• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
28 fevereiro 2017

Resenha: Uma vida no escuro - Anna Lyndsey


Uma vida no escuro

Título: Uma Vida no Escuro
Autora: Anna Lyndsey
Editora: Intrínseca
Páginas: 248
SINOPSE: Com uma carreira consolidada e um apartamento recém-comprado em Londres, parecia que a única preocupação de Anna Lyndsey seria a manutenção de seu padrão de vida. No entanto, o que começou como um desconforto diante da tela do computador revelou-se uma grave sensibilidade a qualquer fonte de luz. Em pouco tempo, trabalhar tornou-se inviável, e mesmo atividades corriqueiras passaram a causar dores lancinantes. Conforme os sintomas foram se agravando, ela precisou abrir mão de qualquer plano futuro.


Anna Lyndsey é o pseudônimo de uma jovem funcionária pública, que têm uma doença rara e que leva uma vida impossível e restrita. Uma Vida no Escuro é o seu relato , o qual contará  sobre o seu quadro médico e como ela vive seus dias na escuridão.

Tudo começou em 2005, quando a autora percebeu que tinha certa sensibilidade à luz, principalmente ao computador. Notando que a piora vinha acontecendo, com manchas avermelhadas e ardência em seu rosto, Anna procurou um médico e depois de muitas consultas descobriu o que tinha: dermatite seborreica fotossensível.

Havia vários tratamentos e inicialmente funcionavam, mas depois o quadro clínico piorava, fazendo com que seu corpo acabasse inteiramente sensível. Esse fato acabou isolando sua vida e a deixando no escuro para viver.

A obra é uma autobiografia e traz um relato sincero de Anna sobre seus dias na escuridão. Ela fala sobre a adaptação a sua nova rotina, sua doença, seus meios de distração e o que a levou a escrever sobre seu estado.

Esse livro têm uma escrita clara, porém , para mim a leitura não me cativou a partir da página 100 para lá. Anna é bem calma quanto a sua escrita, apesar de não ser em ordem cronológica. Ela mostra motivos para viver quando todo mundo se afasta, lidando com a solidão e a depressão.


Eu recomendo o livro para quem gosta de autobiografias; para quem é curioso quanto a pessoas diferentes com maneiras excêntricas de lidar com a vida. E por mais que eu não goste tanto de autobiografias, é impactante e reflexivo ler sob uma perspectiva escura.

Nota: ★★★





divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário