• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
30 janeiro 2016

Resenha:Me abraçe mais forte- David Levithan


Me Abrace Mais Forte

Título: Me Abrace Mais Forte - A História de Tiny Cooper
Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
Páginas: 224
Ano: 2015

Sinopse: Do universo de Will & Will: Um nome, um destino, conheça a história de Tiny Cooper em um fabuloso musical Uma novela musical do universo de Will & Will – um nome, um destino, escrito em parceria com John Green e o primeiro livro juvenil com protagonista gay a figurar na lista do New York Times. Em Me abrace mais forte, o personagem Tiny Cooper, um dos mais carismáticos da trama, disponibiliza o roteiro do musical que acompanha sua trajetória: do berçário até o ensino médio. Com participação especial do fantasma de Oscar Wilde, o roteiro revela os detalhes da vida amorosa de Tiny, seu relacionamento com seus vários ex-namorados, a amizade com a babá lésbica, a relação com os pais e o encontro com o amigo Will Grayson. 


Para quem leu Will & Will lembra-se da importância de Tiny Cooper e do seu musical e esse livro é justamente para matar a curiosidade de quem queria saber como seria o musical de Tiny.
 Ler um musical foi uma experiência divertida. Confesso que a capa e por ser do David Levithan me levaram a comprar esse livro há algum tempo, só não esperava que iria gostar tanto.

O inicio é pelo nascimento de nosso protagonista, claro. As impressões e pensamentos do pequeno Tiny Cooper. A adolescência é retratada bem , com participação do seu melhor amigo Phil , sua babá lésbica e sua juventude pelos seus 18 ex-namorados. Suas relações amorosas, familiares são expressas através da música e trazem aprendizados para a vida de formas implícitas e explicitas. O autor consegue envolver o preconceito, a sexualidade, a importância de verdadeiras amizades, sonhos e várias questões com um jeitinho, sem apelar para a complexidade.

Essa é a grande questão sobre a vida e o amor: todas as vezes que você dá outra olhada, tem mais uma coisa que pode ser revisada. 

Me Abrace Mais Forte traz o roteiro do musical de Tiny, com alguns comentários de como a peça será montada, músicas, ações e emoções. Aquele livro para curiosos de Wil & Will ou para quem deseja curar ressacas literárias. Uma leitura curta, rápida e descontraída.

Nota : ★★★




divulgar

2 comentários

29 janeiro 2016

Notícias: capa de "Os Artifícios das Trevas", nova série de Cassandra Clare divulgada

Shadowhunters, confiram a capa do primeiro volume de "Os Artifícios das Trevas", nova série de Cassandra Clare. A edição terá acabamento holográfico! 
Emoticon heart
Em breve será divulgada a sinopse e mais novidades de "Dama da Meia-Noite"!


divulgar

comentar

28 janeiro 2016

Resenha:Mary Poppins ,P. L. Travers

Mary Poppins
Título: Mary Poppins
Autor: P. L. Travers
Editora: Harper Collins
Páginas: 192
Gênero:
 Infantil/Clássicos
Sinopse: Uma das histórias mais amadas por crianças e adultos do mundo todo, Mary Poppins volta para as prateleiras brasileiras. O texto recebeu ilustrações do estilista Ronaldo Fraga, tradução do escritor Joca Reiners Terron e posfácio da professora de literatura inglesa da USP Sandra Vasconcellos. Os desenhos – verdadeiros croquis de moda –, foram bordados à mão em tecido, e fotografados para integrar a edição. A edição especial conta ainda com uma luva em formato de bolsa, com estampa exclusiva desenhada por Ronaldo Fraga. O leitor vai, finalmente, descobrir a história de Mary Poppins, a babá mágica que chega inesperadamente para cuidar das crianças Banks e lhes abre os olhos para os mistérios e as maravilhas que nos cercam, todos os dias.
Meu livro de 2016 mais fofo do momento:  Mary Poppins remete que me lembra à infância,  sessões da tarde e babás. Na história de P. L. Travers o universo é fantástico, contagiando a vida de Jane e Michael, irmãos normais até a chegada de uma nova babá única e com toques meios esquisitos. As crianças passam a acreditar que coisas impossíveis possam acontecer, se habituando a viver os próximos dias de uma forma especial.

Desde de Entrar  na pintura de um quadro, tomar chá no teto da casa, visitar e conversar com todos os animais do zoológico e várias situações excitantes e excêntricas acontecem quando se está ao lado da 
Mary Poppins. Porém, não se pode irritar e questionar a  Mary Poppins, por isso os irmãos aceitam sua estadia e são obedientes a ela.

O livro tem uma edição única, com o nome 
Mary Poppins bordado na lombada , cheio de ilustrações, letras grandes e colorido.

A linguagem é própria para o público infantil e que me levará , com toda a certeza ler para meus filhos um dia . O enredo me lembrou a Nanny McPhee, personagem adaptada da série de livros infantis Nurse Matilda criada pela Christianna Brandem  em 1964, que possui claras semelhanças com a Poppins, cujo filme passa frequentemente em diversos canais de TV.

               

 A Mary é vaidosa, lacônica, não é de repetir falas, inspira simpatia e magia por onde passa.
Mary Poppins é um convite para reviver a infância, para de aventurar e brincar com a fantasia como éramos crianças(no meu caso) um dia .  

CURIOSIDADES:

+Mary Poppins (1934) é o primeiro de uma série de oito volumes, sendo eles: Mary Poppins Comes Back (1935), Mary Poppins Opens the Door (1943), Mary Poppins in the Park (1952), Mary Poppins From A to Z (1962), Mary Poppins in the Kitchen (1975), Mary Poppins in Cherry Tree Lane (1982) e Mary Poppins and the House Next Door (1988).
+  O livro foi adaptado para os Cinemas pela Disney em 1964.
+ O filme tornou-se o maior sucesso de bilheteria do ano, arrecadando um total de US$ 28,5 milhões. À frente de grandes clássicos do cinema como A Noviça Rebelde (US$ 20 milhões), Goldfinger (US$ 19,7 milhões) e My Fair Lady (US$ 19 milhões).
+ Com os lucros do filme, Walt Disney comprou 27,5 mil acres de terra na Flórida e financiou a construção do Walt Disney World.

Nota : ★★★


divulgar

comentar

26 janeiro 2016

Notícias: Shonda adaptará Still Star-Crossed, história de Romeu e Julieta


A diva e destruidora de corações, Shonda Rhimes, conhecida por suas séries “Grey’s Anatomy”, “Scandal” e “How to get away with murder”, levará a história de Romeu e Julieta para a TV e o piloto já está confirmado.

Sua nova série é uma adaptação de Still Star-Crossed, livro escrito por Melinda Taub. A ABC comprou os direitos de adaptação e a história gira sobre a rivalidade dos Capuleto e os Montecchio após a morte de Romeu e Julieta, que persevera apesar da tragédia.


divulgar

comentar


Resenha:Aâma - Volume 1,Frederik Peeters


Aâma - Volume 1

Título:Aâma – Volume 1: O cheiro da poeira quente
Autor e arte: Frederik Peeters
Tradução: Fernando Scheibe
Nº de Páginas: 88
Editora: Nemo
Sinopse:Chega ao Brasil, pela Editora Nemo, a premiada série de ficção científica Aâma, criada pelo quadrinista suíço Frederik Peeters. Num futuro distante, Verloc Nim acorda com amnésia, perdido num planeta inóspito. Graças a um diário que o gorila-robô Churchill lhe entrega, ele começa a acessar seu passado. Verloc descobre então que leva uma vida miserável, que perdeu o trabalho, a esposa e a filha. Em meio a tudo, seu irmão o leva numa viagem com o objetivo de recuperar um misterioso produto científico. Mas as coisas parecem não ter saído como esperavam. Aventura e suspense futurista, num ambiente alienígena, são os ingredientes desta nova e arrebatadora série.

O 1º dos 4 volumes da minissérie de ficção científica suíça Aâma, com roteiro e arte de Frederik Peeters, mesmo autor de "Pílulas Azuis", que eu amei. A trama é um misto de misterio e uma realidade em que viagens espaciais permitiram á humanidade a colonizar outros planetas.

Em Radiant, Verloc reencontra seu irmão Conrad, e conhece Churchill, um macaco-robô "segurança"do seu irmao e neste mundo somos apresentados a aliens humanoides que usam implantes tecno-orgânicos, nanorobôs e veículos que tambem fazem parte desse mundo.

O autor nao conta quais foram as circunstâncias que levaram à Grande Crise, acontecimento que afetou a economia do mundo natal de Verloc e Conrad. Peeters focou em seus personagens e posteriormente voltará nos proximos volumes para citar o que aconteceu anteriormente.

 Peeters usa do Verloc amnésico para apresentar o mundo e os outros personagens. A partir disso, ele joga misterios que os arrodeiam. Peeters ainda levanta outros quando apresenta o grupo de colonos de Ona (Ji), planeta para o qual Verloc viaja com seu irmão Conrad e o robô-macaco Churchil. 

A fluidez e o interesse permaneceram em todo o momento que li o primeiro e o segundo volume de Aãma. Recomendo para quem gosta de scifi e mistério.

Nota : ★★★


divulgar

comentar

25 janeiro 2016

Resenha: O Muro ,Céline Fraipont.


O Muro

Título: O Muro
Autores: Céline Fraipont (roteiro) e Pierre Bailly (ilustração)
Ano: 2015
Páginas: 192 
Editora: Nemo
Sinopse: O Muro é uma história poética, forte e pungente, desfiada por um desenho frio como o toque de um bisturi, que arrasta o leitor pelos caminhos obscuros de uma adolescência problemática ao som do punk rock. Estamos em 1988. Numa monótona cidadezinha do interior belga, Rosie, uma menina de 13 anos, se vê entregue à própria sorte: sua mãe fugiu com outro homem numa aventura amorosa, e seu pai vive mergulhado no trabalho. Roída por uma rotina morna e vazia, Rosie fica completamente desorientada. Assiste, impotente, à transformação de sua personalidade, ora apavorada, ora determinada, diante da melancolia que a invade e traça os contornos de sua nova vida.

"O Muro", de Céline Fraipont e Pierre Bailly é uma grafic novel triste, emocionante e nem sei se consigo descrever o que senti nessa resenha, mas tentarei.As ilustrações, o romance, o punk rock, e as drogas e bebidas presentes na trama de "O Muro" proporcionará uma leitura marcante e inesquecível.

"O Muro" é construído pelo íntimo de uma adolescente que busca se entender, desde o que aconteceu de ruim na sua vida como a si mesma.No final dos anos 1980, Rosie com seus 13 , 14 anos procura ser amiga da vizinha , já que está é sua única amiga com uma idade parecida. Não gosta de estudar e não entende porque sua mãe foi embora com outro e seu pai devido ao trabalho é tão ausente. 

O silêncio, o cotidiano de uma cidade interiorana fazem parte em toda a HQ. Podemos sentir o tédio e a solidão que a Rosie sente , dai os discos punk rock oitentistas e as canções de Minor Threat e The Cure, as bebidas e as drogas. Independente dos problemas familiares, Rosie afoga suas mágoas com o álcool, as drogas e em cima de um muro acaba conhecendo um cara traficante judeu, chegando até a furtar com ele .

"O Muro" apesar de curto, é envolvente, poético e grandioso de uma forma únicaO roteiro apresenta uma reviravolta, mas sem lições sociais . Uma obra que precisa ser apreciada por todos.
Nota : ★★★★ 



divulgar

comentar

23 janeiro 2016

Resenha:O Mundo de Aisha,Ugo Bertotti


O Mundo de Aisha

Título: O Mundo de Aisha
Subtítulo: A revolução silenciosa das mulheres no Iêmen
Autor: Ugo Bertotti
Editora: Nemo
Páginas: 144
Ano:2015
Sinopse: Obrigadas a se casarem ainda meninas. Escravizadas, violentadas, por vezes assassinadas. Cobertas com o véu negro – o niqab – as mulheres do Iêmen parecem fantasmas. Contudo, pouco a pouco, com delicadeza, coragem e determinação, elas travam uma batalha corajosa por sua emancipação. Uma revolução silenciosa está em marcha para fazer valer seus direitos e sua liberdade. Aisha, Sabiha, Hamedda, Houssen e tantas outras: aqui estão algumas de suas histórias. Uma extraordinária reportagem em quadrinhos de Ugo Bertotti inspirada pelas imagens e pelas entrevistas da fotojornalista Agnes Montanari.

O Mundo de Aisha é uma grafic novel em preto e branco que conta com fotografias de Agnes. A HQ traz três histórias sobre a difícil condição das mulheres iemenitas, reconhecidas pelo uso do niqab: “o véu que cobre o rosto da mulher deixando apenas seus olhos descobertos”, contado logo no início do livro.

Na primeira história , Sabiha leva várias surras do marido porque alguém contou que a viu sem véu através da janela da sua casa. Ela foi entregue ao marido quando era muito criança, nunca foi a escola e até os dezoito anos já tinha 3 filhos. Um dia, ao encontrar de novo sem o niqab, o marido atira nela com um fuzil , deixando-a paralítica. Agnes conhece Sabiha no hospital.

Na segunda história ,Hammeda participou de uma reportagem da TV Al Jazeera e Agnes ao vê-la na TV foi em busca de sua  história. Uma empresária de sucesso, dona de restaurantes e hotéis, que não usa mais o niqab e ganhou respeito por todos. 

"Eu incomodava. Por quê? Simplesmente porque não ficava em casa, como todas as outras... Tinha um restaurante, trabalhava com homens, tratava-os de igual para igual e: estava ganhando dinheiro." 

Aisha , estudante de informática e que depois chega a trabalhar em um local cheio de homens, indo contra as ordens do irmão mais velho. Pelos lentes de Agnes Montanari e os desenhos de Ugo Bertotti, vemos que a luta permanece viva naquelas regiões para que a mulher tha um espaço maior em uma sociedade machista e arrogante. Uma HQ recomendada para quem gostar de conhecer mais a cultura e a luta no Iêmen .

Nota : ★★★


divulgar

1 comentário

22 janeiro 2016

Resenha: Filme Loucas Pra Casar


Titulo: Loucas Pra Casar
Gênero: Comédia
Duração: 1 h e 45 min
Origem: Brasil
Direção: Roberto Santucci
Classificação: 14 anos
Ano: 2015
Sinopse: Malu (Ingrid Guimarães) tem 40 anos e trabalha como secretária de Samuel (Márcio Garcia), o homem de sua vida. Apesar de estarem namorando há três anos, não há o menor indício de que um pedido de casamento esteja por vir. Um dia Malu percebe que faltam algumas camisinhas no estoque pessoal do namorado e logo deduz que ele tem uma amante. Após contratar um detetive particular, ela descobre outras duas mulheres na vida de Samuel: a dançarina de boate Lúcia (Suzana Pires) e a fanática religiosa Maria (Tatá Werneck). É claro que as três irão disputar a preferência do amado.


Resenha:

Esse filme conta a história de Malu, uma mulher bem sucedida, super organizada e objetiva. Ela trabalha como secretária para Samuel, seu namorado de três anos. E alem de tudo isso que já felei sobre, está faltando o principal: ELA É LOUCA PRA CASAR. Desde a primeira vez que pegou um buquê da nova aos 15 anos de idade, espera por esse dia, mas até agora nada. Ela em toda sua vida só namorou cafajestes e nem chegou perto de ser pedida em casamento.

Em uma noite de amor compartilhada com o Samuel ela percebe que a caixinha de camisinha dele está faltando algumas e acaba supondo que ele tem uma amante. Pela indicação de uma amiga ela decide contratar um detetive particular para descobrir se ele tem mesmo uma vida dupla. Para seu azar ela descobre que ele anda se encontrando com Lúcia, uma dançarina de boate.

Após um encontro bombástico entre as elas, decidem ir ao apartamento de Samuel para que ele decida com quem vai querer ficar, mas para a surpresa das duas elas encontram Maria, uma beata super certinha. As três então se juntam para conquistar o amado e ver qual a melhor e a que ele vai escolher.

Esse é um daqueles filmes que te garante muitas risadas, leve e envolvente ele mostra que o cinema brasileiro está crescendo e produzindo filmes de qualidade. Meu Deus eu nunca ri tanto, essas três atrizes juntas com Fabiana Karla não poderia ter dado tão certo. Mas além do riso, o filme nos mostra que nada é perfeito, que não podemos viver tentando alcançar a tão sonhada perfeição. Não existe a mulher perfeita, nem o homem perfeito e é nessa buscar que muita gente se perde. Não importa quantas vezes nos digam que temos que seguir um padrão, que precisamos ser como todo mundo ou querer o mesmo que todo mundo. Nós nascemos para o diferente, para buscar o novo sem mascaras, sem tentar agradar a todos, ou acertar todas as vezes. Isso fica bem claro no filme quando a nossa mocinha Malu percebe que não quer tentar ser perfeita, que só quer ser ela mesma, com seus defeitos e manias, que quer amar alguém que também não seja perfeito, que seja apenas humano como ela. E quando ela percebe isso é que verdadeiramente se encontra e as coisas começam a dar certo.

Outra mensagem que me chamou atenção foi a questão da saúde mental, ela que muitas vezes é esquecida e culturalmente satirizada. Temos que entender que a saúde da mente é igual e tão importante quanto a física, o emocional conta muito, inclusive para a recuperação de uma doença física e para o nosso próprio bem estar. Devemos abrir os olhos e não ter vergonha disso, pois de médico e de louco cada um tem um pouco.

Nem preciso dizer que o filme está recomendadíssimo e se procura dar boas risadas pode apostar nele.

NOTA: ★ ★ ★ 



                                                                                                                               Blog Coisas de Milah


divulgar

comentar

20 janeiro 2016

Notícias: novo trailer para Esquadrão Suicida foi liberado!

Capa da PublicaçãoO que falar do trailer mais bombástico do ano para mim? Arlerquina ♥ Durante o evento DC Films Presents: Dawn Of The Justice League, um novo trailer para Esquadrão Suicida foi liberado! Escrito e dirigido por David Ayer, Esquadrão Suicida será protagonizado por Viola Davis, Margot Robbie, Will Smith, Jai Courtney, Joel Kinnaman, Jay Hernandez, Cara Delevingne e Jared Leto. O filme estreia em 04 de Agosto de 2016!

          


divulgar

1 comentário


Resenha: Austenlândia, Shannon Hale


Austenlândia

Título:Austenlândia
Série:Austenlândia # 1
Autora:Shannon Hale.
Ano: 2014 
 Páginas: 240
Editora: Record
Sinopse:Jane Hayes tem 33 anos e mora na Nova York atual. Bonita, inteligente e com um bom emprego, ela guarda um um segredo constrangedor: é verdadeiramente obcecada pelo Sr. Darcy. Embora sonhe com ele, os homens reais com os quais se depara são muito diferentes dos que habitam sua fantasia. Justamente por isso, ela decide deixar de lado sua vida amorosa e aceitar seu destino: noites solitárias aconchegada no sofá assistindo a Colin Firth em seu DVD.Porém, esses não são os planos que sua rica e velha tia-avó Carolyn, tem para a moça. A única a descobrir o segredo de Jane deixa, em seu testamento, férias pagas para a sobrinha-neta na Austenlândia. A ideia é que Jane tenha uma legítima experiência como uma dama no início do século XX e consiga se livrar de uma vez por todas de sua obsessão. Contudo, para isso, ela terá que abrir mão do celular, da internet e até do uso de sutiãs em troca de tardes de leitura, espartilhos e... a companhia de belos cavalheiros. 

Austenlândia é aquele livro fofo e que foi um romance ideal para começar o ano.Eu comecei a ler sem muitas perspectivas, porém foi uma leitura leve e divertida.

Jane Hayes tem 33 anos e é uma solteirona, bonita com um bom emprego de designer, porém está meia cansada de ficar sozinha e devido a suas antigas experiencias amorosas nao acredita nos homens, nem no seu amor ideal. Ela sonha com o dia que encontrará seu próprio Sr.Darcy e viverá um romance digno da Jane Austen, porém a vida tem sido cruel e dificulta essa realidade.

Jane ama o livro Orgulho e Preconceito, o qual já li algumas poucas vezes e pelo qual adoro o filme (haha). Porém, ela mal imagina que sua tia lhe dará o maior presente da sua vida ao morrer, deixando como herança uma viagem de férias, sem possibilidade de reembolso e vivida nos anos 1806. Ela irá para uma comunidade turística que recria o mundo da Austen: Austenlândia em Pembrook Park, na Inglaterra. E lá ela terá a oportunidade de curar sua paixão obsessiva pelo Sr. Darcy e também toma a decisão de depois disso começar a viver sua vida "de verdade".

Ao chegar lá , ela encontra um casarão magnifico de época, com regras rígidas de vestimenta e comportamento, onde viverá como uma dama do século XIX.  Será que Jane conseguirá viver 3 semanas confortável no mundo pela qual é apaixonada nos livros? Dos personagens , o carrancudo é o Sr. Nobley, um cara atraente, mas todo fechadão. Jane não esperava o que ali aconteceria e nas emoções que iria sentir.

A Jane foi uma das minhas personagens preferidas pela ingenuidade teimosia, mas aquela vontade de sonhar e ser feliz. O Sr.Nobley é aquele cara proibido, com um jeito machucado. Li o livro em algumas horas e foi tão,tão bom para mim que eu já quero o segundo logo. Divertido,fofo e leve que me deu logo uma saudade de ler "Orgulho e Preconceito" de novo. "Austenlândia" foi como viver o sonho de estar dentro do seu livro preferido , te colocando como personagem principal e perguntando-se se poderias viver naquela fantasia. 

O final foi fofo, mas algumas perguntas que estiveram na minha cabeça nao foram respondidas muito bem. A Jane acabou percebendo que sua obsessão pelo romance da Austen era apenas uma ilusão e que sua vida era bem mais do que isso. Romântico, divertido e leve. Já disse isso? Então continuarei repetindo.

Nota : ★★★


divulgar

comentar

18 janeiro 2016

Resenha:Se Alguma Vez... ,Meg Rosoff


Se Alguma Vez...

Título: Se alguma vez..
Autora: Meg Rosoff
Editora: Galera
Páginas: 255
Ano:2014
SINOPSE: Um encontro com a morte transforma a vida de David Case. Convencido de que o destino não lhe reserva nada de bom, David decide se reinventar e tornar-se, assim, irreconhecível para o destino e salvar-se de seu sofrimento certo. Ele passa a ser Justin Case, com uma aparência totalmente nova e uma paixão crescente pela sedutora Agnes Bee. Com seu galgo cinzento imaginário a reboque, Justin luta para manter sua nova imagem e, acima de tudo, sobreviver em um mundo onde as reviravoltas do destino o aguardam em cada esquina.

Comprei “Se alguma vez...” na Black Friday de 2015 e foi quase uns 9 reais na Amazon, então resolvi começar o ano com esse livro, sem ler sinopse, nem nada e quanto a minha opinião? Deixarei para o final.

David Case tem 15 anos e é um garoto que ficou obcecado com o que destino lhe reservava, depois de presenciar um quase acidente de seu irmão caçula e se sentir culpado. David está convencido de que poderá enganar o destino, então ele  resolve mudar de nome, estilo e amigos para fugir da condenação que é sua vida.

A história em si me proporcionou um misto de sensações ate a ultima páginas, mas a declarei como “mais ou menos” tanto pela personalidade confusa do personagem principal como pela família exageradamente negligente.

David muda seu nome para Justin Case(“ just in case: no caso de”), tem um cachorro imaginário chamado “Garoto” e tem crises depressivas. O garoto conhece Agnes, uma fotografa mais velha com a qual tem uma relação sexual precocemente. E tudo o que você deve estar se perguntando é: cadê os pais dessa criatura que não notaram que ele mudou de estilo, de nome e não estão nem ai para isso?

" Não seja desdenhoso comigo. Não sinto nenhum prazer especial com a tragédia. Certos dias, nada além de boas ações são feitas.
Quem você acha que junta os amantes, reúne irmãos há muito perdidos, realiza curas milagrosas? Quem faz aleijados dançarem, retardados pensarem?
Sobreviventes sobreviverem."

O livro é narrado em terceira pessoa, contando com a voz do destino que nos deixa entendidos da situação e do futuro de Justin. A Meg fez uma historia com uma vibe insana e alucinógena, totalmente pirada e não sei se recomendaria a leitura, porque acredito que muitos não gostariam.

Algo positivo que gostei no livro foi os pensamentos de Charlie, irmão de 1 ano de David/Justin e isso foi algo que me peguei imaginando: o que o irmão mais novo falaria ao seu irmão. Peter e Dorothea foram amigos de David nas épocas de crise e Agnes mesmo piradinha me conquista porque ela parece ser a única pé no chão.

O final foi algo que eu não esperava, mas Justin ainda continua a me causar dores de cabeças e confusões. Um garoto que tenta de todos os modos fugir do seu destino condenado, trazendo reflexões a tona, como: Você mudaria suas escolhas, sua identidade para se salvar de um futuro duvidoso?
Nota : ★★★


divulgar

comentar

15 janeiro 2016

Texto: Olhos na janela

o-que-eu-queria-te-dizer
   Estou colocando a cabeça para fora, da janela. Só isso por enquanto, mas mal consigo distinguir o delinear dos prédios, a intensidade das estrelas, a chuva do vento. Digo, sou míope, caro leitor. Se tirar meus óculos de madame, enxergo a formiga no parapeito da janela, mas confundo o avião com um pássaro longe. Especialmente hoje senti que não enxergava nada e se via era tudo uma confusão de formas e cores.As lágrimas estão turvando minha visão. Vejo tudo se fechar os olhos e se abrir não vejo nada. 
    Quando eu tinha uns 12 anos, procurava esconder meus óculos e mesmo com aqueles 0,25 graus eu ia de cabeça abaixada e não queria ser perturbada por usar um acessório que era visto com ridículo. Superei os palavreados e aceitei que deveria passar despercebida com óculos e isso facilitava minha vida. Os anos foram passando e meu grau só aumentava. Fala sério! Odiava ver outras meninas serem bonitas e eu a nerd da turma. 
   A armação dos meus óculos mudaram. A visão foi ficando mais nítida a medida que eu os usava ,claro. Fiz algumas escolhas e tomei algumas decisões. Amei com todo meu coração alguém. Mirei em mim também.
    Agora, meus óculos estão na cabeceira da cama. Não quero ver o quão a vida está nítida e cinza hoje para mim. Não desejo isso para ninguém, mas sempre tem aqueles dias que a gente quer colocar os óculos pretos para que as pessoas não reparem no quanto nossos olhos permanecem vermelhos da noite anterior, que passou em claro e chorosa por algum problema.
    Eu queria me proteger das minhas tristezas, das minhas decepções. Queria que alguém me protegesse e colocasse meus óculos novamente, pelos menos se eu visse o desastre , não estaria sozinha ali.
    Desejo ser a menina de 15 anos, de óculos , com uma mochila rosa nas costas que sentava na segunda cadeira da 4 fileira e que quando tirava uma nota 10 parecia que tinha ganhado o mundo.
Eu quero tanto ter esse sentimento de volta. Da tranquila, da calmaria de viver uma adolescência. Mas, são nesses flashbacks que nós temos que aceitar que crescemos, que somos obrigados a entrar na vida adulta. Custe o que custar. Teremos que decidir nossos caminhos e viver nossas escolhas. E acreditar que no final, tudo ficará bem.



divulgar

1 comentário

14 janeiro 2016

Resenha: Corte de Espinhos e Rosas #1, Sarah J.Maas


Corte de Espinhos e Rosas

Título: Corte de Espinhos e Rosas#1
Autora : Sarah J.Maas
Gênero: Fantasia
Editora: Galera Record
Ano: 2015
Páginas : 434
Sinopse: Em Corte de Espinhos e Rosas, um misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance.
Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação.
Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira — que ela só conhecia através de lendas —, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la… ou Tamlin e seu povo estarão condenados.

Para ser sincera, elogiarei muito a Sarah J.Maas e vou começar dizendo que minhas expectativas foram superadas, esmagada com a  boca aberta com a fantasia que a autora criou em torno do conto da Bela e a Fera, que é um dos meus favoritos.

Em "Corte de espinhos e rosas", depois de muitos séculos em que o povo  feérico (aka fada) não tem contato direito de forma amigável com os seres humanos, estes que nutrem um odio, além de mitos que foram criados  e o medo do  mundo das fadas. Depois de quinhentos anos , Feyre, filha caçula um mercador falido sustenta a sua família caçando nas proximidades da floresta , porém um dia mata um suposto lobo gigante que era um feérico com uma flecha de freixo. Todavia, uma besta surge e exige sua ida obrigatória á Prythian, o mundo do outro lado da muralha, onde vivem as fadas, alegando o cumprimento de um tratado em que uma vida perdida deve ser preenchida com o coração de outro, seja vivendo na sua corte( casa) ou sendo morta por este.

Ao chegar em Prythian, Feyre descobre que o mundo das fadas é divididos em inúmeras Cortes e que ela está sendo levada para o  Grão-Senhor Feérico da Corte Primaveril, ou Tamlim , que ao chegar na sua casa , transformasse em um rapaz bonito e mascarado.

“- Porque sua alegria humana me fascina, o modo como vivencia as coisas em sua curta existência, tão selvagem e intensamente e tudo de uma vez, é… hipnotizante. Sou atraído por isso, mesmo quando sei que não deveria, mesmo quando tento não ser.” 

O reino feérico é bem diferente do que pensava Feyre, que acaba descobrindo que uma batalha está acontecendo ali, pragas e ameaças de alguém mais poderoso. Lucien é o fiel amigo de Tamlim, Senhor da Corte Féerica da Primavera,um personagem que me cativou de imediato com suas tiradas rápidas e seu humor caracteristico. Tamlim é o FERA que apesar de uma personalidade forte, sempre lutando pelo bem do seu territorio, porem a leveza e delicadeza de Feyre vai acabar conquistando-o.

"Meu mundo inteiro se restringiu ao toque de seus lábios em minha pele. Tudo além deles, além de Tamlin, era um vazio de escuridão e luar."

Algumas devem ser levada em consideração: 1- o livro é uma  releitura de A Bela e a Fera, pois Feyre e Tamlim se apaixonam , porém Maas sabe dividir os momentos , sem focar totalmente no romance crescente ali, encaixando os momentos fofos na trama de uma forma que não atrapalhem o desenvolvimento eletrizante do enredo.

A fantasia de Sarah J.Maas é bem desenvolvida, fluida e eletrizante. Com personagens cativantes e antagonistas que prometem muitas ações imprevisíveis para os próximos livros. A capa pela Editora Galera Record é bem mais bonita que a britânica e toda excêntrica em relevo, com letras médias que não permitem o cansar da leitura .

"- Agradeça por seu coração humano, Feyre. Tenha piedade daqueles que não sentem nada."

Corte de espinhos e rosas é definitivamente um dos melhores livros do ano, um dos meus favoritos e parada obrigatória para amantes de fantasia, de forma original e que traz uma leve lembrança de " A Bela e A Fera", mas contando uma história tolamente diferente, que é inebriante e fará uma pessimista do mundo das fadas, eu, no caso a enlouquecer a ponto de não parar de ler por nada, entrando em êxtase a cada nova revelação ou reviravolta.

Render-se ao mundo mágico criado pela Maas será inevitável e quando menos esperar, você estará igual a esta apaixonada leitora da Sarah J.Maas, segurando o livro e tentando repassar tudo na sua cabeça , já na ansiosa pelo próximo volume da trilogia. 
Nota : ★★★★★ 


divulgar

comentar

12 janeiro 2016

Notícias: Arqueiro publicará See Me, novo livro de Nicholas Sparks

A Arqueiro confirmou que publicará See Me, novo livro de Nicholas Sparks, ainda este ano no Brasil, provavelmente em abril.

"Colin Hancock é jovem mas já viveu mais violência e abandono do que a maioria das pessoas. Foi perante o abismo que tomou a corajosa decisão de começar de novo. Agora, o emprego num restaurante da moda pode não o satisfazer, mas o sonho de se tornar professor parece cada vez mais perto de se concretizar. Dar às crianças o carinho e a atenção que ele próprio não teve é o seu grande e único objetivo… mesmo que o preço a pagar seja a solidão.
Maria Sanchez também deseja, acima de tudo, uma vida calma. Filha de imigrantes mexicanos, aprendeu desde cedo o valor do trabalho árduo, da ética e da lealdade. Para ela, bastam-lhe o emprego num prestigiado escritório de advogados e uma noite tranquila em casa para repôr as energias. Nem a insistência da sua irmã surte efeito. Com uma profissão tão arriscada, Maria aprecia a segurança que o isolamento lhe dá.
Colin e Maria não foram feitos um para o outro. Ele representa tudo aquilo que ela despreza, é o típico meliante que ela está habituada a ver atrás das grades. E quando se cruzam numa noite de tempestade, o fosso que os separa é profundo e evidente. Mas, a partir desse momento fortuito, as suas vidas não voltarão a ser as mesmas.
Conseguirão eles ver para além das aparências? Ler nos olhos do outro o que de mais profundo lhe vai na alma? Ceder à persistente memória daquela noite?"



divulgar

comentar


Notícias: A Novo Conceito anunciou contratação de Paula Ottoni


Novo Conceito anunciou a contratação da autora nacional Paula Ottoni, que já autopublicou seus livros 1825 Dias Sem Sol, Uma Princesa em Meu Lugar e A Destinada.

A brasiliense, leitora e escritora voraz desde cedo, já conquista os leitores desde 2010, quando um de seus contos foi publicado na revista Capricho. Desde lá, nunca mais parou e promete trazer ao público muito romance e fantasia.

Ainda não sabemos quais títulos serão publicados pela editora, mas o lançamento já está confirmado para 2016.



divulgar

comentar

10 janeiro 2016

Resenha: O leitor do trem das 6H27 - Jean Paul Didierlaurent


o_leitor_do_trem_das_6h27_1440449597523368sk1440449597b

Título:O leitor do trem das 6H27
Autor: Jean-Paul Didierlaurent
Editora: Intrínseca
Páginas: 176
Ano: 2015
Sinopse:Um romance sensível sobre o poder dos livros e da literatura.Operário discreto de uma usina que destrói encalhe de livros, Guylain Vignolles é um solteiro na casa dos trinta anos que leva uma vida monótona e solitária. Todos os dias, esse amante das palavras salva algumas páginas dos dentes de metal da ameaçadora máquina que opera.A cada trajeto até o trabalho, ele lê no trem das 6h27 os trechos que escaparam do triturador na véspera. Um dia, Guylain encontra textos de um misterioso desconhecido que vão fazê-lo buscar cores diferentes para seu mundo e escrever uma nova história para sua vida.Com delicadeza e comicidade, Didierlaurent revela um universo singular, pleno de amor e poesia, em que os personagens mais banais são seres extraordinários e a literatura remedia a monotonia cotidiana.

O leitor do trem das 6h27 foi uma leitura que me surpreendeu, seja pelo tamanho do livro , mas pela simplicidade e capacidade de fazer de encantamento. Seus personagens eram encantadores  e leves em toda a narrativa. 

Comecei achando um pouco chato , mas terminei a leitura suspirando e amando a delicadeza da historia. A rotina de Guylain Vignolles é monótoma, simples e ele é um rapaz que todos os dias lê em voz alta nos vagões do trem.Ele é  operador de uma máquina que “tritura” livros velhos, porem esse personagem salva páginas aleatórias e soltas ao vento todos os dias depois do expediente, lendo para quem quiser ouvir. Todavia,a  rotina de  Guylain  muda e o surpreende fazendo-o superar suas próprias dificuldades em busca de algo maior.

As primeiras impressões podem parecer chatas: livro curto, titulo grande e sinopse sem grandes dicas, PORÉM tudo é surpreendente. O autor trabalha o romance de um modo único, mostrando a superação e a delicadeza da trama, que tem uma mensagem tao bonita que nos faz refletir a importância das palavras e o quanto elas podem mudar uma situação. Uma obra que sem duvidas recomendo e que promete tocar teu coração de uma forma que nunca imaginastes.

Nota : 



divulgar

comentar


Notícias: capa divulgada de Beautiful Burn, de Jamie McGuire.

Divulgada a capa internacional de Beautiful Burn, de Jamie McGuire.
Desta vez, o livro é sobre Tyler Maddox. Porém, ainda sem previsão de lançamento aqui no Brasil.

                    


divulgar

comentar

09 janeiro 2016

9 séries que a Netflix vai lançar em 2016 !

A Netflix anunciou durante um evento que vai expandir suas séries e filmes, planejando dobrar seus conteudos originais ainda esse ano. AI Jesuis !


Mindhunter

Em Mindhunter. David Fincher , diretor de House of cards traz Charlize Theron como protagonista e Brit Joe Penhall, como roteirista novo no mercado. Ainda não saiu muitas informações sobre a série, mas ela é baseada em um livro de John Douglas e Mark Olshaker, dois agentes especiais que prenderam alguns dos maiores serial killers e revelaram os bastidores emMindhunter. A série ainda está em produção e deve estrear no final do ano.

The Ranch
Já imaginou uma comédia leve com Ashton Kutcher ,Danny Masterson e Elisha Cuthbert? A série será sobre um rancho de família, em que os irmãos Kutcher e Masterson mantém juntos. Porém, a série terá um diferencial. Ela vai ter as duas temporadas exibidas no mesmo ano.

13 Reasons Why
Selena Gomez será a protagonista e também produtora executiva nesta série,  baseada em um livro best seller do mesmo nome, que aqui no Brasil se chama “Os Treze Porquês”, de Jay Asher . Uma adolescente comete suicídio e deixa uma caixa de fitas cassetes com instruções para 13 pessoas, em que ela conta para cada um como eles contribuíram para a morte dela.

Luke Cage
Depois de O Demolidor e Jessica Jones, teremos a série própria do Luke Cage, o dono do bar e par romântico da nossa detetive bruta e irreverente. O Mike Colter vai repetir seu papel como homem indestrutível. A série ainda não tem data confirmada.

Degrassi: Next Class
A série mais adolescente da Netflix para esse ano , mostrará um grupo de alunos da escola Degrassi que enfrenta os desafios e experiências mais diversas nessa  fase da vida , com alguns tabus: como gravidez adolescente, drogas, homossexualidade, violência domestica, racismo e outros.Estreia dia 15 de janeiro.

 Love
Essa é a série do Judd Apatow, uma comédia que  irá mostrar um olhar moderno sobre relacionamentos e já está sendo considerada hilária e divertida. Ela já tem segunda temporada garantida e é uma das primeiras estreias do ano, em fevereiro. Estreia dia 19 de fevereiro.

Fuller House
Três é Demais (Full House) voltará ! Nossa, lembro como se fosse hoje quando eu assistia . As gêmeas Olsen não vão participar do reboot porque não estão mais no mundo das atrizes, mas a série nos levará a  volta a casa dos Tanner, em São Francisco. Todo o elenco original ,como John Stamos e Bob Saget no elenco – irão fazer alguma participação que seja. O ponto de vista será da DJ, que acaba de perder o marido e conta com a ajuda da melhor amiga e da irmã para criar seus filhos. Fuller House tem previsão de estrear em 26 de fevereiro.

The Crown 
 Essa série falará sobre a vida da Rainha Elizabeth, ambientada na Inglaterra de 1953. Uma série de documentários apresentados por Chelsea Handler (atriz, apresentadora de televisão, comediante e escritora norte-americana), chamado Chelsea Does, sem data oficial ainda.
Ps: Promo oficiais e legendadas.


The Get Down
Baz Luhrmann é o responsável por essa série que é um drama musical ao lado de Shawn Ryan .A série se passa no Bronx, em NY, nos anos 1970, em que a cena musical começava a experiência do hip-hop, punk e disco. Luhrmann trabalha neste projeto há 10 anos, mas a série ainda não tem data de estreia.


divulgar

1 comentário

08 janeiro 2016

Resenha: Um corpo na biblioteca, Agatha Christie


Um Corpo na Biblioteca




divulgar

1 comentário

07 janeiro 2016

Resenha:Dois Irmãos de Fábio Moon e Gabriel Bá


DoisIrmaos

Título : Dois Irmãos
Autor: Fabio Moon e Gabriel Bá
Baseado na Obra de: Milton Hatoum
Editora: Quadrinhos na Cia.
Páginas: 232
Gênero: HQs, Comics
SINOPSE:- Um dos livros mais importantes da literatura brasileira contemporânea, Dois irmãos vem, desde seu lançamento há quinze anos, conquistando novas gerações de leitores. E foi com o mesmo entusiasmo desses leitores que Fábio Moon e Gabriel Bá embarcaram na missão de adaptar o romance de Milton Hatoum para uma graphic novel. Entre os mais premiados da última década, os irmãos quadrinistas vêm igualmente arrebatando fãs e trazendo uma verdadeira legião de leitores às HQs. Suas obras foram publicadas em diversos países, atravessando fronteiras culturais e políticas. 
Ao mesmo tempo que preserva a força narrativa de Hatoum, esta adaptação evidencia o talento de Bá e Moon na construção de histórias que alternam entre a tragédia, a delicadeza, a brutalidade e o humor. No traço deles, a vida dos gêmeos Yaqub e Omar ganha novos contornos épicos. A Manaus dos quadrinhos, feita de um jogo de luz e sombras, acolhe este drama que cruza gerações e, seja nos grandes planos ou nos mínimos detalhes, carrega o enredo original de energia e vitalidade.
Quem conhece a obra de Hatoum vai não apenas reencontrar, mas redescobrir com outros olhos personagens marcantes como Domingas, Halim, Zana e Dália. E os novos leitores terão contato com um riquíssimo universo ficcional, um drama que, ao esmiuçar a intimidade e a rivalidade de Yaqub e Halim, lança luz nas frestas das relações familiares, do amor e da história recente do Brasil.

Dois irmãos contará a história dos gêmeos Omar e Yaqub, descendentes de libaneses que moram em Manaus. Inicialmente, os irmãos estão brigando e os motivos desta desavença os separam, criando ódio um pelo outro. Pela garota que ambos eram interessados e pela Segunda Guerra Mundial, o pai decide separa-los. O pai pretendia manda-los para o Líbano, mas Zana, sua mae não queria ficar sem os dois filhos. Entao, Yaqub foi mandado para a guerra, ficando fora de casa por 5 anos. Enquanto isso, Omar foi protegido pela mae.

A distancia não serviu para amenizar o ódio entre os irmãos. Yaqub não conseguia esquecer a briga, pois a marca ficaria para sempre no seu rosto. Omar vive protegido pela mãe, faz tudo o que quer e sempre está saindo para festas e mulheres. Yaqub é fechado, calado e um gênio da matemática, tornando-se posteriormente independente financeiramente dos pais.

Dois irmãos  é uma história de vingança e ódio,todavia não é focada somente na relação entre os irmãos. Todos os membros da família tem problemas e questionamentos quanto a sua vida. Halim e Zana sempre foram apaixonados, mas quando os garotos nasceram o relação não se restringiu mais a eles. Zana morre de ciúmes de Omar, então sempre dá um jeitinho para afastar ele das mulheres.

No começo não sabemos quem narra a história, porém com o passar do enredo percebemos que ela é contada pelo filho de Domingas, uma moça que ajuda Zana e mora com a família desde criança.O personagem narrador desconfia que é filho de um dos gêmeos.

Tive que pensar bastante depois de ter lido a HQ de  Fábio Moon e Gabriel Sá , mesmo sem ter lido a historia original de Milton Hatoum e dessa forma pude concluir que o enredo abrangeu diversos pontos da vida dos gêmeos e de seus familiares, mostrando a realidade sem pudor.

Nota : 



divulgar

comentar