• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
20 abril 2017

Resenha:Reboot # 1, Amy Tintera

RebootTítulo : Reboot #1
Autora: Amy Tintera
Editora: Galera
Páginas:352
Ano: 2015  
Sinopse: Quando grande parte da população do Texas foi dizimada por um vírus, os seres humanos começaram a retornar da morte. Os Reboots eram mais fortes, mais rápidos e quase invencíveis. E esse foi o destino de Wren Connolly, conhecida como 178, a Reboot mais implacável da CRAH, a Corporação de Repovoamento e Avanço Humano. Como a mais forte, Wren pode escolher quem treinar, e sempre opta pelos Reboots de número mais alto, que têm maior potencial. No entanto, quando a nova leva de novatos chega à CRAH, um simples 22 chama sua atenção, e, a partir do momento que a convivência com o novato faz com que ela comece a questionar a própria vida, a realidade dos reinicializados começa a mudar. 

Reboot é o livro de estreia da autora Amy Tintera. Nesse mundo apocalíptico , a morte não é algo definitivo. Mas, se você morrer, a consequência para voltar a vida é ser um reboot ser for jovem ou apenas um zumbi se for adulto.

Os reboots são uma espécie humana "mais evoluída": mais fortes, rápidos, poderes regenerativos. Todavia, quanto mais tempo você demora para voltar a vida, menos traços de humanidade restarão. Os reboots ficam na CRAH - Corporação de Repovoamento e Avanço Humano – lá são resignados para missões do governo.

Wren é a famosa 178, ou seja , ela demorou 178 minutos para voltar a vida e é conhecida como sem sentimentos, assumindo seu papel de reboot com excelência. Ela é responsável por prender rebeldes. Logo, ela também escolhe novatos para treinar , mas dessa vez escolhe o menor número, 22, o Callum, tão baixo e infantil como outros.

Callum, por ter um numero baixo, ele tem traços de humanidade, sendo mais humano que os outros reboots.  O número acaba sendo também um desafio na hora do treinamento , pois sua força e velocidade eram mínimas se comparadas aos outros reboots iniciantes.  Mas, Wren tentará fazer o impossível e o inesperado acontecerá. 

Reboot tem uma premissa muito boa: “zumbis” evoluídos caçando rebeldes e humanos. Mas, me sinto saturada por ler livros sobre zumbis, com algo tao comum: relações forçadas e mudança de foco.  Amy Tintera escreve de forma bem fluída, com capítulos curtos , porém a história deixa pontas soltas ( mesmo tendo uma continuação), e foca mais no drama romântico do que no mundo Reboot.


divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário