• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
31 agosto 2014

Resenha :Cartas de amor aos mortos,Ava Dellaira



Titulo:Cartas de amor aos mortos
Autora:Ava Dellaira
Ano:2014
Editora: Seguinte ( Selo Companhia das Letras)
Páginas:337
Sinopse:Alguns segredos só conseguimos contar aos nossos maiores ídolos.Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop¿ apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky.Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era: encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um, é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

Laurel é uma adolescente de 15 anos, garota boa e inocente, quieta e isolada, a qual passa uma semana com seu pai e outra com sua tia Amy. Antes da morte de sua irmã May, seus pais haviam se divorciado e depois da morte de May, a mãe foi morar na Califórnia.

Quero ser purificada, quero queimar todas as lembranças ruins. E talvez a paixão faça isso. Que uma vida, uma pessoa, um momento que você precisa manter, fique com você até a eternidade.

Laurel decide começar o ensino médico em uma escola nova, onde esperava que ninguém soubesse da morte de sua irmã May e a lembrasse dela. Hannah e Natalie viram suas amigas e um novo sentimento surge entre as duas. Elas são meninas que não são lá boa companhia: bebem, fumam maconha e namoram muito. Laurel é introduzida nesse novo mundo, o qual antes era totalmente inocente.

Srt.Buster, sua professora de inglês, passa uma atividade, na qual ela terá que escrever uma carta para alguém que já morreu. Laurel escreve para vários idolos da sua irma: Kurt Cobain, Amy Winehouse, Judy Garland, Amelia Earhart, River Phonix e sua irmã, May. Porém, Laurel não entrega sua atividade e vai escrevendo cartas pelo resto do ano.

"Tem coisas que não posso contar pra ninguém além das pessoas que já não estão mais aqui."

Quando li "Cartas de amor aos mortos" comparei ao livro " As Vantagens de ser Invisível", escrito em cartas e com questões tratadas : homossexualidade, estupro, violência física, suicídio.O livro é todo escrito por cartas, eu adoro ! Pequenos capítulos e uma leitura que flui e emociona.

(...) Você acha que conhece alguém, mas essa pessoa sempre muda, e você também está em transformação. De repente entendi que estar vivo é isso. Nossas próprias placas invisíveis se movem em nosso corpo, e se alinham à pessoa que vamos nos tornar.

A cada carta descobrimos mais sobre May e sua vida "perfeita" aos olhos de Laurel, a família desestruturada, os segredos de Laurel. Eu queria, na verdade, abraçar Laurel e dizer a ela que não teve culpa de nada, porque a Laurel se culpa por tudo no livro. Cartas de amor aos mortos é um livro incrível, drama, sensibilidade e criatividade estão nele.

É um livro que precisa ser sentido e doído. Recomendado para quem gosta de histórias sensíveis, dramas com temas fortes e uma leitura que vai fazer você sentir a vida de alguém.

 NOTA: 


divulgar

comentar

29 agosto 2014

Inspiração: Despedida, Martha Medeiros



Existem duas dores de amor:
A primeira é quando a relação termina e a gente,
seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro,
com a sensação de perda, de rejeição e com a falta de perspectiva,
já que ainda estamos tão embrulhados na dor
que não conseguimos ver luz no fim do túnel.

A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel.

A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços,
a dor de virar desimportante para o ser amado.
Mas, quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida:
a dor de abandonar o amor que sentíamos.
A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre,
sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também…

Na verdade, ficamos apegados ao amor tanto quanto à pessoa que o gerou.
Muitas pessoas reclamam por não conseguir se desprender de alguém.
É que, sem se darem conta, não querem se desprender.
Aquele amor, mesmo não retribuído, tornou-se um souvenir,
lembrança de uma época bonita que foi vivida…
Passou a ser um bem de valor inestimável, é uma sensação à qual
a gente se apega. Faz parte de nós.
Queremos, logicamente, voltar a ser alegres e disponíveis,
mas para isso é preciso abrir mão de algo que nos foi caro por muito tempo,
que de certa maneira entranhou-se na gente,
e que só com muito esforço é possível alforriar.

É uma dor mais amena, quase imperceptível.
Talvez, por isso, costuma durar mais do que a ‘dor-de-cotovelo’
propriamente dita. É uma dor que nos confunde.
Parece ser aquela mesma dor primeira, mas já é outra. A pessoa que nos
deixou já não nos interessa mais, mas interessa o amor que sentíamos por
ela, aquele amor que nos justificava como seres humanos,
que nos colocava dentro das estatísticas: “Eu amo, logo existo”.

Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo.
É o arremate de uma história que terminou,
externamente, sem nossa concordância,
mas que precisa também sair de dentro da gente…
E só então a gente poderá amar, de novo.





Sobre a autora: Tenho certeza que já ouviste falar sobre a Martha Medeiros. Talvez tenha lido por ai e seus textos refletem mais do que nós podemos expressar. 
Nova "tag" no blog para divulgação de textos de autores que eu amo.


divulgar

comentar


Notícia: Bruna Vieira,Thalita Rebouças,Babi Dewet e Paula Pimenta vão escrever um livro juntas.




A Bruna Vieira divulgou no seu blog Depois dos Quinze que ela, Thalita Rebouças, Paula Pimenta e Babi Dewet vão escrever um livro de contos juntas. Livro que será lançado pela Editora Gutenberg, com previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2015. 

O novo livro se chamará Um Ano Inesquecível e terá quatro histórias, contando as aventuras de adolescentes vividas em diferentes estacoes do ano. Thalita ficou com o verão; Paula com o inverno; Babi com o outono e Bruna com a primavera. 

Quem ai está ansiosa para ver o que essas autoras incríveis irão aprontar?


divulgar

comentar


Notícia: Novo livro de Sophie Kinsella

                         

Foi divulgado essa semana pela Editora Record o novo livro sob o pseudônimo de Sophie Kinsella: Drinques para três. Autora de Lua de Mel, a série Becky Bloom, entre outros.

"Inteligentes e bem-sucedidas, todas trabalham para a mesma revista em Londres e, uma vez por mês, se encontram em um bar para colocar o papo em dia. Mas, apesar de saber que podem contar uma com a outra, preferem guardar certos segredos a sete chaves. A bela Roxanne há anos mantém um relacionamento com um homem casado; a competente Maggie de repente se vê prestes a assumir uma função para a qual não se julga preparada; e a doce Candice, da noite para o dia, resolve que precisa prestar contas com o passado. Só que o que Candice não imagina é que essa resolução vai dar início a uma série de acontecimentos que poderão abalar para sempre a amizade das três."


divulgar

comentar

27 agosto 2014

Incertezas

Ashley Benson
Eu nunca fui perfeita, mas nem tentaria acertar os erros que cometi. Não apagaria aquelas suas mensagens ou os bilhetes escritos nos dias de inverno. Deixo o silêncio pairar na minha frente, quero que assim fique e retifique o que ainda tenho para falar.

 Eu não sou tão diferente quanto tu pensas. Isso foi uma mentira, não adianta me falar que quer voltar e não saber se ficar ou se vai de vez. Talvez o lugar perfeito esteja onde o vento sopra na minha pele e a brisa banha minha calma. Voltando ao amor esquecido dentro de casa, não adianta ficar com raiva, perdoar é além do humano, é do divino. 

Esses barulhos são as incertezas que temo em te dizer, que esse amor não é tão platônico quanto pensas. Talvez eu não tenha conseguido ser quem você queria que eu fosse, evoluir e mudar de uma forma a te agradar. Pela verdade, te perdoar e te amar, mesmo com a dor instalada no peito e ai que lembro dos dias de verão. Da noite que nos conhecemos e éramos tão jovens. 

Sorrisos e brincadeiras á parte, sinceridades eram antes de crescermos. Bobagens e promessas que não diríamos adeus nunca. Parecia uma vida perfeita, sem grandes estilhaços. Mais que um amigo, um irmão e tudo tinha mudado. Naquela hora, consagrou-se o que hoje é uma triste historinha de amor.

 Perdoa-me pelos ciúmes, pelas brigas, pelos silêncios que significavam tudo, pelos empurrões, pela frieza e insensibilidade. Da mágoa á cicatriz, perdoa-me por não ter voltado. É um último adeus, depois de tudo. Tudo e nada. Na lembrança o sorriso está guardado como um amor que quase não ia. De final feliz, não é todo casal que vive. Dessa vez, só não foi o nosso.


divulgar

comentar

26 agosto 2014

Resenha: A máquina de contar histórias, Maurício Gomyde


A Máquina de Contar Histórias

Título: A máquina de contar histórias
Autor: Mauricio Gomyde
Editora: Novo Conceito
Páginas: 192
Ano: 2014
Sinopse: Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das fi lhas, sem amigos... O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar. Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família V. Uma história emocionante, cheia de significados entrelaçados pela literatura, mostrando que o amor de um pai, por mais dura que seja a situação, nunca morre nem se perde.


“A Máquina de Contar Histórias" é o primeiro livro do Mauricio Gomyde publicado pela Novo Conceito. Nesse livro, vemos um autor nacional conhecido mundialmente por seus livros e que nos é apresentado sua vida, seja as alegrias e angústias de um personagem que é um escritor incrível, mas sua vida pessoal, familiar é um desastre. 

Vinicius Becker tem uma agenda lotada. Sempre as mesmas perguntas, as quais ele responde com respostas automáticas aos jornalistas e leitores. Está sempre viajando e divulgando seus novos títulos, porém o romance perfeito dos seus livros não é real, pelo menos não para o Vinicius.

“Disciplina para escrever havia sido a maior lição tirada do processo. Encontre seu estilo, faça dele sua religião. Encontre seu público-alvo, faça dele seu rebanho. Encontre um lugar para escrever, faça dele seu santuário. Encontre um horário para escrever, faça nele sua prece. Escreva qualquer coisa, mesmo que não signifique nada. Se a inspiração para algo novo falhar, pesquise, leia, defina, conserte, rearranje, corte. Trace uma meta de palavras por dia. Transforme-se numa máquina de escrever.” 

A família V: Vivian, Valentina e Vida, o reprova  cada vez que não está presente nas experiências e dificuldades nessa família. Tamanha ausência é sentida na viagem de divulgação do seu ultimo titulo, Vinicius descobre que sua esposa morreu e ele só veio saber de ultima hora, não passando os momentos finais com sua mulher e seu câncer. 

A perda do amor de sua vida é refletida com o desprezo das suas duas filhas, que ele tenta recuperar o amor e o tempo perdido. É a partir da esperança de reconquista que vivemos a história do Vinicius e sua luta para conquistar o amor de suas filhas, a valorização das coisas que temos na vida. 

“Escrever é muito mais do que uma profissão. É uma atitude de amor, de entrega ao que se quer contar.” 

O livro é incrível, rápido de ser lido e envolvente. Para quem gosta de escrever é uma ótima indicação, o Vinicius dá algumas lições do processo de escrita e do que é realmente escrever uma boa história, aquela que você se entrega ao contar.

“Na vida real, jamais vou conseguir colocar na boca de alguém as palavras exatas que eu gostaria de ouvir. Já num livro...” 
 NOTA: 


divulgar

comentar

24 agosto 2014

Resenha: Meus 15 anos, Luiza Trigo



Titulo: Meus Quinze Anos
Autora: Luiza Trigo
Editora: Rocco Jovens Leitores
Páginas: 232
Sinopse:  Uma festa de cinema! Este era o sonho de Bia, prestes a se tornar realidade em Meus 15 anos. Ela só não esperava que sua grande noite daria um filme – com direito a drama, romance, comédia e ação de tirar o fôlego. Bia é a protagonista do segundo romance da escritora carioca Luiza Trigo, que vem conquistando seu espaço entre o público adolescente e pré-adolescente desde sua estreia com Carnaval. Da entrega dos convites ao surpreendente desfecho, a autora conta uma história movida a sonhos, paixões, ciúmes, alegrias, decepções e, principalmente, amadurecimento, amizade e amor.

Finalmente li o livro da Luly, Meus 15 anos . Um livro juvenil que conquistou essa Bia com outra Bia. Haha ! 

Bia é uma garota nerd que mal pode esperar pela sua desejada festa de 15 anos. Ela mantém em segredo o tema da festa de todo mundo, convida seus colegas e amigos, e principalmente o Thiago, o garoto lindo e popular da escola, por quem ela tem uma quedinha. Com uns empurrõezinhos Bia consegue entregar o convite a Thiago e convida-lo a sua festa.

Bia mal pode esperar pelo grande dia. Além da festa, a Amanda, Carol, Priscila e Roberta fazem parte do grupo de melhores amigas da Bia, o Bruno, seu melhor amigo e Jéssica que é aquela garota chata e que se acha, querendo fazer o inferno da vida da Bia e suas amigas. 

"Esse frio dentro de mim já me seguia deste antes. Era um sentimento que sempre existiu."
O enredo não poderia ser mais divertido. Lembrei-me dos meus 15 anos e da minha relação nerd com a Bia. Me bateu uma saudade grande dos meus 15 anos e daquela ansiedade para o dia que você deixa de ser "criança", pelo menos para nós, meninas. 

Meus 15 anos é um livro maravilhoso, divertido, cheio de ilustrações fofas e que conquista pelas duvidas e anseios da Bia. Uma coisa super interessante e que adorei é a escolha dos títulos, todos com nomes de filmes: “Meninas Malvadas", "Garota Infernal", "Um Príncipe Em Minha Vida", "As Apimentadas", "A Arte da Conquista", "Jogos Vorazes", "O Maravilhoso Agora", "Operação Cupido" e outros!

 O livro é dividido em antes, durante e depois da festa de 15 anos da Bia. O primeiro amor, os melhores amigos e as dúvidas de uma adolescente muito divertida. Um livro super divertido, gostoso e rapidinho para ler. Obrigada a Ju do blog Chuva Literária e a Luly Trigo por me permitir conhece-la através do seu livro fofo. Amei a Bia, e espero que você vá amar também.

NOTA: 


divulgar

comentar

23 agosto 2014

Um novo dia.

             . | via Tumblr
Moça, o que aconteceu? Cade aquele sorriso que você abria ao amanhecer do dia? O que isso no seu olhar? Tristeza, melancolia, angustia. O que está tirando o seu sono? Qual o efeito sobre seus pensamentos?

 Encarando o nada, olhando para o céu a procura de respostas que você sabe que estão dentro de você. Deixa entrar, fluir e aquecer. Não é o fim. Nunca é. Passei por algo assim, quase desisti de tudo e de mim. Você chegou até aqui não chegou? Está quase onde queria e agora quer desistir? Lutou tanto e agora quer parar. Não faça isso. 

Tem dias que a vida não faz o menor sentido, ela te coloca no chão, faz você se ajoelhar a ponto de chorar mares e ainda não querer viver. Não desista. É clichê, mas sempre tem algo bom em um certo dia. Talvez não hoje, mas sim amanhã. 

Quem sabe em algumas horas alguém aparece para levantar seu humor. Fazer uma piada do seu cabelo bagunçado, da cara de choro e do fato que ta tudo desarrumado. Isso é a vida. Se fosse só flores, não seria exatamente um jardim, já que também tem espinhos nas rosas não é? Ah, não entendo bem de botânica, porém conheço umas rosas e espinhos aqui e ali. 

Também conheço as montanhas mais altas e os rios mais fundos. Em todo lugar alto, perigoso e infinito há beleza. Moça, não desanima. Acorda, sorria. Está em um dia ruim? Coloca uma melodia, agita essa sua vida, passa batom, come chocolate, ou vai passear, mas continue. Não deixe uma pequena muralha te derrubar tão fácil assim. Continua forte e firme, confusa e calma, cheia e vazia, mas saiba que temos novas 24 horas todos os dias para fazer um novo dia.


divulgar

comentar

22 agosto 2014

Resenha: Anjo Mecânico, Cassandra Clare


[CAPA] Anjo Mecânico - Cassandra Clare

Titulo: Anjo Mecânico #1 – Peças Infernais
Autora: Cassandra Clare
Editora: Galera
Ano: 2013
Páginas: 406
Sinopse: Anjo mecânico apresenta o mundo que deu origem à série Os Instrumentos Mortais, sucesso de Cassandra Claire. Nesse primeiro volume, que se passa na Londres vitoriana, a protagonista Tessa Gray conhece o mundo dos Caçadores de Sombras quando precisa se mudar de Nova York para a Inglaterra depois da morte da tia. Quando chega para encontrar o irmão Nathaniel, seu único parente vivo, ela descobrirá que é dona de um poder que capaz de despertar uma guerra mortal entre os Nephilim e as máquinas do Magistrado, o novo comandante das forças do submundo. 

Anjo Mecânico é o primeiro livro da trilogia da Peças Infernais, da Cassandra Clare. Essa série se passa muitos anos antes de Os instrumentos mortais, mas é no mesmo "mundo", com as mesmas mitologias e fantasias. Foi o primeiro livro que li da Cassandra e amei. Eu estava meio apreensiva se eu iria gostar do mundo dos "Caçadores de sombras", porque não sei bem o que imagina em uma Londres Vitoriana, pois é um livro histórico, porém com o entendimento fácil .

Tessa Gray é a protagonista de Peças Infernais. Uma garota americana que acaba em Londres atrás do seu irmão, Nate, depois que sua tia morre. Nate havia se mudado para Londres em busca de emprego, e  agora tinha enviado uma carta para a irmã. Mas, Tessa é recebida por duas senhoras estranhas: Sra. Dark e Sra. Black, já que seu irmão não poderia busca-la, Tessa acompanhou as senhoras, só não imaginava no que estas estavam mesmo interessadas, no seu poder, que ela nem sabia que tinha. 

“…Ninguém no mundo que se importasse se estava viva ou morta. Às vezes, o horror desse pensamento ameaçava dominá-la e empurrá-la para uma escuridão sem fim da qual não retornaria. Se ninguém no mundo se importa com você, você sequer existe?”

Tessa tem um grande poder em suas mãos e essas estranhas feiticeiras a ensinam a usar esse poder: com um simples toque, ela muda seu corpo, virando a pessoa dona do objeto que está segurando. Tessa passa a desconfiar os interesses em seu dom e descobre sobre o mundo " Caçadores de Sombras" e os demônios. Ela é diferente de todas as feiticeiras, nem os Irmãos Silêncio conseguem descobrir.

Anjo Mecânico foi o tipo de desafio de um livro histórico para mim. Nunca me passou pela cabeça o quanto eu iria me surpreender com a Tessa, forte, inteligente e corajosa. Will Herondale, um garoto estranho, misterioso e com um humor sem precedentes. Os personagens são incríveis e o enredo é de tirar o folego. 

Além de magia, referencias aos poemas( fato que eu amo!) e históricos. Recomendo para quem curte a Cassandra Clare e já leu Instrumentos Mortais, ou que procura um bom livro com uma pegada mais steampunk( personagens autômatos), histórico e que te desafie.

“Às vezes, quando tenho que fazer alguma coisa que não quero, finjo ser personagem de algum livro. É mais fácil saber o que eles fariam.”



 NOTA: 


divulgar

comentar


Resenha: Se eu ficar, Gayle Forman


Título: Se eu ficar (#1)
Autora: Gayle Forman
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Páginas: 224
Sinopse: Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais – mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente – e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas.


Mia é uma garota quieta, de 17 anos e violoncelista, com um talento sem tamanho para musica clássica. Ao lembrar de sua infância, ela recorda que nunca foi tão parecida com seus pais, nem fisicamente, nem em seu gosto exótico pela musica clássica. Mas, ali era seu porto seguro e isso bastava. 

Mia só estava preocupada com o seu futuro. Seu sonho era ser aceita na Juilliard, porém ela agora tinha Adam, seu namorado e amigo, e não estava pronta para deixa-lo. Em um dia de inverno, Mia e seus pais resolvem dar um passeio, enquanto a neve derretia e as aulas haviam sido canceladas. O passeio se transformou em algo devastador. 

Algumas vezes você faz escolhas e algumas vezes escolhas fazem você.

O carro foi atingido por um caminhão na estrada e totalmente destruído. A unica coisa que continuava funcionando era o rádio que tocava a Sonata de Beethoven. Mia escutava a música e via os corpos de seus pais no chão, mas quando olhou para si mesma distante do carro, com sangue em toda sua roupa e sua perna machucada deu-se conta do que tinha acontecido. 

Sirenes,ambulâncias e curiosos haviam parado e Mia percebeu que não estava morta, só tinha saído do seu corpo e estava acompanhando o desenrolar da tragedia. No hospital ela passa a participar das cirurgias realizadas em si pelos médicos, ver os amigos e familiares na sala de espera.


Percebi agora que morrer é fácil. Viver é difícil.

O que Mia decidiria da sua vida: voltar e encarar a dor da perda ou desistir de viver fosse mais fácil do que enfrentar o futuro? Seus avós, Kim, sua melhor amiga e Adam queriam que ela ficasse, lutasse para isso. Mas, será que ela também queria ficar?

— Eu estava conversando com Liz e ela disse que talvez voltar para sua antiga vida seja doloroso demais, que talvez seja mais fácil para você nos apagar. E isso seria uma droga, mas eu faço. Eu posso perder você dessa forma se eu não te perder hoje. Eu te deixo ir. Se você ficar.

O filme vai ser lançado no dia 04/09/2014 e eu queria ler o livro antes de assistir o filme. É lindo ver como o violoncelo faz parte da vida de Mia, do quanto seu sentimento ao toca-lo transborda além das páginas do livro e acabamos sentindo o quanto aquele instrumento fazia parte dela.

"Se eu ficar" é um livro curtinho e emocionante. Medo, desejo, futuro incerto e anseios de uma adolescente nos envolve. O segundo livro, "Para onde ela foi" é narrado por Adam. Esse livro é perfeito na medida certa: a luta pela vida e pela família, a dor da perda e o que se é essencial para seguir em frente.  Dê uma chance para " Se eu ficar", leia e sinta a diferença que pode fazer na sua vida.

  ( Para onde ela foi - 2º livro da duologia)

Confira o trailer do filme :


 NOTA: 


divulgar

comentar

21 agosto 2014

Notícia: Nova edição de Garota Exemplar, Gillian Flynn

                     Garota exemplar TIE IN portugues - capa FECHAMENTO.indd
Garota exemplar da Gillian Flynn volta as livrarias em 11 de setembro em uma  edição limitada com capa inspirada no pôster do filme pela Editora Intrínseca. E ai, vocês gostaram dessa nova capa? Eu prefiro a original mesmo .
Sinopse : Na manhã do quinto aniversário de casamento, Amy desaparece da nova casa, às margens do Rio Mississippi. Tudo indica se tratar de um sequestro, e Nick imediatamente chama a polícia, mas logo as suspeitas recaem sobre ele. Exibindo uma estranha calma e contando uma história bem diferente da relatada por Amy em seu diário, Nick parece cada dia mais culpado, embora continue a alegar inocência. À medida que as revelações sobre o caso se desenrolam, porém, fica claro que a verdade não é o forte do casal.


                                      O filme estreia nos cinemas brasileiros dia 2 de outubro.

                    


divulgar

comentar

20 agosto 2014

Tudo bem?

                 Untitled

     Lá estava eu, sentadinha e em silêncio. Com os fones de ouvido e a rádio querendo deixar meu dia mais " suportável". Ora, tinha que dar uma animada. Agita, me anima, me contagia. Ops, quem eu estava tentando esquecer? A quem eu queria convencer que uma música ia dar um up naquele momento. Não custava tentar ou talvez fingir. Talvez.

Em pedaços seria a palavra incorreta para me descrever. Olhei para o céu a procura de algo que me fizesse voar, alçar meu voo e me libertar de certas coisas que ainda me prendiam. Por isso, minha cor preferida é azul. Dá aquela sensação de esperança e infinidade.

 Vontade de acreditar e esperar acontecer. Voltei para casa, querendo descansar, senão a mente, o corpo. E ai tocou a nossa música. Aquela que me fazia lembrar e rir de você, porque era sua cara demais. Não é justo. Sério. Quando você mais quer esquecer, é forçado a lembrar.

 Deus sabe o quanto eu odeio chorar e odeio mais ainda que tenha uma pessoa como motivo. Cheguei em casa o mais alerta que pude, para não fechar os olhos e viajar. Fechei a porta do carro, ergui minha cabeça e fui passando. Escada ou elevador? Falar com o porteiro ou com a vizinha? Melhor seguir em silêncio.

 Desliguei a música da minha cabeça, arrumei os cabelos, para que não sei, já que não teria ninguém me esperando. Fui de elevador mesmo, mais rápido para entrar em casa, jogar as chaves na mesa e tomar um banho frio, para gelar minha cabeça e meu coração, se puder.

 Uma menininha entrou também junto comigo, devia ter uns 10 anos por ai e falou: " Oi, tudo bem contigo moça bonita?". E eu pensei se deveria mentir, exagerar ou apenas ser o mais sincera possível. Respondi: "Estou muito bem e você ? Tendo um bom dia? ". Ela respondeu: " Meu dia só começará quando meu pai me levar para passear." Dessa vez me calei, sorri e rezei para que meus dias felizes voltassem para mim e dependessem de brincadeiras assim.



divulgar

comentar

19 agosto 2014

Notícia: Termine este livro, Keri Smith

                           Termine Este Livro Keri Smith

Lembram do livro desafiador " Destrua este diário"? Pois é, a Editora Intrínseca vai lançar o novo livro da Keri Smith - " Termine este livro", que permitirá que os leitores construam a história do livro, através de pistas e informações que serão fornecidas. O livro segundo a Keri é sobre : “a interação entre o leitor e a obra e como os livros se entrelaçam com nossas vidas.”

"Keri Smith, autora de Destrua este diário, estava passeando por um parque quando encontrou um livro de conteúdo profundamente misterioso. As páginas, soltas e embaralhadas pelo vento, pareciam incompletas, e a capa, quase ilegível, exibia as palavras “Manual de instruções”. Diante desse material curioso, ela decidiu transferir para outra pessoa o desafio de decifrar o que há por trás dessa história estranha. E é você, leitor, quem tem a missão de completar o conteúdo da obra desconhecida. Mas não se preocupe: Smith jamais o deixaria desamparado. Antes de revelar os segredos desse estranho manual, você precisa passar por um treinamento intensivo nas artes da espionagem e da investigação. Aprenda a decodificar mensagens criptografadas, reconhecer padrões ocultos no ambiente e usar a criatividade para dar a objetos comuns utilidades extraordinárias. Mais que um meio de estimular a imaginação, “Termine Este Livro” é uma reflexão delicada sobre a interação entre o leitor e a obra e como os livros se entrelaçam com nossas vidas."


divulgar

comentar


Voltando a você


Eu gostava de pisar em terreno firme e lidar com os detalhes a partir daí. Ver o quanto a terra poderia suportar e o que eu poderia colher, plantar e fazer brotar dela. Eu gostei da comparação e você? Quer uma melhor? Vou te mostrar que nas linhas desse rascunho escondo um segredo: ele, ela , nós.

Um nó que não pode ser desatado só. Juntos, apertados, enlaçados e amarrados. Juntados, eternizados, amados, bagunçados.

Ele me disse uma vez que eu não conhecia seus limites, o subestimava demais. Não pensava alto e nem o quanto as coisas boas poderiam chegar até mim. Ele era doido! Garoto doido de pedra, filho da racionalidade, preso no otimismo. Estou errada? Grande boneco numa caixinha simples.

A tardia luz do sol dava um ar brilhante ao seu rosto pálido. A cor do seu olhar mudava de sombria para angelical, seu cabelo escorria do lado e deixava um ar desleixado, do tipo “to nem aí”. Um sorriso de ponta que deixaria qualquer uma procurando oxigênio no ar. Eu devia estar louca por estar amando ele, devia estar brincando com meu coração, só podia.

As palavras que saiam da sua boca me hipnotizavam com a certeza do que falava. Onde ele aprendeu a ter tanta confiança assim? Nem sei quantas perguntas poderia fazer para ter as certezas de que estou amando a pessoa certo no momento certa.

Sentada do seu lado começo a pensar no que está acontecendo com meu corpo, que cada vez inclina mais para o seu lado, buscando preencher os espaços que entre nos está vazio. Ele me encara e eu encaro. Vou segurar seu olhar até ele desviar. O que está ele a pensar?

E quem é essa garota sentada ao meu lado? Que tipo de feitiço ela fez em mim, só consigo olhar para ela é reparar na perfeição da imperfeição. Do jeito que olha para a frente, pensando e assim fica. Não sabe o quanto é linda de corpo e alma. É possível sentir o poder dela sobre o vento. O sol se curva ao seu sorriso e ilumina seus olhos cor de mel, me confundindo com um arco íris. 

O cabelo longo dela voa e quero passar meus dedos ali, alisa-los e toca-la de modo doce e infantil. Seu cheiro é o aroma que quero sentir a tarde toda e o resto dos dias se ela olhar de mesmo modo para mim.

O que ela está fazendo comigo? Se ela for um anjo, eu acredito. No poder, na beleza e na alma dessa menininha que me calma e me atormenta. Minha cabeça fervilha com as possibilidades de fazê-la me notar. Meu coração bate mais forte do que o normal, suspeito de uma taquicardia, mas aceito morrer se tive-lhe ao meu lado, nem que seja para me dar boa noite a bom dia.


divulgar

comentar

18 agosto 2014

Certeza da mudança


O despertador toca, o maravilhoso cheiro de café invade o meu quarto, finalmente acordo de um sono de quase 3 meses e um lindo sorriso vem me dar Bom dia.

Nos quase 3 meses, vivi sonhos e pesadelos, conheci princesas e bruxas, fome e fartura. Os problemas das nossas vidas, são valiosos ensinamentos, uma preparação para que possamos ser fortes e enfrentar demônios maiores.

Viver sem a preocupação do amanhã ou viver hoje só pra garantir o amanha?
As vezes, eu não sei quem eu sou, como cheguei até aqui, se um dia ficarei velhinho e se o velhinho que vejo todos os dias sentado na praça, perto da minha casa, um dia já foi criança.

Qual realmente é a cor do céu? 
Será que ela me tem amor como eu tenho por ela? 
 Meus Deus… será que ela ao menos existe de verdade?

Duvidas, duvidas, duvidas e mais duvidas. 
Como viver com tantas perguntas, algumas até sem respostas?
Como viver sem  saber se realmente estar vivo, se ao menos estou acordado.

Não seja tão literal, viver no óbvio as vezes é um saco, uma merda!

Meu sono não é de cama, minha morte não é de vida. 
Há coisas bem além dos olhos, bem além do óbvio!


♥ Texto escrito por Felipe Sena, um preto como café, ás vezes amargo e sempre, sempre forte.Letras, notas, litros. Seu relógio de pulso de vez em quando para e ele nem percebe, só assim tem mais tempo pra viver alguma coisa boa. Não é nenhum escritor, é só um discípulo aplicado da correria da sua vida. Um admirador de todos os pontos, virgulas, reticências e pontos finais que divinamente alimentam sua cabeça e Seu coração literário.  Para saber mais : Felipe Sena



divulgar

comentar

17 agosto 2014

Resenha: Roleta Russa,Jason Matthews



Título: Roleta Russa
Autor: Jason Matthews
Páginas: 432
Editora: Arqueiro
Ano: 2014
Sinopse: Desde pequena, o sonho de Dominika Egorova era fazer parte do Bolshoi, o balé mais importante da Rússia. Após ser vítima de uma sabotagem, porém, ela vê sua promissora carreira se encerrar de forma abrupta. Logo em seguida, mais um golpe: a morte inesperada do pai, seu melhor amigo.
Desnorteada, Dominika cede à pressão do tio, vice-diretor do serviço secreto da Rússia, o SVR, e entra para a organização. Pouco tempo depois, é mandada à Escola de Pardais, um instituto onde homens e mulheres aprendem técnicas de sedução para fins de espionagem.
Em seus primeiros meses como pardal, ela recebe uma importante missão: conquistar o americano Nathaniel Nash, um jovem agente da CIA, responsável por um dos mais influentes informantes russos que a agência já teve. O objetivo é fazê-lo revelar a identidade do traidor, que pertence ao alto escalão do SVR.
Logo Dominika e Nate entram num duelo de inteligência e táticas operacionais, apimentado pela atração irresistível que sentem um pelo outro.

O que dizer de um romance policial que demorei para ler, mas tão detalhado e eletrizante que me deixou sem fôlego. A Rússia atual é governada por Vladimir Putin. Dominika Egorova é uma jovem russa, linda, inteligente, sensual, que entra para o sistema de espionagem após perdas irreparáveis. Recrutada pelo SVR, ela se torna uma agente especializada na sedução de seus alvos e tem sua primeira missão para mostrar que tem talento para tal ação. Descobrir o nome do traidor, funcionário da SVR que está passando informações secretas para a CIA.

Nathaniel Nash é um espião norte-americano que tem a chance de salvar sua carreira e para isso ele terá que proteger Marble, o ativo russo da CIA e alvo da missão de Dominika. Os dois tem objetivos opostos, mas o caminho dos dois se cruza e o jogo muda. Tensão, discussões acaloradas e um relacionamento dividido entre missões e atração. Em um certo momento, um deles tenta passar para o outro lado, tornando-se agente duplo, mas essa posição pode ser perigosa demais e pôr em risco a vida de todos ao seu redor.

Se existe uma pessoa, existe um problema. Se não existe uma pessoa, então não existe nenhum problema.

Fazia um certo tempo que não lia um bom livro policial. Não são meus preferidos, mas me desafio a lê-los. Roleta Russa é um livro voltado para o mundo secreto da espionagem, investigações e ambições de dois países. Esse foi o livro mais demorado que li, cheio de detalhes e esmiuçado, então foi uma leitura beeeeeem lenta.Uma coisa interessante sobre o livro são as receitas deixadas no final de cada capitulo, referente a alguma refeição que o personagem fez.

 Não dar para ler de uma sentada só, já que é cheio de detalhes, fatos importantes envolvendo a Guerra Fria, a briga entre Rússia e EUA. Além dos personagens principais, é cheio de personagens secundários. As cenas são retratadas perfeitamente. É complexo e há um misto de romance e profissionalismo entre os personagens principais: Nate e Dominika. Fiquei pensando em quantas estrelinhas dar a esse livro, já que o final deu a impressão de uma continuação.

 NOTA: 


divulgar

1 comentário