• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
25 janeiro 2017

Resenha: Redoma, Meg Wolitzer


Redoma
Título: Redoma
Autor: Meg Wolitzer
Editora: Globo Alt
Ano: 2015
Páginas: 287
Tradutor: Alexandre Raposo

Sinopse: Se a vida fosse justa, Jam Gallahue estaria vivendo sua vida tranquila em Nova Jersey, assistindo a séries de comédia e abraçando seu namorado, Reeve Maxfield. Ela não estaria infeliz e sem vontade de se levantar da cama, nem estaria em um internato para adolescentes “emocionalmente frágeis”, com uma colega de quarto esquisita. Mas a vida não é justa, Jam perdeu seu primeiro amor e está completamente perdida.
A mudança de escola parece a única possibilidade de recuperação para a garota, que passou quase um ano mergulhada em tristeza. No entanto, ela odeia a nova rotina e decide levar tudo com o menor esforço possível. Por isso, Jam fica bastante surpresa quando descobre que foi selecionada para a exclusiva e lendária aula de “Tópicos Especiais em Inglês”, da misteriosa Sra. Quenell.A turma tem mais quatro estudantes, todos com histórico de traumas ainda piores que os de Jam. Mesmo assim, a professora parece não se importar com a fragilidade de seus alunos quando escolhe o livro que trabalhará durante o semestre: A redoma de vidro, de Sylvia Plath. O romance, que narra a série de eventos que levariam a estudante Esther Greenwood a um colapso nervoso, parece a opção mais improvável, e talvez inadequada, para adolescentes que ainda estão superando experiências difíceis.Além das discussões sobre o livro, cada aluno tem a tarefa de escrever em um diário entregue pela professora. E é esse trabalho que leva Jam e seus amigos desajustados à Redoma, um lugar misterioso onde o passado pode ser revivido, e cada um dos alunos pode rever sua vida antes do momento traumático que levou ao internato. Repleto de referências ao clássico de Sylvia Plath, Redoma é um romance sobre o primeiro amor, o sofrimento profundo, o amadurecimento e os problemas de aceitação na adolescência. É também uma história sobre como a amizade pode ajudar a superar os piores traumas da vida.

Redoma é um sociedade secreta ou apenas quase um lugar para alunos especiais. O livro é narrado em primeira pessoa pela Jam, uma garota que sofreu com a perda do namorado e seus pais tiveram que colocar em uma escola especial.

Jamse depara com sua grade de disciplinas com uma diferente :Tópicos Especiais em Inglês” , ensinada pela Sra. Quenell. Ela só não sabe que seu primeiro dia de aula será confuso e intenso, posteriormente fará mais reflexões sobre si mesma do que jamais fez .Sra. Quenell distribuiu exemplares do livro A Redoma de Vidro da Sylvia Plath , na primeira aula , dizendo os estudos se fundamentariam nos escritos da Plath, e que ela seria a única autora que eles leriam naquele semestre, levando-se em conta o quão traumatizados são seus alunos.

 “Todos têm algo a dizer – prossegue ela, olhando para todos nós – Mas nem todos conseguem dizê-lo. Seu trabalho é encontrar um meio”

A Redoma de Vidro falará de Esther Greenwood,que sofreu um colapso nervoso após longos períodos de depressão, o que de fato aconteceu com a Plath. Ao fim da aula, a professora também entrega aos alunos diários, que eles deverão escrevem durante todo o semestre.

"É engraçado como você pode viver um longo tempo sem precisar de ninguém, e então você conhece  alguém e de repente precisa daquela pessoa o tempo todo."

A narrativa é fluida e leve, quando você menos espera já está terminado o livro e o semestre. Os flashbacks são muitos e não pareceram exagerados, tendo vista que a autora queria explicar aos poucos os traumas que os alunos da matéria especial passaram. 

“Mas todos sabem que evitar a dor é impossível. E eu acho que saber disso, além das experiências que vocês viveram, faz com que vocês não sejam frágeis. Isso os torna corajosos”.

A trama relatou vários problemas que podem  acabar destruindo nossa alma: perder alguém que se ama até distúrbios alimentares,descoberta da homossexualidade. Ou seja, compreende-se que tudo pode mudar quando menos esperamos, para melhor ou pior. 

Às vezes, nós precisamos nos isolar do mundo, então formamos uma Redoma: nos permitimos ver nosso interior , aceitar a situação e por mais difícil que seja, superar e seguir em frente. É um livro muito bom, que proporciona uma reflexão sobre nosso ser. De alguma forma, ele me tocou profundamente e merece uma atenção especial. 

“Não podemos ter medo de mudar – diz ela – De outro modo, perderemos tudo”

Nota: ★★★★



divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário