• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
29 julho 2015

Resenha:NÓS, David Nicholls


Título:NÓS
Autor: David Nicholls
Editora: Intrínseca
Páginas: 384
Ano:2015
SINOPSE: Certa noite, Douglas Petersen, um bioquímico de 54 anos apaixonado pela profissão, por organização e limpeza, é acordado por Connie, sua esposa há 25 anos, e ela lhe diz que quer o divórcio. O momento não poderia ser pior. Com o objetivo de estimular os talentos artísticos do filho, Albie, que acabou de entrar para a faculdade de fotografia, Connie planejou uma viagem de um mês pela Europa, uma chance de conhecerem em família as grandes obras de arte do continente. Ela imagina se não seria o caso de desistirem da viagem. Douglas, porém, está secretamente convencido de que as férias vão reacender o romance no casamento e, quem sabe, também fortalecer os laços entre ele e o filho.
Com uma narrativa que intercala a odisseia da família pela Europa — das ruas de Amsterdã aos famosos museus de Paris, dos cafés de Veneza às praias da Barcelona — com flashbacks que revelam como Douglas e Connie se conheceram, se apaixonaram, superaram as dificuldades e, enfim, iniciaram a queda rumo ao fim do casamento, Nós é, acima de tudo, uma irresistível reflexão sobre a meia-idade, a criação dos filhos e sobre como sanar os danos que o tempo provoca nos relacionamentos. Sensível e divertido, com a sagacidade e a inteligência dos outros livros do autor, o romance analisa a intrincada relação entre razão e emoção.

Mais conhecido por "Um dia", o autor britânico finalmente deu um final feliz aos seus livros, marcados por finais triste. "Nós" contará a história de um homem com mais ou mneos 50 anos, Douglas, que fica surpreso quando no meio da noite sua esposa Connie diz que quer se separar depois de vários anos de casamentos.

"Sempre tive a impressão de que estávamos juntos porque queríamos estar juntos, e porque éramos felizes a maior parte do tempo. Eu pensava que nós nos amávamos. Eu pensava… Evidentemente eu estava enganado, mas estava ansioso para envelhecermos juntos. Eu e você, envelhecermos e morrermos juntos."

Mas, antes disso , eles tinham preparado uma viagem para se despedir do seu filho, Albie, com 17 anos que irá para a faculdade de fotografia. Douglas que sempre imaginou a eternidade com a sua esposa, estava ansioso pela velhice com sua amiga. Porém, Connie não pensava o mesmo.

Mesmo com essa dor da separação e com infelicidade no relacionamento, Douglas viajar com sua esposa e filho para países europeus, no fundo com uma pequena esperança de reverter a situação.Com o passar do tempo, vamos conhecendo melhor o inicio do casal, como se conheceram e chegaram a esse ponto como família.

Minha mulher e meu filho gostavam de implicar comigo. Aquilo lhes dava prazer, então sorri e entrei na brincadeira, confiante de que ficariam gratos no fim.

Douglas é um cientista, nerd e mais reservado; Já Connie é artista ambiciosa, que se apaixona. Como aquela famosa frase: os opostos se atraem. Eles se casaram, Douglas já perdoou traição dela e aceitou seus humores e comportamentos.

"Eu adorava a evidência de sua presença e a promessa de seu retorno, o jeito que ela mudava o cheiro daquele pequeno e sombrio apartamento."

 A viagem poderia ter sido um conto de fadas, porém passa a ser um verdadeiro castigo e por vezes desejei que Douglas fosse mais forte e saísse em busca de si próprio. Deixasse a mulher e seu filho rebelde para encontrar sua própria felicidade. Albie é aquele garoto que nos primeiros capítulos já percebemos que é difícil de lidar com ele. Chato, rebelde, egoísta e despreza seu pai.

Nesse Grand Tour , Douglas promete a si mesmo que curtirá, que fará coisas que não gosta para agradar sua família e que tentará reconquistar Connie. Em um certo momento da viagem, Albie e Douglas tem uma grande discussão e seu filho sai em outro rumo com uma garota Cat. No entanto, Douglas não quer desistir da viagem como Connie e vai procurar Albie onde quer que ele esteja na Europa, a fim de leva-lo para casa.

"Nossas biografias nos envolvem tão intrinsecamente agora que ambos estamos em quase todas as páginas. "

David Nicholls dá uma riqueza de detalhes sobre tantos países europeus que me senti como se tivesse visitando naquele momento. A narrativa começa deliciosa e no meio é tão sofrida, que demorei mais de 4 dias para terminar esse livro. Porém, é um relato intenso e verdadeiro sobre um relacionamento e seus conflitos. E ainda bem, que David Nicholls fugiu dos finais sofridos. Leitura para quem ama o gênero romântico e dramático, com viagens ao fundo e conflitos familiares á parte.

NOTA:  ★★★



divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário