• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
08 novembro 2017

Resenha: Meu coração e outros buracos negros, Jasmine Warga

Título: Meu Coração e Outros Buracos Negros
Autor: Jasmine Warga
Editora: Rocco
Páginas: 312

Ano: 2016
SinopseUm tema amargo, mas necessário. Em Meu coração e outros buracos negros, a estreante Jasmine Warga apresenta aos leitores um romance adolescente que aborda, de forma aberta, honesta e emocionante, o suicídio. Aysel, a protagonista, enfrenta problemas com a família e os colegas de escola, como tantos jovens por aí, e, aos 16 anos, planeja acabar com a própria vida. Mas quando ela conhece Roman num site de suicídio, em busca de um cúmplice que a ajude a planejar a própria morte, num pacto desesperado, a vida dos dois literalmente vira de cabeça para baixo. Aos poucos, Aysel percebe que seu coração ainda é capaz de bater alegremente. E ela precisará lutar por sua vida, pela vida de Roman e pelo amor que os une, antes que seja tarde.


Depois de ter visto muitas recomendações desse mês em Setembro, resolvi lê-lo. E posso afirmar, que ele vai além de uma capa simples e metafórica. A escrita da autora é adorável, a narrativa tem um tom de “dark” que ultrapassa o clichê e que casa perfeitamente com a história e com o assunto a ser retratado, com sinceridade e seriedade.
  
Meu coração & outros buracos negros, da Jasmine Warga , nos contará a história de Aysel, uma garota de 16 anos, que está por vários problemas em sua vida desde que seu pai foi condenado por um crime horrendo..

Aysel se sente triste o tempo todo, a ponto de imaginar como seria morrer.  Enquanto trabalha em uma empresa de telemarketing,ela  navegava em um site chamado Passagens Tranquilas  para ler os planejamentos dos suicídios. Através do site, Aysel conhece Roman, um garoto bonito, que já foi popular, que está em busca de uma parceira de suicídio.


"Aposto que, se cortassem minha barriga, a grande lesma preta da depressão sairia rastejando. Orientadores pedagógicos amam dizer: "Pensamento positivo!", mas é impossível quando se tem essa coisa lá dentro, sufocando cada centímetro de felicidade que se pode juntar. Meu corpo é uma máquina eficiente de matar pensamentos felizes."

Entre vários planos para se conhecerem antes da morte acontecer, Aysel se pergunta porque Ronan escolheu apenas uma data: 7 de Abril. Então, ela teria 26 dias até o dia que ambos cometeriam suicídio.

Assim, começa uma contagem regressiva para esse dia. Já que Aysel não ve a hora dessa tristeza, que a consome sumir. Mas, antes de partir ela precisa resolver algumas pendencias. Mas, esses encontros entre Aysel e Roman  acabam transformando aos poucos seus sentimentos de solidão. Será que eles conseguiram colocar o plano de suicídio em pratica?

Aysel e Roman são personagens memoráveis, com um humor acido,proporcionando diálogos inteligentes e reflexivos. Os capítulos são narrados pela contagem regressiva de quantos dias faltam para o suicídio.

"(...) Se eu tivesse um namorado, seu nome seria Suicídio. E tenho certeza de que Roman também está apaixonado por ele. É como um triângulo amoroso que dá errado. Ou talvez seja um triângulo amoroso que vai dar certo: nós dois vamos ficar com o cara em sete de abril."

O desfecho foi algo que me surpreendeu. A escrita da autora é fluida, cheia de sensibilidade e intensidade nos momentos certos. Jasmine Warga atribui um peso a cada palavras nas páginas , carregada de uma tristeza real, forte e palpável, que consegue transmitir para o leitor a falta de esperança de duas pessoas que desistiram de viver.

(...) Será que é assim que a escuridão vence, convencendo-nos a prendê-la dentro de nós, em vez de jogá-la fora? 


Um livro sincero, real , que vai te conectar com a história de primeira e com seus personagens. A dor que eles sentem , será sentida por você. O desespero e a tristeza será passada para seu coração. O final foi algo que me deixou receosa, já que senti pressa no termino, mas não posso falar porque seria spoilers. Outro ponto negativo, foi que não consegui me cativar o suficiente pelos personagens, já que eu queria algumas explicações a umas ações que ficaram incompletas. Mas, o mais importante é que esse livro trata de um tema que não deveria ser mais tabu. Uma historia que precisa ser lida, por mais difícil e dura que seja de se ler.

A autora mostra como traumas e cicatrizes profundas tem a possibilidade de serem transformadas em luz, que não existe nada irreversível, todos temos um lugar no mundo, só precisamos enfrentar o desafio de encontra-lo. Eu recomendo esse livro de olhos fechados para refletir e insistir na vida.


Nota:★(5/5)



divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário