• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
08 janeiro 2015

Resenha:Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo,Benjamin Alire Sáenz



Título: Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo
Autor: Benjamin Alire Sáenz
Editora: Seguinte
Páginas: 392
Sinopse : Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão.
Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas - e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.

Quando você ler esse enorme título pensa no filosofo Aristoteles. Bem, eu pensei que teria alguma relaçao e nao poderia estar mais errada. Não sei porque deixei tanto tempo esperando para ler esse livro. O enredo significa a emoção dos personagens e que passa para nós, lendo as 392 páginas. 

O Ari é um garoto timido, sem muitos amigos e que por acaso, acaba conhecendo Dante, que é amigo de todo mundo, conquista na conversa, é extrovertido e simpatico, surgindo uma amizade que pode parecer impossivel, mas consegue ser tão forte quanto imaginas.

Todos esperavam algo de mim. Algo que eu simplesmente não podia dar.
Então passei a me chamar Ari.
Se tirasse uma letra, meu nome seria Ar.
Achava que devia ser ótimo ser o Ar.
Eu poderia ser alguma coisa e nada ao mesmo tempo. Ser necessário e invisível. Todos precisariam de mim e ninguém conseguiria me ver.

Ari é aquele tipo de garoto que fecha-se para o mundo e lida com os problemas através do silêncio, guardando  para si. Dante é dono de uma personalidade cativante e libertária. Fiel aos seus ideais e se aceita como é. A narrativa é feita pela visão de Aristóteles, através da sua solidão pude perceber o quanto eu já pensei algumas vezes como ele, querendo ser diferente ou ser aceitável. 

Todas as palavras são medidas e contadas no momento certo, tornando o leitor parte da historia. Uma trama diferente, que eu recomendo porque o final foi surpreendente e aprendi tantas coisas e aceitei também várias, além de descobrir alguns segredos do universo.

"Fiquei pensando que alguns poemas são como pessoas. Algumas pessoas você entende de primeira. Outras você simplesmente não entende... e nunca entenderá."

  Ler esse livro foi ver um crescimento e descobrimento de sentimentos, emoções e descobertas que os personagens fazem sobre si mesmos e sobre o universo. Sáenz aborda temas como: familia, escolhas, drogas, descobrimento e aceitação. Tão simples, tão natural e com uma fluidez que as páginas vao adiando o final que tornou perfeito ao meu pensar.

"Fechei os olhos. Acho que esse era meu novo hábito. Eu não precisava explodir de raiva. Bastava fechar os olhos e trancar o Universo do lado de fora."

NOTA: 


divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário