• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
13 novembro 2015

Resenha: Como se apaixonar,Cecelia Ahern

Como Se Apaixonar
Título: Como se apaixonar
Autor: Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Páginas: 352
Ano:2015
Gênero: Romance
- Livro cedido em parceria com a Editora Novo Conceito
Sinopse:Depois de não conseguir evitar que um homem acabasse com a própria vida, Christine passa a refletir sobre o quanto é importante ser feliz. Por isso, ela desiste de seu casamento sem amor e aplica as técnicas aprendidas em livros de autoajuda para viver melhor.Adam não está em um momento muito bom, e a única saída que ele encontra para a solução de seus problemas é acabar com sua vida. Mas, para a sorte de Adam, Christine aparece para transformar sua existência, ou pelo menos tentar ajudá-lo.Ela tem duas semanas para fazer com que Adam reveja seus conceitos de felicidade. Será que ele vai voltar a se apaixonar pela própria vida?

Como não se apaixonar pelos livros da Cecelia Ahern? Com uma escrita delicada e sutil, ela transformou alguns conceitos de autoajuda em um enredo divertido e que promete surpreender o leitor. Sério ! Eu leio até lista de supermercado dessa mulher, gente !

Christine narra todos os acontecimentos da sua vida e consulta muitos livros auto ajuda para tudo e qualquer problema. Depois que não ter conseguido impedir o suicídio de um homem, ela resolver acabar com seu casamento por não estar feliz, enfrentando as consequências de sua escolha, que vão desde um ex-marido chato á comentários de conhecidos. Porém, em uma cena de suicídio, ela conhece Adam e consegue convence-lo a desistir da morte ao propor um acordo de 2 semanas para que ele tenha vontade de viver.





















Aos poucos, Christine vai se aproximando de Adam, conversando e acabam tornando-se amigos. Porém, Adam vive dilemas familiares: sua irmã roubou milhões da empresa do seu pai, o mesmo encontra-se com uma doença terminal, querendo que o filho assuma os negócios da família e tem mais uma: sua namorada o traiu com o melhor amigo. Então, cabe a Christine ajudar a Adam a recuperar o controle da sua vida e se apaixonar por viver.

Às vezes, quando você vê ou vivencia algo muito real, fica com vontade de parar de fingir. Você se sente um idiota, um charlatão. Fica com vontade de afastar-se de tudo o que é falso, seja algo inocente e inofensivamente falso ou algo mais sério; como seu casamento. Isso aconteceu comigo.”

Comecei esse livro no inicio da tarde e terminei em poucas horas e confesso que estava com o pé atrás quanto a Christine, que queria se redimir, mas toda a história colocou vários sorrisos no meu rosto e varias risadas, mas também me encantou pelo modo como Adam e Christine pareciam dar certo e viver como velhos amigos. Acredito , que por mais que em alguns momentos eu tenha pensado que tudo estava rápido demais, não consegui achar grandes defeitos em uma narração que daria um ótimo filme.

"- É um momento, isso é tudo. E momentos passam. Se você aguentar, esse momento vai passar e você não vai querer acabar com a sua vida. Você provavelmente acha que ninguém se importa, ou que as pessoas vão se esquecer de você. Talvez ache que elas querem que você faça isso. Não querem. Ninguém quer isso para outra pessoa. Pode parecer que não há opções, mas há... Você pode superar isso. Saia daí e vamos conversar sobre o assunto. O que quer que esteja acontecendo, você consegue superar. É um momento, isso é tudo."

Christine me fez rir , porém senti que ela era humilhada demais, principalmente por seu ex-marido que espalhava mentiras sobre suas amigas e sobre ela. Apesar de tudo, ela é forte. A maneira como ela procura sempre ajudar os próximos, colocando-se no lugar dos outros e sem nunca pedir nada em troca, me fez querê-la como amiga. Adam é aquele cara que despertou meu amor imediato, divertido e irreverente. O pai da Christine e suas duas irmãs me fizeram rir horrores e ficar imaginando como seria conhece-las.

De toda forma, Como se apaixonar é emocionante, tratando de temáticas delicadas como o suicídio, gerando reflexões que permeiam as vítimas de uma forma delicada. Apesar de não ser o meu livro favorito da autora, foi uma leitura fluida e sensível, mostrando que a felicidade pode estar em lugares diferentes e que não precisamos de livros de autoajuda para guiar nossa vida 24 horas. A ajuda necessária em alguns momentos é o abraço de um amigo, o beijo de um amor, um momento divertido, o apoio da família ou apenas uma piada, uma palavra que nos conforte, prometendo que as coisas irão melhorar.

Então, se você queria algo para se divertir, mas ao mesmo tento repensar suas escolhas, sua vida, o romance da Cecelia Ahern é perfeito para se divertir ..

     

NOTA: ★ ♥



divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário