• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
30 novembro 2015

Resenha: Mosquitolândia , David Arnolds


Mosquitolândia

Título: Mosquitolândia
Autor: David Arnold
Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Páginas: 352
Sinopse: “Meu nome é Mary Iris Malone, e eu não estou nada bem.” Após o inesperado divórcio dos pais, Mim Malone é arrastada de sua casa em Ohio para o árido Missis - sippi, onde passa a morar com o pai e a madrasta e a ser medicada contra a própria vontade. Porém, antes mesmo de a poeira da mudança baixar, ela descobre que a mãe está doente. Mim foge de sua nova vida e embarca em um ônibus com destino a seu verdadeiro lugar, o lar de sua mãe, e acaba encontrando alguns companheiros de viagem muito interessantes pelo caminho. Quando a jornada de mais de mil quilômetros toma rumos inesperados, ela precisa confrontar os próprios demô- nios e redefinir seus conceitos de amor, lealdade e sanidade. Com uma narrativa caleidoscópica e inesquecível, Mosquitolândia é uma odisseia contemporânea, uma história sobre as dificuldades do dia a dia e o que fazemos para enfrentá-las.

Mosquitolândia contará a  história de Mim, uma garota rebelde, impulsiva, e com alguns serios problemas, incluindo de epiglote.Mim acaba de se mudar com o pai e a madrasta para Jackson, no Mississippi e se encontra sem chao e com raiva por deixar sua mae e sua antiga vida. Depois de escutar uma conversa do diretor da sua escola e seu pai , ela descobre que sua mãe está doente e logo foge para  encontra-la.

"Minha mãe era o melhor despertador de todos os tempos. Toda manhã, sem falta, ela abria as cortinas para deixar a luz do sol entrar e sempre dizia a mesma coisa:
- Abras os olhos Mary, e encare o mundo sem medo. " 

Mary Iris Malone ou Mim é uma garota que logo me conquistou pelo seu jeito indie e com suas associações a filmes, músicas . Uma personagem ironica, inovadora e que nao tem medo de ser ela mesma, soltando palavroes  e fazendo o que esiver ao seu alcance para ajudar aqueles que ama. Sua mente é confusa, cheia de pensamentos que se transformarão em palavras em um direito escrito para uma pessoa.

"- Sabe, quando eu era mais nova, achava que, se vivesse o bastante, entenderia melhor as coisas. Mas agora sou uma senhora, Mim. E juro que, quanto mais vivo, menos as coisas fazem sentido. "

O livro não enrola e pede uma calma para ser lido. Tanto para conhecemos Mim, quanto para acompanharmos a sua viagem  que nos prenderá até o fim da historia. E durante esse tempo, Mim vai citando os motivos pelos quais decidiu fugir.

Temos vários personagens secundários, como o Homem do Poncho e Caleb , os viloes;  Carl, o motorista, e Arlene, uma idosa dama.Todavia, tambem temos os melhores amigos que Mim fará nessa viagem: Walt, um garoto com síndrome de Down, louco por coisas brilhantes e Beck, um fotografo que largou a faculdade para seguir seu sonho, além de ser o paquera de Mim. Logo, Mim descobrirá que ao lado de amigos verdadeiros ela pode passar por aventuras e confusões, mas somente com aquelas companhias conseguirá seguir em frene.  

"Sempre achei que, se o amor estivesse no caminho, eu o encontraria ou capturaria – nunca achei que tropeçaria nele."

Depois de enfrentar acidentes, comidas estragadas, jogos de beisebol, ladrões e pessoas com índole má, Mim encontra sua mae e percebe que existia um motivo maior para mante-las separadas.

O autor trata de temas, como: o uso de remédios antidepressivos em crianças e adolescentes que por vezes nao precisam deles, pessoas com síndrome de Down abandonadas e as dificuldades que um adolescente passa com uma familia desestruturada. Uma leitura acima de tudo reflexiva, densa e que deve ser degustada com calma.

"Sou uma coleção de esquisitices, um circo de neurônios e elétrons: meu coração é o dono do circo; minha alma, o trapezista, e o mundo, minha plateia. Parece estranho porque é estranho. E é estranho porque sou estranha."

Se você nunca embarcou em uma viagem a procura por algo ou alguém, deixe Mary com um segundo nome de flor te guiar por encontros e desencontros, buscas por si mesma e pelo que acredita.

NOTA:★★★★


divulgar

comentar

28 novembro 2015

Resenha:Um história meio que engraçada, Ned Vizzini


Uma História Meio Que Engraçada

Título: Um história meio que engraçada
Autor: Ned Vizzini
Editora: Leya
Páginas: 296
Sinopse:O que aconteceria se você descobrisse que a maior idealização da sua vida não era aquilo que você esperava? O adolescente Graig Gilner vai perceber que, até mesmo ao atingir um objetivo, nem sempre as coisas saem da forma como deveriam. Mas aprenderá também que, mesmo nas adversidades, é possível fazer novos amigos, se apaixonar e encontrar motivos para viver. Como muitos adolescentes determinados a vencer na vida, Craig Gilner acredita que asua entrada na Executive Pre-Professional High School de Manhattan é o passaporte para o seu futuro. Obstinado a ter uma vida de sucesso, Craig estuda dia e noite para gabaritar no exame de admissão, e consegue. A partir daí, o que deveria ser o dia mais importante da sua vida, acaba marcando o início de um sufocante pesadelo.

Originalmente como: “It’s kind of a funny story”, Graig Gilner é  um adolescente de 15 anos. Quase totalmente centrado nos estudos, educado e inteligente, se esforçando ao máximo para chegar na Executive Pre-Profissional High School, uma das escolas mais conceituadas de Manhattan.

Apos ter conseguido entrar, Craig começa a frequentar a escola tao sonhada e percebe que para permanecer nela é mais dificil do que pensava. Ele se torna vitima das pressões da vida colegial e dos amigos, fazendo perder o controle da sua vida, entrando em uma depressão clinica, que o prejudica perdendo o apetite e tendo dificuldades em controlar seus pensamentos.

“[...] Meu estômago está lotado com seis garfadas dessa refeição. Eu sou capaz de aguentar seis garfadas. Não vou perder. Não vou perder essa refeição que minha mãe preparou. Se o cachorro consegue viver, eu consigo comer. Eu seguro. Fecho os punhos. Contraio os músculos.”

Do jeito qe anda piorando, Graig vai de consultórios de psiquiatras atras de ajuda. Contado com o apoio de sua familia, ele conversa semanalmente com  a doutora Minerva, aliviando seus pensamentos: os "tentáculos" e as " ancoras", começando a tomar remédios para depressão.

“ O oposto dos Tentáculos são as Âncoras. As Âncoras são coisas que ocupam minha mente e me fazem sentir bem temporariamente. Pedalar minha bike é uma Âncora.”

Craig apos algum tempo tomando sua medicação, decide parar e surta, querendo se suicidar. Mas, algo faz ele mudar de ideia no dia, fazendo procurar ajuda, ligando para uma central de suicídio. Logo, ele procura ajuda e se interna numa  ala psiquiatria para adultos em um hospital.Ali, ele irá conviver com diferentes tipos de doentes, conhecendo várias figuras e nesses 5 dias formará grandes amigos, redescobrindo seu talento para desenhos e repensando sua vida.

O livro não chegou a me comover, mas em algumas partes pude entender a pressão pela qual Craig passava. A forma como foi abordado os transtornos psicológicos foi interessante, ao mistura com um senso de humor e criticas que nos fazem repensar nossos atos e nossa vida. Lembrando que o livro inspirou um filme:  “Se enlouquecer, não se apaixone”.

NOTA:★★★


divulgar

comentar

27 novembro 2015

Playlist: Novembro

Ow mês para me fazer cantar viu? Mesmo acabando, tenho algumas músicas favoritas e é tanto que uma de Drake - Hotline bling aparecerá duas vezes por aqui :]

Essa é a música que os covers são MARAVILHOSOS e o da Amy Vachal só me viciou nela :


A Korin tem uma forma de tocar com suas interpretações e nessa, ela é perfeita.


Jessie J: suas músicas...não tem como escolher só uma e o Jordan cantando só me fez chorar.





Aquela música que se torna sua quando a letra é parecida com algo da sua vida :]








Adorei a música pelo cover mais ou menos da Ellie Lawrence no The Voice 2015, numa versão mais rock .


divulgar

comentar

25 novembro 2015

Resenha: Yaqui Delgado quer quebrar sua cara, Med Medina


Yaqui Delgado Quer Quebrar a Sua Cara

Título: Yaqui Delgado Quer Quebrar Sua Cara
Autora: Meg Medina
Editora: Intríseca
Páginas: 270
Ano:2015
Sinopse:Piddy Sanchez acabou de mudar de bairro e de escola. No ensino médio do novo colégio, seu corpo atraente desperta tanto os olhares dos meninos quanto o da esquentada Yaqui Delgado, que não a vê como parte do grupo de latinas e começa a fazer cruéis ameaças à novata. Denunciar não é uma opção. Fugir não adianta. O importante agora é sobreviver.


Para começar, Yaqui Delgado Quer Quebrar Sua Cara da Meg Medina não é tão clichê como eu pensaria e me surpreendeu não por tratar de um tema frequente na vida de crianças e adolescentes, mas pela perspectiva da personagem Piddy, uma adolescente de quase 16 anos e que está mudando de bairro na cidade onde mora, e logo, de escola também. Uma garota latina comum, sem nunca ter conhecido seu pai, ela vive com a mãe e sempre pode contar com Lila, a melhor amiga das duas.

Porém, os problemas na vida de Piddy começam na primeira semana de aula no Daniel Jones High School, na qual Yaqui Delgado mandou um recado dizendo que vai quebrar sua cara, e mesmo sem saber quem é ou menos entender o que ela fez para receber essa ameaça.
 
"Estou cruzando a fronteira rumo ao território em que sou um risco, oferecendo perigo a quem me conhece. Meu problema pode ser contagioso, e ninguém quer pegar essa doença social."

As coisas começam a ficar serias quando Piddy é provocada na hora do almoço e sempre acontece algo. Os recados começam a ficar constantes e o bullying vai se tornando cada vez mais agressivo. Se tem haver com algum garoto ou se é porque ela pode ameaçar o lugar da Yaqui, Piddy nao sabe. Se é porque ela rebola demais? Tambem nao sabe. Mas , sua inferno começar a virar um inferno. Ela nao tem amigos, nem para quem pedir ajuda. Suas notas começam a cair e o medo a povoar cada vez mais sua rotina.

Assim como "A lista negra" da Jennifer Brown, Yaqui Delgado quer quebrar sua cara é um livro com uma visao realista do que o bullying é e das consequencias que traz para a vida de quem é vitima, seja por agressao moral ou fisica. A partir de Piddy, percebemos que sua pessoa muda: tudo. Seu comportamento com a mae, sua relação com a melhor amiga, sua vida escolar.

"Se eu contar a ela sobre o que tenho sofrido com Yaqui, só vou piorar as coisas. Ser dedo-duro quer dizer que você é fraco demais para cuidar de si mesmo. Que precisa de um adulto como escudo. Aonde isso vai me levar? Vou ser mais pária social do que já sou; vai ser a deixa para qualquer um me perseguir."

Me surpreendi com esse YA por nao ser idealizado, nao ter o romance como foco, mas o trauma de uma agressão moral e fisica podem fazer com alguém. Nao somos protegidos pelas consequências e ações descritas no livro. Temos que encarar e viver como a Piddy, que foi modificada pelo que aconteceu a ela.

"Ando pensando ultimamente que crescer é como passar por portas de vidro que só se abrem em uma direção; você consegue ver de onde veio, mas não pode voltar."

A escola é o lugar onde vivenciamos as alegrias, as novas experiencias e passamos por dificuldades, mudanças fisicas e mentais que definem uma parte de nós. As vezes, essas experiencias ficam guardadas para sempre, seja porque voce é maltratado por usar oculos, ter o cabelo cacheado ou diferente do usual, usar roupas estranhas, ser mais quieto, ter problemas com timidez. Acredito que a grande solução para um problema mundial como esse seja o respeito pelas diferenças e a formação do caráter.
 
Um livro recomendado não para ser romantizado, mas para mostrar a realidade crua da vivencia nas escolas, sejam lá nos EUA como aqui no Brasil. Para refletir e ensinar que o respeito tem que vim primeiro, antes de qualquer outro ensinamento. 

NOTA:★★★★★


divulgar

1 comentário

22 novembro 2015

Resenha: A 5 Onda ,Rick Yancey

A 5ª Onda
Título: A 5 onda #1
Autor: Rick Yancey
Ano: 2013
Páginas: 384
Sinopse:Depois da primeira onda, só restou a escuridão. Depois da segunda onda, somente os que tiveram sorte sobreviveram. Depois da terceira onda, somente os que não tiveram sorte sobreviveram. Depois da quarta onda, só há uma regra: não confie em ninguém. Agora inicia-se A QUINTA ONDA. No alvorecer da quinta onda, em um trecho isolado da rodovia, Cassie foge deles. Os seres que parecem humanos, que andam pelo campo matando qualquer um. Que dispersaram os últimos sobreviventes da Terra. Cassie acredita que, estar sozinho é estar vivo, até que conhece Evan Walker. Sedutor e misterioso, Evan Walker pode ser a única esperança de Cassie para resgatar seu irmão — ou até a si mesma. Mas Cassie deve escolher entre a esperança e o desespero, entre a rebeldia e a entrega, entre a vida e a morte. Entre desistir ou contra atacar.

Fazia algum tempo que eu escutava falar no livro famoso : A 5 onda e como sairia o filme em 2016 resolvi ler em uma das últimas viagens que fiz. Nunca fui muito fã de ficção científica, não pelo fato de não gostar, mas de achar por vezes, tão descritivo que torna-se cansativo. Porém, o livro me conquistou mais do que eu pensava, mas não totalmente. Em breve, explicarei o porque.

Os alienígenas estão entre nós. Segundo Cassie , eles são os Outros. Nada do jeito que imaginamos: verdes, pequenos ou grandes demais. Nada estranho. São tão parecidos conosco a ponto de nos enganar e isso sim é o mais perigoso. Sabem tudo sobre não. O que fazemos e pensamos, como agimos. Eles vivem entre nós. Cassie nesse mundo pôs apocalíptico está enfrentando sozinha a invasão alienígena . Ela não pode confiar em ninguém e se for pensar assim, será a última pessoa viva na Terra.

"Imagino que haja muita coisa parecida com isso: cidades abandonadas cheirando a esgoto e corpos em decomposição, casas incendiadas de que sobraram apenas as paredes, cães e gatos selvagens, engavetamentos de veículos que se estendem por quilômetros na rodovia. E corpos. Muitos e muitos corpos. "

Sua única motivação é certeza é que precisa encontrar seu irmão, Sammy, que foi levado por soldados para um abrigo, mas ela sabe que não é só isso. Todavia, depois de ser ferida em uma das suas mudanças de local, ela encontra Evan, um rapaz carinhoso, misterioso e que a ajuda no momento difícil. Será que ele é de confiança? 

A narrativa varia de primeira pessoa entre vários personagens : Cassie, Sammy e Ben Parish, ou também chamado de Zumbi. Assim como Cassie , o jovem enfrenta o fim do mundo e se mostra mais forte do que pensava. O enredo inicialmente me deixou morgada, não sei se pela descrição demasiada ou por não me identificar com Cassie.

No início, Cassie narra como tudo começou até o momento em que se encontra. As quatro ondas que vieram: a primeira desligou todos os aparelhos eletrônicos, a segunda foi um tsunami gigantesco, a terceira foi uma doença terrível e a quarta são os silenciadores, humanos matando humanos. Cassie não descobriu qual será a quinta onda, mas tem certeza que a raça humana será exterminada em breve. A trama tem seus momentos emocionantes, um pouco de romance e mais foco na ação dos personagens que estão sempre tentando sobreviver.

Mas , também é narrado por Evan, personagem que me cativou com sua incerteza quanto ao seu coração, mas sempre honesto. A história discute o ser humano nos momentos adversos, o que ele é capaz de fazer por algo ou alguém que ama. A 5 onda prova que os fortes sobrevivem.

"E se essa for a última guerra da Humanidade, então eu sou o campo de batalha."

A leitura não é tão simples quanto eu pensava. O livro tem uma certa complexidade e que requer mais atenção para não perder certos detalhes.O final me surpreendeu e me deixou cheias de perguntas que eu espero encontrar respostas. 

Lembrando que no próximo ano , o filme estreia dia 14 de janeiro !  Quem ai está ansioso?


“Quando chegar o momento de parar de fugir do passado, de virar e enfrentar o perigo que você acreditava não poder enfrentar, o momento em que a sua vida oscilar entre desistir e levantar, quando esse momento chegar, e ele sempre chega, se você não puder levantar c também não puder desistir, aqui está o que vai fazer: rastejar”

NOTA:★★★


divulgar

comentar

21 novembro 2015

Séries: conheça Limitless


A nova série dramática que estreou em 22 de setembro é baseada no filme de 2011, Sem Limites — A série é uma adaptação do filme homônimo e produzida por Bradley Cooper; ela conta a história de Brian Finch (Jake McDorman), um músico que não alcança o sucesso e que encontra em um remédio a grande solução para seus problemas. Durante a série, Brian passa a ter a capacidade de suportar os efeitos colaterais da droga que aumenta seu coeficiente intelectual em quatro dígitos, expandindo até o limite suas capacidades sensoriais e habilidades físicas, e demonstrando que a mente é um recurso infinito. O medicamento o oferece uso de 100% da capacidade cerebral, o tornando capaz de se lembrar rapidamente de diversas situações já vividas, além da capacidade de conseguir decifrar alguns problemas, tornando-o uma peça interessante para algumas pessoas, principalmente para o FBI.

A série conta ainda com algumas participações de Bradley Cooper que interpreta Eddie Morra, que também é produtor. Além de ter uma sacadas bem divertidas, com efeitos de HQ’s. Um ponto positivo da série é a dualidade do personagem de Bradley Cooper, que poderá ser eleito presidente ou se ele será o tutor de Brian.


Em cada episodio temos um  thriller diferente e não pense que são casos facies, tudo original a partir do filme e que promete ser a série queridinha do momento, já que vem ganhando nas audiências. Contando com Jennifer Carpenter e Desmond Harrington, ex-namorados na finada série Dexter.





divulgar

comentar

20 novembro 2015

Notícias: Mais um pôster da nova adaptação de Nicholas Sparks foi divulgado

Mais um pôster da nova adaptação de Nicholas Sparks foi divulgado. “A Escolha” estreará nos cinemas em 04 de fevereiro.

"Travis Parker (Benjamin Walker) possui tudo o que um homem poderia ter: a profissão quedesejava, amigos leais, e uma linda casa beira-mar na pequena cidade de Beaufort, Carolina do Norte. Com uma vida boa, seus relacionamentos amorosos são apenas passageiros e para ele, isso é o suficiente. Até o dia em que sua nova vizinha, Gabby (Teresa Palmer), aparece na porta. Apesar de suas tentativas de ser gentil, a loira atraente parece ter raiva dele. Ainda sim, Travis não consegue evitar se engraçar com Gabby e seus esforços persistentes o levam a uma jornada que ninguém poderia prever.Abrangendo os anos agitados do primeiro amor, casamento e família, A Escolha nos faz confrontar a questão mais cruel de todas: Até onde você iria manter o amor de sua vida?"
              
Confira o trailer da adaptação abaixo:


divulgar

comentar


Notícias: Novo pôster de “Orgulho e Preconceito e Zumbis”.



Um novo pôster de “Orgulho e Preconceito e Zumbis” foi divulgado. Previsto para estrear em 18 de fevereiro de 2016, na nova arte podemos ver Lily James e Sam Riley como Elizabeth Bennet e Sr. Darcy. Elizabeth, Lydia (Ellie Bamber), Mary (Millie Brady), Jane (Bella Heathcote), e Kitty (Suki Waterhouse) vivem nesse mundo paralelo do clássico Orgulho e Preconceito, de Jane Austen. Na história, Elizabeth é uma guerreira, mestre em artes marciais.
Matt Smith estrela como Sr. Collins, Jack Huston como Sr. Wickham, Douglas Booth como Sr. Bingley, Emma Greenwell como Caroline Bingley e Sally Phillips como a Sra. Bennet




divulgar

comentar


Resenha: A vingança de Mara Dyer, Michelle Hodkin


A Vingança de Mara Dyer

Titulo:A vingança de Mara Dyer (vol.3)
Autora: MICHELLE HODKIN
Editora: GALERA RECORD              
Ano: 2015
Páginas: 378 
SINOPSE: A série mescla paranormalidade, conspiração e romance para contar a história de uma adolescente com poderes especiais. Elogiada pelas autoras das séries Divergente e Instrumentos Mortais, Michelle Hodkin cria aqui uma trama surpreendente, onde nada é o que parece. Depois de descobrir que consegue matar apenas com o pensamento, assim como seu namorado é capaz de curar com a mesma facilidade, Mara Dyer é capturada por uma inescrupulosa médica, que a faz passar por uma série de testes e experimentos. Mas Mara não está sozinha. Outros jovens com poderes igualmente extraordinários são usados como cobaia. Com a ajuda deles, e de um velho inimigo, ela consegue fugir e parte em busca de vingança.

Okay ! Melhor dar minha opinião no final desta resenha. Lembrando que conterá SPOILERS dos livros anteriores. A Vingança de Mara Dyer é o ultimo livro da trilogia de Michelle Hodkin, sua estreia que começou perfeita, mas que decepcionou com esse final. Eu sei, que so iria dar minha opinião no final mesmo da resenha e nao consegui.

A trama iniciou intensa.  Mara está presa em algum lugar, sendo altamente medicada e sem ter noção de nada. Ela está em Horizontes, com a doutora Kells, que quer conserta-la.  Mas, Mara nao perdeu a esperança em encontrar Noah. Seu ex-namorado Jude a ajuda a fugir da clínica junto com seus amigos, Jamie e Stella, porém nada será facil e Mara estará um pouco diferente, querendo respostas e procurando incessantemente por Noah.

“Devia ter visto o jeito que ele estava te olhando quando estava fora do ar.
– Que jeito?
– Como se você fosse o oceano, e ele estivesse desesperado para conseguir se afogar.”

Não falarei muito do enredo para não dar grandes spoilers. A história tem seus pontos altos e baixos, e sei que eu tinha espalhado pelos meus vídeos e exaltado nas minhas resenhas anteriores que “A descontrução de Mara Dyer” e a “Evolução de Mara Dyer” tinham me deixado puxando meus cabelos e querendo pensar que eu realmente estava louca. 

Inicialmente não sabia classificar o gênero, se era sobrenatural, paranormal, romance, drama. Logo, ainda não posso defini-lo, pois o modo que encerrou essa trilogia me agradou por partes e por outras não. Eu queria mais do Noah da história e não tive esse prazer de ver. Mara estava altamente confusa, devido a todo trauma que tinha passado e as passagens entre passado e presente com uma parente sua explicavam um pouco do que ela era e quem seria.

"É possível ser visto e não amado, ou amado e não visto. E Noah me amava e me via. Mais que isso, me escolhera. Não poderia lhe dar a eternidade, ainda que merecesse. Não podia mantê-lo protegido, ainda que quisesse. Podia, porém, lhe dar aquele dia. Aquela noite. E tentaria lhe dar os amanhãs, todos eles, pelo tempo que conseguisse. Não era o bastante para mim, mas era para ele."

Mas, obvio que o romance entre Mara e Noah não para. Noah como sempre, arrancando suspiros e fazendo os capítulos finais valerem super a pena. Enquanto isso, destaco os personagens secundários: Jamie, Daniel e Stella. Daniel , irmão da Mara e Jamie, amigo dela que estão sempre ao seu lado, não importando o perigo.

"Eu te amo. Hoje. Esta noite. Amahã. Para sempre. Se vivesse mil anos, pertenceria a você por todos eles. Se vivesse mil vidas, ia querer fazê-la minha em cada uma."

Só recomendo essa trilogia. Romance, drama, sobrenatural e suspense permeiam o tempo todo. Sentirei falta demais de Mara e Noah, mas em breve vou reler e matar um pouco do amor e da loucura que a Michelle compartilhou com seus leitores.entirei falta demais de Mara e Noah, mas em breve vou reler e matar um pouco do amor e da loucura que a Michelle compartilhou com seus leitores.

NOTA: ★ ♥




divulgar

comentar

18 novembro 2015

Resenha: Filme "A esperança- Parte 2"- Jogos Vorazes

Chegou a hora de dar Adeus a uma saga que nos marcou há anos. Para mim, foi o inicio de adaptações cinematográficas distopicas incríveis, com centralização na figura feminina e no quanto ela significa para ideiais. O último filme é baseado na obra de Suzanne Collins mostra Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence), que se encontra no Distrito 13 depois de ter literalmente acabado com os jogos para sempre. Sob a liderança da Presidente Coin (Julianne Moore) e seguindo os conselhos de seus amigos de confiança, Katniss abre suas asas e luta para salvar Peeta (Josh Hutcherson) e toda uma nação movida por sua coragem. Porém, ela não aguenta mais e sua luta precisará de um fim. Katniss com uma equipe entram na Capital em busca de acabar com Snow e por um fim a essa guerra.

mockingjay

Fui para a pré-estreia aqui em Joao Pessoa na primeira sessão legendada de 14:45, então imagina a gritaria quando o filme começou, os choros quando terminou e os risos em algumas cenas que o romance era foco. Foi um bom filme, mas nada supera Em Chamas com todas as suas cenas de luta e ação. Jennifer Lawrence é a DIVA em qualquer filme que ela faça, seria impossível nao se emocionar.
Saudade já começa a definir. E vocês? Já assistiram ao filme? O que acharam?


divulgar

1 comentário


Texto: Eu fico


             
Eu fico. Se for só para você se sentir bem, eu fico. Eu fico para continuar. Para recomeçar. Dar a volta por cima, que eu sei que a gente consegue. 

Eu fico para te abraçar apertado, te dar um beijo de boa noite e bagunçar seu cabelo. Eu fico para discutir Gotham e The Flash contigo, mesmo que no fim a gente acabe virando os olhos e dando a língua, um querendo ser melhor do que o outro, mas sabendo que somos melhores juntos. Eu fico para ouvir seus problemas, tua inquietude, tuas duvidas. E talvez, depois disso, possamos sair para dar um rolé, sem destino, pela cidade com uma musica qualquer que esteja passando na rádio. Sei que cantarei a plenos pulmões e você me chamará de louquinha e rirá; e eu, te olharei sorridente porque se existisse uma câmera nesse momento, eu tiraria mil fotos suas para colar pelo meu quarto e acordar com você todos os dias.

 Eu fico se você quiser escolher uma camiseta preta ou azul, aquele relógio ou apenas um óculos novo. Eu fico se tiver sushi na mesa e você como companhia. Eu seguro meu sono por mais de 10 minutos, so pra escutar sua voz. Eu fico se quiser rir, se quiser me contar uma piada sem graça e eu rirei para te fazer feliz. 

Eu fico, mas não me deixar ir. Não me deixa ir sem viver outros mundos com você. Nao me deixa ir, porque eu sei que meu lugar é com você; que consigo ser eu mesma e posso viver tudo do seu lado. Me deixa continuar sentindo as batidas desaceleradas do meu peito toda vez que te vejo e minha carranca ser arrancada, dando lugar a um sorriso grande demais para meu rosto.

 Ainda não quero ir, porque não vivi metade do que planejei para nós dois:a viagem para outro estado, a descoberta de novas séries, aquela trilha que você falava sempre e você ainda não me ensinou a surfar.

 Mas, se não for para te ter por inteiro, me deixa ir. Eu precisaria ir, porque ter você por perto e nao poder viver com você, é difícil e dolorido demais para mim.


divulgar

comentar

17 novembro 2015

Resenha: Belas mentiras #1 , M. Leighton


Belas Mentiras

Titulo: Belas Mentiras (All the Pretty Lies)
Pretty Lies #01
Autora:M. Leighton
Páginas: 280
Editora: Record
Ano:2015 
Sinopse: Primeiro volume da série Pretty Lies, da mesma autora da trilogia Bad Boys Inocente, pura e doce, Sloane sempre foi superprotegida pela família, mas ela jurou a si mesma que, ao completar 21 anos, tudo seria diferente. E, quando o relógio bate meia-noite, Sloane está pronta para sair do casulo e quebrar algumas regras. O jovem Hemi tem vários talentos, mas manter o controle, infelizmente, não é um deles. Acostumado a fazer o que sempre quis, nunca precisou se importar muito com as consequências de seus atos. Até que uma tragédia mudou para sempre sua vida. Agora ele tem apenas uma missão, e nada é capaz de afastá-lo de seu objetivo... Até conhecer Sloane. Mas nada que Sloane e Hemi viveram até hoje foi capaz de prepará-los para o que está por vir. Quando essas duas almas problemáticas se encontram, a conexão é imediata, e eles não têm outra escolha a não ser mergulhar em um mundo de loucura, paixão e devassidão. Porém, os dois têm algo a esconder, e logo vão descobrir que a tentação está nos pequenos detalhes. E é nos pequenos detalhes também que se encontram as mais belas mentiras.

Belas Mentiras é o novo livro da M.Leighton , autora da trilogia Bad Boys, pela Galera Record.
Sloane Locke é a garota superprotegida é inocente, que foi criada por 4 homens na sua casa de policiais, que controlam todos os seus passos. Porém, Quando Sloane completa 21 anos ela decide que irá curtir a vida a todo custo, e seu primeiro ato de rebeldia é fazer uma tatuagem, levando ao estúdio de Hemi, um cara misterioso e que fará ela descobrir a garota sexy em si.

Logo, no primeiro olhar, a conexão é inevitável, seja pelo amor à arte e entrega, quanto a atração. Mas, Hemi ao perceber a inocencia de Sloane, se afasta o quanto pode, ou talvez isso fosse sua intenção. Todavia, ele está em uma missão é nem uma bela garota o fará desistir de sua missão. 

" Mas uma garota como ela merece o bonzinho, também. E o mau é tudo que tenho. É tudo no qual estou interessado. Principalmente agora, o que significa que tenho de ficar longe dela. Tenho de negar a mim mesmo o prazer de tê-la. E não estou acostumado a me negar nada que quero. Inclusive mulheres."

Belas Mentiras é aquele New Adult misterioso e mentiroso. Narrado em primeira pessoa, com alternância  entre Hemi e Sloane . O livro é narrado em primeira pessoa e alterna capítulos entre Sloane e Hemi. E logo nas primeiras páginas, eu não poderia deixar a história de lado. Aliás, qual seria a missão de Hemi? É porque Sloane se sentia tão presa?

Sloane é uma jovem de 21 anos que anseia ser vista como uma mulher, tomando suas próprias decisões e lidando com suas consequências, fatos que não acontecessem devido a super proteção de seus irmãos. Porém, ela me conquistou pela coragem e por nunca deixar o medo dominá-la. Hemi é o bad boy, tatuado, inteligência é irresistível. Com sua fala mansa, seu caráter bem ou mal intencionado, que veio cumprir uma vingança, mas que tomará um rumo diferente ao se deparar com uma paixão por Sloane.

"- Sarah... – digo, revirando os olhos. – Você devia ter nascido homem.
- Por quê? Só porque sou sincera.
- Talvez.
- Exatamente por isso que não sou homem. Homem não é sincero. Eles escondem coisas e dizem o que você quer ouvir. Eu não faço isso. Por isso Deus me fez mulher. De longe um gênero muito superior."

Belas Mentiras tem um enredo de personagens secundários, de irmãos briguentos a uma melhor amiga sem papas na língua e que traz um humor incrível ao livro. Eu adorei o livro, mesmo com o final inacabado e com muitas perguntas na minha cabeça , principalmente sobre Sloane. Os próximos livros de Belas Mentiras serão barrados pelos irmãos de Hemi, que pareciam bem intensos relatados pelo próprio.Indico a leitura para amantes de New Adult, mistério é um toque de sedução .

NOTA: 



divulgar

comentar

15 novembro 2015

Resenha : Eva #1 - Anna Carey


Eva

Título: Eva
Série: Trilogia Eva #1
Autora: Anna Carey
Editora: Galera Record
Ano: 2013
Páginas: 288
Sinopse: A guerra dos sexos está apenas começando... No futuro, uma praga mortal aniquilou a população da terra. Homens e mulheres seguem segregados. Os meninos são mandados para campos de trabalho forçado. As meninas, para Escolas onde aprendem uma profissão chave na reconstrução mundial. Mas as aparências enganam... E Eva está prestes a descobrir que a verdade pode ser muito mais terrível do que o vírus que varreu seu país. Está prestes a descobrir que seu futuro pode ser mais parecido com a da primeira mulher a levar seu nome...

Por amar distopias, não poderia deixar de ler Eva, da autora Anna Carey, a mesma de Black Birdy,lançada pela Galera Record. Depois que o mundo foi destruído por uma praga, que dizimou a maior parte da população, poucas pessoas sobrevirão, entre elas : o rei, que governa e tenta reorganizar a sociedade do seu jeito.

Para repovoar as cidades, fez com que meninos e meninas órfãos fossem separados. Os meninos foram enviados para campos de trabalho forçado e as meninas para as Escolas, lá elas seriam bem tratadas, nutridas e ensinadas para no futuro exercer uma profissão importante, porem todo esse futuro é mais profundo e misterioso que elas poderiam imaginar.

"A praga está levando todos os que tomaram a vacina. Não há mais voos. Não há mais trens. Eles bloquearam as estradas que saem da cidade, e agora todos nós devemos esperar. Os telefones e a internet caíram há muito tempo. As torneiras estão secas, e as cidades estão perdendo energia elétrica, uma a uma. Logo o mundo inteiro estará às escuras."

 Ao ver uma colega, Eva, a melhor aluna da turma decide interrogar aquela ação . Então, a partir deste dia ela decide questionar todo o sistema pelo qual anda vivendo, descobrindo que após a tal formatura, as meninas se tornavam parideiras. Eva decide fugir da sua vida e procura o caminho para Califia, mas tudo é tenso e por não saber sobreviver as chances são mínimas, porem ela encontra Arden, a colega que tinha fugido e Caleb, um fugitivo dos campos de trabalho que mora em um esconderijo de meninos.

[...] O rosto dele era tão suave, tão sincero e doce que eu me esqueci, mesmo que só por um instante, que éramos diferentes. Que ele era do outro sexo, o mesmo sobre o qual eu fora advertida. O mesmo que eu passara a vida inteira temendo. "

O livro é narrado em 1º pessoa, entao acompanhamos Eva , entendendo como ela foi criada e sua inocencia em algumas ações, que colocam em risco a vida dela e de seus amigos. Arden, para mim, é a personagem mais forte, pois sua historia nao é nada como imaginei. Seu comportamento agressivo e suas sacadas sao hilarias, e dao um toque de humor negro ao enredo.No caminho para Califia, varios problemas irão surgir e Eva tentará lidar com uns sentimentos, que ela nao esperava sentir.

“Meu corpo se enroscou e tremeu, tomado pela vergonha. Tanto na Escola quanto fora dela, eu acreditara que o amor era uma responsabilidade - algo que podia ser usado contra mim. Comecei a chorar, finalmente sabendo a verdade: o amor era o único adversário da morte, a única coisa poderosa o bastante para combater sua força urgente e arrebatadora.

 O livro é narrado sob o ponto de vista de Eva, os capítulos curtos, a narrativa flui bem e mesmo não tenho ação o tempo todo o livro prende o leitor, fazendo querer ler até terminar. A capa é linda, como todos da série e fiquei feliz porque a editora manteve a capa original.  

“[...] Uma coisa que a professora Agnes dissera era verdade, até mesmo agora: alguns homens viam as mulheres apenas como mercadoria. Como combustível, arroz ou carne enlatada. "

Eva é uma distopia cujo tema  entre sexos chama a atenção, pela intensidade e historia inovadora. De romance a aventura.Anna Carey criou um mundo onde  homens e mulheres são segregados, no qual o sexo feminino é tratado como mercadoria. Recomendo a leitura a amantes de distopias, aventura e ação não faltarão a este livro. Ansiosa pela “Uma vez”, que já foi lançado pela Galera Record.

“O amor era o único adversário da morte, a única coisa poderosa o bastante para combater sua força urgente e arrebatadora.

Capas originais da trilogia: 

                            
NOTA: 


divulgar

comentar

14 novembro 2015

Texto: quero respostas



Estou sem dormir há alguns dias . Estou esperando por respostas que não vem.
Por perguntas que existem desde sua chegada e às quais não consigo entender.
Estou tentando ser forte para te deixar ir. Deixar seguir. Me desprender de ti.

Você não diz nada e eu não digo tudo que tenho para dizer. Quem disse que sou forte o suficiente para isso? Quem disse que o amor aguenta tudo? Quem disse que a verdade é bonita no final das contas? 

A escuridão me persegue e tu devias saber disso. Nem a lua consegue iluminar meus pensamentos, quando da varanda me ponho a lembrar das suas palavras, querendo significados e me perdendo em ações. Eu só odeio demais tudo isso. Sentir demais. Amar demais. Ter os olhos marejados por dias alternados.

Não sou nada demais. Nem forte, nem fraca. Uma metade indecisa, pois não sabe se vai ou se fica o que meu coração sustentará mais.
Não sei se largo tudo. Se decido perder tudo para me encontrar inteira ou em pedaços. Se fomos fortes para começar, seremos fortes para largar tudo?




divulgar

comentar

13 novembro 2015

Notícias: Novos posteres e trailer de Convergente

O trailer oficial de Convergente, da Série Divergente da Veronica Roth foi divulgado, juntamente com novos posteres com estreia no dia 17 de março de 2016 e Ascendente em 23 de março de 2017.





divulgar

comentar


Resenha: Como se apaixonar,Cecelia Ahern

Como Se Apaixonar
Título: Como se apaixonar
Autor: Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Páginas: 352
Ano:2015
Gênero: Romance
- Livro cedido em parceria com a Editora Novo Conceito
Sinopse:Depois de não conseguir evitar que um homem acabasse com a própria vida, Christine passa a refletir sobre o quanto é importante ser feliz. Por isso, ela desiste de seu casamento sem amor e aplica as técnicas aprendidas em livros de autoajuda para viver melhor.Adam não está em um momento muito bom, e a única saída que ele encontra para a solução de seus problemas é acabar com sua vida. Mas, para a sorte de Adam, Christine aparece para transformar sua existência, ou pelo menos tentar ajudá-lo.Ela tem duas semanas para fazer com que Adam reveja seus conceitos de felicidade. Será que ele vai voltar a se apaixonar pela própria vida?

Como não se apaixonar pelos livros da Cecelia Ahern? Com uma escrita delicada e sutil, ela transformou alguns conceitos de autoajuda em um enredo divertido e que promete surpreender o leitor. Sério ! Eu leio até lista de supermercado dessa mulher, gente !

Christine narra todos os acontecimentos da sua vida e consulta muitos livros auto ajuda para tudo e qualquer problema. Depois que não ter conseguido impedir o suicídio de um homem, ela resolver acabar com seu casamento por não estar feliz, enfrentando as consequências de sua escolha, que vão desde um ex-marido chato á comentários de conhecidos. Porém, em uma cena de suicídio, ela conhece Adam e consegue convence-lo a desistir da morte ao propor um acordo de 2 semanas para que ele tenha vontade de viver.





















Aos poucos, Christine vai se aproximando de Adam, conversando e acabam tornando-se amigos. Porém, Adam vive dilemas familiares: sua irmã roubou milhões da empresa do seu pai, o mesmo encontra-se com uma doença terminal, querendo que o filho assuma os negócios da família e tem mais uma: sua namorada o traiu com o melhor amigo. Então, cabe a Christine ajudar a Adam a recuperar o controle da sua vida e se apaixonar por viver.

Às vezes, quando você vê ou vivencia algo muito real, fica com vontade de parar de fingir. Você se sente um idiota, um charlatão. Fica com vontade de afastar-se de tudo o que é falso, seja algo inocente e inofensivamente falso ou algo mais sério; como seu casamento. Isso aconteceu comigo.”

Comecei esse livro no inicio da tarde e terminei em poucas horas e confesso que estava com o pé atrás quanto a Christine, que queria se redimir, mas toda a história colocou vários sorrisos no meu rosto e varias risadas, mas também me encantou pelo modo como Adam e Christine pareciam dar certo e viver como velhos amigos. Acredito , que por mais que em alguns momentos eu tenha pensado que tudo estava rápido demais, não consegui achar grandes defeitos em uma narração que daria um ótimo filme.

"- É um momento, isso é tudo. E momentos passam. Se você aguentar, esse momento vai passar e você não vai querer acabar com a sua vida. Você provavelmente acha que ninguém se importa, ou que as pessoas vão se esquecer de você. Talvez ache que elas querem que você faça isso. Não querem. Ninguém quer isso para outra pessoa. Pode parecer que não há opções, mas há... Você pode superar isso. Saia daí e vamos conversar sobre o assunto. O que quer que esteja acontecendo, você consegue superar. É um momento, isso é tudo."

Christine me fez rir , porém senti que ela era humilhada demais, principalmente por seu ex-marido que espalhava mentiras sobre suas amigas e sobre ela. Apesar de tudo, ela é forte. A maneira como ela procura sempre ajudar os próximos, colocando-se no lugar dos outros e sem nunca pedir nada em troca, me fez querê-la como amiga. Adam é aquele cara que despertou meu amor imediato, divertido e irreverente. O pai da Christine e suas duas irmãs me fizeram rir horrores e ficar imaginando como seria conhece-las.

De toda forma, Como se apaixonar é emocionante, tratando de temáticas delicadas como o suicídio, gerando reflexões que permeiam as vítimas de uma forma delicada. Apesar de não ser o meu livro favorito da autora, foi uma leitura fluida e sensível, mostrando que a felicidade pode estar em lugares diferentes e que não precisamos de livros de autoajuda para guiar nossa vida 24 horas. A ajuda necessária em alguns momentos é o abraço de um amigo, o beijo de um amor, um momento divertido, o apoio da família ou apenas uma piada, uma palavra que nos conforte, prometendo que as coisas irão melhorar.

Então, se você queria algo para se divertir, mas ao mesmo tento repensar suas escolhas, sua vida, o romance da Cecelia Ahern é perfeito para se divertir ..

     

NOTA: ★ ♥



divulgar

comentar