• Cinema
  • Inspiração
  • Leitura
  • Música
  • Playlist
  • Resenha
  • Série
  • Texto
  • Vídeo
27 julho 2018

Resenha: Godsgrave, Jay Kristoff


Como um livro se atreve a me perturbar minha paz? A me aterrorizar com teorias e a me desestabilizar emocionalmente? GODSGRAVE continuo a surpreender ! Desenvolveu bem os personagens, aprofundou nossa compreensão deles.  Mais dark, mais brutal e mais envolvente do que eu poderia imaginar. Meus olhos se iluminaram a cada página virada com os tiros, continuo angustiada pelo plot twist que está me fazendo arrancar os cabelos . UAU!

 “ Mia fechou os olhos.

Levantou sua lâmina.
Mãe, mãe mais negra, em que me tornei?"


Godsgrave foi um nível além de Nevernight. Com um enredo semelhantemente sombrio e sinuoso, original, com a personagem principal mais foda que você já viu.Porém ,aqui é tudo mais profundo, mais corajoso e ainda mais deliciosamente moralmente cinza . Se o primeiro livro foi sobre vingança e sangue e escola de assassinato, este aqui é sobre vingança e sangue e uma competição de gladiador de porra, com um lado de f / f romance e conflitos morais.

Mia Corvere é fantástica ! Ela está em um caminho diferente, porém sua campanha de vingança continua a mesma: ainda há dois nomes em sua lista de assassinatos, afinal. Ela é inteligente, forte e cruel, mas também é dolorosamente humana às vezes. Mia não é uma caricatura de uma assassina sem coração, ela tem momentos de vulnerabilidade e dúvidas que a tornam ainda mais bem desenvolvida e atraente.

Basicamente, o enredo é ainda mais emocionante do que o primeiro. Mia não está mais treinando e está disposta a matar qualquer um que atrapalhe seu caminho. É difícil explicar de outra forma sem dar spoilers porque você realmente precisa ler este livro e chegar ao fim.

Esta série é tão foda, é incrível e obrigada a @nickmafra por me convencer a não perder mais um segundo para ler. Estou nervosa, ansiosa e quase surtando para ver o que Jay Kristoff fará no último livro. Não tenho dúvidas de terminarei em posição fetal, com mil coisas na cabeça e querendo gritar como no final de Godsgrave.




divulgar

comentar


Comentário(s) pelo Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário