• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
19 agosto 2014

Voltando a você


Eu gostava de pisar em terreno firme e lidar com os detalhes a partir daí. Ver o quanto a terra poderia suportar e o que eu poderia colher, plantar e fazer brotar dela. Eu gostei da comparação e você? Quer uma melhor? Vou te mostrar que nas linhas desse rascunho escondo um segredo: ele, ela , nós.

Um nó que não pode ser desatado só. Juntos, apertados, enlaçados e amarrados. Juntados, eternizados, amados, bagunçados.

Ele me disse uma vez que eu não conhecia seus limites, o subestimava demais. Não pensava alto e nem o quanto as coisas boas poderiam chegar até mim. Ele era doido! Garoto doido de pedra, filho da racionalidade, preso no otimismo. Estou errada? Grande boneco numa caixinha simples.

A tardia luz do sol dava um ar brilhante ao seu rosto pálido. A cor do seu olhar mudava de sombria para angelical, seu cabelo escorria do lado e deixava um ar desleixado, do tipo “to nem aí”. Um sorriso de ponta que deixaria qualquer uma procurando oxigênio no ar. Eu devia estar louca por estar amando ele, devia estar brincando com meu coração, só podia.

As palavras que saiam da sua boca me hipnotizavam com a certeza do que falava. Onde ele aprendeu a ter tanta confiança assim? Nem sei quantas perguntas poderia fazer para ter as certezas de que estou amando a pessoa certo no momento certa.

Sentada do seu lado começo a pensar no que está acontecendo com meu corpo, que cada vez inclina mais para o seu lado, buscando preencher os espaços que entre nos está vazio. Ele me encara e eu encaro. Vou segurar seu olhar até ele desviar. O que está ele a pensar?

E quem é essa garota sentada ao meu lado? Que tipo de feitiço ela fez em mim, só consigo olhar para ela é reparar na perfeição da imperfeição. Do jeito que olha para a frente, pensando e assim fica. Não sabe o quanto é linda de corpo e alma. É possível sentir o poder dela sobre o vento. O sol se curva ao seu sorriso e ilumina seus olhos cor de mel, me confundindo com um arco íris. 

O cabelo longo dela voa e quero passar meus dedos ali, alisa-los e toca-la de modo doce e infantil. Seu cheiro é o aroma que quero sentir a tarde toda e o resto dos dias se ela olhar de mesmo modo para mim.

O que ela está fazendo comigo? Se ela for um anjo, eu acredito. No poder, na beleza e na alma dessa menininha que me calma e me atormenta. Minha cabeça fervilha com as possibilidades de fazê-la me notar. Meu coração bate mais forte do que o normal, suspeito de uma taquicardia, mas aceito morrer se tive-lhe ao meu lado, nem que seja para me dar boa noite a bom dia.


divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário