• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
07 setembro 2015

Projeto "Escrevendo sem medo": Tema #03



         Tema #03: O seu comportamento em casa na visão do seu animal de estimação.
Na primeira vez que eu soube que iria ganhar um cachorrinho, mal pude me conter. Sempre sonhei em carregá-lo, acariciá-lo, brincar e conversar com alguém que sente quando estamos tristes ou que somente pulam para valer só por sentir nossa felicidade.

 Ver aquela bola de pelos pequena correndo pela cozinha deixava meu coração leve, sem estresse e tudo se esvaziava de mim. Se eu sentia isso quando você era apenas um bebezinho, aprendendo a latir, correndo e caindo, fazendo suas necessidades em todo lugar e levando bronca dos meus país; mal posso imaginar o que você sentia ao me ver ou que fechava os olhos toda vez que eu passava a mão em seu pelo, puxava você no meu colo e abraçava. 

Se esconder debaixo da cama era fácil para você, pequeno. Eu ficava procurando pela casa e você quietinho, se escondendo do meu amor. Okay, talvez fosse exagerado, mas melhor ser demais do que ser de menos.

Vi você crescendo rápido demais. Ficando cada vez mais agitado e carinhoso, quase pulando e me levando ao chão junto. Ao voltar para casa, sei que sentes meu cheiro, sei que acorda ao escutar minha voz e me olha como alguém que não me vê a séculos que daria tudo pela companhia. Por ser grande demais, faço carinho e meu cansaço vence.

Vou apagando as luzes sempre esperando que você vá para a casinha, no entanto você sempre fica. Em pé, olhando e talvez pensando: fica mais um pouco, já faz algum tempo que não te vejo e estou com tanta saudade. Coração apertado novamente e para continuar , apago as luzes e fico esperando você deitar para dormir, para que no dia seguinte me acorde com seus latidos e eu desça as escadas correndo para te acariciar.




Tema #03 / Tão Doce e Tão Amarga



divulgar

1 comentário


Comentário(s) pelo Facebook:

Um comentário:

  1. Oi Bia,
    Que fofo o seu texto! Me emocionou muito. O amor que sentimos pelos nossos bichinhos é sem limites, não é mesmo? Amei, amei!
    Beijos - Tão doce e tão amarga.

    ResponderExcluir