• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
29 dezembro 2017

Resenha: A Rosa e a Adaga, Reneé Ahdieh

Série: A Fúria e a Aurora
1 - A Fúria e a Aurora (2016)
2- A Rosa e a Adaga (2017)
Autora: Renée Ahdieh
Editora: Globo Alt
Páginas: 366
Ano: 2017
Sinopse
A esperada continuação de A Fúria e a Aurora, inspirado no clássico As mil e uma noites Sherazade chegou a acreditar que seu marido, Khalid, o califa de Khorasan, fosse um monstro. Mas por trás de seus segredos, ela descobriu um homem amável, atormentado pela culpa e por uma terrível maldição, que agora pode mantê-los separados para sempre. Refugiada no deserto com sua família e seu antigo amor, Tariq, ela é quase uma prisioneira da lealdade que deve às pessoas que ama. Mas se recusa a ficar inerte e elabora um plano. Enquanto seu pai, Jahandar, continua a mexer com forças mágicas que ele ainda não entende, Sherazade tenta dominar a magia crescente dentro dela. Com a ajuda de um tapete velho e um jovem sábio e tempestuoso, ela concentrará todas as suas forças para quebrar a maldição e voltar a viver com seu verdadeiro amor.


Quando eu achava que não poderia me apaixonar mais por Shazi e Khalid, tudo acontece e a trama continua me puxando cada vez mais. A Rosa e a Adaga é a continuação de A Fúria e a Aurora escrito por Renée Ahdieh, um livro incrível que me fez mergulhar em um universo desconhecido e que explora a cultura árabe interlaçando a história de Mil e Uma Noites.

Khorasan foi atacada por rebeldes, Sherazade foi levada por Tariq para um acompamento onde encontrará sua irmã e seu pai. Shazi está cercada de inimigos, ao lado de um ex-amor que não sabe se pode confiar e receosa do que possa acontecer com seu marido, o Khalid. Todo mundo acredita que o Califa seja o monstro que mata mulheres inocentes porque quer.Enquanto isso, Khalid está tentando reconstruir a cidade de Rey, lamentando a perda de sua esposa e com a maldição batendo as suas costas. Além disso, está ameaçado de uma guerra. Em meio a traições, reviravoltas, uma separação forçada, Shazi está arquitetando planos para salvar Khalid da maldição e evitar uma futura guerra.

A Rosa e a Adaga me conquistou por completo, fiquei imersa na obra, me acomodei no deserto e adorei conhecer mais da cultura árabe. Renée Ahdieh construiu uma narrativa poderosa, mesclando romance e fantasia. A autora com sutileza consegue enaltecer suas personagens femininas, empoderando-as em um cenário machista e submisso.

A escrita de Renée Ahdieh é intensa,fluida e encantadora. Fiquei fascinada pela riqueza de detalhes na narrativa, pelos seus diálogos criativos e profundos, pelos personagens complexos e os cenários. Ela me transportou para o deserto e me fez viver como Shazi e Khalid.  

Mesmo afastados um do outro, a relação de  Khalid e Sherazade continua forte e essa força é passada além das paginas. Mostrando um amor raro e lindo, que foi construído aos poucos, com confiança, amizade e respeito.Esse romance é inesquecível. Ah, não poderia esquecer de Irsa,a irmã de Shazi, que foi amadurecendo durante a trama e se transformando em uma mulher forte. Suas partes no livro me surpreenderam e a fez uma personagem inspiradora.

 Sherazade é uma personagem á parte: incrível desde o inicio, uma fortaleza a ser vencida e que inspira por sua coragem, ousadia e atitude.Nesse segundo volume,Shazi descobre que a magia nasce em si, ela luta pela sua família e por seu amor e toda a ação do livro se deve a ela. Khalid se mostra mais aberto aos seus sentimentos nesse livro,bondoso e apaixonante. Em suma, A Rosa e a Adaga é um livro incrível que recomendo para amantes de  fantasia, romance e que curtam personagens femininas fortes. Vale a pena se aventurar no deserto e mergulhar nessa aventura.


Nota:★(4,5/5)



divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário