• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
04 janeiro 2016

Resenha:Pílulas Azuis, Frederik Peeters


Pílulas Azuis

Título: Pílulas Azuis
Autor: Frederik Peeters
Editora: Nemo
Páginas:208
Sinopse:“Nesta narrativa gráfica pessoal e de rara pureza, por meio de um roteiro simples e de temas universais (o amor, a morte), Frederik Peeters conta sobre seu encontro e sua história com Cati, envolvendo o vírus ignóbil que entra em cena e muda tudo, e todas as emoções contraditórias que ele tem de aprender a gerenciar: amor, raiva, compaixão. Pílulas Azuis nos permite acompanhar, sem nenhum vestígio de sentimentalismo, através de um prisma raramente (senão nunca) abordado, o cotidiano de uma relação cingida pelo HIV, sem deixar de lançar algumas verdades duras e surpreendentes sobre o assunto. Apesar da seriedade do tema, Pílulas azuis é uma obra cheia de leveza e humor. Não é à toa que é considerada por muitos a obra-prima de Frederik Peeters. Uma das mais belas histórias de amor já publicadas.” – Editora Nemo

Como começar a falar de uma graphic novel que é surpreendente e sensível, a ponto de querer falar a todo mundo? Algo que pode minimizar os preconceitos e a ignorância sobre um assunto que permanece mal disseminado nas mídias. É comum fazermos comentários preconceituosos ou olhar de forma atravessada pessoas que tem alguma doença diferente. Porém, nessa historia auto biográfica do autor percebi que podemos mudar nossa visão de mundo e de uma forma leve, descontraída e sensível compreender e saber mais sobre a AIDS.

O vírus do HIV é tratado em  Pílulas Azuis através da historia de Frederik e sua esposa. Eles se conheceram quando eram jovens e ele já tinha uma certa atração por ela. Anos depois, eles se reencontram e a mesma atração continua existindo, até que Cati revela que é soropositiva e que seu filho também é portador da doença. Todavia, a forma como Frederik lida é surpreendente e encantadora, sempre com um toque de humor e informação.

Em Pílulas Azuis temos algumas dúvidas comuns respondidas: forma de contágio, sexo, tratamento, sintomas. Porém, a história me tocou ao lidar com um tema difícil de forma a explicitar os questionamentos dos personagens: como a Cati lida com isso? Onde afeta em seu filho pequeno?

A rotina dela e de seu filho. A Cati é uma fortaleza e a cada virar de página pude alimentar meu fascínio por sua leveza, seus cuidados consigo e seu filho, mas segurar meu coração quando a depressão batia.Mas,Fred , seu fiel companheiro sempre esteve ao seu lado para ajudar a atravessarsuas crises e melhorar as coisas.O respeito e admiração só cresce pela Cati ♥
  
Fred: “Quer dizer alguma coisa ao leitor?”
Cati: “Mantenha a cabeça aberta! Combata os preconceitos. Apesar de tudo…Penso muito nisso…Que todo mundo deveria ter direito a uma segunda chance.”

Nota : 



divulgar

1 comentário


Comentário(s) pelo Facebook:

Um comentário:

  1. Nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, mas achei linda a história, tudo que vem para combater preconceitos ou informar vale mto a pena ser lido e divulgado.
    Adorei o blog tb, já estou seguindo no face para não perder nada!
    Beijos
    Isadora

    www.novoromance.com

    ResponderExcluir