• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
03 outubro 2017

Resenha: Minha Vida Fora dos Trilhos, Clare Vanderpool


Título: Minha vida fora dos trilhos

Autora:Clare Vanderpool
Páginas: 304
Gênero: Drama infanto-juvenil
Editora: Darkside Books

Ano: 2017
Sinopse:A protagonista de MINHA VIDA FORA DOS TRILHOS, Abilene Tucker, tem apenas 12 anos, mas é corajosa e impetuosa o suficiente para encontrar aventuras na pequena cidade de Manifest, Kansas, um fim de mundo para onde seu pai a enviou de trem a fim de passar o verão sob a tutela de um velho conhecido enquanto ele trabalha em uma ferrovia.

O que parecia ser o período mais solitário e entediante de sua vida ganha um novo e surpreendente rumo quando Abilene encontra uma velha caixa de charutos com cartas antigas e pequenas lembranças de outros tempos. Aos olhos curiosos da menina, a caixa se torna uma verdadeira arca do tesouro, onde segredos enterrados conectam dois momentos da cidade. A partir de então, o livro se divide em duas narrativas cronológicas: passado e presente se misturam, daquela maneira mágica que só um bom livro consegue contar.Os acontecimentos vão da época da Primeira Guerra Mundial à Grande Depressão norte- americana dos anos 1930, com soberba fidelidade histórica que ajudam a construir esta narrativa de perda e redenção

Minha vida fora dos trilhos é o recente lançamento do selo Darklove da Darkside. Esse é o primeiro livro da autora Clare Vanderpool que li e posso dizer que sua escrita me conquistou.

Abilene Tucker é  uma menina de 12 anos, que foi mandada por seu pai (Gideon) para passar um tempinho em Manifest Kansas, na casa da um conhecido , enquanto seu pai trabalha na ferrovia. Os dias se passam , mas Abilene têm esperança que seu pai voltará para busca-la. Afinal, não importava qual a dificuldade, eles sempre permaneceriam juntos, certo?

Quem sonharia que alguém pode amar sem ser esmagado por esse peso?

Porém, enquanto isso não acontece , Abilene acaba descobrindo uma caixa com uma série de cartas de um soldado da Primeira Guerra Mundial chamado Ned Gillen para seu amigo Jinx, com alguns itens: uma isca de pesca, uma bonequinha, uma moeda específic Ao mesmo tempo que ela fica curiosa para descobrir mais sobre essa história, Hattie Mae, a principal repórter da cidade, e a Srta Sadie, uma velha vidente a ajudarão a entender mais sobre o passado de Manifest.  Abilene também encontra  velhos jornais de Hattie Mae  com as notícias durante o ano de 1918 da cidade.



Incrivel como a autora associou fatos reais para criar sua história: a grande leva de imigrantes para trabalhar nas minas, os membros da Ku Klux Klan, a mineradora carrasca que tinha a cidade nas suas maos, os  Trens dos Órfãos e tudo isso associado também a Grande Depressão.

Para mim, aquelas coisas eram como tesouros de um museu, objetos que uma pessoa podia estudar para aprender sobre outro tempo e os indivíduos que nele viveram.

Abilene é uma personagem cativante  e que nos leva nessa investigação sobre a cidade e sobre si mesma. Ela não entende porquê seu pai a deixou ali e nem porquê ninguém fala nada sobre ele na cidade. A história é desenvolvida a partir da busca da Abilene para descobrir de quem e o qual a importância do conteúdo na caixa. Quem são os garotos das cartas? E o que isso tudo tem haver com ela e seu pai?


A narrativa é dividida entre o presente e o passado: Grande Depressão e Primeira Guerra Mundial. A escrita da autora é envolvente e fluida, interligando bem as linhas temporais. Mas, confesso que ficava angustiada pelo presente, para acompanhar a Abilene nas suas descobertas. Ela nos apresenta um vasto universo histórico, nos fazendo mergulhar nas duas histórias apresentadas com uma leve pitada de suspense, mantendo o mistério da identidade de Cascavel, vilão da história dos garotos em 1918.


Quando há sofrimento, procuramos um motivo. E é mais fácil encontrar esse motivo dentro de si mesmo.
A diagramação do livro é enriquecedora, contando com recortes do jornal da época, ilustrações do mapa do Kansas e da ferrovia, algumas cartas da Srta. Sadie, e muitos mais.Minha Vida Fora dos Trilhos é um livro de ficção histórica, então se você gosta desse gênero, do cenário, de duas narrativas em uma e de personagens que ditarão o rumo da historia, é mais do que recomendado.


  Nota: ★★★★(4,5/5) 



divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário