• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
31 março 2016

Resenha:Duff - Kody Keplinger


DuffTítulo: Duff
Autora: Kody Keplinger
Ano: 2016
Páginas: 328 
Editora: Globo Alt
Gênero; Jovem Adulto
Sinopse: Bianca Piper não é a garota mais bonita da escola, mas tem um grupo leal de amigas, é inteligente e não se importa com o que os outros pensam dela (ou ela acha). Ela também é muito esperta para cair na conversa mole de Wesley Rush - o cara bonito, rico e popular da escola - que a apelida de DUFF, sigla em inglês para Designated Ugly Fat Friend, a menos atraente do seu grupo de amigas. Porém a vida de Bianca fora da escola não vai bem e, desesperada por uma distração, ela acaba beijando Wesley. Pior de tudo: ela gosta. Como válvula de escape, Bianca se envolve em uma relação de inimizade colorida com ele. Enquanto o mundo ao seu redor começa a desmoronar, Bianca descobre, aterrorizada, que está se apaixonando pelo garoto que ela odiava mais do que tudo.

DUFF, abreviação para Designated Ugly Fat Friend, é o primeiro romance de Kody Keplinger, publicado no Brasil pelo selo jovem da Globo Livros, o Globo Alt. Lançado originalmente em inglês em 2010, chega ao país em 2016, tendo o filme estreado ano passado.

D edignated
U gly
F at
F riend
=  a garota menos atraente de um grupo.
Bianca Piper é uma garota fora dos padrões, nunca se preocupou com sua aparência, nunca buscou ser a mais bonita do grupo e vive bem demais. Tem duas melhores amigas, e não é daquelas de viver pelos garotos, pois seu coração foi partido uma vez.

Wesley Rush  é o cara popular, lindo e todas as garotas o querem, exceto Bianca, que o acha um tremendo babaca e arrogante. E isso só piora, depois de uma festa em que ele a chama de Duff.Ele só quer ficar com suas amigas, mas Bianca beija Wesley e depois disso não consegue parar, tornando um relacionamento baseado em sexo, puramente físico para distrair a vida confusa de Bianca. Porém, as coisas vão começar a mudar e eles perceberão que tem mais em comum do que imaginam.

“Depois de pensar nisso por um tempo, decidi que havia muitos benefícios em ser uma Duff.Benefício 1: não é preciso se preocupar com cabelo ou maquiagem.Benefício 2: não há pressão para ser descolada – não é para você que estão olhando.Benefício 3: sem problemas com garotos. 
.
Duff é uma boa leitura, daquelas comédias que você lê em uma sentada só, porém nada muito surpreendente ou que me fizesse suspirar e me identificar com os personagens. Gostei da abordagem da autora com relação a pré-julgamentos, problemas familiares e a visão de amor no ensino médio.

Todavia, quando foi que a beleza determinou o caráter de alguém? Você já foi intitulado por algo sem sentido e se sentiu mal por isso? Duff trata basicamente desses julgamentos que somos vitimas em algum momento, levando no tom de humor como lidar com isso.

The DUFF teve  uma comédia adolescente produzida e distribuída pela Lionsgate e CBS Films baseada no livro, porém com roteiro livremente adaptado por Josh A. Cagan. O filme apresenta a mesma base e temática, entretanto o desenvolvimento da trama e as cenas são muito diferentes, até mesmo os personagens tem estereótipos distintos do livro. Quero assistir o filme para dar uma conferida no roteiro e ver se a mensagem foi devidamente dada.

Nota:  ★★★★



divulgar

comentar

28 março 2016

Resenha:Ps: Ainda amo voce #2 - Jenny Han


Título Original: P.S, I Still Love You - To All The Boys I've Loved Before #2
Titulo: Ps: ainda amo você #2
Autor(a): Jenny Han
Páginas: 306
Editora: intrinseca
Sinopse: Lara Jean não esperava se apaixonar de verdade por Peter. Eles estavam apenas fingindo. Até que não estavam mais. E agora Lara Jean precisa aprender o que é estar um relacionamento de verdade e não apenas um de mentirinha. Mas quando outro garoto do seu passado retorna para a sua vida, os sentimentos de Lara Jean por ele logo voltam também. Uma garota pode estar apaixonada por dois garotos ao mesmo tempo? Nessa charmosa sequência de To All The Boys I've Loved Before, Lara Jean és prestes à descobrir que se apaixonar é a parte mais fácil.

Para todos os garotos que já amei foi uma das melhores surpresas e leituras de 2015, tanto que desejei intensamente pelo segundo livro da duologia e estou mais do que contente por ter devorado em uma sentada só.Fofo, divertido e romântico como o primeiro.

"Pessoas vem e vão da nossa vida. Por um tempo elas são o nosso mundo, elas são tudo. E então um dia elas não são mais. Não tem como dizer quanto tempo você vai as ter por perto. "

O mais incrível em continuar a ler as cartas de Lara Jean, é descobrir os sentimentos e as confusões pelo primeiro amor, me fazendo voltar a época do ensino médio e passar por aquela insegurança de ser correspondida e tudo mais.

"Algumas vezes eu gosto tanto de você que eu não consigo aguentar. Isso cresce dentro de mim, todo o caminho até a borda, e eu sinto como se fosse transbordar. Eu gosto tanto de você que nem sei o que fazer com isso. Meu coração bate tão rápido quando sei que vou te ver de novo. E então, quando você olha para mim do jeito que você faz, eu me sinto a garota mais sortuda do mundo. Aquelas coisas que Josh disse sobre você não são verdade. Você não me deixou para baixo. Apenas o oposto. Você me colocou para fora. Você me deu minha primeira história de amor, Peter. Por favor, apenas não deixe ela terminar ainda. "

Lara Jean e Peter estão juntos, começando de onde o primeiro terminou. Adorei a formação do casal . Eu me apaixonei pelo Peter durante o primeiro livro e apesar dele cometer alguns erros e não explicar, continuei torcendo ate o fim do livro. A autora deu a entender que teria algum problema entre os dois segundo a sinopse do livro, porem o que Jenny quis mostrar é que relacionamentos são complicados, que despertam o melhor de nós, porem que demanda uma entrega total: confiança, lealdade e companheirismo precisam andar juntos para isso dar certo. Mesmo jovens, estamos sujeitos a experimentar, errar e acertar e que talvez, tenhamos as primeiras vezes erradas, mas sempre teremos outra chance para recomeçar.

O foco não é somente no romance da Lara Jean, sua família é algo integrado em todos os capítulos do livro.Kitty me arranca suspiros e desejos de ser sua irmãzinha, com seu bom humor e amadurecimento durante o livro. Torco para que Jenny Han escreva um spin-off para Kitty, seria algo surpreendente e divertidíssimo.

Terminei “Ps:ainda amo você” querendo mais livros e torcendo para Jenny Han escrever vários sobre a Lara Jean, cuja amizade faria fácil. Doce, fofo, divertido com diálogos leves, criativos e que te farão rir e sorrir a toa.

"Eu sei agora que eu não quero amar e ser amada em pequenas medidas. Eu quero tudo, e para ter tudo você tem que arriscar tudo. "

Nota:★★★★



divulgar

comentar

25 março 2016

Resenha: A Sereia, Kiera Cass

A Sereia
Título: A Sereia
Autora:Kiera Cass
Editora: Seguinte
Ano: 2016
Páginas: 320
Sinopse: Anos atrás, Kahlen foi salva de um naufrágio pela própria Água. Para pagar sua dívida, a garota se tornou uma sereia e, durante cem anos, precisa usar sua voz para atrair as pessoas para se afogarem no mar. Kahlen está decidida a cumprir sua sentença à risca, até que ela conhece Akinli. Lindo, carinhoso e gentil, o garoto é tudo o que Kahlen sempre sonhou. Apesar de não poderem conversar — pois a voz da sereia é fatal —, logo surge uma conexão intensa entre os dois. É contra as regras se apaixonar por um humano, e se a Água descobrir, Kahlen será obrigada a abandonar Akinli para sempre. Mas pela primeira vez em muitos anos de obediência, ela está determinada a seguir seu coração.

Uma menina misteriosa.

O garoto de seus sonhos.
A Água entre eles.

 Vai ser fácil e emocionante falar sobre mais um livro da Kiera Cass. Dessa vez, sem a América e se tratando de um livro único sobre sereias. Momento perfeito para mim, que estou fantasiando meus cabelos haha.Se tiver uma história sobre sereias melhor que essa, eu não quero saber. Li o livro de uma sentada só é só posso dizer que amei cada capítulo, cada desenrolar e o ensinamento.Mas, chega de papo !

 O enredo conta a história de uma sereia especial. A Kahlen era uma jovem sonhadora que durante uma viagem com os pais, viu a sua embarcação ser tombada por um momento estranho e ela foi a única a sobreviver da sua família . Porém, antes que ela tivesse o mesmo fim de seus parentes , foi confrontada por um trio de mulheres lindas,servas da Água, que  a convidaram para se unir a elas, a fim de cumprir determinado chamado. 

"A Sereia” acompanha a vida das garotas salvas pela Água e que em troca dedicam 100 anos de sua vida a esta entidade. Porém, são privadas de sua voz é sempre precisam atender o chamado do mar.

Kahlen é uma protagonista incrível. Ela nasceu em uma época forense da atual, em que era comum sonhar com um casamento , viver um romance de contos de fadas. Porém, ela nunca se acostumou com que era obrigada a fazer de tempos em tempos pela Água . Ela queria ficar  em um só lugar, conhecer alguém, conecta-se , porém nunca se fixava com suas irmãs , temendo serem descobertas .

Kahlen sofre constantemente pelo que faz , todavia quando encontra Akinli e descobre que é possível amar e ser amada, ela se permite arriscar, mesmo sendo silenciosa. Pela primeira vez, sente-se humana depois de anos. Porém, ela não sabe como viver esse amor sem expor o seu maior segredo e trair a Água . Porém, a esperança surge e ela vai se permitir ser afogada por um sentimento único.

Pensei que fosse ainda mais impossível de me apaixonar pela narrativa da Kiera. O mundo das sereias que fugiu da mitologia e dos contos que já conhecemos foi algo da trama que me conquistou bastante, o modo como ela conta a história sobre uma nova perspectiva. 

A historia é maravilhosa. Só em acompanhar o dia a dia das sereias, percebemos que nem só a beleza realmente importa, que viver a vida da maneira que as deixem felizes é realmente mais satisfatório para elas. Só posso dizer que a narração é tocante, a ponto de nos questionar o que faríamos por amor. Se enfrentaríamos a morte e suas consequências por alguém que amamos . Para quem gosta de histórias de amor e leves, com um toque de ficção . Leitura mais que recomendada. Preciso dizer mais ?

Nota:★★★



divulgar

comentar

23 março 2016

Notícias: Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares ganha postêr e data para sair no Brasil

A Fox confirmou para 29 de setembro o lançamento da adaptação de O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares, e o longa realmente ficará com o título alterado, “O Lar das Crianças Peculiares”. Com data de estreia confirmada para para 30 de setembro.
Com direção de Tim Burton, Asa Butterfield será Jacob, Ella Purnell será Emma, Samuel L. Jackson será Barron, e Allison Janney será Dr. Golan, com Eva Green estrelando como Srta. Peregrine.


Confira o trailer legendado:
            


divulgar

comentar

22 março 2016

Notícias:Lauren Oliver divulgou a capa de The Book of Shhh, um extra de sua trilogia Delirium

Lauren Oliver divulgou a capa de The Book of Shhh, um extra de sua trilogia Delirium. O livro já foi mencionado anteriormente nos livros da série e a autora garantiu que haverá passagens inéditas do mundo de Delirium.
O livro traz  estudos de casos, exercícios, invocações, citações, provérbios e informações detalhadas sobre de amor delirios nervosa,  “síndrome” do amor.

Sinopse: O Livro de Shhh, ou de Segurança, Saúde e Felicidade, publicado pelo Centro de Controle e Prevenção da amor delirios nervosa, descreve os perigos desta síndrome. Na sociedade de hoje, graças à cura e à sua aplicação, os nossos cidadãos são mais produtivos e comprometidos com os seus postos de trabalho, organizações políticas e impacto social do que nunca. O livro é destinado a informar a população para que busquem a sabedoria e não se infectem. O livro é uma versão de bolso para que se possa consultá-lo a qualquer momento.
Se você acha que você ou alguém da sua família pode estar infectado, ligue para a linha Nacional de Serviços de Saúde imediatamente e/ou procure os cuidados de um médico profissional.

A editora Intrínseca, responsável pela publicação dos livros da série aqui no Brasil, ainda não se manifestou a respeito da tradução do e-book para português.
Os livros envolvem uma sociedade em que o amor é considerado uma doença fatal que pode ser curada pela ciência. Para tratar o Amor deliria nervosa, o mais mortal dos males, o governo determina que todos os cidadãos se submetam a uma intervenção cirúrgica ao completarem 18 anos. Livres do sentimento, eles passam a ter uma vida perfeita, sem surpresas ou fortes emoções.



divulgar

comentar

21 março 2016

Séries: a 2º temporada de "Daredevil"

Depois de ter passado dois dias me revezando assistindo a segunda temporada de "O Demolidor", me sinto EXTASIADA e nao se preocupem, nao sairá nenhum spoiler grande. Na verdade, só queria RECOMENDAR a série, porque dessa vez foi melhor de um jeito surpreendente.

 Além daquela vibe sombria e misteriosa, a Marvel + Netflix arrasaram na adaptação da HQ !A série começa de onde terminou a primeira temporada. Com a prisão de Wilson Fisk, Matthew Murdock, Foggy e Karen Page tentam seguir em frente com o seu escritorio de advocacia, que nao é lá grande coisa. Matt é advogado durante o dia e a noite veste sua roupa de "Daredevil" enfrentando o crime insistente nas ruas de Nova York, especificamente em Hell's Kitchen. Mas, outro problema surge quando aparece um Justiceiro que começa a enfrentar os criminosos de uma maneira mais agressiva. E logo esse personagem promete muito sangue e ação na série. Estou na torcida para que haja uma série-solo dele.


 Não quero dar mais detalhes da temporada, porque só a presença constante do Justiceiro fará voces pirarem. Temos ainda Elektra, gangues brigando entre si e questionamentos sobre a conduta de Matt. Será que ele precisa ser mais radical e agir com mais agressividade para punir tirando vidas para salvar outras? Esse questionamento entre fazer o certo e o justo é algo constante em todos os episodios.
  Algo notorio é que os personagens secundarios; Foggy e Karen têm presenças marcantes e aparecem mais na série do que na 1 temporada, assumindo importantes funções. A segunda temporada conta com 13 episodios liberados pela Netflix (bendita é a existência) e espero que logo seja confirmado a terceira temporada de "Demolidor" , porque do jeito que acabou.. WTFFFFFFF?! Muito bom ! Sério. MEGA RECOMENDO!
        demolidor_temporada_2_plano_critico


divulgar

comentar

18 março 2016

Resenha: Sob o céu do nunca, Veronica Rossi #1


Sob o Céu do Nunca

Título: Never Sky: Sob o Céu do Nunca
Título Original: Under the Never Sky
Autora:
 Veronica Rossi
Editora:
 Rocco
Ano: 2015
Ano da obra: 2011
Páginas:
 336
Gênero: Ficção científica / Jovem adulto / Fantasia
Sinopse: Primeiro livro da trilogia Never Sky, Sob o céu do nunca segue a tradição dos romances ambientados num futuro distópico – no caso 300 anos após uma catástrofe que devastou a Terra – dominado por um governo autoritário disposto a manter o poder a qualquer preço. E Veronica Rossi, escritora brasileira radicada nos Estados Unidos, criou um universo apaixonante, um mundo perigoso e cruel, mas ao mesmo tempo belo e digno da tradição de Jogos Vorazes e Divergente. A trama acompanha a saga da jovem Aria, ex-moradora de Quimera, um núcleo de civilização protegido por um domo e sem qualquer contato com o mundo exterior, e Perry, um Forasteiro. Opostos em tudo, seus destinos se cruzam numa improvável aliança pela sobrevivência. 

Sou amante de distopias e “Never Sky” é de uma brasileira e já teve seus direitos para adaptação cinematográfica comprados pela Warner. Precisaria de mais motivos para ler? Nenhum. Estes já me bastavam. A leitura começou lenta. Na verdade, eu estava tentando me habituar com o cenário da história e contarei a  vocês o quão complexa é a escrita da Veronica Rossi. Calma, a escrita é leve, simples e fluida, mas todos os elementos são diferenciados e esta distopia não é como nenhuma outra existente.

Em “Never Sky” as pessoas vivem dentro de núcleos de proteção ( Quimera) desenvolvidos para protege-las contra as tempestades de éter ou “loja da morte” que significa o mundo exterior. Dentro da proteção, as pessoas não possuem doenças, nem imperfeições. Todo o corpo humano e a vida é controlada. Porém, uma peculiaridade são os Reinos: ambientes criados por programas para copiar a vida como era antes de serem enclausurados e é neste mundo que vive Ária.
As pessoas que vivem fora da Quimera, sofreram mutações durante as adaptações novas do mundo, sendo chamados de selvagens. Dai, conhecemos o Peregrine ou Perry, um selvagem que tens dons olfativos, ou seja, ele pode sentir o cheiro dos sentimentos, emoções ao seu redor, além de ser vidente no escuro.

“A tristeza é assim. Escura e densa, como uma rocha. Como se o cheiro estivesse emanando de uma pedra molhada”

Quando Ária, uma ocupante dos núcleos resolve ir junto com colegas para explorarem uma cúpula que se encontra com defeito.Porém , nada sai como o planejado e um incêndio acaba tirando a vida de 3 dos 5 jovens que ali estavam. Ária é salva por Perry , todavia acaba levando a culpa pelo que aconteceu e é expulsa da proteção do núcleo, sendo jogada para o mundo exterior, sozinha e ainda a procura da sua mae.

Sob o céu do nunca nos apresenta a dois mundos totalmente opostos: um em que a tecnologia é exacerbada, podendo prolongar a vida de um ser humano e outro mundo, em que tudo é arcaico.

“Eles se aproximaram como se alguma força invisível os impulsionasse na direção um do outro. Ária olhou para as mãos que se entrelaçaram, sentindo a sensação do toque dele. Um toque morno e calejado. Macio e áspero ao mesmo tempo. Ela absorveu o terror e a beleza dele e de seu mundo. De todos os momentos vividos nos últimos dias. Tudo isso a preenchendo, como se fosse o primeiro sopro de ar a encher seus pulmões. E ela jamais amara tanto a vida”

Ao ter sua vida salva por Perry, Ária tem um destino inesperado e vê-se sozinha e sem saber sobreviver as adversidades fora da sua zona de conforto. E é nisso, que surge o Perry novamente ajudando-a encontrar sua mãe e um inevitável romance surge. Lumina, mae de Ária, é uma geneticista responsável pelo estudo que pretende curar essa síndrome nos habitantes dos núcleos e para isso, ela usa crianças selvagens para estudá-las, para que seja possível recuperar o instinto de sobrevivência dos selvagens.

“E por que sentir dor, se não é preciso? Por que sentir a força do medo, se não há perigo de se ferir? Nós enfatizamos o que julgamos bom e removemos o ruim. Esses são os Reinos, como você os conhece. “Melhor que real”, como eles dizem.

Confesso que não esperava muito. Achava que a capa do livro já tinha me repelido o suficiente e o titulo não me chamava para a historia, entretanto acabei gostando muito do primeiro livro da trilogia depois das primeiras 100 páginas, em que a história começou a andar mais rápido. Com uma linguagem fácil, temas complexos, enredo bem desenvolvido e personagens cativantes.

Cronologia da série:
Never Sky: Sob o Céu do Nunca (Under the Never Sky, 2011)
Through The Ever Night (2013)
Into The Still Blue (2014)
 Nota:★★★


divulgar

comentar

15 março 2016

Resenha:O Grande Gatsby,F. Scott Fitzgerald


O Grande Gatsby

Título: O Grande Gatsby
Autor: F. Scott Fitzgerald
Editora: Cia das Letras
Páginas: 256
Ano: 1925
Gênero: drama clássico
Sinopse:
Nos tempos de Jay Gatsby, o jazz é a música do momento, a riqueza parece estar em toda parte, o gim é a bebida nacional (apesar da lei seca) e o sexo se torna uma obsessão americana. O protagonista deste romance é um generoso e misterioso anfitrião que abre a sua luxuosa mansão às festas mais extravagantes. O livro é narrado pelo aristocrata falido Nick Carraway, que vai para Nova York trabalhar como corretor de títulos. Passa a conviver com a prima, Daisy, por quem Gatsby é apaixonado, o marido dela, Tom Buchanan, e a golfista Jordan Baker, todos integrantes da aristocracia tradicional. 

