• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
11 maio 2015

Texto : Viagens do coração


Fechei os olhos e suspirei, como sempre faço para pensar melhor ou afastar qualquer lembrança que abra mais a minha ferida. Nada sara completamente. Disso eu sei muito bem, e nem tudo é tão invisível para quem presta atenção .

Se me vissem mesmo, iriam chorar comigo ou talvez entender que meus pensamentos não são partes de um diário aberto a análise .

Sempre quando vou viajar, fico sem querer, observando o ir e vir das pessoas com suas bagagens que. as vezes são tão pesadas que mal conseguem carrega- las até precisar de ajuda com isso. Fico imaginando se terão sofrido por amor algum dia ou perdido alguém importante demais, se estão felizes no lugar que ocupam ou se tem opiniões tão adversas que não sabem o que querem e viajam para qualquer lugar até um dia se encontrar.

Compramos as passagens de ida, e por vezes, quando sabemos o dia, de volta. Sem saber o que nos surpreenderá no caminho. Sempre imaginei que somos mais do que viajantes e descobridores.Por isso, comparo:amar alguém é uma viagem complicada. Quem consegue amar alguém por tanto tempo? Essa ida é tão difícil e a volta é tão dolorida quanto.

Chega de viagens e suas metáforas. Eu sabia que as horas se passavam mais rápido do que o relógio contava. Sabia que tinha dias que eu preferia ver teu sorriso a aparecer ao sol, e recomeçar a rotina.
Será que você sente o peso das lembranças? Assim como eu, para no tempo e no espaço; lembra de todos os dias, sorrisos dados e mãos estendidas.

Será que você tenta apagar da memória o que doía ? E também leva sem querer as lembranças que a gente tinha das tardes e noites mal dormidas?

Será que jogou fora os presentes que te dei? Aquelas cartas meia bobas que eu deixava para você na sua casa.

Você sente como eu sinto , que tudo que foi nunca foi de verdade. Sempre esteve e sempre ficou onde foi guardado. Dentro do meu peito, onde te mantenho mais do que os dias e meses que passam, sabendo que você iria me magoar. 

Então deixo. Permito que bata na minha porta e me arranque um sorriso de saudade, e mais duas covinhas de amor.




divulgar

2 comentários


Comentário(s) pelo Facebook:

2 comentários:

  1. Lindo texto, e por vezes me senti assim, em uma aventura "não vivida".
    Sexo, Fraldas e Rock'n Roll

    ResponderExcluir
  2. Belo texto!
    Uma mistura de prazeres roubados, mas principalmente de um amor maior que a razão.

    ResponderExcluir