• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
05 junho 2014

Especial : A culpa é das estrelas

Por Bia L.

Que dia mais feliz ! Finalmente chegou o grande dia e hoje vim falar um pouquinho sobre minha relação com o livro, minhas partes favoritas, mostrar o trailer e falar sobre o grande dia do filme e como foi tudo.

LIVRO 
      Eu lembro que comprei o livro em julho de 2012, quando fui passar férias onde hoje moro: João Pessoa. Ele tinha tudo o que eu mais amava: céu e estrelas. Pelo menos, foi isso inicialmente que me chamou atenção e a capa também. John Green se tornou um dos meus autores favoritos de todos os tempos. Mas, A culpa é das estrelas se tornou meu livro xodó. Me prendeu, enlaçou e eu amei. Ele me fez o amar. Turbilhão de sentimentos, sensações que iam dos gritos de felicidade e paixão á lágrimas de amor e sofrimento. Um livro que não fala sobre câncer, nem tão pouco sobre morte, mas sim sobre a vida, que ela pode ser boa.
 
Toda vez que leio sinto uma rajada de emoções, como se fosse a primeira vez. Um sorriso aparece no meu rosto a cada O.K, suspiro nas cenas de Hazel e Gus.Continuo lendo sempre que sinto saudade do meu casal favorito e que sinto que preciso arrumar meus pensamentos. Dizem que vivo no livro, e talvez seja verdade mesmo. Quando você encontra alguém (John Green) que coloque nos versos de um livro tudo o que você precisa de uma história é como achar uma alma gêmea. Ela te entende e continua te fascinando a cada dia que passa. 


" O que um livro pode ensinar?" Se for o livro certo e que o faça se apaixonar e não esquece-lo nunca, podes aprender tudo. Aprender que a vida é formada por pequenos infinitos. Ela pode ser boa em alguns detalhes, e que devemos dar mais importância a algumas coisas e não a coisas concretas. Uma bela história de amor, de convivência com a dor, e do que é viver.

A culpa é das estrelas se tornou um dos livros mais lidos de todos os tempos. Ganhou uma fama e um público bem jovem. Conquistou muita gente. Prepare os lencinhos agora ! Não é a toa que era um dos mais aguardados pelo publico. Eu assisti o trailer mil vezes, nessas mil vezes eu chorei, sorri, quantas emoções eu vivi.Confira agora :


GRANDE DIA :
No dia 5 de junho, no caso, hoje fui assistir o filme na primeira sessão de estreia(12:45 h). Meu dia tinha tudo para dar errado e estava dando, fiquei até triste porque eu poderia nao assistir naquele dia. Maaaaaaas, consegui ! Eu e uma amiga chegamos cedo. Compramos os ingressos e ja tinha uma grande fila. Tudo pronto e a ansiedade matando ! Sem dormir direito há mais de uma semana, e não é exagero, é coisa de fã mesmo. 

Uma gritaria quando estava para começar o filme, mas essa euforia, deu lugar minutos depois a paixão, mais tarde a lágrimas. Lencinhos nas mãos. Não chorei tanto quanto esperava, mas amei. Ficava a todo tempo : "oun" e rindo, morrendo de amores.



OPINIÃO: ( Cuidado, tem spoilers)
O filme foi incrível ! Uma adaptação transmitida naturalmente. O Ansel Elborg deu um charme tão fofo, morri de amores, perfeito e sonho de consumo. E a Shai sem maquiagem e tão fiel a Hazel, que merece premio esse ano em alguma categoria de melhor atriz e claro de melhor filme. 

SPOILER : Claro que estava faltando algumas partezinhas, como:
+ O convite a casa de Gus, porém nao passa o filme V de vingança e nem nada com referencia na semelhança da Hazel e Natalie Portman que Gus cita no livro.
+ A não referencia a ex-namorada de Gus. 
+ No dia que eles vão pegar o voo para Amsterdã, a Hazel e sua mãe que vão pegar Augustus na casa dele, no filme é ele que vai pega-las em uma limousine. 
+ A cena do encontro da Hazel e Gus com Peter Van Houten não mostra a demissão de Lidewij, sua assistente.
+E por último, a carta que Gus escreveu para Hazel é entregue por Peter no filme. Sendo que Hazel recebe o email de Augustus através de Lidewij, que envia para ela por email a última mensagem de seu eterno amor, Augustus.



Porque John Green deu esse titulo? È uma citação de Júlio César, de Shakespeare, em que Cassius diz para Brutus que a culpa não é das estrelas, e sim deles mesmos e as decisões que tomam na vida. John Green usa isso para provar o contrário, já que no caso de Gus, Hazel e Isaac, o fato deles terem câncer só pode ser culpa das estrelas, já que eles não fizeram nada terem esse destino. 



Palmas e corações nas mãos para o meu  A culpa é das estrelas ♥ Obrigada Tio John Green por escrever essa história incrível e emocionar, ensinar a tanta gente que a importância da vida está nos pequenos infinitos, nos momentos e não nas coisas materiais. Está nos sorrisos e nos dias que a dor precisa ser sentida .Desculpe-me pelos meus pensamentos, mas nao consigo descrever a minha alegria e amor por ter assistido esse lindo filme e nem teria palavras suficientes para dizer o quanto me inspirou e me incentivou na vida.  

"Enquanto ele lia, me apaixonei do mesmo jeito que alguém cai no sono: gradativamente e de repente, de uma hora para outra."

[...] Estou apaixonado por você, e sei que o amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim, e que haverá um dia em que tudo o que fizemos voltará ao pó, e sei que o sol vai engolir  a única Terra que podemos chamar de nossa, e eu estou apaixonado por você.

[...] Como se tivéssemos vivido uma breve, mas infinita, eternidade. Alguns infinitos são maiores que outros.

[...] Meus pensamentos são estrelas que eu não consigo arrumar em constelações.
 


divulgar

1 comentário


Comentário(s) pelo Facebook:

Um comentário: