matar uma pessoa, mesmo está sendo seu inimigo, as condições físicas e psicológicas que ficaram após voltarem da guerra, a dor de familiares ao receber noticias de seus parentes e a mulher e sua luta constante para manter a casa em pé.

"- Pela melhor razão do mundo - ele explicou. - Por amor."

 Uma leitura sensível e intensa, no qual o relato de uma criança, a grandiosa esperança em um cenário tão devastador como a Guerra Mundial.

NOTA: 


divulgar

comentar

19 outubro 2014

Resenha:A Extraordinária Garota Chamada Estrela,Jerry Spinelli


A_EXTRAORDINARIA_GAROTA_CHAMADA_ESTRELA

Título: A Extraordinária Garota Chamada Estrela
Autor: Jerry Spinelli
Páginas: 192
Editora: Gutenberg
Sinopse:A garota chamada Estrela. Ela é tão mágica quanto o céu do deserto. É tão estranha quanto seu rato de estimação. É tão misteriosa quanto seu próprio nome. Com um simples sorriso, ela captura totalmente o coração de Leo Borlock. Com sua alegria, ela incendeia uma revolução de liberdade e autenticidade no espírito de sua escola. No começo, os colegas encantam-se com ela por tudo o que a faz ser diferente. Mas isso começa a mudar, e Leo, apaixonado e apreensivo, percebe que a única coisa que pode salvá-la das críticas é a mesma que pode destruí-la: ser alguém comum. Nesta celebração do inconformismo, o premiado Jerry Spinelli tece um conto tenso e emocional sobre os percalços de precisar ser popular e da emoção e inspiração do primeiro amor.

O livro é narrado pelo Leo, um garoto que se encanta e se apaixona por Estrela. Estrela é tão diferente e tão boa, que chegava a ser confusa para os demais normais. Ela provoca a escola e mexe de um jeito com o Ensino Médio.

Mas, Estrela era tão diferente assim, era real? Ou fingia ser quem não era, só para chamar a atenção? Com o passar das páginas vamos conhecendo a Estrela e o que ela faz pelas pessoas, entendendo seu coração e sua mente.

“Ela era fugaz. Ela era hoje. Ela era amanhã. Ela era o aroma mais suave da flor de um cacto, a sombra fugidia de uma coruja marrom. Nós não sabíamos o que fazer com ela. Em nossa mente, tentávamos fixá-la em um quadro de cortiça como uma borboleta, mas o alfinete simplesmente se soltava e ela voava para longe”. 

Na Escola Estadual de Mica, Estrela chega para chamar a atenção e tornar a vida mais colorida dos estudantes desta escola. Não sabem de onde ela vem, nem o que fazia antes de estudar só em casa. Ela tem um rato chamado Canela, tem um jeito estranho de se vestir e toca ukulele no refeitório.

 Distribui sorrisos e "oi" por ai, canta parabéns para desconhecidos. Ela é cativante, cheia de espirito e alegria. Ela tem luz própria. Ela começa a ser querida por todas, provocar mudanças em algumas pessoas, sendo, indiretamente a garota mais popular da escola, mas com um erro ela passa a ser a mais odiada: alvo de brincadeiras e bullying.

Leo com sua curiosidade acaba descobrindo quem é a tal Estrela e encanta-se por ela, que mal percebe que está apaixonado. Mas, o problema da invisibilidade da Estrela começa a afeta-lo. As pessoas passam a ignora-lo, apesar de não desejar ser popular, ele queria que as pessoas falassem e conversassem com ele, como era antes.

Eu nunca tinha me dado conta de que precisava da atenção dos outros para confirmar minha própria presença”.

 É um livro que provoca um misto de sensações. Um lembrete de que devemos decidir se devemos ser a pessoa que queremos ou quem as pessoas querem que sejamos. Ser você mesma ou ser normal, comum.Até que ponto você precisa da aceitação dos outros para ser você mesmo? Precisa da atenção dos outros para confirmar sua existência?

O livro traz essa reflexão: pessoas rotuladas, comuns e pessoas diferentes, brilhantes aonde estiverem. Aquelas que ousam são mais felizes, não se importam com a opinião dos outros, mesmo sendo julgadas pelos seus atos. A leitura foi rápida e reflexiva. E existe uma continuação do livro pelo ponto de vista da Estrela, espero que lancem logo para eu desvendar essa Estrela.

NOTA: 


divulgar

1 comentário

17 outubro 2014

Notícia: Paula Pimenta lançará "Apaixonada por histórias"

                       
E o pedido é concedido ! Paula Pimenta divulgou nas suas redes sociais a capa do novo livro de crônicas: Apaixonada por palavras, previsto para novembro. Ansiosos para mais crônicas da Paula? *-*

Sinopse :Paula Pimenta é conhecida e amada por milhares de fãs por seus romances juvenis, mas um dos primeiros gêneros nos quais se aventurou em sua carreira literária foi a crônica, que escrevia e publicava em sites literários. Em 2012, lançou seu primeiro livro nesse estilo, Apaixonada por palavras, pela Editora Gutenberg. Seus leitores gostaram tanto das 55 crônicas publicadas que pediram mais! Paula resolveu atender aos inúmeros pedidos lançando este novo livro, Apaixonada por histórias, que traz mais 55 crônicas. Como o título sugere, a autora desde pequena sempre teve enorme paixão por todos os tipos de narrativas, e, como maravilhosa contadora de histórias, narra várias situações que viveu em sua vida, e que inspiraram muitos de seus personagens e passagens de seus livros e séries.



divulgar

comentar


Resenha: A verdade sobre nós,Amanda Grace



Título: A Verdade Sobre Nós
Autora: Amanda Grace
Editora:  Intrínseca
Ano:  2014
Páginas: 208
Sinopse: Madelyn Hawkins está cansada. Cansada de ser sempre perfeita. Cansada de tirar A em tudo. Cansada de seguir à risca os planos que os pais fizeram para ela. Madelyn Hawkins está cansada de ser algo que não é, algo que não quer ser. E então ela conhece Bennet Cartwright. Inteligente, sensível, engraçado. A seu lado, ela se sente livre e independente. Uma história que poderia muito bem ter um final feliz, não fosse por um detalhe: Maddie tem apenas 16 anos, e Bennet, além de ter 25 anos, é seu professor. Pressionada pelos pais a participar de um programa para jovens talentos, Maddie pula dois anos do Ensino Médio e vai direto para a faculdade, onde conhece e se apaixona pelo professor de biologia. O sentimento é recíproco, e para dar uma chance àquele novo relacionamento que lhe faz tão bem, ela decide não contar para Bennet sua idade. Não demora muito para que as coisas comecem a dar errado, e as consequências da farsa de Maddie ganham contornos devastadores quando a verdade vem à tona.

Fui conquistada pela capa linda e também pela sinopse: a paixão de uma aluna pelo seu professor. Uma questão polêmica e que eu nunca tinha lido nada do tema. Madelyn é a filha que todo o pai poderia desejar: perfeita, com suas notas, inteligencia e com um futuro promissor. Pressionada por seus pais para participar de um programa de jovens talentos, ela pula dois anos do ensino médio direto para a faculdade. 

Na verdade, só dois importavam. A diferença entre dezesseis e dezoito. A diferença entre o amor que pode durar uma vida e o amor que nunca pode acontecer.

Madelyn está cansada de tanta pressão e nas suas aulas de biologia ela conhece Bennet, o jovem professor, pelo qual ela se apaixona. Bennet também sente-se uma conexão com sua aluna, mas não imagina que ela apenas tem 16 anos. O livro poderia ter sido mais intenso, mas a autora conseguiu transmitir o romance proibido com delicadeza. 

É difícil decidir o que ser quando você só se destaca naquilo que não quer ser. Essa era minha vida. Em preto e branco. E eu desejava cor.

 Madelyn narra a história e vemos o desenrolar desse romance desde o inicio. Eu fiquei pensando em todas as páginas o que a autora iria aprontar para o final e me surpreendi com a realidade e as consequencias de tudo. Os textos em forma de cartas foram mais tocantes e desejei para que Bennet fosse mais compreensível e que fosse mais do que real o que sentia por ela. 

 A verdade sobre nós aborda um relacionamento tido como tabu entre professor e uma aluna menor de idade. Um livro realista, delicado e sutil que merece uma chance.

Nós dois combinavámos, você e eu, como duas peças que se encaixam perfeitamente. Dez anos não é muito, sabe? Se eu tivesse vinte e você, trinta, será que alguém se importaria? Parece cruel que quatro aninhos sejam tão importantes, capazes de mudar uma vida.Na verdade, só dois importavam. A diferença entre dezesseis e dezoito.A diferença entre o amor que pode durar uma vida e o amor que nunca pode acontecer."

NOTA: 


divulgar

1 comentário

15 outubro 2014

Notícia: Capa revelada de "A Escolhida", sequência de "O Doador de Memórias"

                           
Depois do sucesso " O doador de Memórias" no Brasil, a série independente ganhará uma continuação pela Editora Arqueiro, que divulgou a capa da sequencia, A Escolhida ,com previsão de lançamento para novembro.

Sinopse : Nora, uma órfã de perna torta, vive em um mundo onde os “fracos” são deixados de lado. A partir do momento da morte de sua mãe, ela teme por seu futuro até que é perdoada pelo Conselho de Guardiões. A razão é que Nora tem um dom: seus dedos possuem a habilidade de bordar de forma extraordinária.Ela supera a habilidade de sua mãe, e lhe cabe a tarefa que nenhum outro membro da comunidade pode fazer. Enquanto seu talento a matem viva e traz certos privilégios, ela percebe que está rodeada de misterios e segredos, mas ninguém deve saber sua intenção de descobrir a verdade sobre o mundo.


divulgar

comentar


Notícia: Instrumentos Mortais se tornará uma série de TV



Instrumentos Mortais vai voltar, mas como série de TV. E logo começara a adaptação da série nas telinhas.Eu iria adorar as duas adaptações dos livros da Cassandra Clare para a telinha, melhor ainda sendo uma série. Espero que não demore.

"Realmente faz sentido tornar (os livros) uma série de tevê,” o cabeça da Constantin Martin Moszkowicz disse. “Há vários pontos do livro que foram deixadas de fora do filme dos Caçadores de Sombras. Na série seremos capazes de ir mais fundo e explorar esse mundo com maiores detalhes e profundidade.”

Foram adquiridos também os direitos de adaptação de As Peças Infernais, mas com o fracasso de Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos nos cinemas tudo não passou do papel e até o momento nada foi pronunciado.


divulgar

comentar

14 outubro 2014

Resenha: Maus, Art Spiegelman


maus-01

Título Original: Maus
Autor: Art Spiegelman
Páginas: 295
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2009
Sinopse: Maus ("rato", em alemão) é a história de Vladek Spiegelman, judeu-polonês que sobreviveu ao campo de concentração de Auschwitz, narrada por ele próprio ao filho Art. O livro é considerado um clássico contemporâneo das histórias em quadrinhos. Foi publicado em duas partes, a primeira em 1986 e a segunda em 1991. No ano seguinte, Maus ganhou o prestigioso Prêmio Pulitzer de literatura. A obra é um sucesso estrondoso de público e de crítica. Desde que foi lançada, tem sido objeto de estudos e análises de especialistas de diversas áreas -história, literatura, artes e psicologia. Em nova tradução, o livro é agora relançado com as duas partes reunidas num só volume. Nas tiras, os judeus são desenhados como ratos e os nazistas ganham feições de gatos; poloneses não-judeus são porcos e americanos, cachorros. Esse recurso, aliado à ausência de cor dos quadrinhos, reflete o espírito do livro: trata-se de um relato incisivo e perturbador, que evidencia a brutalidade da catástrofe do Holocausto. Spiegelman, porém, evita o sentimentalismo e interrompe algumas vezes a narrativa para dar espaço a dúvidas e inquietações. É implacável com o protagonista, seu próprio pai, retratado como valoroso e destemido, mas também como sovina, racista e mesquinho. De vários pontos de vista, uma obra sem equivalente no universo dos quadrinhos e um relato histórico de valor inestimável.

Hoje vim indicar um dos melhores HQ que já li. Sim, Maus - A história de um sobrevivente, do Art Spiegelman. Neste livro, deparamo-nos com personagens antropomorfizados, ou seja, são retratados como animais - os judeus são os ratos, os nazistas, os gatos; os poloneses são porcos e os norte-americanos são cachorros. 

Maus é uma obra real construída com o relato real do pai do autor, Vladek Spiegelman, que viveu muitos anos na Polônia e assim como os milhares de judeus, viveu nos campos de concentração.  Maus é uma história dentro de outra história, enquanto Vladek vai contando a Art sua história e a relação de pai e filho no momento real. A relação de Art e do seu pai não era tão boa. 

Vladek é cara agarrado, chato e apegado as coisas materiais. Vemos o mundo de Vladek que preservar tudo o que tem, já que durante a guerra ele sobrevivia com tão pouco e guardava o restante para depois e o mundo de Art, depois da guerra, nos EUA, que não chegou a passar o inferno dos seus pais. Uma história  cruel, marcante e inesquecível. 
Humor e tiradas inteligentes de uma história da luta pela sobrevivência. Impossível seria não se emocionar. A obra mostra a invasão alemã á Polônia, antes da caça aos judeus. Primeiro, os judeus foram postos nos guetos, com pouco e depois o nazismo tomou conta, já que os alemães precisavam da mão de obra judaica para trabalhos forçados nos campos de concentração. 

Maus valeu cada segundo do meu dia lendo. Eu sou fã de histórias das Guerras Mundiais e precisava ler esta HQ. Emocionar não é bem a palavra certa para esse livro.  Leitura obrigatória para quem é fã de HQ e que se interessa por História.

NOTA: 



divulgar

comentar