Na raiz do drama, como nos outros livros de Fitzgerald, está o dinheiro. Mas o romantismo obsessivo de Gatsby com relação a Daisy se contrapõe ao materialismo do sonho americano, traduzido exclusivamente em riqueza. 
Aclamado pelos críticos desde a publicação, em 1925, O grande Gatsby é a obra-prima de Scott Fitzgerald, ícone da “geração perdida” e dos expatriados que foram para a Europa nos anos 1920.

Já faz algum tempo que ando querendo ler O Grande Gatsby , principalmente depois do filme que o Leonardo Dicaprio fez em 2013. A história retrata a sociedade da época. Em 1920, a classe média alta americana era bem fútil. Festas, jantares, casamentos, tudo girava em torno do dinheiro.

E é nesse contexto que Jay Gatsby pretende conquistar o grande amor de sua vida. A história não é somente interessante por se tratar das futilidades das pessoas, mas uma crítica social ao ser humano daquela época, durante a Primeira Guerra Mundial.

“Nenhuma quantidade de fogo ou de frescor podia competir com aquilo que um homem é capaz de armazenar no seu coração fantasioso.”
                                                          
                                                  
 A linguagem é rebuscada, mas muito difícil de entender, pois o livro é narrado por um amigo de Gatsy, Nick que quer entender como foi a fama de Gatsy. Logo, também entendendo todas as formas para conquistar Daisy, que inicialmente não o aceitava pela sua condição social e por não ter prestígio social. Entre os personagens secundários, temos Daisy, uma mulher que não me conquistou e que não merece o esforço do Gatsy, além do seu marido Tom, que é tão esnobe e fútil quanto sua mulher.

O interesse é que a narração é feita por Nick , que não é um personagem importante para o desenvolvimento da trama, ele só é um observador e relator da vida do personagem principal.

“Eu não podia perdoá-lo nem voltar a gostar dele, mas via que o que tinha feito era inteiramente justificável a seus próprios olhos. Eles eram gente descuidada. Quebravam e esmagavam coisas e criaturas... e, então, se entrincheiravam atrás de seu dinheiro ou se escondiam por trás de sua vasta falta de cuidado ou seja lá o que fosse que os mantinham juntos, enquanto deixavam que outras pessoas limpassem a sujeira que haviam feito...” 

A leitura é um clássico, mas que permanece atual devido a suas referências e o quanto ensina que temos que quebrar a cara muitas vezes no amor , na vida pessoal, profissional para crescermos , deixando a angústia de lutar por alguém que não nos dá o merecido valor.

Leitura obrigatório para aqueles dias que queremos ler um clássico para aprendizado e crescimento pessoal .

Nota:★★★


divulgar

comentar


Cinema: Liberado primeiro trailer de "O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares

poltrona-orfanato-peregrine-filme

A FOX liberou hoje o primeiro trailer do filme O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares, adaptação ao cinema do livro de Ransom Riggs, dirigida por Tim Burton. A trama acompanha Jacob, um garoto de 16 anos que viaja para a costa do País de Gales, onde ele descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares. A medida que Jacob explora seus quartos e corredores abandonados, torna-se claro que as crianças que viveram aqui, um dos quais era seu próprio avô, eram mais do que apenas peculiares.

O elenco é formado por Eva Green, Asa Butterfield, Ella Purnell, Chris O’Dowd, Allison Janney, Terence Stamp, Kim Dickens, Rupert Everett, Judi Dench e Samuel L. JacksonO Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares estreia em 30 de setembro nos EUA.
Nao vejo a hora de ler os dois primeiros livros lançados pela Editora Intrínseca no Brasil.

      


divulgar

comentar

12 março 2016

Resenha: A Menina da Neve ,Eowyn Ivey


A Menina da Neve

Título: A Menina da Neve
Autora: Eowyn Ivey
 Páginas: 352 
Editora: Novo Conceito
Ano: 2015
Gênero:Literatura Estrangeira / Drama / Fantasia
Sinopse: Alasca, 1920: um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando cada vez mais um do outro. Em um dos raros momentos juntos, durante a primeira nevasca da temporada, eles constroem uma criança feita de neve. Na manhã seguinte, a criança de neve some. Dias depois, eles avistam uma criança loira correndo por entre as árvores. Uma menina que parece não ser de verdade, acompanhada de uma raposa vermelha e que, de alguma formam consegue sobreviver sozinha no frio e rigoroso inverno do Alasca. Enquanto Jack e Mabel se esforçam para entender esta criança que parece saída das páginas de um conto de fadas, eles começam a amá-la como se fosse sua própria filha. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam, e o que eles aprenderão sobre essa misteriosa menina irá transformar a vida de todos.
Ganhei o livro da minha irmã e depois de ter ganhado o marcador maravilhoso da Editora Novo Conceito, me arrependi amargamente de não ter pedido na época o livro. Porém, “A menina da neve” acabou caindo nas minhas mãos e a leitura foi boa, porém nada que me fizesse reler o livro ou recomendar muito a leitura. Na verdade, este é aquele livro que divide leitores, no caso, também me dividiu.

A Menina da Neve é um livro inspirado em um conto de fadas russo chamado Snegurochka. Inicialmente conhecemos Mabel e Jack, um casal de meia idade que mudaram-se para o Alasca depois que perderam o bebe que era muito desejado por ambos, mantendo a dor silenciosa depois disso.

Jack passava seus dias no campo, Mabel cuidava da casa e lia muito, até desenhava de vez em quando. Um inverno rigoroso, um casal pobre e um lar simples. Jack luta para conseguir comida e manter os dois. Porém, em meio as dificuldades, Jack e Mabel constroem um boneco de neve, colocando luvas, cachecol, desenhando e modelando o rostinho do que seria uma menina.

No dia seguinte, percebem que tudo sumiu: os acessórios, o boneco e avistam uma garotinha loira correndo, acompanhada de uma raposa vermelha na floresta. Uma menininha surgiu na vida do casal e tudo mudará.
     

O livro me deixou mais intrigada do que esperava. Para mim, foi além de uma história, um conto de fadas que mexeu com a realidade. Escrito com delicadeza e querendo chocar o leitor, questionando se ela era existia ou era  fruto da dor e pesar do casal de idosos. 

Não terminei a historia rapidamente, mas acredito que algumas pessoas possam gostar do conto em si, da mistura dos desejos, da dor, da realidade. No final, a história muda inesperadamente e foi o final que não pude gostar 100 %.  Lembrando que o livro foi finalista do prêmio Pultizer, um dos mais conceituados da literatura mundial.

 Nota:★★★


divulgar

comentar

11 março 2016

Notícias: gladiadores do século




Novo pôster que demonstra a maior luta de gladiadores do século !


divulgar

comentar


Notícias: novo pôster de X- men Apocalipse


 Saiu o novo poster de X-men: Apocalipse, com Jennifer Lawrence DIVA e Evan Peters. Preparado para dia 27/05?


divulgar

comentar

10 março 2016

Notícias: Foi divulgada a sinopse de Empire of Storms, quinto volume de Trono de Vidro

Foi divulgada a sinopse de Empire of Storms, quinto volume de Trono de Vidro, de Sarah J. Maas, com lançamento confirmado para setembro nos EUA.

Aqui, a Galera Record deve publicar Rainha das Sombras, o quarto livro da série, em março. 
Confira sinopse traduzida:

O longo caminho para o trono tem apenas começado para Aelin Galathynius. Lealdades foram quebradas e compradas, amigos se perderam e se somaram, e aqueles que possuem magia encontram-se em desacordo com aqueles que não a tem. A medida que os reinos de Erilea se racham ao seu redor, inimigos precisam tornar-se aliados se Aelin quiser manter aqueles que ama de cair nas trevas que está prestes a reivindicar o seu mundo. Com a guerra iminente em todos os horizontes, a única chance de salvação se encontra em uma busca desesperada que poderá marcar o fim de tudo o que Aelin preza.



divulgar

comentar


Música: Braza - Embrasa


Saindo do forno o novo projeto do Danilo Cutrim, Vitor Isensee e Nícolas Christ, todos ex-Forfun. Braza parece manter a mesma pegada musical do Forfun, e novamente trazendo as grandes mudanças de cada álbum.
Sob a direção de Thiago Calviño, sai o primeiro clipe da banda, acompanhem Embrasa:


"E eu vou pra Maracangalha, bailar depois da batalha"
http://braza.com.br/


divulgar

comentar

08 março 2016

Resenha:Os escolhidos - The 100 #1 - Kass Morgan


Os Escolhidos

Título: The 100 - Os Escolhidos
Título Original: The 100
Autor(a): Kass Morgan
Editora: Galera Record
Ano: 2014
Páginas: 288  
 Sinopse: Desde a terrível guerra nuclear que assolou a Terra, a humanidade passou a viver em espaçonaves a milhares de quilômetros de seu planeta natal. Mas com uma população em crescimento e recursos se tornando escassos, governantes sabem que devem encontrar uma solução. Cem delinquentes juvenis — considerados gastos inúteis para a sociedade restrita — serão mandados em uma missão extremamente perigosa: recolonizar a Terra. Essa poderá ser a segunda chance da vida deles... ou uma missão suicida.

Viciei em The 100 a mais de um ano atrás quando a série começou pela nova MTV, logo depois me vi comprando o livro da Galera Record, lendo-o recentemente só para compara-lo a série, mas se você pensa que o livro tem algo em comum com a série, esqueça. Tudo na série é mais rápido e melhor desenvolvido.

The 100 se passa em um futuro pós-apocalíptico, onde a Terra foi dizimada por uma guerra nuclear e os poucos que sobreviveram embarcaram em uma nave para orbitar sobre o planeta, até que fosse habitável novamente. Essa nave se subdivide em três estações: Phoenix, Arcadia e Walden. Phoenix representa a Capital, onde vivem as classes mais ricas, sem precisar de racionamento de alimentos. Arcadia e Walden fazem parte do subúrbio, sofrendo pela falta de alimentos e agua necessários a sua sobrevivência, negligenciados.

Se você desobedecer as regras da nave, será punido e levado a execução. Os menores de 18 anos vão para o Confinamento até que atinjam a maioridade, podendo ser absolvidos ou condenados a morte. A nave ultimamente tem passado por problemas e o oxigênio está tornando-se escasso, trazendo risco a toda a raça humana.
Logo, o conselho decide enviar 100 jovens delinquentes para a Terra, numa tentativa de reabitar o planeta e condena-los.

Ao pousar, os 100 já foram reduzidos e contavam com muitos feridos, sendo que parte dos mantimentos foi destruída ou perdida na queda. Clarke assume o papel de médica, pois sua melhor amiga, Thalia, está muito doente e os remédios que foram perdidos poderiam salva-la. Bellamy é o caçador para 90 pessoas. Wells tenta ser o pacificador, sem controlar tudo,mas sem muita ordem , pois os jovens o consideram culpado assim como seu pai pelas suas condenações.

Não gostei tanto quanto a série, mas Clarke continua sendo minha personagem favorita, assim como Bellamy e aquela atração poderosa entre os dois. A ação está presente, mas por vezes deixa a desejar. Temos a formação de um triangulo amoroso com Welly, Clarke e Bellamy.

Cada capitulo tem narradores diferentes, contando com flashbacks para compreendermos quais ações os levaram a condenação: Clarke, Bellamy, Wells e Glass. A parte de Glass buscando o namorado perdido foi chato e por mim, uma narrativa desnecessária.

Octavia é uma personagem que me divide, já que sendo uma das mais novas , ela não sabe muita coisa, mas na série ela brilha como ninguém. Eu recomendo mais a série do que o livro, porém, para aqueles que querem saber as duas versões, o livro não é de todo ruim.

 Nota:★★★


divulgar

comentar

05 março 2016

Notícias: divulgada novas imagens de "O ORFANATO DA SRTA. PEREGRINE PARA CRIANÇAS PECULIARES”

Foram divulgadas as primeiras imagens oficiais de “O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares,” adaptação do livro homônimo escrito por Ransom Riggs, com data de estreia confirmada para para 30 de setembro.


Com direção de Tim Burton, Asa Butterfield será Jacob, Ella Purnell será Emma, Samuel L. Jackson será Barron, e Allison Janney será Dr. Golan, com Eva Green estrelando como Srta. Peregrine.

Publicado pela LeYa, o livro, primeiro de uma saga jovem adulta que mistura fantasia e horror, escrito por Ransom Riggs, inicia com Jacob explicando que sua infância foi repleta de contos fantásticos contados por seu avô, Abe. Desde guerras à monstros e crianças que levitam, o garoto sempre acreditou que seu avô foi um grande aventureiro e seu maior sonho era seguir os passos do herói. Porém, com a idade, vem a sabedoria, e pouco a pouco Jacob vai descobrindo que tudo não passava de histórias inventadas e que as fotografias que seu avô tanto lhe mostrava não eram nada mais que efeitos para enganar criancinhas bobas. Mas talvez, só talvez, o desvairado da história não seja Abe, e Jacob vai descobrir isso da pior maneira possível. ( Fonte: Livros e Citações)


divulgar

comentar


Notícias: novo livro de Colleen Hoover, It Ends With Us

Colleen Hoover revelou a capa de seu novo livro, It Ends With Us, com lançamento confirmado para agosto, porém ainda sem sinopse oficial.
Com diversos títulos publicados até o momento, dentre eles Métrica, Pausa, Essa Garota, Um Caso Perdido e Sem Esperança, Colleen é um dos maiores nomes do gênero literário Novo Adulto, e seu livro Ugly Love já está em processo de adaptação para os cinemas.
Quem ai já adicionou mais esse livro a lista? Esperando ansiosamente a sinopse.


divulgar

comentar

03 março 2016

Séries: 11.22.63

Há três semanas atrás estreou a minissérie 11.22.63, inspirado no livro de Stephen King de mesmo titulo, contando como ator principal James Franco, que interpreta um professor de ensino médio Jake Epping (James Franco), viaja de volta no tempo para prevenir o assassinato do presidente John F. Kennedy. Porém, sua missão é ameaçada por Lee Harvey Oswald, pelo próprio passado que não quer ser modificado e pelo fato de ele se apaixonar.
                                              
Composta por 8 episódios, distribuídos semanalmente e que podem ser assistidos online.Sempre achei que as histórias de Stephen King mereciam boas adaptações, com atores dignos de tempo e que se aprofundassem nos seus personagens. James Franco está incrível como Jake e sua missão, por mais louca que pareça. Atualmente, estamos no 3 episodio, mas a série passa longe de ser entendi ante, e sim interessante, com todo o contexto da época. É FANTÁSTICA !


Fãs do autor. Fãs de suspense. Fãs de História :]

             


divulgar

comentar

02 março 2016

Resenha:Um ano inesquecivel - Babi Dewet, Thalita Rebouças, Bruna Vieira e Paula Pimenta


Um Ano Inesquecível

Título: Um Ano Inesquecível
Autoras: Babi Dewet, Bruna Vieira, Paula Pimenta, Thalita Rebouças
Editora: Gutenberg
Páginas: 400
Gênero: Contos
Sinopse: Dizem por aí que os melhores momentos da vida são vividos na adolescência. Os primeiros amores, os encontros, as festas, as viagens, as surpresas… E são sempre os instantes inesperados que transformam um dia comum em uma lembrança especial, daquelas que nunca deixarão de nos acompanhar.
Este é um livro sobre esses momentos doces e sensíveis que não se apagam da memória tão facilmente. Quatro contos, em quatro estações do ano, sobre jovens que passam por vivências e sentimentos intensos. Paula Pimenta nos leva em uma viagem de inverno. Babi Dewet conta como um outono pode mudar tudo. Bruna Vieira mostra a paixão brotando com a primavera. E Thalita Rebouças narra um intenso amor de verão. Histórias de um ano inesquecível que vão ficar para sempre!


Paula Pimenta, Babi Dewet, Bruna Vieira e Thalita Rebouças Juntas? Sim ! Esse foi o livro que infelizmente tive que adiar para le-lo melhor .E posso dizer mesmo no comecinho dessa resenha, que minhas autoras nacionais estão juntas para formar um livro de contos incríveis.

 A ideia do livro foi fazer um conto sobre cada estação do e depois de ler, notei que cada autora escreveu sobre uma estação que é a cara delas, logo sendo totalmente original e único a sua forma.

"O colorido que tinha tomado conta da paisagem nos últimos dias havia empalecido novamente."

Enquanto a Neve Cair é o primeiro conto do livro e é da Paula Pimenta que nos apresenta Mabel, uma adolescente que está apaixonada por alguém que não dá nenhum cabimento para ela, mas que acredita que o beijo que deram antes significou algo. Todavia, quando surge uma oportunidade dela fazer uma viagem em turma e que o garoto estaria, sua família preparou uma viagem para o Chile e a menina não poderá ficar com os amigos. E neste inverno, ela vai conhecer e se surpreender com tudo o que acontecerá naquele lugar.

 Mabel foi a personagem que mais me deixou entediada. Para ser sincera , entendo os quase 15 anos dela, mas ela é totalmente mimada e criança.Suas atitudes eram infantis e por vezes, egoístas, sempre se achando a certa na historia, mas com o passar o enredo finalmente ela começa a amadurecer.

"Todas as vezes que ela aparecia, estava correndo atrasada e apenas sorria, acenava ou deixava algum dinheiro no seu pote."

 O segundo conto é  O Som dos Sentimentos, da Babi Dewet. Nele conheceremos João Paulo de 19 anos e Ana Júlia de 17. Ele faz faculdade de Música e ela está no Ensino Médio , mas fazendo estágio em um escritório de advogacia. Ela odeia que começem a cantar a musica de Los Hermanos para ela. E Joao Pedro é uma dessas pessoas que cantou e de uma forma estranha eles passam a se conhecer. Primeiro, pela troca de olhares e esse outono promete ser regado de muita musica e muito amor. Foi definitivamente um dos meus contos favoritos. Nada no romance era forçado, nem as ações e nem as emoções. Foi tudo quase real para mim.

"Eu queria provar a eles que conseguia me virar sozinha."

A Matemática das Flores foi um dos contos mais fofos e talvez diferentes da  Bruna Vieira. A historia de Jasmine, uma menina que está terminando o Ensino Médio e que a matemática é um monstro de 7 cabeças para ela passar de ano.

 Sua mãe é dona de uma floricultura e por isso, seu nome é a flor favorita da mae dela . E por odiar seu professor de matemática e fazer uma piada, ela fica de castigo por algumas aventuras. Seu último ano contará  com umas meninas implicantes por causa do seu cabelo cacheado, os pais a pressionando para passar de ano e de vestibular, seu ódio por matemática e talvez com um novo amor. O cara será seu monitor e muitos números estarão presentes nessa aula.

 Eu amo a Bruna e talvez esse tenha sido um dos melhores contos do livro. Algo que adorei foi mencionar os cabelos cacheados e ainda mais coloridos, pois agora posso me identificar totalmente com a questão.

"- Eu acredito no seu amor. Eu amo o seu amor."

O último conto é  Amor de Carnaval, da Thalita Rebouças e logo é o mais divertido, já que somos apresentados a um trio inesquecível : Inha, Kaká e Tati, três amigas inseparáveis que foram para Búzios passar o Ano Novo e tornaram-se fofoca. Inha foi largada pelo namorado e só queria um amor de cinema, ser famosa. A Kaká queria um príncipe , mas foi trocada por um cavalo. Tati queria ser famosa, muito e por seu irmão começar a namorar a funkeira do momento, a Keilinha Kero-Kero-, logo tornou-se a cunhada mais seguida das redes sociais. As três vao  aproveitar o Carnaval carioca de camarote e Inha pode conseguir um amor de carnaval. Mas , será que vai durar?

 A narrativa de Thalita é a mais divertida e rápida. Adorei a autora ter abordado sobre esse amor de carnaval, que pode durar ou não, dependendo de cada um, mas deu logo para perceber a personalidade divertida da Thalita.

O fato de ter quatro escritoras, com estilos diferentes, escrevendo sobre estações do ano e personagens  opostos um do outro é o que diferencia o livro de contos dos demais. Você pode se identificar mais com um do que com outro e logo, se envolver e ri com a escrita.

 Todas as autoras nos divertem e nos ensinam de maneiras diferentes: Paula Pimenta nos mostra que podemos amadurecer, Babi Dewet nos que é normal estarmos um tempo perdidos e depois nos encontrarmos, Bruna Vieira nos ensina a enfrentar nossas dificuldades e lutar para supera-las e Thalita Rebouças nos diverte com um amor de carnaval, que pode durar outras estações.



divulgar

comentar