• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
29 junho 2018

Resenha: Mais forte que o sol #2, Julia Quinn






Livro: Mais Forte Que o Sol (Irmãs Lyndon #2)

Autor(a): Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Ano:2018
* Livro cedido através da parceria com a editora

Sinopse:Quando Charles Wycombe, o irresistível conde de Billington, cai de uma árvore – literalmente aos pés de Elllie Lyndon –, nenhum dos dois suspeita que esse encontro atrapalhado possa acabar em casamento. Mas o conde precisa se casar antes de completar 30 anos, do contrário perderá sua fortuna. Ellie, por sua vez, tem que arranjar um marido ou a noiva intrometida e detestável de seu pai escolherá qualquer um para ela. Por isso o moço alto, bonito e galanteador que surge aparentemente do nada em sua vida parece ter caído do céu. Charles e Ellie se entregam, então, a um casamento de conveniência, ela determinada a manter a independência e ele a continuar, na prática, como um homem solteiro. No entanto, a química entre os dois é avassaladora e, enquanto um beijo leva a outro, a dupla improvável descobre que seu casamento não foi tão inconveniente assim, afinal...



 Mais Forte que o Sol | @editoraarqueiro | @juliaquinnauthor | 4🌟

Ellie Lyndon é uma solteirona independente que vive com o pai e sua futura madastra, que está fazendo da sua vida um inferno. Porém, alguém simplesmente cai da arvore: um conde desesperado para se casar e caindo de bêbado aos seus pés. Charles Wycombe precisa casar dentro de quinze dias ou perderá o direito á herança;Claro que esse casamento por conveniência seria a solução do problema dos dois, porém Charles quer consumar o casamento, enquanto Ellie só pensa em fugir disso. Todavia, o desejo e alguns sentimentos conflitantes começam a surgir.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Mais Lindo Que A Lua foi um livro que deixou a desejar para mim. Porém, Mais Forte Que o Sol mostrou o quanto Julia Quinn amadureceu, apesar de ser um dos primeiros livros dela.

 Ellie Lyndon é bem diferente da sua irmã: determinada, inteligente, afiada e espirituosa. Já Charles,o Conde de Billington, é charmoso, libertino, porém irritável ao extremo. Aos poucos é possível acompanhar seu crescimento e criar empatia, visto que ela planejou sua vida antes mesmo de um marido cair no seu colo de forma inesperada.

“— A senhorita soa experiente nessa questão.— Costumo resgatar todo tipo de animal ferido. Cães, gatos, pássaros…— Homens — completou ele. — Não. O senhor é o primeiro. Mas não imagino que seja muito diferente de um cachorro.”

Mais Forte Que o Sol conta com personagens ousados antes e depois do romance começar, explorando suas personalidades logo no início. O que me atraiu logo de primeira foi a forma que eles se conheceram e o motivo pelo qual eles resolveram se casar, mesmo sabendo que não haveria possibilidade de amor naquele caso.

“Sempre pensei que era da cor do pôr do sol, mas agora percebo que estou errado. – Então pegou uma mecha e levou-a aos lábios. – Ele brilha mais. Brilha mais do que o sol. Assim como você.”

Nesse livro, duas pessoas com concepções diferentes de casamentos estão juntas por interesses individuais, mas à medida que estão casados, vão descobrindo novas coisas a partir da convivência.
O romance é gradual, conquistado aos poucos e até pareceu real. A relação deles é explosiva, 
divertida e honesta.Ellie e Charles tem diálogos maravilhosos, de arrancar risadas mesmo. Ambos com personalidades forte e desafiadoras.Eu adorei conhecer a Julia Quinn construindo um enredo com personagens pura ousadia & alegria. Mas, se você, assim como eu, não gostou do primeiro livro, por favor, dê uma chance ao segundo da duologia "Irmãs Lyndon", pois esse me conquistou!

“Ellie nunca beijara um homem antes, mas podia ver que ele era um especialista no assunto. Ela não tinha ideia do que fazer; ele sabia demais.”

Nota:★(4/5)


divulgar

comentar

27 junho 2018

Resenha: Bela Gratidão, Corey Ann Haydu


























Título:BELA GRATIDÃO
Autora: Corey Ann Haydu
Editora: Galera
Ano : 2017
Sinopse:Um romance sobre amadurecimento e a dureza de crescer em uma cultura que exige das mulheres nada menos que a perfeição. Corey Ann Haydu explora as complexidades da família, os limites do amor e quão duro é crescer em uma cultura que premia a beleza acima de qualquer outra coisa e cobra das mulheres nada menos que a perfeição. Uma leitura atual que dialoga direta e honestamente com a multiplicidade de questões enfrentadas por adolescentes e jovens no mundo todo – a confusão do primeiro amor, os dramas familiares e a construção da própria identidade no meio de toda essa loucura. O livro está cheio de personagens realistas, que tropeçam nos próprios medos e cometem erros com alguns dos quais é impossível não se identificar. Montana e sua irmã Arizona têm um pacto desde que a mãe as deixou: São elas duas contra todo o mundo. Com o pai sempre imerso em relacionamentos tóxicos e uma sucessão de madrastas essa foi a maneira que encontraram de seguir em frente. Mas agora que Arizona foi para a faculdade Montana se sente deixada pra trás e perdida, mergulhando em uma amizade vertiginosa e empolgante com a ousada Karissa. No meio disso tudo, Montana encontra uma distração em Bernardo. Resta saber se Montana têm a confiança necessária no que sentem um pelo outro para encaixar Bernardo na sua vida imperfeita.



“Não pense no que vem depois, se ainda estamos fazendo o agora.”

Montana é uma garota de 17 anos que está vivendo um drama familiar:sua irmã mais velha, Arizona, está indo para faculdade e ela percebe que a distância das duas vai além do que ela esperava. Além disso, Montana conhece Karissa, sua mais nova melhor amiga e também  mais velha,  que a apresenta as loucuras adolescentes: baladas, bebida e uma liberdade desenfreada. O pai de Montana é um renomado cirurgião que a cada dia tem uma namorada diferente e quando fala as suas filhas que ele está em uma nova relação, o choque das meninas não poderia ser maior, sobre quem será a nova madrasta.

A leitura foi rápida e fluida, porém faltou aprofundamento e consequências em alguns temas abordados.Talvez por a história ser longa demais, acaba citando muita coisa, mas desenvolvendo pouco o que realmente seria importante. Um tema abordado foi a ditadura da beleza e até que gostei da forma irônica que foi discutido. Porém, a autora investiu tempo demais invertendo papeis e isso me irritou.

“Eu passo tanto tempo pensando no que há de errado comigo, me perguntando por que eu não sou uma irmã boa o suficiente ou amiga ou filha ou pessoa, que a ideia de ser boa é um pouco insuportável.”


Bela Gratidão é um livro dramático com personagens que podem te cativar como também irritar. 

Narrado por Montana e compartilhando o seu diário de gratidão , ela mostra suas fragilidades e dificuldades em ser adulta depois de todos os dramas que está vivendo. Logo foi uma das coisas que mais gostei dela: esse lembrete sutil do quanto as pequenas coisas são importantes.Todavia, Bela Gratidão tem um título chamativo, uma capa charmosa, porém deixou a desejar.




divulgar

comentar

25 junho 2018

Resenha: O que o sol faz com as flores, Rupi Kaur


O Que o Sol Faz Com as Flores 💐 | Rupi Kaur 💛@planetadelivrosbrasil  🌟⠀

Rupi Kaur traz belos poemas que tocam no fundo da alma. Sobre amor, autoaceitação, sobre cair e se levantar aos poucos. !


🌻 Nesse segundo livro, a escrita da autora está cada vez mais inspiradora e cativante. A obra é dividida em cinco partes: murchar, cair, enraizar, crescer e florescer , abordando o amadurecimento da mulher . Com uma comparação natural , Rupi contextua amor não correspondido,aceitação de si mesmo , criticando o padrão de beleza imposto pela sociedade. No meio da dor, sofrimento de algumas situações, ela ainda homenageia sua mae, assim como enfatiza a sorosidade, união das mulheres contra o machismo.
"se não formos gentis uns com os outros como é que vamos ser gentis com o desespero que mora em nós mesmos."

️ O Que o Sol Faz Com as Flores é tão tocante quanto o primeiro, tão verdadeiro e tão real, mostrando que poucas palavras descrevem um sentimento e uma situação. Um amor pelo livro e mais ainda por si mesma. Rupi tem a capacidade de amenizar um soco forte depois de dado.

🌻 Ler este livro faz você pensar na vida, questionar as escolhas que faz todos os dias, além de tomar conhecimento de algo que normalmente não se importaria. Rupi abre seu coração novamente e escreve com amor, ilustra com o coração e encanta o leitor.
Uma experiência linda, energizante e enriquecedora. Mal posso esperar por mais da autora. Rupi é a poesia viva e segundo ela, devemos encontrar nosso sol e cultivar nossas próprias flores!💛⠀

você era meu
e minha vida era plena
você não é mais meu
e minha vida
é plena





divulgar

comentar

21 junho 2018

Resenha: Warcross #1, Marie Lu






















Título:Warcross (Warcross)
Autora: Marie Lu 
Editora: Editora Rocco
Ano: 2018


Emika Chen é uma hacker adolescente que precisa de dinheiro urgentemente ou será despejada.Ela também trabalha como caçadora de recompensas de apostadores ilegais do Warcross, um jogo de realidade virtual criado pelo jovem gênio Hideo Tanaka.
Louca para pagar suas dívidas, Emika entra no jogo, porém ao invadir o sistema para roubar um objeto, ela acaba sendo pega, sendo exposta para milhares de pessoas no jogo.Porém, não sabe ela que receber uma ligação de Hideo Tanaka será o inicio de uma proposta de emprego inesperada.

“Toda porta trancada tem uma chave. Todo problema tem uma solução."

Eu amei muito esse livro! Nem sei dizer o quão imersa estava no universo criado pela Marie Lu. Apesar de não ser do mundo dos games, o universo altamente tecnológico foi enlouquecedor. As descrições, a atmosfera e o avanço tecnológico deste livro eram tão complexos que senti como se estivesse assistindo a um filme em minha mente, ao invés de ler as páginas. Tantas cores, artes e experiencias.


"É difícil descrever a sensação de perda para alguém que nunca a vivenciou, impossível explicar todas as formas como ela muda você. Mas, para quem já passou por isso, nenhuma palavra é necessária."
💬 “Warcross” com toda certeza entrou para a lista de melhores livros de ficção cientifica do ano ! Um enredo que prende, joga e brinca com o leitor. Com uma pitadinha de romance, sem exageros e reviravoltas inesperadas e de bônus mistérios a serem desvendados.
 
💬 Além de contar com uma protagonista maravilhosa, temos uma diversidade de personagens. Emika foge dos padrões: uma garota durona , com cabelo arco-íris, tatuagens, um skate e uma história de vida triste. Com suas habilidades de hacker, ela trabalha como caçadora de recompensas, além de manipular os mundos virtuais de Warcross.


💬 Marie Lu está controle do jogo ao construir personagens falhos, mas que despertam a camaradagem, a esperança e a aceitação.A inclusão sutil da diversidade aqui é incrivel: personagens são completamente diferentes, mas com muita representação de etnias, LGBT e deficiências que contribuem para um grupo espetacular. Eu não consigo expressar o quanto foi essencial ler sobre essa diversidade na ficção.

Existem algumas grandes reviravoltas, uma das quais eu suspeitava e uma que me surpreendeu completamente, mas a história é digna de favoritar. Uma emocionante ficção científica/distópica, excitante e fantastica.

💬 Warcross é uma surpresa tão, mas tão boa, que mal posso esperar pela sequencia. Dedos cruzados para que ainda saia esse ano, por favor.Para fãs de games, fantasia, nerd Se você é fã de jogos, fantasia, cultura nerd ou se gostou do que eu comentei até aqui, não deixem de ler este livro


divulgar

comentar

20 junho 2018

Resenha: Aos dezessete anos, Ava Dellaria

























Título:Aos Dezessete Anos
Autora: Ava Dellaira
Editora: Seguinte
Gênero: Literatura Estrangeira / Romance
Página: 448 

Às vezes é preciso acreditar em alguma coisa, agir como se fosse verdade, para que de fato seja.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Com dezessete anos, Marilyn teve que morar em Los Angeles, para atuar no meio artístico, por influencia da mae. Porém, sua verdadeira paixão era a fotografia. Nesse novo lugar, ela conhece James, seu vizinho por quem se apaixona. O romance entre eles é rápido e intenso, resultando em criar sua filha sozinha.

Também na mesma idade, Angie não sabe muita coisa sobre seu pai, só que ele morreu em um acidente de caarro antes dela nascer. Porém, ao encontrar uma foto Marilyn e James, seu suposto pai, Angie decide ir em busca da verdade sobre si e se há alguma chance dele estar vivo.

📝 Com uma escrita leve, doce e tão inspiradora, Ava constrói uma história tocante e emocionante sobre o amor maternal e justiça social. É um livro mais fluido que Cartas de amor aos mortos. Sobre autoconhecimento, identidade e libertação,com uma mensagem linda e sensível, Ava quebra meu coração quando menos espero. 💜

Narrado em terceira pessoa sob dois pontos de vistas diferentes e em épocas distintas, conhecemos Marilyn e Angie, mãe e filha, que tiveram suas vidas mudadas aos dezessete anos. Enquanto Marilyn viveu um romance inesperado e avassalador com James, coisas aconteceram que a fizeram criar sua filha sozinha.

Eu amei tanto esse livro: por ser mãe e filha, por mostrar esses dois pontos de vista, por relatar o choque de realidade , a injustiça social. Enquanto Marilyn é branca e loira, James é negro. Ava Dellaira transmite o privilégio que os brancos tem. E se você acha que preconceito racial atualmente é coisas de livro, está muito enganado. Tudo o que acontece com James e Angie, ambos negros, é algo frustrante e real.

Aos Dezessete Anos é um livro para amar de todas as formas possíveis, mesmo que tenha alguns pontos negativos. Angie é tão determinada, Marylin, uma mae tão zelosa que me deixaram de coração aquecido e triste ao mesmo tempo. Recomendo muito! 🖤


QUOTES:
"Sempre penso que fotografar é como agarrar uma imagem das mãos do tempo, antes que seja perdida. Uma foto pode ser guardada, compartilhada, presenteada. Pode se renovar aos olhos de cada um que a vê."

"Muitas das coisas mais importantes estão nos detalhes. O lance é ser capaz de sustentar diversos pontos de vista ao mesmo tempo. Ver como a vida de cada um é pequena e gigantesca ao mesmo tempo."

"ᴇʟᴀ ᴠê ᴏ ғᴜᴛᴜʀᴏ ᴄᴏᴍᴏ ᴜᴍ ᴅɪᴀᴍᴀɴᴛᴇ ɴᴏ ғɪᴍ ᴅᴏ ᴛúɴᴇʟ. ᴀᴘʀᴇɴᴅᴇᴜ ᴀ ғᴏᴄᴀʀ ɴᴇʟᴇ, ʟᴜᴛᴀʀ ᴘᴀʀᴀ ᴀʟᴄᴀɴçᴀʟᴏ, ᴍᴀɴᴛê-ʟᴏ ᴇᴍ ᴍᴇɴᴛᴇ".

“Tem algo nas fotografias, ou pelo menos nas que importam — elas parecem preservar a memória, não de um único momento, mas de todos os momentos invisíveis que levaram àquilo.”



divulgar

comentar

17 junho 2018

Resenha: Queria que você me visse, Emery Lord























                                                Título: Queria que você me visse
Editora: Seguinte

Autora: Emery Lord
Ano:2018
Páginas: 352


📖 Queria que você me visse | @emerylord | @editoraseguinteoficial | 4/5 🍿


Desde a morte do seu pai, a vida de Jonah Daniels mudou 180º graus, cercada de solidão, dor. Junto com os irmãos mais velhos, ele cuida dos mais novos, da casa e do restaurante da família.Em uma inversão de papéis, ele também cuida da sua mãe depressiva. Porém, quando conhece Vivi Alexander, as coisas começam a melhorar. Espontânea, divertida e imprevisível, Vivi encanta a todos. Mas,será que a história de Vivi e Jonah acontecerá lado a lado?

 Queria que você me visse é aquele livro leve, fluido e que a gente devora rapidinho. Ao mesmo tempo que é divertido, ele também é reflexivo. No verão de Verona Cove, a vida vai além das cores: um coração dolorido, destruído, amores, ausência de pessoas amadas. Porém, vida que segue, já que nem tudo é do jeito que queremos.

"Até as constelações podem nos ver agora: temos dezessete anos, estamos despedaçados e continuamos dançando. Nossos corações conturbados latejam, e somos mais fortes do que qualquer um poderia imaginar."

Quanto aos personagens, Vivi me conquistou e ao mesmo tempo me irritou muito com algumas ações, porém ela é determinada em acertar e errar , e a vida é assim mesmo. Já Jonah fez meu coração ficar aquecido com tamanha generosidade e amor. Ambos, com personalidades distintas e atitudes que condizem com suas histórias. E talvez , a autora intencionalmente tenha construído essa contrariedade nos dois.

Emery Lord aborda personagens que podem ser reais e ao enfrentar suas doenças, também transpõe os conflitos de uma garota que tem transtorno bipolar e um garoto que tem injustamente um papel invertido. Temos um vislumbre de tamanha sensibilidade ao compreender contra o que eles lutam todos os dias e entender que uma pessoa não é definida por sua doença. Caso não seja, ela ao menos no ensina uma maneira de tentarmos levar a vida da melhor maneira que pudermos.

 Eu adorei por ser mais do que um romance, ser real a ponto de ter altos e baixos, de ser imprevisível como a vida. Uma mescla de sentimentos e uma história única.



 Nota:★(4,5/5)



divulgar

comentar

15 junho 2018

Resenha:O DUETO SOMBRIO , Victoria Schwab


Livro : O DUETO SOMBRIO
Autora : Victoria Schwab
Página : 448
Ano : 2018
Editora Seguinte 
Sinopse : Na sequência final de A Melodia Feroz, Kate Harker precisa voltar para Veracidade e se unir ao sunai August Flynn para enfrentar um ser que se alimenta do caos.
Kate Harker não tem medo do escuro. Ela é uma caçadora de monstros — e muito boa nisso. August Flynn é um monstro que tinha medo de nunca se tornar humano, mas agora sabe que não pode escapar do seu destino. Como um sunai, ele tem uma missão — e vai cumprir seu papel, não importam as consequências.
Quase seis meses depois de Kate e August se conhecerem, a guerra entre monstros e humanos continua — e os monstros estão ganhando. Em Veracidade, August transformou-se no líder que nunca quis ser; em Prosperidade, Kate se tornou uma assassina de monstros implacável. Quando uma nova criatura surge — uma que força suas vítimas a cometer atos violentos —, Kate precisa voltar para sua antiga casa, e lá encontra um cenário pior do que esperava. Agora, ela vai ter de encarar um monstro que acreditava estar morto, um garoto que costumava conhecer muito bem, e o demônio que vive dentro de si mesma.
 O DUETO SOMBRIO | @veschwab | @editoraseguinteoficial | 4,5 ‘s.

Em sua duoogia, Schwab construiu um mundo distopico onde a cada ato violento, uma nova criatura surge como consequência.Por isso, os seres humanos precisam enfrentar esses monstros, para salvar a humanidade. Com a ajuda de Kate Harker e August Flynn ,os especialistas na arte de derrotar esses monstros...

No segundo e ultimo volume da duologia, a guerra entre monstros e humanos está ainda mais brutal. Kate Harker se tornou uma assassina invencível de monstros, e August Flynn se transformou em algo que mais temia. Porém, ambos precisam estar atentos, pois uma nova criatura surgiu e força suas vítimas a cometer atos terríveis.  Será que Katy e August estão prontos para enfrentar uma das piores batalhas das suas vidas?

"Não era fácil. O mundo era complicado. E, muitas vezes, viver era dolorido. 
Então faça valer a pena" 

Eu amei “A Melodia Feroz”. Fiquei pasma ao ler algo tão bem desenvolvido, tão elaborado e tirou meu folego a todo momento. Então ,estava muito ansiosa para ler a continuação e não podia ser diferente.

💬 “O Dueto Sombrio” é um livro frenético. Os personagens continuam cativantes, evoluindo a cada acontecimento e tentando enfrentar seus próprios demônios.

Surgem novos e interessantes personagens, como o Soro. Surgem novos e interessantes personagens, como o Soro. E para mim, a partir da segunda parte, tudo explode e voce só sente as destruições ao seu redor e se prepara para o que estar por vir.

“Ninguém disse nada, nenhum discurso foi feito, e não havia mal naquilo. O luto tinha sua música própria.”

💬 Victoria Schwab choca o leitor, com um enredo fluido, cheio de ação, reviravoltas, cenas eletrizantes e uma escrita altamente viciante. Posso insistir por mais um livro? Concordo a @nickmafra, a história poderia ter sido melhor amarrada se tivesse um terceiro livro, assim prendendo todas as pontas soltas.

“As pessoas eram confusas. Não podiam ser definidas pelo que tinham feito, mas pelo teriam feito, sob circunstâncias diferente, moldadas tanto por seus arrependimentos como por suas ações, as escolhas que defendiam e as que gostariam de poder fazer diferente. Mas não havia como, porque o tempo só seguia em frente, mas as pessoas podiam mudar. Para pior. E para melhor. Não era fácil. O mundo era complicado. A vida era dura. E, muitas vezes, viver era dolorido.
Então faça a dor valer a pena.”

Há tanto que eu gostaria de dizer, mas para não estragar a experiencia de quem lerá. Já pensou em ler algo que misture Fantasia Ya e ficção cientifica? Uma duologia que mais do que recomendo.Hipnotizante é a palavra certa para definir esse livro.

Nota:★(4,5/5)


divulgar

comentar

09 junho 2018

Resenha: Deuses americanos, Neil Gaiman





“Um segredo que ninguém mais sabe além de você mesmo é o segredo mais poderoso que existe.”

Shadow é um cara que acabou de sair da cadeia após cumprir uma parte de sua pena , mas foi libertado porque sua esposa e seu melhor amigo morreram em um acidente de carro.De volta para casa, Shadow conhece um homem misterioso que lhe oferece um emprego, e mesmo sem saber o que fará exatamente, ele aceita o que lhe é dado pelo Wednesday.

Porém, o que Shadow não imaginava era que estava trabalhando para um poderoso deus mitológico e que entrou de cabeça em uma loucura que até então é inacreditável.

Além disso, o protagonista se depara com os deuses antigos e os modernos (o dinheiro, a televisão, a tecnologia, as drogas), cuja guerra já começou entre ambos.

Deuses com diferentes origens, personagens distintos e curiosos fazem desse enredo uma poderosa história. Se você adora a escrita do Gaiman, com certeza ficará fascinado pela HQ.

A edição tem como extras os esboços dos quadrinhos e estudos de personagens, layouts originais e também capas de artistas renomados, como Fábio Moon, David Mack, Becky Cloonan e Glenn Fabry.

Afinal, os Deuses podem nascer de qualquer  Deuses nascem e morrem conforme em quem ou quê cada um acredita. Tenho certeza que, mesmo relendo esse livro, ele continuará enchendo minha mente de questionamentos. Recomendo! 💙
Nota:★(4/5)


divulgar

comentar


Resenha:Incontrolável - Série Rock I'm Rio #01 - Lani Queiroz



Título:Incontrolável 
Série Rock I'm Rio # 1
Autora: Lani Queiroz
Páginas: 495
Classificação: 3/5 estrelas
*LIVRO CEDIDO EM PARCERIA COM A AUTORA LANI QUEIROZ

Liam Stone é o famoso rockstar da banda DragonFly. Nos últimos anos, suas músicas ocuparam o topo das paradas em diversos países. Além de vários prêmios, mulheres nos seus braços são inevitáveis. Depois de seis anos longe de casa, ele está de volta ao Brasil para o maior festival de música da América Latina, o Rock in Rio.  Porém, o que ele não espera é reencontrar sua família conturbada e a mulher do seu irmão, Melissa. Por quem ele é louco. Melissa é doce, linda e determinada. A mulher que ele sonhou por tantos anos, está disponível para ele, depois da morte do irmão mais novo.Será que esse relacionamento dará certo?

“São dez anos de tesão desenfreado, desse desejo louco, proibido. Fico louco só de imaginá-la embaixo de mim. Nosso momento está chegando. Pode apostar nisso. (…) Eu quero que ela saiba que esse sou eu: Liam Stone, um homem que pega o que quer, não o garoto do passado que nunca fez um movimento em sua direção.”

Um livro quente, cheio de dramas familiares e hot ao nível hard. Com um vocabulário chulo do mundo do rock, cenas quentes e muito romance. Na verdade, o livro é aquele velho clichê: um cara rico e desejado, que quer a única mulher que não pode ter, mas ela não resiste aos seus encantos e se entrega. Tentando acreditar que pode mudar o galinha do protagonista e tudo se desenvolve a partir disso.

Eu gosto de romances mais desenvolvidos, sem excesso de cenas hot e com uma melhor construção dos personagens. Mas, entendi porque a autora foi rápida quanto ao relacionamento intenso dos dois. Apesar de ter sentido ranço do protagonista durante boa parte da história, adorei a interação, a amizade entre os demais integrantes da banda, que trouxeram humor para a história. Além da playlist do livro, que me conquistou.


"– Fiz um monte de merda quando estouramos para o sucesso. Fiz muita coisa das quais não me orgulho – seu olhar era um pedido de desculpas. – Mas em algum momento eu devo ter feito algo muito bom, porque fui recompensado com você de volta na minha vida. (…) Se existe essa coisa de almas gêmeas, você é fodidamente a minha."

O final do livro me deixou com desejo de quero mais, para saber o desfecho do casal após toda  confusão. Amor, música e voto de confiança são as bases desse livro.

Nota:★(3/5)



divulgar

comentar

05 junho 2018

Resenha:Tudo Nela Brilha E Queima - Poemas De Luta E Amor,Ryane Leão




Resenha:Tudo Nela Brilha E Queima - Poemas De Luta E Amor,
Ryane Leão
Titulo: Tudo Nela Brilha E Queima - Poemas De Luta E Amor
Autor: Ryane Leão

Editora: Planeta
Páginas: 192

"um dia
decidi ser eu
e nunca mais
voltei atrás"

 “Tudo Nela Brilha e Queima”é um presente poético e intenso, que desabafa e ao mesmo tempo nos abraça, compartilhando suas dores e dando beijos aparadores.Uma poesia do cotidiano, do amor, do medo, da luta, das quedas e recomeços de uma mulher. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀

Um livro que exalta o tanto de força que uma mulher têm e ela mal sabe. Que nos ensina a sermos infinitude. Além disso, Ryane também expõe as barreiras enfrentadas pela mulher negra na sociedade atual, além de exaltar suas raízes, incentivar a  autoaceitação e o amor-próprio.

Empoderamento, femininismo e pura verdade.Um livro para ler, reler várias vezes e mostrar que nos momentos mais difíceis, encontramos forças ."Tudo Nela Brilha e Queima” é pura sororidade, grito de força e necessidade. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀

“até hoje ninguém foi capaz

de medir o seu tamanho
você é caos
e coração
você é oceano
e furacão
te desvendar
é pra quem não teme
mulheres infinitas”



Assim como Outros Jeitos de Usar a Boca, de Rupi Kaur , esse livro desnuda a alma da mulher,(e também foi publicado pela Planeta) que deixo aqui também como uma mega indicação de leitura.
Nota:★(4,5/5)


divulgar

1 comentário