• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
02 setembro 2016

Resenha:The game #2 - Anders de La Motte

Título: Ruído – Trilogia The Game – Volume 2
 Autor: Anders de La Motte
 Editora: Darkside Books
Páginas:320
Ano:2015
Gênero: Suspense e Mistério / Literatura Estrangeira / Romance policial
Sinopse: Esse não é mais um jogo para iniciantes. 
Como acontece num bom videogame, à medida que o jogo avança, a leitura fica mais perigosa. [Ruído], volume dois da Trilogia The Game, traz o protagonista HP Peterson enfrentando uma nova fase do Jogo de Realidade Alterada que pôs sua vida em risco, no primeiro livro da série. HP poderia ter tudo: dinheiro, conforto, liberdade. Mas ele está disposto a arriscar tudo para sentir de novo a adrenalina correndo em suas veias. Enquanto isso, a policial Rebeca Normén começa a receber ameaças anônimas por um fórum de internet. O cerco começa a se fechar sobre os dois. Como se proteger de uma ameaça que você não tem certeza que existe. [Ruído] é o segundo livro da Trilogia The Game, de Anders de la Motte, o ex-policial e diretor de segurança de informação que se transformou no grande nome do suspense da Suécia após a morte de Stieg Larsson. O autor desenvolve uma série para a TV americana com o produtor executivo de Homeland e 24 Horas. 
A Trilogia The Game conta a história de HP, um jovem que tem sua vida transformada num jogo emocionante quando encontra um celular no vagão de trem. Através de mensagens anônimas no aparelho, ele passa a receber instruções para realizar tarefas no mínimo instigantes. A detetive Rebecca Normén é sua irmã, diferente de HP como são opostos a água e o vinho. 
Fenômeno em diversos países, a Trilogia The Game é surpreendente, divertida e assustadora na medida certa. Um thriller dos tempos de hoje, onde tudo o que acontece numa tela touchscreen já não pode mais ser considerado virtual. 

 The Game 2: [Ruído] é a o segundo livro da trilogia The Game, Anders de La Motte. O primeiro livro foi impressionante para mim. A ideia e todas as pistas falsas, a loucura e o caminho percorrido foi inesperado. Porém, Ruído não foi tudo aquilo que eu imaginava. Não o jogo como esperava.

Os dois protagonistas estão estagnados, repetindo os mesmos erros do passado. Rebecca torna-se fraca na trama, com uma alienação policial e seu relacionamento sem sentido com seu irmão.
A principal discussão do livro é o “buzz” na internet, afinal somos reféns da opinião alheia, a partir do momento que compartilhamos nas redes sociais sobre nossas vidas ou algo relacionado.

Neste livro, a ArgosEye é uma força cibernética conspiradora e manipuladora, acrescentada ao enredo para trazer mais ação e discussão a respeito do mundo virtual. O jogo fica em segundo plano e a parte central é a atual situação dos dois personagens.

Os capítulos são curtos e o suspense policial continua a todo vapor, no entanto o autor desenvolve conflitos que não tem nexo para os personagens, soando como forçados e por vezes, cansando o leitor.

A conclusão atiça a curiosidade, mas não sei se chegou a me instigar a ler o terceiro e último livro, com um pequeno gancho ligado ao enredo do segundo livro. Espero que o terceiro seja melhor e o Jogo volte.

Nota: ★★★



divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário