• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
03 outubro 2015

Resenha:A Mulher Silenciosa,A.S.A. Harrison



Título: A Mulher Silenciosa
Autora: A. S. A. Harrison
Páginas: 256
Editora: Intrinseca
Ano: 2014
Gênero: Suspense Psicológico
Sinopse: Jodi e Todd estão juntos há 20 anos e, aparentemente, levam uma vida invejável. Todd é um empreiteiro bem-sucedido que pode bancar alguns luxos, como o enorme apartamento com uma vista deslumbrante para o lago, um Porsche (dele) e um Audi (dela) na garagem, e o estilo de vida de Jodi. Psicoterapeuta, ela atende em casa apenas dois clientes por dia, e tem tempo de sobra para as sessões de pilates, as aulas de arranjos florais, os passeios com Freud, o golden retriever do casal, e o preparo das refeições gourmet de que tanto gosta. Jodi ainda fica ansiosa ao ouvir a chave do marido abrindo a porta. Todd diz que nunca encontrará uma mulher igual a ela. Essa fachada perfeita, porém, está prestes a ruir. Todd é um adúltero incurável, e Jodi sabe disso. Ela é a esposa silenciosa, preparada para tolerar as traições do marido com o intuito de manter as aparências. Até que Todd sai de casa - para viver com uma mulher com metade da idade dela, filha de seu melhor amigo. Magoada, humilhada e, por fim, financeiramente abalada, Jodi começa a contemplar o assassinato como uma opção razoável. Contado alternadamente nas perspectivas dele e dela, 'A mulher silenciosa' é um livro sobre um casamento à beira do fim, um casal na direção da catástrofe, concessões que não podem ser feitas e promessas que não serão cumpridas. Um thriller psicológico sofisticado, que seduz o leitor desde a primeira página.

A segunda semana da Maratona Literária de Inverno é de : suspense, terror ou thriller. Escolhi A mulher silenciosa por está a algum tempo guardado e por tem 254 páginas, então vamos começar com algo leve.

Todd trabalha na construção civil, comprando prédios, casas, reformando-os e revendendo-os. Um homem determinado, adora seu trabalho e ama sua espoca, a Jodi. Eles estão juntos há vinte anos. Jodi é psicoterapeuta, atende dois pacientes por dia em casa antes do almoço e exerce sua função como dona de casa: cuidando dos afazeres, passeando com o cachorro e cuidando de tudo para o marido. Ambos são tranquilos e tem uma rotina agradável, mas Todd já trai Jodi a algum tempo e como uma mulher silenciosa, Jodi não diz nada, só se vinga nas pequenas coisas, como esconder uma chave que ele precise ou algo do tipo.

“Outros casais são barulhentos, vocais, intermitentes quando estão tentando resolver seus problemas, mas com eles tudo é dissimulado. Crie uma fachada, faça o que sempre fez, não diga uma palavra. Aja como se tudo estivesse bem e tudo ficará bem.”

 Não discute e nem coloca esses assuntos á tona. Mas, o caso de Todd está ficando cada vez mais sério e seu casamento está a um fio. O livro é narrado em terceira pessoa e pelos dois personagens, ambas com seus pontos de vista.

“Todo psicólogo sabe que não é o evento em si, mas como a pessoa reponde a ele, o que conta a história. Pegue dez indivíduos variados, exponha-os às mesmas experiências de vida e cada um deles as permeará com significados e detalhes pessoas requintados. Jodi é aquela que nunca voltou a penasr no assunto. Nem uma vez. Nunca.”

A autora é muito detalhista, descrevendo o relacionamento de ambos á fundo mesmo, o que me deixou cansada por alguns momentos. Com o passar dos capítulos, o leitor é avisado que algo está sendo planejado e que o casamento de Todd com Natasha, sua amante, pode vir a não acontecer.

"Não é verdade o que dirão: que ele não o viu chegar, que nunca soube o que o atingiu. Ainda assim, acontece muito rápido. Imagens fugazes explodem em sua tela mental; isso é tudo o que os moribundos têm tempo de registrar. (...) Se ele tivesse a opção de ficar, faria isso por ela. Mas não lhe restam opções agora. O tempo paira, suspenso, embora esteja prestes a ter um fim. A morte deveria ser uma sedução, não um estupro. Tivesse mais um minuto ele poderia fazer tanta coisa... Até mesmo os criminosos são autorizados a dar um telefonema, enviar uma mensagem. Quão vivo ele se sente, quão imensamente ele brilha, como um pavio aceso, um fogo de artifício prestes a explodir. O que ele não daria por mais um minuto, u mero minuto cruelmente pregado no fim de sua vida."

Jodi é uma personagem calma, fria e que por muitas vezes senti ódio por ela deixar tudo nas pequenas vinganças e sendo muito fraca, exercendo seu trabalho com outras pessoas , mas não sabendo ajudar a si mesma. E não se engane, esse livro não os aproxima dos personagens. Ele fará você analisar um a um e perguntar qual será o problema além do casamento.

"... Jodi costumava ser uma boa pessoa, boa por completo, mas não pode mais dizer isso de si mesma. ..."

 "A mulher silenciosa" não é aquele livro super. recomendado de suspense que todos irão gostar. Não espere uma história de tirar o folego, nem as expectativas sobre o futuro do casal. O que mais é retratado é o relacionamento de ambos separadamente. Puramente um suspense psicológico, A Mulher silenciosa é um pouco monótono, baseado nos diálogos e vivencias dos personagens e acabou não me tocando. A vontade que eu tinha era mandar Todd escolher o que ele queria e dizer a Jodi que fizesse algo, que parasse de ser cega e brigasse, saísse dos eixos para não se perder.

NOTA:  ★★



divulgar

1 comentário


Comentário(s) pelo Facebook:

Um comentário:

  1. Eu particularmente amei e odiei ao mesmo tempo esse livro, ainda me sinto confuso a respeito dos meus sentimentos a respeito dele, mas é um dos livros que eu releria ou relerei mais vezes. Adorei o blog, já está nos meus favoritos.

    Meu blog: www.umcontainer.com

    ResponderExcluir