• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
22 novembro 2015

Resenha: A 5 Onda ,Rick Yancey

A 5ª Onda
Título: A 5 onda #1
Autor: Rick Yancey
Ano: 2013
Páginas: 384
Sinopse:Depois da primeira onda, só restou a escuridão. Depois da segunda onda, somente os que tiveram sorte sobreviveram. Depois da terceira onda, somente os que não tiveram sorte sobreviveram. Depois da quarta onda, só há uma regra: não confie em ninguém. Agora inicia-se A QUINTA ONDA. No alvorecer da quinta onda, em um trecho isolado da rodovia, Cassie foge deles. Os seres que parecem humanos, que andam pelo campo matando qualquer um. Que dispersaram os últimos sobreviventes da Terra. Cassie acredita que, estar sozinho é estar vivo, até que conhece Evan Walker. Sedutor e misterioso, Evan Walker pode ser a única esperança de Cassie para resgatar seu irmão — ou até a si mesma. Mas Cassie deve escolher entre a esperança e o desespero, entre a rebeldia e a entrega, entre a vida e a morte. Entre desistir ou contra atacar.

Fazia algum tempo que eu escutava falar no livro famoso : A 5 onda e como sairia o filme em 2016 resolvi ler em uma das últimas viagens que fiz. Nunca fui muito fã de ficção científica, não pelo fato de não gostar, mas de achar por vezes, tão descritivo que torna-se cansativo. Porém, o livro me conquistou mais do que eu pensava, mas não totalmente. Em breve, explicarei o porque.

Os alienígenas estão entre nós. Segundo Cassie , eles são os Outros. Nada do jeito que imaginamos: verdes, pequenos ou grandes demais. Nada estranho. São tão parecidos conosco a ponto de nos enganar e isso sim é o mais perigoso. Sabem tudo sobre não. O que fazemos e pensamos, como agimos. Eles vivem entre nós. Cassie nesse mundo pôs apocalíptico está enfrentando sozinha a invasão alienígena . Ela não pode confiar em ninguém e se for pensar assim, será a última pessoa viva na Terra.

"Imagino que haja muita coisa parecida com isso: cidades abandonadas cheirando a esgoto e corpos em decomposição, casas incendiadas de que sobraram apenas as paredes, cães e gatos selvagens, engavetamentos de veículos que se estendem por quilômetros na rodovia. E corpos. Muitos e muitos corpos. "

Sua única motivação é certeza é que precisa encontrar seu irmão, Sammy, que foi levado por soldados para um abrigo, mas ela sabe que não é só isso. Todavia, depois de ser ferida em uma das suas mudanças de local, ela encontra Evan, um rapaz carinhoso, misterioso e que a ajuda no momento difícil. Será que ele é de confiança? 

A narrativa varia de primeira pessoa entre vários personagens : Cassie, Sammy e Ben Parish, ou também chamado de Zumbi. Assim como Cassie , o jovem enfrenta o fim do mundo e se mostra mais forte do que pensava. O enredo inicialmente me deixou morgada, não sei se pela descrição demasiada ou por não me identificar com Cassie.

No início, Cassie narra como tudo começou até o momento em que se encontra. As quatro ondas que vieram: a primeira desligou todos os aparelhos eletrônicos, a segunda foi um tsunami gigantesco, a terceira foi uma doença terrível e a quarta são os silenciadores, humanos matando humanos. Cassie não descobriu qual será a quinta onda, mas tem certeza que a raça humana será exterminada em breve. A trama tem seus momentos emocionantes, um pouco de romance e mais foco na ação dos personagens que estão sempre tentando sobreviver.

Mas , também é narrado por Evan, personagem que me cativou com sua incerteza quanto ao seu coração, mas sempre honesto. A história discute o ser humano nos momentos adversos, o que ele é capaz de fazer por algo ou alguém que ama. A 5 onda prova que os fortes sobrevivem.

"E se essa for a última guerra da Humanidade, então eu sou o campo de batalha."

A leitura não é tão simples quanto eu pensava. O livro tem uma certa complexidade e que requer mais atenção para não perder certos detalhes.O final me surpreendeu e me deixou cheias de perguntas que eu espero encontrar respostas. 

Lembrando que no próximo ano , o filme estreia dia 14 de janeiro !  Quem ai está ansioso?


“Quando chegar o momento de parar de fugir do passado, de virar e enfrentar o perigo que você acreditava não poder enfrentar, o momento em que a sua vida oscilar entre desistir e levantar, quando esse momento chegar, e ele sempre chega, se você não puder levantar c também não puder desistir, aqui está o que vai fazer: rastejar”

NOTA:★★★


divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário