• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
26 março 2018

Resenha: Estrela da Meia-Noite #3, Marie Lu




Adelina continua rainha, acompanhada de Magiano. Mas, a cada dia que passa ela se torna mais paranoica, as vozes na sua cabeça pioram e as o povo está se revoltando contra ela. Com violência , medo e uma disciplina rígida ela reina sobre aqueles que um dia a oprimiram.Para expandir seu poderio além do mar, nas terras da rainha Maeve Adelina não podia prever o envenamento do mundo mortal pelo imortal. E a culpa disso tudo pode ser dos Jovens de Elite.

E a trilogia chegou ao fim. Essa série é densa, com uma trama politica complexa, onde acompanhamos uma vilã em ascensao e o quanto a escuridão pode ser mais poderosa do que parece.

Apesar de A Estrela da meia-noite ser um livro mais curto que os anteriores, o desfecho para Adelina foi algo até entao indefinido. No começo, nossa Adelina era assustada, amendrontada , depois, tornou-se Rainha de Kenettra e fez do medo seu amigo. Nesse livro, vemos uma Adelina querendo se encontrar, calar o medo e tentando não desistir daqueles que ama.

Adelina é uma personagem fascinante, uma antiheroina que enfrenta as escolhas que faz. Aquela que passou a vida inteira lutando para ter poder e quando o tem, torna-se uma tirana poderosa. Formada de escuridão, vingança e ódio. Em um mundo que os malfettos são oprimidos e punidos por serem diferentes. Por isso, ela responde com violência a violência que um dia sofreu.Ter a coroa lhe garantiu isso.Mas , com o poder veio consequências e talvez isso seja sua ruina.

Os personagens coadjuvantes poderiam ter ganhado mais capítulos na narração, mas nem por isso deixam de serem importantes . Raffaele é o elo de Adelina com os Jovens de Elite. Teren continua um louco, porém sem proposito. Magiano continua próximo da Adelina, já que muitas vezes ele é a razão para ela.
Maeve  ainda vive a sua derrota e com medo de perder aqueles que ama.
Violetta tem um papel especial nesse livro, mesmo tendo tao pouca participação, ela é a ancora do amor de Adelina.

Os ultimos capitulos foram de tirar o folego. Mesmo nao sendo meu livro favorito da trilogia, eu tive diferentes sensações, já que no ultimo volume , tudo trata-se de sacrifio.
O inicio do livro foi lento, mas o final foi poderoso e até impressionante. Apesar de nao ter gostado tanto da trilogia Legend, Marie Lu voltou a entrar no meu coração com essa trilogia e mal posso esperar para que sua escrita geniosa me conquiste novamente.

 "você não pode endurecer seu coração para o futuro apenas por causa do seu passado".

“Ela era a personificação da frieza. Houve uma época em que a escuridão cobriu o mundo, e a escuridão tinha uma rainha.”

“Aonde quer que fossem, o céu escurecia e o chão rachava – as nuvens se agrupavam atrás do exército como uma criatura viva, preta e trovejando com fúria. Como se a própria Deusa da Morte tivesse vindo.”

Nota:★(4,5/5)



divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário