• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
25 janeiro 2016

Resenha: O Muro ,Céline Fraipont.


O Muro

Título: O Muro
Autores: Céline Fraipont (roteiro) e Pierre Bailly (ilustração)
Ano: 2015
Páginas: 192 
Editora: Nemo
Sinopse: O Muro é uma história poética, forte e pungente, desfiada por um desenho frio como o toque de um bisturi, que arrasta o leitor pelos caminhos obscuros de uma adolescência problemática ao som do punk rock. Estamos em 1988. Numa monótona cidadezinha do interior belga, Rosie, uma menina de 13 anos, se vê entregue à própria sorte: sua mãe fugiu com outro homem numa aventura amorosa, e seu pai vive mergulhado no trabalho. Roída por uma rotina morna e vazia, Rosie fica completamente desorientada. Assiste, impotente, à transformação de sua personalidade, ora apavorada, ora determinada, diante da melancolia que a invade e traça os contornos de sua nova vida.

"O Muro", de Céline Fraipont e Pierre Bailly é uma grafic novel triste, emocionante e nem sei se consigo descrever o que senti nessa resenha, mas tentarei.As ilustrações, o romance, o punk rock, e as drogas e bebidas presentes na trama de "O Muro" proporcionará uma leitura marcante e inesquecível.

"O Muro" é construído pelo íntimo de uma adolescente que busca se entender, desde o que aconteceu de ruim na sua vida como a si mesma.No final dos anos 1980, Rosie com seus 13 , 14 anos procura ser amiga da vizinha , já que está é sua única amiga com uma idade parecida. Não gosta de estudar e não entende porque sua mãe foi embora com outro e seu pai devido ao trabalho é tão ausente. 

O silêncio, o cotidiano de uma cidade interiorana fazem parte em toda a HQ. Podemos sentir o tédio e a solidão que a Rosie sente , dai os discos punk rock oitentistas e as canções de Minor Threat e The Cure, as bebidas e as drogas. Independente dos problemas familiares, Rosie afoga suas mágoas com o álcool, as drogas e em cima de um muro acaba conhecendo um cara traficante judeu, chegando até a furtar com ele .

"O Muro" apesar de curto, é envolvente, poético e grandioso de uma forma únicaO roteiro apresenta uma reviravolta, mas sem lições sociais . Uma obra que precisa ser apreciada por todos.
Nota : ★★★★ 



divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário